As falhas clamorosas do Departamento Médico do São Paulo

Hoje falarei como jornalista (que sou) e também como psicólogo. Inicio o texto com as seguintes indagações: até que ponto os clubes de futebol no Brasil tem a dimensão do significado de “Responsabilidade Social”? Será que jogadores foram, definitivamente, transformados em máquinas de jogar bola? Explico.

Os casos de jogadores com indisciplina, dependência de álcool e drogas e depressão estão se acumulando de forma delicada e extremamente preocupante dentro do clube nas últimas décadas.

Amplamente noticiado pelos colegas da mídia esportiva,  casos como os de Regis, Petros, Cueva, Michael Bastos, Cicinho entre tantos outros demonstram que a atuação do DM do São Paulo está ultrapassada e com foco voltado para outras questões que não aquelas associadas aos aspectos humanos do alto rendimento.

Essa semana foi a vez de Gonzalo Carneiro assumir a dependência da cocaína. Além de assumir o vício, o jogador declarou que buscou ajuda no Uruguai, seu país de origem. Algumas questões foram levantadas diante do fato. A saber:

  1. Qual o tamanho da distância entre os profissionais da saúde do clube e os atletas? Afinal, é uma aberração que uma instituição do tamanho do São Paulo Futebol Clube não tenha uma conduta (nem conhecimento) para identificar, diagnosticar e trabalhar para oferecer recursos aos jogadores que enfrentam dificuldades acima descritas.
  2. Será que existe a preocupação com o bem estar pessoal dos jogadores para além das questões profissionais? Será que o clube pensa demais em formar lideranças, atuar no desenvolvimento e fortalecimento de equipe e se esquece que, antes de atletas, são seres humanos? Essa miopia me parece escandalosa para um clube que, um dia (bem distante) já se orgulhou de ser considerado de vanguarda no nosso futebol.
  3. Por que o clube acumulou tantos casos de comportamentos desviantes nos últimos anos? Você conhece alguma outra instituição que conseguiu formar quase que um time inteiro com atletas que desenvolveram psicopatologias igualmente graves?

O caso de Carneiro é apenas mais um sintoma institucional de um clube que se perdeu ao longo dos anos. E se perdeu não apenas dentro de campo – o que considero apenas ser reflexo daquilo que (não) acontece fora dele.

Antes de vir a público explicar as razões pelas quais esses casos se acumularam ao longo dos tempos, o São Paulo precisa repensar sua gestão. Afinal, o jogador uruguaio contar com o choro do treinador Cuca não me parece o melhor caminho de auxílio. Pelo contrário. Apenas mostra que o clube está perdido dentro da própria ignorância na história de sua última década.

É preciso pensar com vanguarda, e, acima de tudo, com responsabilidade. Atleta e ser humano são faces da mesma unidade e assim devem ser concebidos e trabalhados. Os clubes que entenderam essa simples equação estão anos luz à frente de instituições como o São Paulo Futebol Clube que mais parece uma organização viciada em erros e equívocos neuróticos e recorrentes.

Enquanto isso, como descreveu o saudoso dramaturgo e jornalista, Nelson Rodrigues, “continuaremos a presenciar as pobres almas de chuteiras pelos gramados da bola e da vida”.

Gazeta Esportiva

54 comentários

    • O pior de tudo é ver Raí escondido , foge dos questionamentos como o diabo da cruz. Cheguei á conclusão que Raí e leco se merecem, são do mesmo nível

  1. Cara, texto especulativo, que levanta questão altamente subjetiva e de difícil verificação. É preciso mais dados estatísticos, percentuais, pesquisa de campo séria sobre o trabalho feito no clube. Até que seja feito isso, é mero impressionismo.

    • Texto especulativo? Com todo respeito, olha para para o que está acontecendo com os nossos principais jogadores e não é de hoje: Sempre contundidos ou levam dezenas de meses para recuperarem a forma: Everton, Liziero, Micosuel, Carnero, Luan, Pablo, quase metade do time fora de combate. Não vejo isso no Guarani da capital, nem nos Travecos nem no falido Santos

  2. Bem exagerado o texto! Claro que a assistência e o respaldo , principalmente os relacionados a aspectos psicológicos , devem evoluir de forma mais efetiva na formação de jogadores contudo, o São Paulo não é diferente , de forma geral, a cultura encontrada em todos os clubes do futebol brasileiro . Ao q me consta os meninos formados em cotia recebem uma atenção razoável que vai além da formação de atletas . Há uma preocupação nítida com o desenvolvimento pessoal desses garotos ( vide depoimento de Lucas Moura , por ex, que ressalta a diferença de tratamento gritante na comparação entre curica e São Paulo na formação de seus jogadores ) . Jogadores de futebol , via de regra , São jovens , de classe econômica baixa, sofrem pressão monstruosa e devem se enquadrar a vida de atleta profissional . Entenda se : esporte em nível de competição não é sinônimo de saúde ! Ao contrário , os atletas são explicados em seus limites físicos desde sua formação até a aposentadoria !!

