Regra para jogador da base nos profissionais agora é definitiva no São Paulo

O São Paulo quer evitar que algumas das maiores revelações surgidas em suas categorias de base deixem o clube de graça ou por valores bem abaixo do esperado, como vem acontecendo nos últimos anos. Por isso, agora é regra no clube que um jogador da base só pode ser escalado no time profissional se tiver contrato assinado de longa duração, de acordo com o “Yahoo Esportes“.

A medida, tomada pelo presidente Leco, com aval do trio que comanda o futebol, formado por Raí, Ricardo Rocha e Lugano, visa a acabar com a saída de jovens destaques criados em Cotia (CT da base do São Paulo) como são os casos recentes de Éder Militão, Marquinhos Cipriano, João Schmidt e Bissoli.

Dois exemplos no São Paulo

De acordo com a reportagem, Militão e Cipriano ainda renderam uma grana para o Tricolor, porém, bem menos do que era esperado.

O zagueiro/lateral deixou o São Paulo para jogar no Porto, de Portugal, na metade desta temporada por 4 milhões de euros (cerca de R$ 17 milhões), pois o contrato de Militão com o time do Morumbi terminava em janeiro de 2019 e só haviam duas opções para o presidente: aceitar a proposta do clube português ou então perder o jogador de graça em janeiro.

Já Marquinhos Cipriano rendeu ainda menos ao Tricolor. O clube o promoveu ao elenco profissional, mas não conseguiu acertar a renovação contratual. Assim, o atacante assinou um pré-contrato com o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, que acertou a antecipação em seis meses da chegada de Cipriano ao país europeu por 300 mil euros (cerca de R$ 1,2 milhão).

Helinho renovou antes

O atacante de 18 anos, autor do segundo gol do São Paulo no empate contra o Flamengo no último domingo, renovou recentemente seu vínculo com o clube até abril de 2023, com uma alta multa rescisória.

O mesmo fizeram Liziero, Luan, Toró, Antony e Lucas Perri, que aceitaram prolongar seus contratos com o Tricolor recentemente.

Torcedores.com

20 comentários

  1. E o Brenner, o que acontece com ele nessa comissão técnica?
    Ele vai para os jogos, mas a comissão prefere até improvisar um zagueiro no ataque a dar uma oportunidade pro garoto.

  2. E tem gente pedindo a cabeça do Raí…

    O trabalho que ele está desenvolvendo é de médio e longo prazo e assim que tem que ser, após anos de péssimas gestões.

    • Lembrando que a empresa que agencia Helinho, é a mesma que agencia o Militão. Raí conseguiu a renovação com o Helinho porque se antecipou. Já no caso do Militão, ele chegou tarde ao cargo para negociar.

      • Colega, não foi bem assim pois acompanhei o caso. O São Paulo mesmo antes de Raí enviou várias propostas de aumento salarial e extensão de contrato. O “staff” do Militão recusou TODAS.

        Antes de Raí e após a chegada dele.

        O empresário de Helinho ( Ulisses Jorge ) é o mesmo de Militão.

        O problema foi o pai do Militão, ex-jogador Valdo, ex-Corinthians.

        Não queria de jeito algum.

  3. Já era pra ser assim há muito tempo… Mas, antes tarde do que nunca.

    Off-topic: goleiro do Fluminense jogou muita bola ontem. Se o nível dele for assim na maioria dos jogos e, com contrato se encerrando no final do ano, é um nome a se analisar com carinho.

    • Não, o nível dele não é esse. Claro que é melhor que o Sidao, mas não seria um titular indiscutível aqu no São Paulo, na vdd bem longe disso

    • O nivel dele não é esse mesmo, ontem ele tava fantastico. Mas é o tipo de goleiro de grandes defesas e falhas grotescas e gols defensáveis, as vezes ate no mesmo jogo.

  4. Será que não seria o caso de fazer um contrato com metas? O cara sobe para o profissional com evolução salarial ano a ano e também de acordo com numero de jogos que fará no time principal. Seria assim tbm para a multa rescisória, quanto mais jogos fizer, maior a multa!!!!

  5. Empresários amigos, parceiros, aliados, comparsas e credores agradecem.

    Só subirão ao time principal aqueles cooptados, aliciados ou patrocinados pelos “eleitos” que ocupam a “bolha” de poder dos protegidos.

    Aliás, é assim que sempre funcionou no SPFC.

    Ninguém percebeu que apenas os garotos que “trocam” de empresários, permanecem ???

    Cotia permanece abastecendo ao mercado, e não ao futebol tricolor.

    Sério que alguém acha que isto é uma mudança ????

  6. Cara, como que tem torcedor que só sabe reclamar, de tudo. O Aguirre fez e está fazendo um ótimo trabalho no SPFC. Tirou o time de um marasmo e acomodação que se não mudasse estaríamos mais um ano no máximo brigando por Sulamericana. Mania de sempre querer colocar a culpa no técnico… tudo bem ele foi teimoso com relação aos substitutos do Everton e outros, mas daí criticar o cara falando que é um mal técnico é demais. O SPFC está na posição atual da tabela por mérito total dele e o do Raí. Mudou o perfil do time, que hoje é ao menos aguerrido, longe daquele comodismo que nos atordoa há tempos. Vamos apoiar um pouco e torcer pro ano que vem ser um bom ano com títulos… parem de chorar um pouco. Não tínhamos elenco pra ter campeões, longe disso.

Deixe uma resposta