O presidente Carlos Augusto de Barros e Silva reconhece que o São Paulo ficou distante da briga pelo título do Campeonato Brasileiro. A equipe, que liderou a competição na virada do primeiro para o segundo turno, agora ocupa a quarta colocação, com nove pontos a menos do que o primeiro colocado Palmeiras.

“Título está mais difícil, mas de qualquer forma é importante ressaltar que estamos em crescimento, de reconstrução evidente em relação ao que foi o ano passado. Ainda assim, pretendemos mais. A qualidade dos rivais ao título torna difícil nossa pretensão de conquista, que ainda temos, mas agora é nos mantermos em uma condição entre os quatro primeiros, que é o que nós queremos”, disse Leco, em referência às vagas para a fase de grupos da Copa Libertadores da América.

A entrevista do presidente são-paulino aconteceu na manhã desta terça-feira, durante o sorteio dos grupos do Campeonato Paulista de 2019, dias depois dos primeiros protestos da torcida tricolor contra a queda de rendimento do time. As reclamações ganharam força com o empate sem gols com o Atlético-PR no último sábado, no Morumbi.

Mas a imagem que Leco assegura ter da torcida é de lealdade na hora de ajudar o clube a se reconstruir nos últimos anos: “O São Paulo não está no lucro, só em relação ao que estava, e ainda quer mais. Aconteceu sábado por uma primeira e única vez, uma explosão pelo momento, pela emoção, mas é uma torcida que tem nos dado muito e é fundamental em nosso processo”.

Isso não impede, porém, que a diretoria do São Paulo faça uma crítica ao momento atual do time. O planejamento para a próxima temporada já está em andamento e inclui uma avaliação do trabalho de Diego Aguirre, que tem contrato somente até dezembro.

“Estamos fazendo uma avaliação, uma análise de tudo, um planejamento. Estão aqui comigo o Raí, o Alexandre Pássaro, tudo isso demonstra que estamos atentos e procurando fazer um planejamento total para fazer um ano melhor do que esse, que já teve evolução. E ainda queremos mais. E Aguirre está dentro dessa análise e toda análise passa por resultado”, encerrou Leco.

UOL