Calleri diz que volta é improvável, mas avisa: nunca recusou o São Paulo

Titular e autor de oito gols em 35 partidas pelo Alavés (ESP) na atual temporada europeia, Jonathan Calleri ainda não sabe onde jogará a partir do segundo semestre. Dificilmente será no São Paulo, mas não por falta de vontade do argentino de 25 anos que virou xodó da torcida na curta passagem que teve pelo Morumbi em 2016.

Calleri tem mais dois anos e meio de contrato com o Deportivo Maldonado, do Uruguai. Na verdade, ele pertence a um grupo de empresários que pagou cerca de R$ 40 milhões para tirá-lo do Boca Juniors (ARG) e pretende recuperar o investimento. Após empréstimos ao São Paulo, ao West Ham (ING), ao Las Palmas (ESP) e ao Alavés (ESP), os agentes querem vendê-lo, e dificilmente o Tricolor conseguiria fazer esse investimento agora. Se ninguém quiser comprá-lo, a preferência é um novo empréstimo a uma equipe europeia, para servir de vitrine.

– O grupo empresário que investiu tanto dinheiro em mim quer recuperá-lo e a única maneira é que eu jogue na Europa e me vendam. Não é a melhor situação a que eu estou, mas foi graças a eles que joguei no São Paulo. Se não fossem eles, creio que nunca teria ido. O São Paulo não se interessou por mim quando eu estava jogando no Boca. Como eu não tinha o passaporte comunitário, me ofereceram aí e disseram que sim. Foi graças a eles que joguei no São Paulo e aí se formou essa grande relação. Como sempre digo, sempre vai ser primeiro o São Paulo. Mas se o clube não está interessado em investir para me comprar é muito, muito difícil. Por isso quero falar, porque dizem “Calleri não quer vir”, “Calleri recusa o São Paulo”. Creio que isso me prejudica, porque torcedores me escrevem e dizem que não quero ir. Isso é mentira. Eu amo o São Paulo, sou grato ao clube e creio que deixei a porta aberta para voltar. Não gosto que digam mentiras, como andam dizendo que eu sempre recuso o São Paulo – disse o argentino, em entrevista ao LANCE!.

Calleri nunca escondeu o seu carinho pelo São Paulo e pela torcida. Por isso, quer afastar a imagem de que tem recusado ofertas do clube em todas as janelas desde que saiu ou de que use o suposto interesse do Tricolor para se valorizar. 

– Estão dizendo muitas coisas que não aconteceram. A verdade é que tenho um carinho enorme pelo São Paulo, sempre disse. Minha gratidão com o São Paulo é dizer “não” a todos os clubes brasileiros que venham perguntar por mim, seja Palmeiras, Flamengo, Inter… Eu valorizo muito o que o São Paulo fez por mim, e minha gratidão por eles é sempre dizer que primeiro está o São Paulo. Mas desde que eu saí não houve nenhuma aproximação. Creio que uma vez perguntaram, seis meses depois de ir, mas depois nunca mais. Falam coisas ruins no Twitter, alguns repórteres dizem algo sobre mim, mas realmente nunca houve a intenção do São Paulo de investir em mim, realmente é isso. O São Paulo só conseguiria por empréstimo, realmente nunca houve um pedido de compra ou algo que interessasse ao grupo de empresários – explicou.

Cansado de mudar de clube a cada temporada, Calleri torce para que alguém consiga comprá-lo na janela de transferências do meio do ano.

– Estou aberto a escutar ofertas. Não sei onde vou estar no próximo semestre. Creio que, no geral, fiz uma boa temporada no Alavés. O primeiro turno foi o melhor da história do clube. No segundo não fomos tão bem e não pudemos nos classificar à Europa League. Joguei todas as partidas, creio que fui importante para a equipe e estou muito contente aqui. Espero que alguma equipe se interesse em mim e me compre, é o que eu quero, para me estabilizar em alguma cidade por três ou quatro anos seguidos – declarou ele, que também teve seu nome ligado a clubes argentinos nos últimos dias, como o Independiente.

– Minha ideia agora não é voltar para a Argentina. É ficar aqui na Europa, que algum clube me compre. Minha ideia é esperar o mercado de transferências, tratar de desfrutar as férias e esperar se algum clube está interessado em me comprar. Essa é a situação por hoje.

O goleador mantém contato frequente com Alexandre Pássaro, gerente de futebol do São Paulo, mas diz que a relação é mais de amizade do que de “jogador para dirigente”.

