Sem querer, São Paulo cai na receita dos Menudos para se reerguer

As vitórias do São Paulo contra o Ituano pelas quartas de final do Campeonato Paulista deu, pela primeira vez no ano, alguma esperança para o torcedor tricolor. Com boa atuação ditada pelos jovens formados na categoria de base, a equipe de Vagner Mancini afastou temporariamente a crise que atravessa o clube no início da temporada e jogou os holofotes nas crias de Cotia.

Grande destaque para os jovens na escalação; os volantes Luan e Liziero, o meio-campista Igor Gomes e o atacante Antony.

A leva promissora de jogadores da categoria de base remete a uma grande época da história tricolor: o grupo batizado de Menudos do Morumbi. Em referência ao conjunto musical porto-riquenho que fez sucesso da década de 1980, a equipe com jovens estrelas formada por Cilinho seguiria para ser campeã paulista de 1985 e 1987 e brasileira de 1986.

Protagonista daquele grupo, o ex-atacante Muller disse em entrevista à Gazeta Esportivaque ainda não cabe nenhum tipo de comparação em relação às duas gerações, mas que os jovens atletas são talentosos, e o São Paulo deve apostar neles.

“Naquela oportunidade que eu subi, de um lado tinha o Careca, o Pita, do outro tinha o Oscar, o Darío (Pereyra). Os jovens de hoje, que formam uma garotada boa por sinal, estão subindo sem jogadores carimbados ao lado para os fazerem crescer. É importante crescer com jogadores grandes do lado”, declarou Muller.

Preocupado com a falta de suporte de nomes consagrados no elenco, o ex-jogador opinou: “o São Paulo jamais deve abrir mão da garotada, porém espero que o time no Campeonato Brasileiro tenha quatro, cinco jogadores de referência como o Hernanes para fazer esses jovens jogarem”.

A fase que o clube atravessa também é apontada pelo ídolo como diferencial entre as duas épocas. “Na época em que eu subi ao profissional, já tinha um time com uma identidade, a base da equipe já estava montada, com um treinador profeta que era o Cilinho”, contou.

Em 2019, vivendo pressão por falta de títulos, o clube paulista passa situação inusitada no Paulista. Após demissão de André Jardine em fevereiro, o São Paulo anunciou a contratação de Cuca, mas que impedido de trabalhar devido a problemas médicos, dá lugar a Mancini temporariamente.

Um ano depois, quarteto da Copinha é trunfo do São Paulo

Em 25 de janeiro de 2018, Luan, Liziero, Igor Gomes e Antony saíram de campo frustrados após derrota de 1 a 0 do São Paulo para o Flamengo na decisão da Copa São Paulo de Juniores. Apesar de pressionar a equipe carioca pela maior parte dos 90 minutos, o time Rubro-Negro aproveitou um lance de bola parada para marcar e sair com o título no Pacaembu.

Pouco mais de um ano depois, o quarteto vice-campeão da Copinha foi o principal destaque da vitória de 2 a 1 do São Paulo sobre o Ituano. Promessas do Centro de Formação de Atletas de Cotia, os jovens tricolores tiveram ascensão rápida à equipe titular do São Paulo, em meio a uma constante crise.

Em tempos diferentes, as crias do clube foram suprindo carências do elenco profissional. O primeiro foi Liziero, ainda no Estadual de 2018, ganhando espaço definitivo no elenco após boas atuações contra o Corinthians. No Campeonato Brasileiro, Luan aproveitou sua chance no meio de campo, devido a lesões e suspensões de Hudson e Jucilei, e também se firmou como importante peça do elenco.

No início de 2019, foi a vez de Antony, que participou do título do São Paulo na Copinha deste ano, ganhar mais espaço no time, aproveitando necessidade dada pelas lesões de Joao Rojas, Everton e o desempenho abaixo do esperado de Helinho, outro jovem formado no clube.

