São Paulo de Jardine precisa de paciência e respaldo. Terá?

A Flórida Cup só vale pela rara oportunidade no calendário brasileiro de intercâmbio com equipes europeias, mesmo não sendo de primeiro nível como o Eintracht Frankfurt. Porque quebrar a pré-temporada que já é curta e entrar em campo com cinco dias de trabalho contra times em pleno ritmo de competição na nossa cultura resultadista cria riscos desnecessários. Pior ainda para um São Paulo pressionado e cercado de desconfianças.

Ver o rival Palmeiras ser campeão brasileiro com um estilo mais simples, jogo direto e comandado pelo veterano Felipão e investir no jovem treinador André Jardine que acredita em valorização da posse, saída sem rifar a bola e trabalha conceitos do jogo de posição com elenco menos qualificado deixa a impressão de que o clube vai na contramão. Mesmo agindo rápido no mercado para começar o ciclo com um elenco mais completo. É questão de convicção para ser paciente e dar respaldo.

Porque a falta de sintonia entre o novo goleiro Tiago Volpi e Bruno Peres na saída de bola, com erro que terminou no pênalti de Reinaldo sobre Willems convertido pelo croata Rebic é, em tese, mais que compreensível e até natural. Sem contar o mérito da equipe alemã, bem coordenada na execução de um 3-5-2 típico, na organização da pressão no campo adversário.

Mas o fato é que os titulares saíram derrotados em 45 minutos. No segundo tempo com reservas, arrancada de Liziero, passe para Diego Souza pela esquerda e assistência para Nenê empatar. Gol na transição ofensiva com velocidade. O camisa dez mais aberto à direita, uma opção para o início da temporada. Interessante, se o meia veterano colaborar sem a bola e se movimentar abrindo o corredor. Pode tornar o time menos engessado e previsível.

Em ritmo de treino, o Eintracht achou a vitória por 2 a 1 em uma saída rápida pela esquerda, mas que parecia não dar em nada. Terminou no gol contra de Igor Vinicius, outra novidade na lateral direita. Valeu pela movimentação de todos, incluindo Léo
e Willian Farias, e a chance de observação, mesmo com todas as ressalvas de um cenário com atletas voltando de férias há pouquíssimo tempo. No nosso imediatismo sem muitos parâmetros de análise além do placar final, se diante do Ajax ainda nos Estados Unidos o resultado também não vier muitos já ligarão o ”sinal de alerta” pensando na estreia do Paulista e, principalmente, no confronto eliminatório com o Talleres pela Libertadores.

Não é simples reincorporar Hernanes no centro da articulação de um 4-2-3-1, muito menos adaptar o móvel Pablo no centro do ataque dentro de um modelo de jogo que pede infiltrações em diagonal dos ponteiros Helinho e Everton. Questão de treino, assimilação das ideias, repetição. Tudo que uma viagem para a América do Norte e amistosos precoces não oferecem. Típico caso em que o compromisso comercial pode ser bastante inconveniente.

O São Paulo paga para ver, não segue o senso comum de ”fazer o simples”. Ao menos por enquanto. Jardine precisa de tempo e avaliação justa da margem de evolução. No nosso universo insano e paranoico parece um privilégio. Terá chance?

UOL

Anúncios

29 comentários

      • Outleco não hesitará um instante em colocar a cabeça do jardine a prêmio. E Jardine não terá do que reclamar ao aceitar assumir o clube mesmo sabendo que não está ainda devidamente preparado. Se Jardine continuar insistindo com Farias, Igor, Jucilento, Hudsono, Bruno perez não terá vida longa pois seremos eliminado logo de cara pelo Talheres na Libertadores

  1. Torcendo muito para que Anderson Martins, Jucilei e Hudson juntos em um mesmo time, com Bruno Peres …, contra o Ajax, encontrem um futebol que não represente mais um vexame ao combalido SPFC .

  2. Mantendo B. Peres, A. Martins, Hudson e Jucilei juntos fica difícil acreditar em qualquer conceito por mais interessante que seja. E também o “respaldo” começa ganhar ressalvas com insistência burra, teimosia tem limites.
    Cansado disso, só no SP as coisas não funcionam como deveria, eu sei que são apenas TESTES, mas testar a melhor formação se faz necessário, pois mês que vem já tem Libertadores, e precisa de entrosamento o mais rápido possível com as melhores opções, e não as piores.