– Estou sempre em contato com o clube. Vejo as notícias todos os dias, quando posso vejo alguma partida. Converso, tenho relação com muita gente aí dentro, mais com o Alex Pássaro, que se portou muito bem comigo. Falamos de como está o clube e de como estou aqui na Europa. Só quero dizer que o dia que eu voltar ao São Paulo os torcedores vão saber por mim. Que não acreditem em tudo o que dizem, porque há muitas mentiras. Muitos jornalistas dizem coisas que não são verdade, mentem para as pessoas, e isso eu não gosto. No dia em que estiver perto do São Paulo, saberão por mim, e espero algum dia devolver dentro de campo todo o carinho que eles me dão.

Lance!

Anúncios

30 comentários

  1. Eu se fosse os empresários que investiram na compra do Calleri do Boca Juniors pensaria seriamente numa proposta do São Paulo. Explico: o jogador já tem 25 anos e com esta idade só os bem diferenciados, mesmos os europeus, conseguem ser vendidos por um bom preço e depois que saiu do Boca Juniors ele só arrebentou aqui e depois virou um ‘cigano comum’ de times pequenos do futebol europeu. No São Paulo ele pode recuperar o seu futebol e seu prestígio e pela força do clube e da nossa camisa chamar a atenção de um comprador europeu. Lá ele vai continuar escondido.

      • Massa,

        Tambem acho.
        Se ele tem 2 anos e meio de contrato, emprestem ao SP por 1 ano e meio (ou seja, até o final de 20). Estipulem um valor minimo de venda e que o SP se compromete a liberar caso se atinja tal valor, e deixem ele valorizar aqui.
        Se algum clube da Europa oferecer tal valor ao final de 19, paciencia. Ou o SP cobre, ou libera.
        Senão ele fica até junho de 20. Se oferecerem o valor, ou o SP cobre ou libera.
        E finalmente no final de 20, se chegar a proposta, ou o SP cobre e fica com o jogador em definitivo, ou libera.
        E, se não sair negocio nem por parte do SP e nem de outro clube, acertem previamente com o jogador uma prorrogaçao automatica de mais 1 ano, o que daria um total de 2 anos, e ai emprestem pra quem eles quiserem. Mas, por até um ano e meio ele estará na melhor vitrine
        da America do Sul.
        E eu penso que em um ano e meio, muito jogador que está hoje no clube já terá saido, e com
        mais valores de vendas em caixa, o SP de repente pode estar até mais preparado na parte
        financeira para ficar em definitivo com ele.
        .

  2. Ao contrário de alguns que chegaram, não corresponderam e deram prejuízos, esse aí sim valeria o investimento. O São Paulo investe muito mal. Verdade seja dita, um clube grande que precisa voltar a ser protagonista não pode achar que Caléri é jogador caro. Caro mesmo é Diego Souza, Kieza, Nenê, Everton Felipe, Maicossuel, Bruno Perez…. a lista é grande.

  3. Isso eae Calleri, acredito em vc, no fundo falta um pouco de esforço da diretoria pra tê-lo em definitivo, vide caso Pato q só veio pela enorme pressão da torcida e pq o próprio teve que abrir mão de muita coisa! Mas tenho fé q um dia ele volta!!!

  4. São Paulo é a maior vitrine do futebol sul-americano,se tivessem deixado o Calleri aqui por mais uma temporada, fatalmente hoje ele seria destaque em um médio ou grande europeu, deram um tiro no pé.

  5. Podiam inventar um sistema vaquinha… kkkkkk
    Doe 10 dólares pelo Calleri
    Com certeza, 1 milhão de torcedores doaria.. kkkkkkk

  6. Que tal comprarmos ? Zanquetta, faça uma campanha por aqui para arrecadarmos uma grana e comprarmos esse cara. Depois de Luizão e amoroso, foi calleri o melhor goleador do SPFC.

  7. Pois é, Vicente.
    Fiz uma brincadeira inocente.
    Mas por que não, né?
    Em época de crise, uma inovação seria bem vinda.
    Mas acho que o torcedor merece ser ouvido.
    E tem o direito de colocar seu time no alto.
    Também acho que o Calleri foi o melhor depois dessa grande dupla.

  8. Falando em campanha. Teve um ano ai que a FPF fez uma campanha para repatriar o Marcelinho carioca, e os torcedores dos 4 grandes ligavam cada para um para um numero de telefone com final diferente. O valor total seria para a FPF comprar os direitos do jogador e o repasse dele seria para o clube cujo maior numero de torcedores tivesse ligado. de pessoas
    Obvio que os corintianos foram maioria, até pela identificaçao do jogador.

