O feitiço do tempo continua no São Paulo

 No dia 8 de agosto do ano passado, o Blog do São Paulo publicou um texto enviado por mim, intitulado ” O feitiço do tempo e o São Paulo FC https://saopaulo.blog/2017/08/08/o-feitico-do-tempo-e-o-sao-paulo-fc/ .

            Feitiço do Tempo, título desse texto, foi tirado de um filme de 1993, estrelado por Bill Murray. Ele interpreta Phil, um arrogante meteorologista de um canal de TV, que ao cobrir a saída anual de uma marmota de seu buraco, é pego numa nevasca não prevista e fica preso em uma espécie de túnel do tempo, condenado a reviver o mesmo dia até que mude suas atitudes.

Reli o texto e infelizmente quase nada mudou. Depois de escapar do rebaixamento, organizaram uma despedida pra Lugano contra o Bahia e com ingressos custando 1 real. Fizeram a festa do pão e circo com escolas de samba das torcidas organizadas reverenciando Leco.

Alguns dias depois, Pinotti se demitiu e Leco colocou Raí, um dos maiores ídolos da história. Diferente da maioria dos ex jogadores, Raí havia se preparado para ser dirigente. No fim de dezembro, foi concretizada a contratação de Jean, um goleiro jovem e que havia feito um brasileiro apenas normal no Bahia. Pouco tempo depois, o maior responsável dentro de campo pela manutenção do SP, Hernanes, teve que voltar pra China. Pratto pediu pra ser negociado pro River e Raí conduziu bem a negociação.

Raí foi ético no caso Scarpa e tão logo a negociação foi encerrada, Nene foi contratado. Diego Souza foi contratado pra ser centroavante por ter sido convocado por Tite pra essa posição. Dorival foi mantido, mas a impressão era de ele não iria durar muito tempo, visto que ele não foi consultado sobre essas contratações.

O planejamento traçado pela comissão técnica foi jogado no lixo após a derrota para o São Bento. Diego Souza estava fora de forma, Cueva com mais um caso de indisciplina, o time tendo mais problemas físicos que os rivais, vitórias sofridas contra equipes pequenas, a dificuldade pra encaixar as principais estrelas e o fundo do poço após a derrota contra o Palmeiras em 8 de março, culminado na demissão de Dorival.

Para o seu lugar foi contratado Diego Aguirre, treinador com um conceito de jogo totalmente oposto ao de Dorival. Aguirre era adepto de um time mais defensivo, com marcação intensa e saída rápida para o ataque. Ele montou o time com duas linhas de 4 jogadores, Nene com liberdade atrás de Diego Souza.

Tivemos eliminações sofridas no Paulista e na Copa do Brasil, um começo com muitos empates no Brasileiro, mas antes da parada pra Copa o time mostrou bom futebol e terminou na 3º colocação. Na retomada do Brasileiro, Cueva foi vendido, Valdívia e Marcos Guilherme foram negociados pelos seus respectivos donos e para o ataque veio apenas Rojas.

Conseguimos vencer o Flamengo no Maracanã, o Cruzeiro no Mineirão e vencemos com autoridade o clássico contra o Corinthians. A liderança foi alcançada na vitória contra o Vasco. Era muito bom ir ao Morumbi nesse período. A confiança havia voltado, o pós-jogo não tinha hora pra acabar.

Imaginava-se que com a eliminação na Copa Sul-Americana o time teria as semanas cheias e com isso tempo pra recuperar os jogadores desgastados e machucados. Mas ocorreu o contrário. A intensidade sumiu, a venda de Militão fez o sistema defensivo cair, a falta de reforços se fez sentir com a contusão de Everton. As reclamações de Nene após as substituições começaram a ser frequentes.

A liderança foi perdida no começo de outubro, o tabu de 16 anos sem derrota no Morumbi para o Palmeiras foi quebrada num jogo em que o SP foi apático. O estopim pra saída de Aguirre foi o empate contra o Corinthians após passar todo o segundo tempo com um mais e jogando bem menos que o rival. A panela de Nene havia vencido e Aguirre foi demitido.

Jardine foi colocado como interino e efetivado logo em seguida. Mesmo com conceitos diferentes de Aguirre, o futebol do SP continuou ruim. Um empate sonolento contra o Grêmio, uma vitória sem brilho contra um Cruzeiro desmotivado, um futebol medonho contra o horroroso Vasco e um empate em casa contra o quase rebaixado Sport em casa, mostraram que o SP mudou pra continuar igual.

