No momento fundamental da história do São Paulo Futebol Clube, o seu principal comandante vai buscar refúgio em outro clube. O Pinheiros

Rua Angelina Maffei Vita, 493.

Bem diferente de Praça Roberto Gomes Pedrosa, sem número.

O primeiro é do Esporte Clube Pinheiro.

O segundo, do São Paulo Futebol Clube.

O inseguro presidente Leco foi eleito e reeleito para comandar o tricampeão mundial.

Tarefa que é muito pesada.

Quis o cargo por anos.

Nunca teve o apoio do histórico presidente Juvenal Juvêncio.

Ele sempre retirou sua força política na hora das eleições.

O inseguro Leco conseguiu amarrar os últimos cardeais do clube, depois da escandalosa volta de Carlos Miguel Aidar. 

Evitou investigações públicas.

Todas as dúvidas e, eventuais prejuízos depois da passagem de Aidar, ficou intramuros.

Ninguém de fora do clube pôde acompanhar os erros do ex-dirigente.

Desde outubro de 2015, o inseguro Leco tem o cargo que sempre sonhou.

São fracassos seguidos.

Situações difíceis, de cobranças.

Até duas enormes enchentes na parte social do clube.

Mas tudo isso não justifica o que acontece.

O inseguro Leco usa o Esporte Clube Pinheiros de porto seguro.

Se reúne com amigos e esquece do futebol.

A situação incomoda sócios do elitista clube.

Não querem que a forte cobrança do popular clube de futebol chegue à rua Angelina Maffei Vita.

E, ao mesmo tempo, conselheiros, sócios e os poucos cardeais que restaram cobram a presença constante do inseguro Leco no Morumbi.

Situação constrangedora.

A presidência é a evidência clara.

De quanto o São Paulo Futebol Clube regrediu…

https://esportes.r7.com/prisma/cosme-rimoli/o-inseguro-leco-presidente-do-sao-paulo-ou-do-pinheiros-23032019

Anúncios