Paraguaio brilha na base do São Paulo e vê até campanha para ser comprado

O assunto do ano no São Paulo é Cotia e a capacidade de formar tantos jovens talentos. Só que o nome da vez nas categorias de base do Tricolor não construiu longa história no clube, como fez o volante Luan, e nem era torcedor desde a infância, como Antony e Igor Gomes. Antonio Galeano veio do Paraguai na última temporada da carreira como sub-20 e tem poucos meses para provar que merece uma chance definitiva no Morumbi.

Galeano é um meia-atacante de 19 anos e foi emprestado ao São Paulo pelo Rubio Ñú, clube paraguaio que chegou a ter o ex-zagueiro Carlos Gamarra como dirigente.
A cessão aos paulistas é somente até o fim de 2019, só que o tempo disponível para jogar pelo Tricolor acabou ficando reduzido pela participação do garoto no Sul-Americano Sub-20 no início da temporada.

Na competição, o Brasil contou com os tricolores Walce, Luan, Igor Gomes e Toró, mas teve campanha ruim e não se classificou para o Mundial da categoria. O Paraguai de Galeano foi ainda pior e nem sequer avançou ao hexagonal final. Depois do torneio, o meia ainda precisou esperar o fim das férias do sub-20 do São Paulo, que havia acabado de conquistar a Copa São Paulo, e só neste mês a estreia no futebol brasileiro foi possível.

Antonio Galeano defendeu o Tricolor pela primeira vez há duas semanas. Ele jogou 25 minutos da vitória por 3 a 2 sobre o Ituano no Campeonato Paulista Sub-20. Na rodada seguinte, atuou novamente por 25 minutos, mas já se sentiu mais à vontade e marcou um dos gols do triunfo por 3 a 0 sobre o Grêmio Osasco.

A melhor atuação, no entanto, aconteceu ontem. E justamente na partida mais importante que encarou até agora. Em clássico contra o Palmeiras, o paraguaio foi o responsável por abrir o placar na goleada por 4 a 0 da equipe comandada por Orlando Ribeiro. Logo aos seis minutos, ele recebeu cruzamento de Fabinho e bateu forte.

O gol fez Galeano já ganhar status de queridinho dos torcedores que acompanham as categorias de base do São Paulo. Até a transmissão da SPFCtv exaltou o meia-atacante: “O nosso paraguaio é muito melhor”, celebrou o narrador Magno Nunes. E algumas páginas do Tricolor nas redes sociais iniciaram uma campanha pela compra do jogador, com a hashtag #GaleanoEmDefinitivo.

O paraguaio chegou a divulgar postagens da campanha e tem mostrado entusiasmo com a chance de defender o São Paulo. E se havia alguma preocupação quanto à adaptação a um país diferente, Galeano tem tirado de letra. Já é comum vê-lo interagindo com os colegas no CFA Laudo Natel, inclusive aplicando trotes. Foi assim quando venceu o volante e capitão Diego em uma partida de FIFA19 no videogame.

Anúncio peculiar e mistério são-paulino

Em 15 de novembro de 2018, o Rubio Ñú publicou no Twitter uma foto de Galeano segurando um contrato com o papel timbrado do São Paulo e avisou que a revelação do clube seria emprestado para as categorias de base do Tricolor por uma temporada. O time paulista, entretanto, nunca chegou a confirmar a contratação.

A presença de Galeano só foi divulgada – e de forma discreta – na estreia dele, há duas semanas. Apesar de ter sido contratado para o sub-20 são-paulino, o jogador já havia disputado 26 partidas e marcado dois gols pela equipe profissional do Rubio Ñú.

Boliviano tentou a sorte, mas não vingou

Essa não é a primeira vez em que o São Paulo observa o mercado sul-americano em busca de jovens promissores. No ano passado, o clube assinou contrato de menos de seis meses com o meia boliviano Raul Guitiérrez. Assim como Galeano, ele estava na última temporada como sub-20, mas em nenhum momento conseguiu emplacar sequência no time de juniores. Raul chegou a fazer treinos no CT da Barra Funda para completar o elenco profissional e, após dezembro, foi liberado pelo Tricolor, onde sonhava jogar.

ESPN

Anúncios

6 comentários

  1. Boa sorte no Tricolor! Vamos aguardar a sequência.
    Gabriel Sara e Edcarlos, dois meias clássicos. Espero que cuidem bem da forma e encontrem o posicionamento adequado no corrido futebol atual.
    Eu confesso que fico triste de ver jogadores espetaculares, como o Ganso, mas que não puderam fazer história por causa do físico. O meia Adriano Gerlin, que deixava toda hora o Kaká e o França na cara do gol, foi outro caso semelhante.
    Espero que essas joias subam.
    E que façam sucesso.

      • Pois é, Nelson…
        Adriano era muito bom.
        Esse menino Edcarlos tá indo pra selecao sub18.
        Falaram dele ate em jornal inglês.
        Ele é mais lento do que o normal.
        Mas faz uns lançamentos de 40 metros.
        Espero que se cuide bem.
        E que o treinador da base, e oxalá, mais adiante o Cuca, ache a melhor posição pra ele.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!