Como havia feito no ano passado com Rogério Ceni, fez de Raí um escudo. Contratações estranhas como as de Jean e Trellez foram feitas. Contratos mal redigidos fizeram Cipriano sair de graça e Militão por um valor baixo, mesmo Raí agindo bem na negociação.

Jogadores comuns voltando ao normal, como Hudson e Reinaldo. Rodrigo Caio um dos símbolos do declínio do time, irritando a torcida. A Barra Funda continuava um spa, o Reffis e seu Departamento Médico ineficiente.

Enquanto isso, o SP como em 2017, batia recorde de acessos em redes sociais, recordes de público, o setor de comunicação do clube explorando os feitos das categorias de base com o Made In Cotia, visando apenas o lucro, vendendo os melhores , como Neres e ficando com os ruins.

As perspectivas para 2019, não são animadoras. Se terminarmos em 5º, disputaremos a fase preliminar da Libertadores e toda a pré temporada sera prejudicada. Corremos o risco de encontrar um Tolima da vida. As contratações especuladas são de qualidade duvidosa. Na semana que vem, as redes sociais serão tomadas por influenciadores digitais caçadores de clique com charadas de contratações e ilusões serão feitas.

Raí, tal qual ocorreu com Ceni, começará a ser criticado com mais intensidade. Em meio a isso, as pessoas que colocaram o clube nessa situação vexatória, passam incólume. Temos um conselho deliberativo omisso. O que deu o caso Alan Cimerman? Quando irão propor que o balanço financeiro seja trimestral? Quando irão cobrar mais transparência na gestão de futebol?

No meio dessa situação, o único vencedor é o senhor Leco, o pior são-paulino da história, com cargo fixo desde abril de 2002. Como diretor de futebol, torrou a grana da venda de Beletti e França com pernas de pau e que deu prejuízo, como foi o caso Jorginho Paulista. Como diretor de finanças, ajudou o clube a contrair empréstimos bancários e ajudou Juvenal a dar o golpe no Estatuto.

Perseguiu Muricy, queimou Ceni e queimará Raí, tudo isso com o silêncio de blogueiros e torcedores organizados. Como ocorreu nos anos anteriores, passarei dezembro vendo os títulos do passado no YouTube, afinal o SP que aprendi a torcer e a amar só existe lá. Até quando os dias do SP serão iguais? Até quando viveremos esse feitiço do tempo? Até quando nossas glórias virão do passado?

Rafael de Albuquerque

41 comentários

  1. #OutLeco é o menor dos nossos problemas, pois atua em defesa dos interesses do grupo que busca consolidar no poder tricolor, viabilizando acordos em nome desses mesmos interesses menores, que somados superam em muito o SPFC.

  2. É caso de internação e com camisa de força e mordaça e colocar num quartinho cheio de fotos do outleco quem sabe assim a tara pelo presidente diminua

    • Chego a pensar que você não entendeu, ou sequer lê o que escrevo.

      Minha análise discorre sobre o projeto de desconstrução permanente do SPFC, objetivando a separação entre clube e futebol, jamais pessoalizei na figura de ninguém em especial.

      A disputa em curso diz apenas ao controle total e absoluto do futebol tricolor …, que passa pela formalização da “tal empresa “.

      Simples assim.

      • Mas vc exagera mesmo, Paulo, parece ter algum tipo de problema, absolutamente todo post vc é o primeiro a responder sempre com a mesma coisa e começa a se auto-responder hahaha. Parece que fica 24hrs por dia no pc dando f5 aqui na página pra ser sempre o primeiro a responder com as mesma coisas.

        Não que eu ache ruim, acho até engraçado, mas que é estranho, é. Abração, Paulo.

          • Você postando assim parece aqueles caras que em filme andam com papel alumínio na cabeça gritando que o mundo vai acabar…

            E o mais triste Paulo, isso não é um insulto, por que apesar do cara ser retratado como louco, no final do filme você percebe que ele era o único que enxergava o que os “normais” não podiam ver e que estava coberto de razão.

            Por mais que eu queira acreditar que o time pode apesar dos Lecos e Sidões ganhar algo, a realidade é que não vai…

  3. Eu devo estar completamente fora da realidade. Como e que o Grêmio oferece salário de 2,3 milhões de reais ao Renato Gaúcho?
    Quanto o Flamengo está oferecendo?

  4. Texto sensacional….
    Essa passividade com o leco das organizadas, sites e influenciadores tem que ter algun$$ motivo$$$$….até a saida do Leco e dependendo de quem entrar no lugar serão anos de reestruturação. Triste pensar em um sao paulo vencedor somente daqui ins 5 anos. Só por deus msm.