  3. Carneiro nao assumiu ser dependente químico em momento algum. Ele sequer deu qualquer declaração pública desde o caso do dopping.

    Seu empresário deu uma declaração em que nega que ele seja dependente químico e que diz que o consumo se deu de maneira involuntariamente (numa história bem esquisita, é verdade).

    O cara diz que vai falar como jornalista e sai soltando factoides e fake news. Esta bem alinhado com o novo jornalismo.

  4. Eu não sabia que o Petros tinha problema de bebida ou drogas. A imagem que ele passou foi outra. Regis, Cicinho e agora o Carneiro parece ser problema sério. O caso do Cueva não parece ser doença. Acho que o psicólogo-jornalista acordou e decidiu que ia fazer uma matéria a respeito. Não se deu nem o trabalho de pesquisar. Escolheu alguns nomes de cabeça e jogou no ventilador. Culpou o clube de quê? Da má formação dos caras? De não ter detectado que eram problemáticos? Dar atenção e oportunidade não é responsabilidade social? O Regis não foi apoiado pelo clube? Se isso é jornalismo o cara que escreveu é um mal psicólogo. E vice-versa.

    • Ou talvez o jornalista quisesse que os médicos fossem capazes o bastante para identificar os adictos antes da contratação e os evitasse.

      Texto que imputa ao clube a responsabilidade por tratar (ou identificar) doenças que são as maiores mazelas da atualidade e estão em todas as camadas sociais: vício e depressão.

      • Um tema desses é para ser tratado a nível do esporte como um todo, ou do futebol em particular. Não é exclusividade do SPFC esse problema.

  5. Não dá para cobrar do clube se jogador tem depressão. Nem se bebe, nem se se droga.
    Clube nao e baba de jogador.

    Quer mais do que o clube fez pelo Regis?

    Sair de estado viciatorio, segundo pisquiatras, é decisão da pessoa. Segundo o Casagrande também.
    Ou o cara se conscientiza que existe um mal que precisa ser atacado com intenso sacrificio ou nada será feito e problema vai persistir.

    No caso de depressao há uma epidemia silenciosa.

    As contusões freqüentes merecem estudo e análise, ao resto também, mas a este último não cabe a tentativa de culpabilizar ou demonizar

    • O caso do Regis, o clube resguardou a imagem do jogador até onde deu. Ninguém sabia quase nada do que se passava com o jogador até mesmo foi reintegrado a equipe e jogou. Mas depois o jogador tem um recaída, daí não teve jeito e mesmo assim o clube não jogou a cova dos leões, basta ver o que o próprio Regis disse posteriormente ao caso. O Cicinho assumiu a responsabilidade também sobre seu vício.

      Se o jornalista tem algum vício então cabe a empresa para qual ele trabalha assumir seus erros como pessoa? É cada jornalista meia boca que tem no meio mesmo….

  6. Não vi declaração nenhuma assumindo o tal vício e achei bem exagerado o texto. O São Paulo tem sim como não ser pego de surpresa nesses casos fazendo o uso de doping regular no ctt. Mas é uma prática cara q talvez por isso não seja utilizada e se limita as competições.

  7. Eu queria lembrar que casos são esses????
    ..
    “Amplamente noticiado pelos colegas da mídia esportiva, casos como os de Regis, Petros, Cueva, Michael Bastos, Cicinho entre tantos outros”

    ??

  8. Esse caso do Carneiro só é mais um entre tantos casos não só no clube como no futebol brasileiro e mundial. O que precisa ser feito é alguém vir a público e explicar toda a história, pode ser alguém do clube, o empresário ou o próprio Carneiro. O texto do colunista só vem a colocar a culpa no clube e no departamento médico. Agora me respondam como controlar uma pessoa jovem que acha que pode tudo na vida? O clube pelo que eu saiba conta com uma psicóloga, agora se a própria pessoa não se cuida e não tem interesse em procurar ajuda, fazer como?

