A maior dupla de todos os tempos

Amigos tricolores, 


Os últimos anos do nosso São Paulo são para, se possível, deletar da linda e rica história que o time possui! Não estamos disputando títulos, não estamos colocando medo em ninguém e somos motivos de piada de torcida e imprensa. Fora isso, ainda estamos vendo nossos adversários ganhando títulos ano após ano! Um dia caímos na história de sermos “soberanos”, muitos acreditaram e hoje não metemos medo nem em time de Série C que até nos eliminou em mata-mata, dentro do Morumbi. Mas, como tricolor espero sempre um ano novo e com esperanças renovadas! Porque esse, apenas os times sub-23, sub-20, sub-17, sub-15 nos dão orgulho. O principal…


História ninguém muda!

O que faz do São Paulo um time grande é a sua história! É chover no molhado, massomos o único time com 3 Libertadores, 3 Mundiais e 3 Brasileiros na sequência!Nenhum outro tem, e dificilmente terá um dia! Somos gigantes! Muito graças aosanos de 40, 80, 90 e 2000 em que ganhamos tudo! 60 estávamos construindo anossa casa, ficamos 13 anos na fila, mas de 2010 para cá, a coisa está feia emanchando a linda história que temos.


Melhor dupla!

Outro dia estava vendo alguns perfis de Instagram e vi uma foto de Oscar e Dario Pereyra em campo, com a camisa do tricolor e o patrocínio da Nugget! Confesso que deu um aperto no coração e bateu aquela saudade… não que a defesa do São Paulo com Arboleda e Bruno Alves esteja ruim, até porque para mim Arboleda é o melhor zagueiro em atividade no Brasil. Mas dupla igual a essa, infelizmente, nunca mais! Fosse Brasileiro, o uruguaio Dario formaria a defesa da seleção, ao lado de Oscar, sem dúvida, nas Copas de 82 e 86. E se possível até em 90! Esses, como se diz na gíria do futebol, “jogavam de terno” e como jogavam!!


Oscar

José Oscar Bernardi. Começou, em 1973, na Ponte Preta. De lá, em 1979, foi para os Estados Unidos jogar no Cosmos, time em que Pelé também jogou, ficou por 1 ano, chegando, em 1980 ao São Paulo, ficando até 1987 quando foi para o Japão, encerrando, em 1990, sua carreira. Oscar jogou as Copas de 82 e 86. Foi treinador no Japão, no time em que encerrou a carreira Nissan Motors. Treinou times no Brasil e na Arábia, até, quando largou a carreira de técnico. Atualmente é empresário.


Dario Pereyra

Alfonso Darío Pereyra Bueno. Começou, em 1975 no Nacional de Montevideu. Chegou ao São Paulo em 1977, como meia esquerda, um camisa 10. Não agradou, chegou a ser volante, agradou menos ainda até que em 1980, Carlos Alberto Silva, então técnico do São Paulo, o testou na zaga, ao lado de Oscar. De lá nunca mais saiu. Ficou no São Paulo até 1988, quando se transferiu para o Flamengo. Passou pelo Palmeiras e em 1992, encerrou a carreira no Matsushita Eletronic, no Japão. Para a torcida, trata-se de “Dom Dario Pereyra”. Tentou a carreira de técnico, chegando até a treinar o São Paulo em 1997 e 1998, mas encerrou a carreira em 2015. Atualmente, também é empresário e comentarista de programas esportivos.


Entre, todos, os melhores!

Nunca foram maldosos! Eram leais, mas sabiam jogar como poucos! Os mais velhos, poderão dizer que Roberto Dias foi o melhor zagueiro que o São Paulo teve. Meu pai é dessa opinião. Pelé diz que Dias foi seu melhor marcador. Não vi jogar, mas acredito que individualmente possa mesmo ter sido. Tivemos jogadores excelentes na posição como Ricardo Rocha (que eu vi, o melhor), Márcio Santos, Miranda, Antônio Carlos, Valber e sendo sincero, até pela raça, Ronaldão! Não foi gênio como os outros, mas sua raça e amor ao São Paulo o credenciam estar aqui! Até porque Stoichkov tremeu frente a “muralha tricolor” na final de 1992!