O último a ganhar espaço como titular, e principal destaque da vitória de domingo, foi o meio-campista Igor Gomes. Após curtas participações no fim de 2018, o jovem de 20 anos estreou no time inicial na última rodada da primeira fase, no empate por 1 a 1 com o São Caetano, e marcou duas vezes no triunfo das quartas de final.

Em Cotia desde 2012, Igor vestiu a camisa do São Paulo na base por sete anos e venceu seis títulos. Depois de fazer sua estreia no profissional contra o Sport em novembro de 2018, o meia fez parte do grupo da Seleção Brasileira Sub-20 que disputou o Sul-Americano da categoria no início da temporada.

Além do quarteto, outros três atletas relacionados pelo São Paulo no domingo disputaram a final da Copa São Paulo de 2018. O goleiro Júnior, que apareceu após o afastamento de Jean, o zagueiro Rodrigo e o atacante Helinho estiveram em campo na derrota para o Flamengo. Mais dois jogadores que participaram da decisão, o zagueiro Walce e o atacante Jonas Toró, já treinam com a equipe principal no CT da Barra Funda e estão em processo de transição.

Gazeta Esportiva

Anúncios

22 comentários

  1. E só confirma que nossa base nada tem a ver com o futebol do SPFC.

    Trata-se de reserva técnica de mercado, destinada ao equilíbrio financeiro e para a festa de alguns empresários.

  2. Entre as peças de reposição que faltam no clube, ninguém comenta a necessidade de se trazer um substituto pro Pablo. Ou o Pato pode ser esse cara? Ajudem aí, ô, rs

    • Pablo, Pato centralizado, Carneiro (que este ano só jogou na ponta, que ñ é a dele), Brenner. Ñ vejo como uma necessidade imediata a vinda de mais um centro-avante.

      • Há muito falo que o problema do SP era a meia e as laterais, que marcavam mal e eram inofensivas no ataque.

        Bastou melhorar um pouco, que o time subiu de produção e nos deu esperanças.

        Precisamos de volantes que marquem bem, ajudem na criação e cheguem com qualidade no ataque. Até porque a falta de elenco nos tirou o titulo brasileiro de 2018 e, fisicamente, o Liziero ainda não mostrou regularidade.

        No ataque estamos bem, Everton, Rojas e os garotos podem manter o nível de Antoni, Pato e Pablo.

        Laterais, não sei se tem no mercado alguém melhor do que os nossos que o SP possa pagar.

        A zaga atual é competitiva.

        O ideal era não vender o Arboleda nem quem vem jogando, mas aí a patota fica maluca.

  3. Queria ver como o Toro se sairia na ponta esquerda, acho que joga mais que o Everton Felipe. Parabéns ao Mancini, único dos dirigentes/técnico, sem ter sequer, identidade com o clube, mas soube enxergar, assim como o Michael Bealle, que a solução técnica, esta em Cotia.

      • Cotia salvou a pele desses caras… A grana de Neres + Militão (provavelmente 80k juntos) vai evitar que eles tenham de vender nesta janela os garotos de destaque, estes mesmos que deram nova vida ao time, no lugar dos bondes cansados que o Raí trouxe ano passado aos montes.

      • Só a venda do Militao e da possível venda do Neres, não vai dar para cobrir esse planejamento de R$ 150 milhões em vendas. Como nós sabemos, que ninguém vai comprar o Jucilei, nem o Edimar, eles vão ter que vender algum jovem e bater de frente com o torcedor.

        • Acho que pode ñ ser necessário, senão vejamos… R. Caio 24k + Tuta 7,5k + Trellez 1,5k + Auro 2,5k + Militão 29k = 65k … Se vc somar, digamos, mais 45k do Neres (pode ser um pouco mais), só aí dá 110k. Eles emprestaram o Perri com passe fixado em ~20k de reais, o que já daria 130k, caso se concretizasse. E ainda tem Lucas Fernandes e Léo Natel se destacando em seus respectivos países, podendo render uma grana que ajude a chegar em 150k. Isso ignorando, é claro, todos os jogadores do elenco atual que ñ sejam os garotos; por exemplo, se chegasse uma proposta de 5k de euros pelo Toró, eu venderia, pois o considero o menos talentoso desses que subiram. Enfim, é Cotia salvando a incompetência deles de cabo a rabo: vão rezar para Perri e Militão serem vendidos, vão dispensar uns bondes cansados e talvez consigam negociar Jucilei e Edimar com algum time, nem que seja pagando parte do salário… Se bem que o Jucilei nem é tão ruim assim, com Cuca pode melhorar até, o problema é o salário nababesco dele.

