Amigos tricolores,


Mulher no estádio não dá! Lugar de mulher é na cozinha, em casa cozinhando para o marido. Mulher não entende nada de futebol, mulher não sabe nem porque tem aquele sujeito de preto – ou amarelo – no meio do campo, mulher não sabe o que é impedimento, mulher só quer ver coxa dos homens, mulher mal sabe a diferença do time branco para o preto, mulher não entende de tática, mulher acha que o CR7 joga mais que o Messi, porque é mais bonito, mulher pede para o jogador sair, porque o reserva é mais bonito, mulher não sabe nada de futebol e fica postando nas Redes Sociais só babaquice…

E ai, o que acharam dos comentários acima?

Se você concordou com eles, por favor, nem leia mais esse artigo, pare por aqui, que é melhor! Pois você vai ouvir críticas contra esse seu pensamento mais atrasado que obra do metrô em São Paulo!

Se achou um absurdo, continue, pois o artigo é exatamente uma crítica a quem pensa como eu escrevi, propositalmente, no parágrafo acima. Essas frases, infelizmente, não vieram da minha cabeça, mas de uma rápida pesquisa que fiz em alguns perfis de mulheres, torcedoras do nosso São Paulo.

Me chamou a atenção, ultimamente, a quantidade de mulheres que eu vi debatendo nas Redes Sociais com homens sobre elas poderem ou não ir a estádio e torcer! Como se alguém, que elas nunca viram na vida, pudessem mandar em suas vidas. O que me espanta é vê-las reclamando de torcedores do nosso time, que ainda, em 2019, pensam dessa maneira imbecil.

Lugar de mulher é na cozinha sim!

Mas também é na sala, no quarto, no parque, na cadeira de CEO de uma multinacional bilionária, no MBA, dando aula no Doutorado, no Shopping, na casa da amiga, no bar bebendo cerveja, no estádio. O lugar da mulher é onde ela quiser! Aceita, que dói menos!

Racismo e imbecilidade, não combinam com o São Paulo!

Nós temos mulheres lindas torcendo pelo nosso tricolor! Aliás, no Brasil tem mulheres lindas torcendo para todos os times, do São Paulo ao Ibis, mas vamos focar apenas nas “Tricolindas”.  Nada é mais bonito do que a mulher brasileira. Elas encantam e deixam os estádios muito mais bonitos. Elas trazem a beleza e o charme para dentro dos estádio. E entendem de futebol, aliás, algumas entendem muito mais do que muito marmanjo que se esconde atrás de Redes Sociais para “lacrar” com suas opiniões ultrapassadas.

Não quero lacrar com esse post, não preciso disso, quero é defender as mulheres contra, ainda hoje, idiotas que entram em seus perfis de Redes Sociais para ofendê-las. Escondido atrás das Redes Sociais, na casa dos meus pais, comendo Trakinas que a vovó comprou no supermercado. Assim, eu xingo qualquer um. Típico machão. Sabe aquele cachorro que dentro de casa late para todo mundo, mas quando o dono abre o portão ele não sai para a rua de medo dos outros cachorros? Pois é bobão, você que se esconde atrás de Redes Sociais para ofender mulher é mais covarde que esses cachorros.

Não respeitar a mulher, é mostrar o quão cérebro de camarão você é. Não adianta ficar dando showzinho no seu Twitter, via o iPhone que seu pai comprou e sua mãe paga a conta, falando contra a imprensa ou torcida adversária que nos chama de “Bambi” quando a hipocrisia o cega ao xingar a mulher!

Mulheres entendem de futebol. Sim!

Graças ao livro do Telê, eu consegui muitos seguidores e seguidoras em minhas Redes Sociais. O que eu acho muito bom. Gosto de conversar com pessoas, conhecer, sem nenhum interesse, afinal, sou casado e não escondo isso de ninguém, que fique bem claro alguns pontos para os “leitores de título que entendem todo o contexto do texto”. E antes que você comece a escrever nos comentários, eu levo ela e a minha filha ao estádio sempre que possível. Elas gostam. Minha mulher não entende nada de futebol, mas gosta da festa, do evento. E isso já é o suficiente para eu a levar, fora, claro, a excelente companheira que ela é. Minha filha, igualmente!

Acompanho algumas dessas mulheres, as vezes não concordo com a opinião delas, do mesmo jeito que não concordo com a opinião de homens. Opinião cada um tem a sua. Aqui no blog, eu posto a minha opinião, há quem goste, há quem poste “texto lixo” no comentário ou no Twitter. Faz parte, muitas dessas críticas são de pessoas que não tem coragem e muito menos habilidade para escrever, melhor criticar, porque melhor não faz. E isso, ocorre com as mulheres tricolores.

Eu já vi, uma postar que precisava tirar um jogador e ter um comentário “diz isso porque acha o (reserva) mais bonito, nem de futebol entende…” provavelmente era uma opinião do “homem” (e vamos deixar entre aspas porque essa atitude não é de homem, sem nenhuma conotação de preferencia sexual) que tem medo de falar e precisa agredir. Tem uma menina que sigo, nem do Brasil é o time que ela torce, esse time joga, ela comenta e vem um bando de “macho” tirar sarro, que ela não sabe nada e que deveria torcer para um time nacional.

Agora o otário lacrador quer definir o time que os outros torcem, afinal, na “lacrolândia” o que importa é a minha opinião, a sua, se for diferente da minha ou você é “fascista” ou “burro”, respeito a opinião alheia, nunca, afinal, “meu perfil, minhas regras” e claro, no Brasil o que dá audiência é briga. Obrigado Felipe Neto e BBB por nos ensinar isso.

Respeita as mina!

Não concordar com uma menina que diz que o Anthony é melhor que o Toró. Não concordar com outra que diz que o Igor precisa jogar no lugar do Tchê-Tchê. Não achar que o Rogério Ceni foi mais goleiro que o Zetti como uma outra disse, faz parte, está no seu total direito, agora xingar, ofender e mandar ir para a cozinha porque estádio não é lugar de mulher? E onde é? Porque do seu lado, meu amigo, é que não é mesmo!

*Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – http://www.livrotelesantana.com.br/  – facebook.com/plannerfelipe e @plannerfelipe

Anúncios