    O clube tem sua culpa se soubesse antes da contratação do Carneiro tinha esse vício, se foi um deslize que se corrija, aceite a punição e tente contornar o problema. Ficar vitimizando o jogador ou responsabilizando o clube nessa hora não tem pé e nem cabeça.

  9. O cara tá há um ano no clube não vem conseguindo jogar por conta de inúmeras lesões mal curadas.

    é claro que deve ser frustante, distante da família, num outro país….são muitos os agravantes.

    Nesse momento é hora de apoiar o ser humano o resto é bobagem.

    o caso do Pablo é mais emblemático e sem falar o Lizieiro que ainda não tem um diagnostico definido.

    O nosso refis se tornou uma lenda apenas isso….precisa passar por reforma na mentalidade dos profissionais que lá estão…precisam se atualizar.

  10. Volto a dizer: se o São Paulo não ganhar de forma a convencer, a imprensa irá poluir ainda mais o ambiente. Isso pode afetar a confiança dos jogadores e tudo que ocorrer no clube irá sempre para o lado do pessimismo. Claro que o atual momento contribui para isso, mas precisamos mudar essa atmosfera, se não estaremos fadados as manchetes estranhas, piadas e palhaçadas de jogadores rivais, de times rivais e jornalistas que odeiam o clube irão se esbaldar

  11. Não me consta nada sobre o Petros… Pode ser que eu tenha passado batido por alguma notícia sobre, mas não lembro de nada contra ele.

    Quanto ao Carneiro, não vejo culpa do clube, o mesmo que outros como Cueva etc…

    Régis poderia ser evitado, mas fechar as portas para quem um dia teve problemas e marginalizar? Não creio ser o melhor caminho, inclusive sob o ponto de vista social…

    Paolo Guerrero teve problemas, está se recuperando e está bem no Inter.

    Não concordo com o texto.

      • Quando o texto começa com “Hoje falarei como jornalista (que sou) e também como psicólogo.”, já não se pode esperar grande coisa, pois a auto afirmação fala mais alto que a capacidade.

        Enfim… Texto fraco e tendencioso.

        Há problemas, claro, evidente, mas não da forma exagerada apontada, inclusive colocando os exemplos desses jogadores… Petros?

  12. Respeito a opinião da pessoa mas discordo completamente.

    Me parece um tipo de matéria tendenciosa, porque em todos os momentos o clube agiu perfeitamente dando todo o suporte possível aos atletas. E como sabemos o clube não é “babá” para cuidar do que o atleta faz fora de campo. Porque a matéria não citou outros exemplos de Luizão que é alcoólatra assumido, de Aloiso que toma “danone”… estes beberam mais do que os citados e ainda sim foram campões.

  13. O motivo da gazeta continuar escrevendo esses lixos, o Neto continuar falando as asneiras que ele fala, a Fox e o Nicola continuam inventando especulações que inventa é pq dá ibope. Uma pena que parte desse ibope venha da própria torcida são paulina.

  14. Colocar na conta do clube vício de um funcionário é de doer.
    Não lembro nada contra Petros nem Michel Bastos. O Cueva, pelo que me recordo, foi apenas um vídeo dele cantando com uma lata de cerveja na mão.
    O Régis, por exemplo, teve oportunidade de se reestruturar no próprio SP e em outros clubes, mas não teve sucesso até hoje.

    Nada a ver esse texto aí. Não importa o motivo, importa é criticar.

  15. A imprensa passou a ter prazer em criticar o São Paulo. Até parece que o São Paulo é o único clube que tem ou teve jogadores com problemas com álcool ou drogas.

  16. O jogador deve ser o primeiro a se cuidar. A responsabilidade principal é dele. O clube pode e deve auxiliar, mas não dá pra ajudar quem não quer ajuda… SP tem outros problemas, inclusive no perfil de algumas contratações, mas se o jogador bebe e se droga, o maior responsável é ele. O clube e vítima de um irresponsável, msm que doente.

  17. Não sem razão os diários esportivos foram banidos das bancas de jornal. Texto ridículo e irresponsável. Quer dizer que quando um jogador contratado, na sua vida particular escolha o caminho das drogas, o departamento médico do clube é o culpado? Gostaria de sugerir ao moderador do Blog, que3 bane de seus posts (reprodução) as notícias apresentadas pela Gazeta Esportiva, que não acrescentam nada à vida do São Paulo Futebol Clube.