  5. E o Atlético PR se classificando com um interino e jogadora estilo Nikao, T. Heleno etc!
    Detalhe, a torcida do Fluminense vaiando o Ayrton Lucas, julgo ser melhor que o Léo, infelizmente os dirigentes do SP são esses aí, sem o mínimo de inteligência para contrar boa peças.
    Com as vaias seria um bom momento pra fazer proposta.

  6. Técnicos com mentalidades distintas são jogados no São Paulo o tempo todo e nessa sina continuamos em reconstrução constante, mas nunca um projeto a longo prazo. Desde sempre montamos os alicerces e todos os anos tentamos erguer a casa, mas acabamos planejando errado, colocamos a construção abaixo e montamos um novo alicerce. Desse jeito, a casa nunca vai ficar pronta. Como vamos arruma-la, se ela nem existe?
    Seguimos desse jeito, nosso projeto a longo prazo era o Jardine, mas aí antecipamos sua efetivação e soa como se colocássemos o telhado em uma casa que está pela metade. Será que quando a chuva vier, estaremos preparados ?
    E a chuva vai chegar… Aguardemos.

  7. Tem uns caras delirando pedindo um ano de Jardine…

    Estamos 6 anos sem título! SEIS ANOS! Alguns devem ter bebido ou ficaram malucos!

    O Ney Franco foi campeão e não precisou de um ano para isso.O Bauza chegou na semi-final da Libertadores e não precisou de 1 ano para isso.O próprio Carille especulado aqui não precisou de 1 ano para ser campeão!

    Quem faz o tempo de estadia é o próprio técnico. Isso em qualquer lugar do planeta.

    O Rea Madrid fez uma bagunça e prejudicou a Espanha para ter um técnico. O fulano não deu resultado e os caras não pensaram duas vezes antes de chutar.

    Futebol profissional não é futebol de base. Se o Jardine quer ser técnico, vai sofrer a mesma cobrança dos outros.

    Vamos acordar, gente, ou essa situação vai para 7, 8, 9, 10, 11, 12, 20, 30, anos sem título.

  8. Pra completar este texto perfeito, vou colocar a música tema do filme que tem tudo a ver com o momento do time .. (ela toca as 06:00 no rádio relógio todos os dias)

    They say we’re young and we don’t know
    We won’t find out until we grow
    Well I don’t know if all that’s true
    ‘Cause you got me, and baby I got you
    Babe
    I got you babe
    I got you babe
    They say our love won’t pay the rent
    Before it’s earned, our money’s all been spent
    I guess that’s so, we don’t have a plot
    But at least I’m sure of all the things we got
    Babe
    I got you babe
    I got you babe
    I got flowers in the spring
    I got you to wear my ring
    And when I’m sad, you’re a clown
    And if I get scared, you’re always around

    Demais!

  9. expectativas para 2019, não são animadoras

    É a mentalidade de que não irá melhorar.
    O Ricardo Rocha chegou ao clube dizendo aos jogadores: Nós vamos ser campeões!
    Já está pronto pra sair.
    É o seguinte.
    Pior do que a mentalidade de que não irá melhorar, é a mentalidade de continuar.
    Continuar cometendo erros.
    Teve um momento no São Paulo, que tudo era bom: O Presidente, o Diretor de Futebol, o Técnico, o Preparador Físico, o Preparador de Goleiros, os jogadores. Ganhamos 2 Libertadores e 2 Mundiais.
    Mas por outro lado, teve uma época do relaxo.
    Uma hora foi em cometer erros e não enxergar.
    Outra hora foi em enxergar os erros mas não tomar providências para consertar. O São Paulo tinha acabado de ser Tri Campeão Brasileiro, então pode errar, com a estrutura que temos.
    No futebol você pode até errar, se os outros erram mais que você.
    E teve uma época que os únicos concorrentes do São Paulo era o Santos do Marcelo Teixeira, o Fluminense Unimed e o Inter. Palmeiras sem parceria estava uma porcaria, Corinthians na segundona, Vasco na segundona, Grêmio voltando da segundona, Flamengo no chove não molha, Cruzeiro que depois de 2003 não estava com a bola toda, Atlético Mineiro fraquinho.
    Os Dirigentes do São Paulo seguindo uma liderança forte, viam os erros mas ninguém tinha coragem de tentar apontar os erros ao grande Dirigente na época.
    O Clube vivendo varias turbulências politicas: Morumbi, Clube dos 13, caso Oscar, terceiro mandato, depois eleição do Aidar, renuncia.
    Mas teve também algumas iniciativas interessantes para tentar mudar o quadro: Se preocupar com as dividas, reestruturou as categorias de base, mudança no Estatuto.
    O que falta agora.
    Pra mim precisa reestruturar o Departamento de Futebol que foi destruído pelo Juvenal Juvêncio.
    A questão é a seguinte, não estou falando só do Diretor.
    É desenhar todo o Departamento.
    Enquanto isso não for feito, continuaremos com essas expectativas ruins.
    Pequenos momentos de um bom desempenho.
    O restante de fracassos.
    Não é só colocar um Diretor Remunerado.
    É desenhar o Departamento de Futebol.
    Voltar a ter o melhor Departamento de Futebol do país.
    Nesse tempo de vacas magras, o São Paulo contratou bons jogadores e montou bons times.
    O que está dando errado então?
    O meu diagnostico, é de uma péssima gestão no Departamento de Futebol.
    Funcionar como Empresa, não é só ter o Diretor Remunerado.
    A Apple só tem o Diretor Remunerado para cuidar de todo o planejamento, estratégias e execução?
    Como falou o Michael Beale, o Rogério Ceni tinha que fazer o trabalho de 20 Profissionais.