    • Exatamente, eu não entendo essa de entrosar um time ruim como esse. Se colocar esse time contra o talheres vamos tomar um cacete na Argentina que não conseguiremos reverter no MorumTRI. O SPFC tem que tentar entrosar um time com : Volpi, Hudson ( LD, não tem outro que preste), Bruno Alves, Kingnaldo,Luan ( Diego Souza), Liziero, Hernanes, Nene, Pablo, Everton.

  3. Quando a notícia de contratação é de um jogador para o São Paulo, é Fofox.

    Quando a notícia de contratação é de um jogador para outro time, é verdade e o SP está errado em não contratar primeiro.

    kkkkkkkkkkkkk

  4. Respondendo a pergunta. Não. Não terá.
    Jardine não pode achar uma derrota extremamente positiva. Não pode “pedir desculpas” ao Nene por substitui-lo como no ano passado. Com esse comportamento não chega no mês de maio.

  5. De novo esse papo de paciência, tempo, chega, né ? O elenco tá reforçado e espero não ver invenções.
    Volpi; Bruno Peres; Arboleda; Bruno Alves e Reinaldo; Hudson; Lizieiro; Hernanes e Nenê; Biro-Biro e Pablo. (Diego Souza; Everton e Helinho) pro 2* tempo.

  6. Realmente, se o Jardine não ficar esperto, vai ser engolido pelos cascas grossas tarimbados do elenco, aliás depois do jogo do Sport, onde deixou Jucilei e Nene se arrastando em campo e fez substituição tirando, Helinho e Liziero, fiquei na dúvida se ele tinha a capacidade de gestão das cobras criadas!

  7. Com certeza terá respaldo.
    Paciência vai depender da teimosia. Insistir naquilo que comprovadamente por A+B+C+D que não funciona, aí ja passa dos limites e vai levar umas cornetadas.

  8. O problema não é Jardine ou jogador a b ou c, Raí está montando um time mas com muitas deficiências ainda, dá pra usar a criatividade ao invés da desculpa financeira

  9. Acho que o problema do Jardine é a falta de credibilidade como profissional, o que nao vai possibilitar muita tolerância com teimosia ou pessimos resultados. Agora é treino, apostaram nele, entao tem que respaldar. Eu acho que ele tem um grande futuro pela frente e espero que seja ele o cara que vai nos dar titulos.

  10. Quem vai derrubar o Jardine vai ser esses torcedores pessimistas e metidos a técnicos .Porra cada um escala um time e jura que é melhor que o do Jardine, o cara foi campeão de tudo na base não só do SPFC como em outros clubes e ainda tem uma galera que já chama o cara de burro e teimoso …Vai entender

  11. Sei que o técnico ou treinero é o jardine mas essas convicções ultrapassadas já de Guardiola dos tempos de Barcelona , coisa que Fernando Diniz quiz implantar no Paranaense , que não deu certo , de sair sem da chutão e jogar bonito com os jogadores do meio campo não guardar posição e os atacantes trocarem de lado pra confundir a marcação ou os pontas jogarem de pé trocado isso tudo é muito pouco pro que chamam de futebol moderno , sou mais fazer o simples mas com objetivo , tipo o Muricy bol que nos deu três títulos nacionais seguidos futebol de resultado , não quero time que dê show mas não ganhe nada , nem como leio gente falando um time aguerrido de raça mas se não ganhar nada não adianta quero time objetivo , time campeão e isso se faz com técnico não só de teorias ou estudiosos do futebol mas que saiba administrar o vestiário vide Felipão e Abelao , esses técnicos não são pros três maiores tipo Flamengo , Palmeiras e São Paulo , são pra time falido que não tem dinheiro pra contratar um técnico top e fica apostando pra ver se dá certo , Luxemburgo tem que assumir esse time

  12. “Foi campeão de tudo na base” mas no profissional tem retrospecto negativo desde que assumiu.
    Aí toma 4×2 podendo jogar com o melhor que tem, mas monta 2 times mistos e não trabalha a identidade e o entrosamento.
    Chega de bajular técnico e jogador ne ?
    Temos que defender e honrar o escudo, o Clube, a Instituição SPFC.

Deixe uma resposta para Alexandre Motta Cancelar resposta