Sem duvida, assim como passou muito perna de pau, a zaga tricolor, na maioria das vezes sempre esteve segura, até porque no gol tínhamos Waldyr Peres, Gilmar, Zetti e Rogério Ceni. Então a defesa, raramente era problema, mas na época dos Menudos, com Oscar e Dario, era tranquilidade para os goleiros. Sem dúvida, os dois formaram uma dupla quase perfeita.


Atacante pensava duas vezes…

À época em que jogavam, o futebol brasileiro ainda respirava e tinha muito atacante bom nos times adversários. Mas sem dúvida, ao enfrentar o São Paulo sabiam que a vida não seria nada fácil uma vez que a frente teriam o paredão formado pela dupla.


Ajudava, claro, a defesa ter Zé Teodoro e Nelsinho nas laterais e Bernardo na proteção, além de Gilmar Rinaldi no gol. Time joga com 11, contrário do que pensa Neymar que acha que é um jogo individual.

A dupla era quase perfeita. Sincronia de movimentos, cobertura, visão de jogo e momento certo para antecipar as jogadas. Quem já jogou bola, mesmo que de forma amadora, sabe o diferencial que faz uma dupla de zaga firme. Dá mais liberdade para o ataque! Ainda mais em uma época sem a escola gaúcha de treinadores em que o ponta direita tinha que marcar o lateral! O jogo era mais bonito e o jogo para frente! Essa escola, do mestre Telê, deu espaço para a escola Gaúcha do 1×0 ser goleada! Uma pena!


Orgulho!
Acredito que digo em nome da torcida, que viu em campo essa dupla, que o sentimento que temos em ter ambos conosco é esse! Orgulho! Eu mesmo, tinha 7 anos na época e não me lembro, se eu fosse eleger a melhor dupla, pelo o que vi, seria Antônio Carlos e Ricardo Rocha, que coloco em 2o lugar, muitos aqui dirão ser Miranda e André Dias ou colocar Lugano nesse “bolo” entendo e respeito, mas ainda fico com a minha visão que nem mesmo Bauer, Rui e Noronha foram melhores!

*Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br – facebook.com/plannerfelipe e @plannerfelipe

41 comentários

  1. Brincando no post anterior, citei os dois …, Oscar e Dario Pereira, quem viu a classe, categoria e força à disposição do tricolor, era fácil torcer para o SPFC.

    Daí a frase do Milton Neves :

    “Torcer para o SPFC é uma grande moleza “.

  2. Esses eram jogadores. Esses eram bons. Esses eram bola, craques…

    Diferente das porcarias que temos hoje, inclusive na seleção brasileira que não chegam no chinelo desses dois…

    Hoje temos jogadorzinho de merda que se acham craques, maiores que os clubes. Fazem biquinho para jogar em outras posições, boicotam o trabalho do treinador e por aí vai…

    Grandes, Oscar e Dario Pereyra… palmas pra vcs… ídolos demais…

    • Cuidado com o coração, irmão.

      O SPFC atual faz mal à saúde, principalmente em quem vive de saudades.

      Quem viu, viu …, hoje não temos mais futebol …, temos lances isolados, infelizmente.

      • Por essas e outras o futebol está cada vez mais distante das coisas que eu amo… não fosse a paixão pelo nosso clube eu já tinha abandonado isso há muito…

        Nós que vimos uma infinidade de craques de verdade, hoje vemos esses baiacus que se acham os bacanas…

  3. Vi Gérson, Oscar, Dario Pereyra, Pedro Rocha, Careca, Falcão, Pita… uma infinidade de craques…

    Hoje vejo esse monte de mascarado que não joga nada, se achando os melhores , pior, torcida e imprensa babando ovo nessas porcarias…

