Caso Jean expõe crise de liderança e falta de unidade de grupo no São Paulo

Jean saiu andando em meio à reunião com o grupo de jogadores, na segunda-feira. A conversa era sobre a falta de união no vestiário, depois da derrota para o Palmeiras, no Pacaembu. Enquanto um grupo de atletas esperava para fazer a oração, comum entre os atletas, outra parte foi direto para o banho. A comissão técnica cobrou o comportamento dos que deixaram os colegas esperando, suados, depois da derrota. Jean reagiu afirmando que o São Paulo não perdeu por causa de sua decisão de ir tomar banho. A tréplica foi óbvia: o São Paulo não perdeu por causa disso. Mas deixa de vencer partidas, porque não há comportamento de grupo.

Por mais que a conversa só faça sentido levando em conta particularidades de vestiários de jogadores de futebol, ela simboliza a falta de unidade são-paulina. Uma série de fatos recentes, demonstrações de falta de liderança, levam a quebras no ambiente de trabalho.

Seja a garantia de que o técnico Diego Aguirre ficaria no cargo, mesmo com os desentendimentos com parte do elenco, e depois ser demitido, dando noção a muita gente de que os atletas ganharam o braço de ferro. Seja o presidente Leco criar comissão de fiscalização entre conselheiros, para avaliar se Raí e Alexandre Pássaro levam a ferro e fogo as contas do clube, depois das acusações de terem pago mais comissões do que foi anunciado, na compra de Diego Souza. Se a oposição desconfia, que discuta no Conselho Deliberativo. Nunca no Centro de Treinamento.

O líder da diretoria é o presidente, do departamento de futebol é o diretor-executivo, do vestiário é o treinador. As quebras de sintonia levam os jogadores a desconfiarem das lideranças. Rompe o ambiente.

Jogador de futebol testa autoridade o tempo todo.

O diagnóstico é que o novo elenco, a ser formado depois da chegada de Cuca, precisará definir líderes do elenco. Há alguns já identificados, como o goleiro Tiago Volpi. Líder por comportamento, mas que ainda não é unânime entre os atletas, porque seu desempenho em campo é irregular.

Com o elenco que possui e o investimento que realizou, o São Paulo é favorito para vencer no Anacleto Campanella, nesta quarta-feira (20), e rebaixar o São Caetano. A única arma do Azulão é unir todas as forças, todos os jogadores, em busca da salvação. A chance do São Caetano é ter a unidade que falta no Morumbi.

https://pvc.blogosfera.uol.com.br/uol_amp/2019/03/19/caso-jean-expoe-crise-de-lideranca-e-falta-de-unidade-de-grupo-no-sao-paulo/

Anúncios

33 comentários

  1. Infelizmente a gestão de vestiário peca demais, é quase inexistente, então os jogadores tomam o poder.

    Nem precisa contratar um gestor de fora, Lugano é excepcional para o cargo.

    Raí, por enquanto, uma enorme decepção.

    • Eles não conseguem gerir sequer o conselho de administração, evidentemente, não haveriam de manter a ordem dos vestiários.

      O exemplo haveria que vir de cima.

      A palavra comove e o exemplo arrasta.

  2. Governança corporativa, gestão profissionalizada, clube empresa, sistema de eleições, integração do departamento de futebol profissional e categorias de base, planejamento de longo prazo e visão de futuro.

    Questões estruturantes, deixadas para trás, que nos tiraram do vanguardismo e nos enfiaram na vala da bagunça do futebol brasileiro.

    Temas e questões de extrema relevância, como o clube empresa, por exemplo:

    saopaulosempre.com.br/2019/03/18/leco-e-conselho-estudo-sao-paulo-s-a-precisa-ser-colocado-em-pauta/

    Infelizmente, no SP prevalece somente a politicagem de quinta categoria.

    Gestão corporativa e política verdadeira, pouco interessa, essa é a grande verdade.

    Ninguém se interessa, ninguém se dispõe.

  3. Como um ambiente vai ter ordem se alguém que deveria dar exemplo foge pelo “porta-malas” ou pelo vestiário do time adversário?

  4. Jean é um goleiro que está começando a carreira agora ,e pelo jeito que se comporta não deve ficar no São Paulo .Na minha humilde opinião daria a ele uma multa bem gordinha e caso isso se repetisse eu o venderia ou trocaria com outro clube .Jogador com essa personalidade tem que jogar em times menores ,pois lá ele é titular e não vai fazer biquinho.

  5. Jean não parou pra rezar: imperdoável.
    Nenê faz biquinho e desagrega: renovação e aumento.

    Aliás o caso do Jean é emblemático da várzea que é o SP hoje em dia. O SP faz um investimento significativo, traz o garoto com um alto salário, e chegando aqui ele é banco do Sidão, que sempre jogou pior do que ele e que não tem nível de jogar nem no Goiás. Agora trouxeram o Volpi por empréstimo e o Jean segue sem ter uma sequência.