  10. De Post anterior:

    Jac_Tricolor
    Alguns criticaram as declarações dele (Michael Beale) na época porque são desafetos do Ceni e achavam ser demais um estrangeiro abrir a boca pra “falar mal” do clube. Como se houvessem profissionais e Dirigentes de primeira no SP… Rssss

    Abra a boca, RRocha!
    Abra a boca, Aguirre!
    Abra a boca, Pintado!

    MassaTricolor
    Beale não falou mal.
    Falou a verdade. A realidade.
    Recentemente ao receber elogios de cliente, agradeci e pedi para falarem também de criticas e pontos em que poderiamos melhorar. Sempre vão existir pontos em que podemos melhorar. Ou temos maturidade para ouvir e se questionar ou não temos grandes possibilidades de crescer e evoluir.
    Aí como diria um filosofo contemporaneo, o goleiro 01, ficamos parados no tempo.
    ——————————————————————————-
    Prezado Massa, boa noite.
    Na verdade usei de ironia. Claro que concordo
    com o que o Beale disse. Ocorre que alertei para
    o fato que houve gente (inclusive aqui) criticando as declarações dele.

    É por isso que seria interessante ouvir declarações do Pintado, do Aguirre, do RRocha…
    Rssss

    SDS

  11. Contra a Chape :Jean, Araruna ,Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo, Hudson, Liziero e Nêne, Helinho, Diego Souza e Everton. Araruna jogou bem contra o Sport, merece continuar. Reinaldo e Hudson,fazer o que? Não tem outros.

  12. Analisando a crise do clube vejo um ponto crucial e misterioso.Por que tem muito jogador (os que tem qualidade) começam bem e nos iludem e depois de uns meses se acomodam no clube e caem muito de produção?..Incrivel mas os exemplos são aos montes.Mas isso só quem esta dentro do clube pra saber.Sera falta de cobrança ou por que o clube é jogado as traças gerido amadoristicamente sei la….não vejo isso nos outros clubes.E não é falta de recursos como alguns querem nos fazer acreditar que somos endividados e coitadinhos.Somos a terceira maior torcida,um dos clubes que mais arrecadam anualmente e mais vende,temos estrutura,estadio pago,um dos que mais investiu em contratações e temos umas das folhas salariais mais altas,Portanto recursos não faltam falta competencia humana pra gerir os recursos e o principal gerenciadores de pessoas para os contratados manter o foco e não se acomodarem.Ganhar e perder faz parte mas é inadmissivel uma instituição com todos esses recuros e posses não entrar nos campeonatos como um dos favoritos e pelo menos fazer o time jogar bem,se vai ganhar ou não faz parte do jogo mas é revoltante não ter um time que jogue como um dos melhores do campeonato e isso ja faz anos.

  13. Pior que o Leco, são os conselheiros que votam e elegem ele, esses sim são chupins da instituição, em 2020, sai Leco, e entra outra tralha votada por essa turma de dinossauros.

