Um ano após não receber boa tarde, Carille ganhará presente do São Paulo

Fábio Carille, técnico do Corinthians, durante coletiva após o treino no CT Joaquim Grava (Parque Ecológico Tietê zona Leste da capital paulista, 21/04/2017, Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

O primeiro jogo da semifinal do Campeonato Paulista entre São Paulo e Corinthians no ano passado rendeu polêmicas. Muito mais do que a vitória tricolor por 1 a 0, um assunto que dominou as redes sociais foi a reclamação do técnico Fábio Carille por não receber boa tarde do então treinador tricolor, Diego Aguirre. Neste primeiro retorno do comandante alvinegro ao Morumbi, no entanto, a história deve ser diferente. Antes da final do estadual, amanhã, às 16h, Cuca deve cumprimentá-lo e o clube deve entregar um kit para o adversário.

O departamento de futebol do São Paulo tem por princípio sempre receber os visitantes com respeito. Por reciprocidade, o tratamento dos corintianos na Arena, no jogo de volta também deve ser cordial. Segundo apurou o UOL Esporte, o Tricolor disponibilizará um conjunto de artigos para diretores e para o treinador adversário com camisa oficial de jogo, chaveiro, caneta, porta cartão e um livro com a história do São Paulo.

Em geral, é praxe do clube fazer a entrega destes kits para os visitantes. Apesar da rivalidade histórica entre as duas equipes, os dirigentes mantêm, dentro do possível, uma relação saudável. Por isso, a cúpula alvinegra deve conseguir acompanhar a partida no estádio – vale destacar que no Paulistão os clássicos têm torcida única.

Além de rusga com Aguirre, Carille no ano passado havia discutido com Nenê. Na ocasião, o são-paulino devolveu uma bola para a lateral após Emerson Sheik ser atendido. Carille gesticulou em direção ao jogador, que respondeu. Minutos depois, o meia marcou o gol são-paulino na partida e gritou em direção ao banco de reserva do Corinthians, gerando outro bate-boca. Porém, o que tinha tirado mesmo o treinador do sério era o uruguaio.

“Dei uma dura nele sim [Diego Aguirre]. Ele passou na minha frente e não me cumprimentou. Isso me deixou muito chateado. Ele teve a cara de pau de falar que não me conheceu. Ele vai saber o tratamento que ele vai ter Arena. Sempre falo que técnicos estrangeiros podem vir desde que venham para acrescentar. Eu fiquei muito chateado. O cara que já trabalhou aqui [dirigiu Atlético-MG e Inter] e falar que não me conhece foi um desrespeito. Não tem panos quentes. Vamos ver no próximo jogo”, disse Carille, na época.

No jogo de volta de 2018, na Arena, os treinadores se cumprimentaram, trocaram kits e colocaram um ponto-final na discussão. Dentro de campo, o Corinthians garantiu a classificação nos pênaltis, após ganhar no tempo normal 1 a 0 no tempo normal.

UOL

Anúncios

11 comentários

  1. Rivalidade fica dentro de campo. Ideal é isso mesmo cordialidade entre os mandatários, os dirigentes devem se unir em busca de melhores acordos para os clubes e no extra campo na medida do possível.

  2. – Sidão mofando no goiás
    – D. Souza afundando junto com o botafogo
    – Nene deve ser dispensado e ir para um time de 2º ou 3º escalão
    – Jucilei reserva absoluto de um garoto de 19 anos
    – Trellez reserva do reserva no Binter
    – Régis na penitenciária
    – Araruna e Shaylon emprestados para times pequenos
    – Edimar escanteado

    São Aguirre merece uma estátua por ter levado esses jogadores fraquíssimos à liderança do BR ano passado… A impressão que se tem é que, à exceção dos zagueiros, do Everton e alguns poucos jogadores (Liziero, Luan, Rojas), o elenco de 2018 devia brigar para ñ cair…

      • Discordo, Campeonato Brasileiro é longo, Carneiro já se mostrou útil, bem como nesses últimos jogos Everton Felipe demonstrou um bom futebol.
        Bruno Peres sim, esse tá fazendo hora extra faz tempo.
        Com relação a Jucilei, já fez excelentes jogos e era exaltado, porém caiu muito de produção.

  3. Quem colocou o SPFC na final do Paulista, e na briga por essa conquista, foi a coragem de quem não estava dentro do clube, que foi o Mancini, hoje tem meu respeito.

    • Mancini nao teve coragem, teve sorte!
      Não discuto a capacidade dele, mas soh colocou a molecada para jogar pq o Carneiro estava suspenso, Hernanes machucou e o Liziero se recuperou da lesão.
      Caso contrário estaria jogando com o Carneiro na ponta, Hernanes e Hudson na meia (como estava antes das quartas)

      A única mudança positiva por “dedo” dele foi colocar o Hudson na Lateral direita, o que deve ter feito para nao tirar ele do time, ja que se doa muito em campo.

      Entao is moleques entraram nao por opção mas por necessidade

      • Cotia salvou a pele desses caras…

        Sem Antony, Luan, Liziero e Igor Gomes nem teríamos meio-campo ou ataque (E. Felipe é fraco e o Everton tem sido inconstante).

        Hudson foi a única sacada do Mancini, já que o Raí ñ trouxe um LD decente (só uma aposta). E parece que o cara achou sua posição!

        A eliminação da Libertadores pelo menos os forçou a se livrar de uns medalhões cansados… D. Souza é ex-jogador em atividade, Nene tá idoso, B. Peres é uma piada caríssima, Jucilei ñ tinha bola para ser titular.

        O Reinaldo abaixou a bola e, fazendo o básico, é um LE decente para os padrões nacionais.

        Pelo menos os caras foram bem nesta “inter-temporada”, muito em função do Cuca… Trouxeram o Pato por um valor razoável, V. Bueno de graça praticamente e Tche Tche (uma necessidade evidente do elenco que devia ter sido sanada já em janeiro).

        Contudo, ainda falta LD para ser reserva do Hudson e quem sabe até titular no lugar dele e mais um meio-campista para fazer uma sombra para Liziero e Hernanes.

        O elenco atual ñ é fraco, mas falta alguma coisa ainda para brigar pau a pau na Copa BR e no Campeonato BR.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!