Dedicação Total: Cuca decide morar no CT neste início no São Paulo

Ao assumir o São Paulo no meio da disputa do mata-mata da semifinal do Campeonato Paulista, Cuca precisou correr contra o tempo. Para se adaptar o mais rápido possível ao elenco e impor um pouco da sua metodologia de trabalho, o treinador intensificou alguns pontos da sua rotina dentro do clube, comandou treinamentos táticos no campo e conversou com jogadores.

Depois de receber liberação médica de tratamento cardiológico, Cuca deixou Curitiba e se mudou para a capital paulista. Para não perder horas preciosas e já mergulhar no dia a dia tricolor, ele até virou morador no CT da Barra Funda. A seu favor, também contou o fato de conhecer muitos funcionários do clube por causa de sua passagem em 2004.

No início desta nova trajetória no Tricolor, ele buscou muitas informações e contou com o apoio total de Vagner Mancini, coordenador de futebol e treinador interino após a queda de André Jardine. Na partida com o Palmeiras, no entanto, as decisões eram sempre de Cuca, que pôde consultar Mancini quando julgasse necessário. Desde a primeira reunião entre os dois, quando Cuca ainda não estava apto para dirigir o time, os dois perceberam que tinham visões parecidas de como o elenco tricolor poderia ser mais bem aproveitado.

Desta maneira, Cuca não precisou dar instruções de como o time deveria ser montado nas primeiras fases do estadual. Neste período, o treinador também evitava ligar
todos os dias para não tirar a força do interino. Aliás, a parceria com o coordenador pode mudar a partir do Campeonato Brasileiro. Mancini deve permanecer próximo do treinador, porém a tendência é de no nacional ele não sentar mais no banco de reservas para dar lugar a Cuquinha.

Desta maneira, o dirigente também terá um pouco mais de liberdade para desempenhar a sua função.

Durante a semana, nas atividades no campo, principalmente as que eram fechadas para a imprensa, Cuca fez questão de direcionar pessoalmente o posicionamento dos jogadores e acompanhou de perto o rendimento de cada um. As conversas com os atletas também foram frequentes. A ideia era dar confiança para todos e, pelo visto, o resultado foi positivo.

UOL

Anúncios

24 comentários

  1. Agora é treinar, nada de dar entrevista pra imprensa traveca nos próximos 15 dias. No Morumbi é jogar pra ganhar, como se fosse o último jogo da vida. E no Itravecão jogar sem medo, firme, sem firula, fechadinho. Que saudade de gritar “é campeão”.

  2. Vi no Twitter os preços para final. Tão bem salgados. Morumbi com 30.000 so é campo neutro. Pergunta que não quer calar: não é melhor 60.000 pagando R$ 50,00, do que 30.000 pagando R$ 100,00??

  3. Acho que lota também, o problema é o tipo de público. Lembro da semifinal contra o Atlético Nacional que enfiaram a faca e lotou, mas foi um dos estádios mais silenciosos que já estive e era uma semifinal de libertadores.

    • Hugo, eu tb estava lá nesse dia e tb notei isso …
      To achando uma sacanagem esses preços, eu por exemplo iria com esposa e 3 filhos, agora …
      Fomos na maioria dos jogos na pior fase, e agora ganhamos isso de presente.
      Diretoria já começou mau a final …
      À quem vai boa sorte, e quem não vai a torcida vai continuar na veia e no coração !
      Sou, sou Tricolor … sou, sou Tricolor …

      • Sim. Essa elitização dos estádios é algo horrível. Só ver o Allianz que vive lotado, dá muito dinheiro, mas a atmosfera lá não é nada demais.

      • Marcos, entendo bastante seu lado e acho que a assiduidade deveria prevalecer.

        Mas tenho certeza que muita gente que está reclamando do preço não foi ao estádio na fase ruim. Ou seja, não custeou um mínimo real e, agora, reclama do preço dos ingressos.

        Também acho um preço fora da realidade.

        • Desculpe, Andre, mas não entendo como isso altera a discussão. Nem todo mundo tem disponibilidade pra ir todo jogo e todo mundo quer ir numa final e os preços estão muito salgados mesmo. Todo torcedor tem direito a ir independente de ter ido antes ou depois e ninguém é obrigado a gostar do preço. 200 reais se vai o cara com a mulher é um absurdo. Aliás, eu acho que todo mundo tem sim que reclamar. Agora quem foi mais, com certeza tem que ter prioridade na hora da compra, concordo com você nisso.

          Na Europa se o ingresso passa de 50 euros, os torcedores protestam e vemos estádios como do Arsenal, Man Utd e Real Madrid que os torcedores não contribuem em nada pro time. São em grande maioria turistas pagando fortunas pelo passeio.

  4. Acho que mesmo com preços acima da média vai ter lotação total.
    É uma final, contra um rival que está engasgado no quesito mata mata.
    Temos que fazer um excelente resultado no primeiro jogo pra poder administrar no segundo.

  5. Fiquei meio chocado com o preço das cadeiras mas também lembrei que não pagamos ingressos de “final” há 7 anos, então tem um nicho grande de torcedor que vai poder investir e o clube vai lucrar muito.

    • Estádio calado e torcedor que tá lá todo domingo sendo deixado de lado por conta dos preços. Não acho que vale a pena e nem que a torcida tem que simplesmente aceitar. Tem que reclamar.

  6. Cara, olha quanto tempo não chegamos à Final do Paulista, o aumento do preço é em razão dessa situação e procura, qualquer lugar do mundo a final é mais cara. Resta saber se, isso vai segurar o torcedor em casa ou não? Espero que não.

    • Todo mundo gostaria de ir e pagar barato! Mas não é a realidade! Existe a lei da oferta e da procura, que permite que jogos menores tenha ingresso mais barato e jogos grandes ingressos mais caros e que a ocupação seja boa

Deixe uma resposta para spnaveia Cancelar resposta