  4. Eles se parecem com o Rodrigo Caio. Tudo irmão!

    Também por aparência não metem medo em ninguém…

    Lugano por aparência também não mete medo

  5. to vendo Porto x Portimonhense pelo campeonato português, sem zoeira, o jogo tá muito mais interessante e dinâmico que muito clássico aqui no Brasil

    o futebol brasileiro tá uma vergonha de tão ruim, como bem disseram os amigos acima, tem muito jogardozinho se achando craque por aqui, e a mídia tem boa parcela de culpa!!

    quem teve a honra de ver esses grandes jogadores como Oscar e Dario Pereyra viu, quem não viu, só pela internet mesmo

  6. Oscar e Dario pereira, não eram jogadores, eram monstros sagrados. Felizmente os vi jogar. Não sei se existiu melhores zagueiros do que esses dois, mas tenho certeza de que hoje, no mundo inteiro, não há nada que se compare a eles. Dario pereira dirigiu o SPFC em 1997.Na final jogo da copa mercosul ( sei lá se esse era o nome) contra o River Plate , em Buenos Aires, sofremos um dos maiores assaltos da história do futebol , praticada pelo ladrão Robualdo Aquino

  7. E o Lucas Fernandes é reserva do “poderoso” portimonhese, e depois tem torcedor são paulino que reclama pq a nossa base não tem chances

    Esses moleques é tudo criado no leite com pera, não tem dinamismo, são lento no raciocínio e tem um futebol mais lento ainda, acha que tudo vai resolver no “talento” (que tem muito pouco)

    Shaylon é outro que se não acordar vai ter o mesmo caminho, essa molecada tem que ligar na tomada e coloca-los no 220 volts, senão vai parar na reserva de um portimonhense da vida

    • A galera parece que não assiste os jogos….
      Esse Lucas Fernandes até botava fé, chutava de bem de longe, mas teve diversas chances e não aconteceu. Não jogava mal, mas tb não jogava bem, o famoso chove não molha.
      Tem que continuar sendo emprestado pra ver se vinga, mas achar que vai resolver algo aqui agora é viagem pura.

      • Zavaloni, o jogo terminou 4×1 para o Porto, e o LF entrou e jogou apenas 15 min. contando os acréscimos, é como vc falou, não acrescenta em nada!!

        Acabou o jogo com o portimonhense no ataque, e o ponta tentando achar um espaço pra entrar na defesa do Porto, e sabe onde o LF estava ? A uns 10 mts de distância sozinho no meio campo ANDANDO e só olhando, não se apresenta chegando mais perto da area pra tentar um chute ou uma tabela, não se infiltra entrando na área pra quem sabe tentar cabecear um cruzamento do companheiro de time, não faz nada, apenas ANDA e OLHA!

  8. Comecei a torcer para o São Paulo em 1980 e vi essa dupla jogar. E como jogavam… E enfrentavam muitos atacantes que realmente eram craques e não esses perebas que jogam hoje .

  9. Não vi essa dupla atuar pois era muito novo e não entendia o futebol mas só de ler e ver a história desses 2, me dá a certeza que o futebol brasileiro ficou muito ruim, praticamente acabou. Antigamente até meados da década de 2000 tínhamos jogadores que faziam a diferença em campo, hoje vemos um monte de garoto com síndrome do Peter Pan, que nunca crescem e não saem do seu mundinho perfeito.

    Pegando o gancho quem viu a entrevista do RC, teve uma parte que ele afirma que não curtia ver mais a Seleção Brasileira em campo e que começou a tomar gosto de novo por causa do Tite, mais ou menos quando ele começou ser convocado pra seleção. Em outras palavras, quando não fazia parte do grupo, a seleção não dava prazer em ver jogar, depois do Tite e convocações tudo mudou.

    É RC precisava aprender mais com uma dupla como a do texto pra ser jogador de futebol de verdade.

  10. Sou desse tempo: São Paulo: Sérgio; Forlan, Jurandir, Dias e Gilberto (Tenente); Édson e Nenê; Paulo, Terto (Benê), Toninho e Paraná. Técnico: Zezé Moreira.