    No caso do Calleri é muito mais simples, pois só teria torcedor tricolor.
    O marketing do SP faria um projeto de comprar o Calleri e teria um numero de telefone para o torcedor
    ligar e doar 10 reais. Valor vem descontado na conta de telefone.
    Liga quem quiser e quantas vezes quiser. Faz uma campanha bem divulgada com validade por 1 ou 2 meses.
    Se temos quase 20 milhões de torcedores, e se 20% ligar, seriam 4 milhoes de pessoas doando 10 reais
    (no minimo). Se Calleri custou aos empresarios 40 milhoes, eu aposto que uma campanha bem estruturada arrecada uns 50 milhoes tranquilo!!
    Façam uma pesquisa aqui mesmo no Blog, ou seja, quem doaria pelo menos 10 reais…
    Que vejam a parte burocrática, legal e de logistica e pau na máquina!!

    • Acho legal, JAC.
      Tipo de coisa que brasileiro, povo criativo, pode fazer.
      Também uma forma de inovar no futebol.
      Assim, não fica só no poder dos mandatários.

    • Você acha que brasileiro iria gastar dinheiro para comprar um jogador, nem doar R$ 10 para Instituição de Caridade fazem, preferem gastar em Pinga e Churrasco.

      • Sim, uma grande parte da torcida acharia… Calculei só 20% do total que daria algo entre 4 e 4,5 milhões. Se for bem montada e divulgada a estratégia, acredito que funciona. Já funcionou antes com o Marcelinho carioca, envolvendo as 4 maiores torcidas de SP, porque não funcionaria com a nossa torcida para trazer um jogador que marcou quase todo mundo dentro e fora do clube?

  9. Acho que tem duas vias.
    Precisava de alguém com livre acesso para propor ao Raí.
    A outra via seria organizar um site, talvez colocar direto nas redes sociais.

  10. Acho que o Zanquetta poderia ser essa voz e levantar esse assunto junto à diretoria. Poderia ser criado grupo no Facebook, Instagram e demais redes sociais com um link para contribuição. E o São Paulo poderia nos presentear com um 10 de verdade para encher o calleri de bola para fazer os gols. Nunca é demais sonhar. São Paulo arrecada muito, porém é um péssimo comprador. Às vezes chego a pensar que é de propósito para poder sempre ter uma necessidade. Quanto não se gastou em comissões para comprar o Diego Souza e depois doa-lo ao Botafogo. Quanto não foi gasto com esse Biro Biro? Quanto não foi gasto com o Everton Felipe? Quanto não se gastou com o Jean? É um absurdo o desperdício no SPFC. Todos eles juntos não trazem, nem trariam o retorno que um Calleri traria. Pena que nosso glorioso tenha se tornado um Botafogo por culpa dessas diretorias desastrosas que têm se apropriado do nosso SPFC. Desculpem a comparação, mas hoje nos vejo na mesma situação quanto a ganhar títulos.

  11. Está certo, Vicente!
    Eu também gostaria de um 10.
    Tenho trauma desde a época do Muricy pela não vinda de um grande meia.
    Podemos trazer o Calleri.
    Depois eles trazem o 10, e o lateral direito

  12. Então Sr. Calleri e seus empresários de visão pequena, continuem ai na Europa jogando em Clubes sem expressão e quando tiver 38 anos se aposente pois ninguém irá contrata-lo mais. Jogador dependente dos outros, não tem vontade própria, se fosse outro bateria o pé e decidiria onde quer jogar. fraco de cabeça.

  13. Algumas visões que gostaria de expor.
    Gosto do futebol dele mas…

    1 – Não queria ele por empréstimo novamente, pois já vimos as péssimas decisões das pessoas que agenciam sua carreira e a vinda por empréstimo seria novamente um tiro na aguá.

    2 – Comprar o jogador é algo bem complicado visto que seus empresários em 2016 investiram R$ 40 milhões + correção de valores dentro de 3 anos + Lucro deles, o Arboleda por exemplo está sendo cogitado sua venda por R$ 35 Milhões, então acho inviável.

    3 – West Ham e Aláves foram péssimas escolhas de clubes destes dirigentes, são clubes pequenos que basicamente jogam em contra ataque e tem pouca criação de jogada, Calleri é jogador de área que funciona melhor com clubes que tenham maior poder de criação ele se daria muito bem nos grandes de portugal.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!