        • Outros tempos poispois nenhum time no Brasil tem jogadores do quilate de um Oscar , Dário Pereyra,Careca ou Pita.

          A ascensão desses jovens foi sim meio que obra do acaso , algo corriqueiro no futebol , agora nós cabe usufruir da melhor forma , trazer reforços pontuais , de preferência não na mesma posição desses jovens jogadores para não interromper a evolução , e dar sequência a esse planejamento de melhor utilização da base.

          Já escrevi aqui anteriormente, temos tudo para voltarmos aos termos aureos , às conquistas. Temos estádio , temos torcida , temos a melhor categoria de base do país , temos patrimônio, estamos todos anos entre as maiores arrecadações do futebol brasileiro , nosso problema é administrativo e isso trouxe essa má fase terrível onde absolutamente tudo estava dando errado. Acredito que as coisas estão mudando e que novos ares estaosurestão pelos lados do Morumbi , temos que ter paciência e apoiar para que possamos novamente aos tempos de glorias.

  4. O caminho é subir anualmente os melhores da base, se não para serem titulares, pelo menos opções de banco imediatas. É raro que um jogador da base já sua arrebentando, mas no SP isso tem sido curiosamente comum… Lyanco, Neres, Luiz Araújo, Militão, Antony, Liziero, Luan: todos esses subiram muito, muito bem; o Helinho vem oscilando e o Igor ainda é muito cedo para falar alguma coisa.

    Porém, são muitos erros seguidos… Só em 2017 se livraram de Lyanco, Neres e Araújo, além do T. Mendes, todos jogadores jovens com bom rendimento, e trouxeram bondes cansados como Cícero, pagando 500k, Wellington Nem, 500k, no Pratto torraram toda a grana do Neres, sendo que o inteligente seria segurar o garoto e buscar um centro-avante mais barato, enfim… se eu fosse ficar listando os erros óbvios, ridículos, dessa diretoria ao longo dos últimos anos, terminaria só em 2020.

  5. Pois é, poderia ser Neres de um Lado e o Antony do outro.

    e ainda teríamos na reserva Toró, Helinho e talvez até o Araujo que começou bem no profissional.

  6. O São Paulo é um paciente com uma doença grave.

    Apesar de ter contratado bons e maus médicos, o paciente não seguiu a receita dos médicos e apenas fez automedicação.

    Até momento, automedicar-se só piorou a doença.

    Hoje, nós temos mais um bom médico receitando remédios. E o que faz o presidente do São Paulo aos poucos? Volta para a automedicação.

    Precisam escutar o Cuca, atender os pedidos do Cuca ou veremos os mesmos finais anteriores.

    Nem Leco, nem Raí, nem a torcida, nenhum desses irá treinar o time.

    Vejo a coisa voltando a sair do controle. O presidente precisa incluir o técnico no processo decisório!

  7. Vamos aproveitar estes meses. Em julho, lizieiro e antony estarao na Europa. Nao ha como esperar outra coisa deste que e o presidente muito incompetente. A contratacao de pato ja e q desculpa perfeita pra se desfazer dos jovens. A torcida caiu neste velho truque mais uma vez.

  8. Que isso seja uma basta para as contratações de jogadores medianos, temos um ótimo suporte na base! Infelizmente a máfia dos empresários faz com que o tricolor acabe contratando jogadores muito piores e deixando as promessas reveladas em Cotia de lado.

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!