  14. O texto está ótimo . Só discordo de uma coisa. Leco não é o pior presidente. Na minha modesta opinião,
    o pior presidente da nossa história foi o curintiano beberrão Juvenal Juvêncio. Com a limitação de torcida fez os rivais construirem estádios. Com as brigas com a CBF. conseguiu tirar o Morumbi da copa. Rasgou o estatuto do clube para se perpetuar no poder, sob os aplausos dos velhotes inúteis chamados de conselheiros vitalícios. Quando saiu, ainda colocou o Aidar com aval dos ditos senhores idosos e muitos deles anti são paulinos. DEixou o clube com quase trezentos milhões de dívidas. Por essas e muitas outras eu falo. A libertação do clube é fundamental. Eleições para presidente com votos dos sócios torcedores. Estes pagam para torcer. O São Paulo é o único clube do planeta que sócios não votam.
    Se essa zorra continuar, dou mais 18 anos de vida para o nosso querido clube.

    • Fomos tricampoes com Juvenal, mas depois nos lançou na vala comum de outros clubes endividados e desconstruidos na sua essencia vitoriosa! Mas Leco e seus asseclas nem Titulos estes tiveram competencia, para mim, é o pior presidente, e figuras mais nefastas da hidtoria do clube ao lado de Aidar+ Athaide!

  15. Excelente Texto Rafael!! Uma pena tudo isso que voce ser verdade, de estarmos com novas caras no elenco e Diretoria de Futebol e todos os velhos problemas que culminan no jejum de conquistas, derrotas vexatória, exemplo a nunca ser seguido. COTIA virou balcão de negocios de empresarios famintos por qualquer quantia, pois tirado do SPFC la fora podem ganhar 5 vezes mais com outra transação vide o Militao, e quem ganha mais com isso? Os nossos rivais? Estes nem fazem mais gozacoes, nao somos mais o assunto da mesa, a verdade é que nem nos irritamos ou tentamos justicar o injustificável, vejo ate comentarrios de rivais que dava gosto de ver aquele SPFC do tri brasileiro, do mundial de 2005, do lider do primeiro turno, que isso enriquecia a disputa, fortalecia o futebol do Estado de SP, e empunha respeito tambem aos sulamericanos. Nao somos geradores de idolos, pois estes contestadorss nao de ficar no banco, mas das derrotas, da falta de empenho, de raça, de doacao pelo manto é o gordo salario em dia! Temos que acordar e parar de culpar os jogadores, 3 treinadores diferentes em um ano, e brigando apenas por G4 ? Por que tantas trocas impulsivas e com total amadorismo e desrespeito a palavra dada! Gritamos Telê e odiamos todos os treinadores e jogadores, e jamais vaiamos os seus empregadores, estes sim nao sao dignos de se dizerem sao paulinos, por que o SPFC nao tem dono, é um clube soberano, nao é um laboratorio para ideias absoletas e soberbas, nao torcemos por hobby ou dinheiro de empresarios ou patrocinadores, o maior ativo do clube( torcedores) nao recebe salarios ou participa de venda de jogadores, e se este ativo for esquecido como vemos neste feitico do tempo, somente restará o passado !

  16. Caro José Raul CAixeta Guimarães. O Juvenal Juvêncio não tinha competência para ser tri campeão como você disse. Ele pegou um super time formado pelo Dr. Marcelo Portugal Gouveia e foi o destruindo aos poucos. Há uns cinco anos aproximadamente saiu uma reportagem se não me engano no Lance. até os trinta anos de idade JJ era curintiano. Pelos erros cometidos, acho que ele jogava contra o São Paulo, Que Deus o tenha.

    • JJ quis acabar com o São Paulo no final dos anos 90.

      Foi escorraçado da vida tricolor pelos “cardeais” que ainda tinhamos.

      MPG lamentavelmente jogou sangue nas cinzas do vampiro e este reviveu para fazer o que sempre sonhara.

      Conseguiu o intento e acabou com o São Paulo vitorioso.

  17. A derrocada do nosso querido SPFC teve início pós conquista do tricampeonato brasileiro onde a soberba e a arrogância se instalaram pelos lados do Morumbi começando com a demissão de profissionais sérios como Turíbio, Rosan, Carlinhos, etc.
    O discurso à época era de que a estrutura do clube por si só se manteria vencedora, entretanto os adversários acordaram e hoje ficamos para trás.
    A mudança no estatuto do clube prorrogando a gestão do Sr JJ trouxe prejuízos fora e principalmente dentro de campo agravado pelo fato de que seus sucessores foram ainda piores.
    Definitivamente a instituição precisa de um choque de gestão e a saída para voltar a ser um clube vencedor passa por conseguir um parceiro que invista no futebol mesmo com tanta desorganização.

Deixe uma resposta