    Não dá nem pra saber se o Jean é goleiro pro SP pq ele nunca teve uma sequência pra provar isso. Quando jogou foi sempre melhor do que aquela pangaré que tá enterrando o Goiás, mas mesmo assim nunca teve as mesmas oportunidades.

  6. Estão vendo como faz falta alguém que comanda de verdade um vestiário? o resultado é desunião, falta de profissionalismo, falta de respeito ao clube, falta de vergonha na cara, é tanto coisa faltando no SPFC que isso reflete em campo.

  7. Não adianta trazer Pato, Roger guedes, Messi, CR7 pq não há postura de liderança e respeito do alto escalão no SPFC

    o Leco e esses conselheiros são tudo um bando frouxo que desrespeita a própria história do clube, levam lição de moral do Neto, olha o nível de vergonha que essa gente tá passando, tem que escutar umas verdades do Neto!???

    eu ficaria morrendo de vergonha se tivesse no lugar do Leco ou de algum diretor, mas é esse o problema, eles não tem vergonha na cara

  8. Takei, sobre as manifestações de forma organizada, seria questão de definir a modalidade. Além disso, seria fundamental ter um líder de opinião envolvido. O movimento Morumbi zero, por exemplo, foi resposta a um desafio lançado pela independente para que outros fizessem uma campanha contra o Leco e não esperassem só a iniciativa da TO. A campanha se concretizou e a independente não apoiou. Aqui no blog o JAC lançou algumas idéias de campanha, sugeriu brainstorm de idéias e uma campanha para não dar dinheiro ao clube. Acho que apoio não vai faltar. Talvez não seja unânime, mas é urgente e para ontem.

  9. O ser humano em.qualquer situação está sempre testando seus limites o filho com o pai, o aluno com.o professor e vai por aí. No caso do são Paulo e.mais problemático por que o treinador não e o treinador nem.mesmo o auxiliar do novo treinador , isso enseja a qualquer atleta descontente atravessar os limites por que não vê autoridade em quem está cobrando

  10. Como essas informações vazaram?? Por ai já se vê que tem muita coisa errada. Não justifica , mas como dar crédito a um lider que foge pelo vestiário adversário (se de fato isso ocorreu)? Carlinhos Neves não ia ajudar com o vestiário??? E o Lugano não poderia ajudar?? O fato de ter escolhido um grupo de jogadores em vez do Aguirre foi uma boa escolha??? Que mensagem foi passada para o grupo?? Espero que o Cuca possa sanar todas essas questões, porque se não conseguir ele não trabalha e a série B vai chegar e só Deus sabe quando sairemos

  11. Nessas horas em que atingimos o fundo do poço é muito importante que tenhamos um lider que possa dizer ao time quais os rumos que devemos tomar. Embora nao seja mais jogador, o nome desse cara é Lugano. Ele ainda é funcionario do clube e não faz sentido sendo Diretor de nao sei o que e o time afundando. Vamos Lugano, nos ajude la no vestiario! Precisamos de voce !

  12. Sangue de barata o Jean não é, talvez a reclamação por falta de oportunidades possa até fazer sentido, mas a forma como ele faz é que é completamente equivocada, sem um pingo de “cérebro”…
    Desse jeito, ele vai se queimar numa carreira que ainda pode ser boa, mas acho que fora do Morumbi!!!

  13. Teoricamente este problema de relacionamento deveria passar pelo Coordenador Técnico que deveria ser o elo entre os jogadores e a diretoria, não é ? Se o coordenador é o Mancini , e o cara não respeita quem deveria estar sendo sua voz junto a diretoria o que dizer quando for o técnico que for dar uma chamada.
    Lembrando que o Cuca não é nenhuma brastemp em controle de vestiário.

  14. Seria muito engraçado se o T. Volpi se machucasse no jogo, ou em algum momento até quarta, e a vaga caisse no colo de um dos meninos, ele fechasse o gol , com uma grande atuação, pegando até pensamento e o Jean de segundo goleiro ficasse como quarta opção, apos pedir desculpas ao grupo.

  15. Na verdade a impressão que tenho é que os que fazem a chamada panela são aqueles que estão na reserva correto .Mais e agora como defender esses mimados ,quando jogam não resolvem por falta de técnica ou por corpo mole .Manda todos embora e já era ,fica quem no mínimo der o sangue .E melhor jogar com um elenco tecnicamente limitado do que ficar pagando uma fortuna para esses mimados que se julgam ser craques .Já foi Diego ,agora manda o nenê e esse marrento do Jean ,que ano passado teve várias chances e não mostrou nada .

O São Paulo precisa de nós! Vamos apoiar!