  11. Vi muitos craques jogarem pelo tricolor, vi estes dois, vi roberto dias que para mim foi o melhor zagueiro que
    tivemos, que classe, vi mauro ramos de oliveira, vi Didi com a nossa camisa , naquele dia chorei no Pacaembu. Pedro Rocha, el verdugo.
    Fico feliz de recordar, e a forma de esquecermos a atualidade que muito triste.

  12. E eu sou desse tempo : Waldir Peres ,Getúlio ,Oscar, Dario Pereyra e Airton,Almir, Renato e Heriberto, Paulo César, Serginho e Zé Sérgio. Timaço. O time de 1985 formado por Gilmar, Zé Teodoro, Oscar, Dario Pereyra e Nelsinho,Falcão, Silas e Pita, Muller, Careca e Sidney era fantástico. Não sei se concordam quem viu jogar mas, pelo menos no papel , para mim, era ainda melhor que os de 92 e 93.

  13. Dos que eu vi jogar ,quem ganha desse time?
    Rogério Ceni, Cafu, Oscar, Dario Pereyra e Leonardo, Falcão, Raí e Pita, Muller, Careca e Zé Sérgio .
    Dá pra fazer pelo menos umas três seleções de 1980 pra cá.

  14. Essa era uma dupla perfeita. Um completava ou outro. O Darío Pereira, por ter iniciado como meia, tinha muita habilidade. Já o Oscar, era mais firme se impunha pelo vigor físico.

    Tempo bom esse, que tinham jogadores de qualidade. Hoje temos que nos contentar com Arboleda e Bruno Alves e achar que são bons jogadores.

  15. Eu estava no Morumbi em 1980 no jogo em que o Dario foi pra 4ª zaga, saiu Ney, ex-Botafogo, Dario entrou e não saiu mais. A torcida pedia em uníssono, Carlos Alberto Silva atendeu. Ganhamos por 1×0 do Corinthians, gol do Serginho de fora da área, um chutaço no canto direito do grandalhão Jairo.

  16. Maravilha de dupla,concordo tambem considero nossa melhor zaga de todos os tempos;vi e admirei muito Roberto Dias ,outro jogaADOR EXCEPCIONAL ,teve porem a infelicidade de jogar na pior fase do tricolor,quando construiamos o Morumbi e nossos times eram muito fracos..

  17. Darío e Oscar formaram sem dúvida a melhor dupla de zaga que vi jogar .

    Mas se lembro bem quem colocou o Dario na saga foi o Mineli , que ganhou o título em 77

  18. Essa dupla foi monstro. E de todos os lembrados que jogaram muito na posição faltou o Breno (por pouco tempo em 2007) Pena nunca ter voltado bem de lesão… Em uma de suas voltas em 2015 com Osório, jogou muito de volante por 2 ou 3 partidas. A nível de seleção (uma que preste). Mas infelizmente voltou a sentir as lesões… para nunca mais voltar como antes

  19. Pena que estava nascendo quando o Oscar e Don Darío eram nossos zagueiros, não posso dizer que os vi jogar, infelizmente…
    Dos zagueiros que vi atuar no Tricolor, os melhores para mim foram Miranda, Breno em 2007 e o cabeça fraca, mas que jogava demais, Válber!!!

  20. Você escreveu com bastante propriedade e entusiasmo. Foram excepcionais jogadores e sao maravilhosos seres humanos. Talvez a maior dúvida que tenho em relação ao amado tricolor e justamente na quarta-zaga (nome mais moderno) afinal Roberto Dias Branco , Paulistano, foi gênio da bola e jogava de smoking !! Sustentou nosso tricolor durante 13 anos na fila sempre com fino garbo e elegância. Mas você ainda jovem não viu o maior zagueiro tricolor chamado Mauro Ramos de Oliveira e Ideraldo Luiz Bellini. Daí em diante eu deixo para os Deus te conterem sobre eles.

  21. Basicamente, me tornei São Paulino por causa desses dois caras além do Valdir Peres. Melhor zaga que vi jogar, totalmente em sintonia. Oscar não era um primor de técnica, muitos o chamavam de “grosso” mas junto com Dario fez história no SPFC.

Deixe uma resposta