  18. Precisa separar as coisas, novidade ver o nome do Petros na lista de problemáticos envolvidos com bebidas ou drogas.
    O DM do SPFC era referência até o JJ desfazer a equipe que fazia bom trabalho e sucatear o REFFIS, que em minha opinião, olhando de fora, precisa de uma reformulação tanto humana quanto material.

  19. Olhando para a tabela do Brasileiro dos jogos do SP já confirmados com data e horário, concluo que não será tão tranquilo:

    SPFC x Botafogo
    Goiás x SPFC
    SPFC x Flamengo
    Fortaleza x SPFC
    SPFC x Bahia
    Galinhas x SPFC
    SPFC x Cruzeiro
    Avaí x SPFC
    Atlético MG x SPFC

    Serão 2 jogos fora, na 8ª e 9ª, com clássicos, após o jogo contra o CAM, vem as porcas no Morumbi, mas ainda não confirmaram horário, e sabemos que não será transmitido. Sequencia difícil, se compararmos os 3 jogos das galinhas com o do SP, veremos que eles pegam times teoricamente mais fracos.

  20. texto mentiroso
    1- cicinho se envolveu com alcool fora do sp, ja tinha vazado….
    2-todo mundo sabe em sorocaba q o regis foi pro sp com o prroblema das drogas e o sp fez de tudo pra ajudar.
    3- cueva ja feio com problemas de alcoolismo e tinha ajuda especifica no clube pra tratar disso
    4-dizer q o michel bastos fi problema no sp eh piada neh?
    5- petros?
    logo se ve uma amteria tendenciosa, mentirosa e burra….alem do fato de ironizar a condua do cuca qdo do antidoping
    vejam quem sao os jogadores mais bem resolvidos no exterior e de q clube sairam..vejam se ha algum jogador formado no sp ou q tenha passado tempo razoavel no clube pedindo pra voltar pro brasil, com depressao, sdd do feijao e outras porcarias….
    e isso n tem nada a ver c leco nao…..funciona assim nao por causa dele, mas apesar dele
    acho q essa coluna merece uma resposta oficial do sp

    • O processo de contratação precisa ser revisto, quando escolhem determinado jogador para contratar, enxergo a necessidade de uma investigação aprofundada do extracampo do jogador.

      – Quando você consegue trazer um jogador de muita qualidade com facilidade, pela metade do que vale no mercado, desconfie.

      – Quando o jogador tem qualidade e não consegue ter uma continuidade em nenhuma equipe, desconfie.

      – Conversar com ex-companheiros, treinadores, imprensa local ou até de forma simplista fazer uma pesquisa no Google e em suas redes sociais.

      Parece tudo tão óbvio e simples, mas garanto que se o clube tivesse tido esse cuidado, teria evitado metade dos problemas que teve.

  21. Com todo respeito, mas um psicólogo falando sobre fisiologia é como um mecânico falando sobre como melhorar a mecânica dos foguetes da nasa.

    Desculpas ao amigo que escreveu esse texto, mas colocar sua função logo no início do texto foi claramente para apelar para a autoridade da sua profissão, por que você mesmo sabia que o argumento era raso.

    E não me entenda mal, sou empreendedor, ensino empreendedorismo e mesmo assim não sinto que seja qualificado o suficiente para julgar qualquer departamento tão a distância e emitir uma opinião que não seja baseada em achismo.

  22. Essa matéria é uma vergonha….e o pior é torcedor do São Paulo cair nessa arapuca de matéria sensacionalista e oportunista….Meu Deus…a torcida tem q parar de cair em ondinha oportunista da mídia esportiva que quando perde começa a apontar culpados…se ganhasse estaria tudo ótimo….vergonha

  23. Não acredito que até nisso estão colocando a culpa no clube. Idso foge totalmente di controle do DM, chega a beirar o mau caratismo tentar jogar essa responsabilidade nas costas dos profissionais do SPFC.

  24. Meus colegas tricolores, o nosso departamento medico está ultrapassado, como pode o Pablo recem contratado nao fizeram um check UP? Jogador chega novo no clube , no mínimo tem que pedir uma tomografia do corpo todo, e o biro biro, jogou 20 minutos e esta machucado, o Lizieiro nem se fale. Cade o Reffis quw era rwferencia Nacional? Com todo respeito parece academia de periferia. Saudações tricolores.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!