Aguirre diz não saber o que é “amarelão” e perdoa abandono da torcida

“Não é mole, não. Estou cansado de time amarelão” e “P…, que saudade de quando o São Paulo jogava com vontade” foram os gritos de protesto de parte da torcida do São Paulo nesse sábado, durante o segundo tempo e após o fim da partida contra o Atlético-PR, no Morumbi.

O empate por 0 a 0 fez a diferença para o líder Palmeiras ficar em seis pontos, podendo abrir para nove ainda nesse domingo. Já são seis rodadas sem vitória e o sonho do título se tornou um assunto praticamente esquecido.

Diego Aguirre, apesar de já ter atuado como jogador no Brasil e ter trabalho como treinador no Internacional e no Atlético-MG, garantiu desconhecer o significado a gíria utilizada pelos torcedores. “Não sei o que é isso, amarelão”.

Depois de tomar ciência da explicação, o treinador preferiu não fazer mais nenhum comentário sobre o termo, afim de minimizar o caso.

Discurso semelhante foi adotado pelo técnico ao ser questionado sobre o ‘abandono’ da torcida no momento mais crítico da equipe no Campeonato Brasileiro. Apenas 13.053 pessoas comparecerem ao Morumbi nesse sábado. Desde 25 de fevereiro, quando 11.434 presenciaram outro 0 a 0, contra a Ferroviária, pelo Campeonato Paulista, na ocasião, o Cícero Pompeu de Toledo não ficava tão vazio.

Pelo Brasileirão, apenas a vitória por 1 a 0 sobre o Paraná, ainda na primeira rodada, teve um público inferior ao deste sábado. A partida aconteceu em uma segunda-feira à noite e o São Paulo entrou em campo recheado de reservas frente a 11.327 torcedores.

“Eu entendo. A realidade é que fizemos dois jogos muito ruins (contra Palmeiras e Internacional). A expectativa era muito alta. É normal que eles se expressem, às vezes vaiam, faz parte. Se o São Paulo voltar a ganhar, eles virão novamente. Eu não dou importância (aos protestos), porque nós temos de assumir que o time tem de melhorar”, afirmou Aguirre.]

Antes de encarar o Furacão, o último jogo do São Paulo no Morumbi registrou 56.694 torcedores. Era noite de clássico contra o Palmeiras. A derrota por 2 a 0 literalmente afastou boa parte dos torcedores da equipe tricolor.

GE

14 comentários

  1. Aguirre seja mais humilde vc esta fazendo um péssimo trabalho !!! Só conseguiu ficar algumas rodadas na frente pois outros times estavam preocupados com outros torneios !!! Time pipoqueiro !!!

  2. São Paulo precisa virar time empresa urgentemente.
    Licencia a marca são Paulo a uma empresa para gerir o futebol e deixa o leco e sua turma que está aí há 02 décadas só na parte social.
    Falo isso há mais de uma década fui sempre criticada.
    Foi isso que ergueu o Milan na década de 80 ( o magnata Silvio Berlusconi levou o Milan a 04 copas dos campeões da Europa )
    O mesmo ocorreu com o Chelsea e com o Manchester city.
    Ai me cobrem se o São Paulo não se tornar o primeiro das Américas.
    Temos que afastar do futebol esta turma que há décadas se apropriou do clube e está transformando o sp numa portuguesa.
    O projeto tem que ser profissional sem idolatria, independentemente dos nomes serem ex ídolos do sp.
    Mas fiquem atentos. Não pode ser o projeto do leco pelo amor de de Deus.

  3. O moderador deste blog poderia propor uma discussão sobre a viabilidade do São Paulo virar, no setor de futebol profissional, um clube empresa.

    Que tal este tema, hein, moderador ?

  4. Kkkk. Perdão o abandono da torcida. Essa foi boa. Mas saiba esse arregão que a torcida não o perdoa por ser um frouxo, safado arregão que nos tirou no minimo uns 15 pontos pra mais por seu medo de jogar pra frente. Por sua mania de fazer um gol e reciar o time. Frouxo de m…..

  5. Técnico amarela
    Retranqueiro

    Facilite pra todos e peça demissão. Nosso técnico se chama Jardine. Lembro de uma entrevista onde o Jardine fala que admira o estilo Guardiola.

  6. Desde que cheguei no São Paulo a ideia é essa. Criar um filosofia de jogo, respeitando a história do São Paulo, que sempre foi de formar grandes equipes, que se impõem no jogo e tratam muito bem a bola. O sub-20 tem se comportado de maneira sempre muito agressiva, propositiva. Aquela equipe que procura ter a iniciativa do jogo em todos os momentos, essencialmente no jogo ofensivo.

    Entrevista com Jardine, pelo globo esporte.

    Por Felipe Schmidt — Montevidéu, Uruguai

    17/02/2018 0

  7. Deve ser muito chato ser tecnico e falar so o que a “torcida” quer, ou melhor, o que a torcida acha que quer. A realidade que assim como acontecem nas eleições atuais, as torcidas são manipuladas pela imprensa.

    O fato querida torcida, é que o nosso time lutou pelo rebaixamento duas vezes nos últimos quatro anos. Tivemos campanhas horrorosas.

    O Aguirre chegou e melhorou tudo! Preparo físico, vontade, o time está mais consistente, o time leva poucos gols. Tem pouquíssimas derrotas!

    Lembra quando TODOS queria que a diretoria renovasse o contrato do Aguirre e ele disse que se renovasse solicitaria melhorias no elenco e contrapartidas? Pois é, sem dúvidas ele se refere a jogadores!

    Parem e vejam as coisas por outro panorama. Sejam justos!

    A partir do ano que vem eu concordo com qualquer cobrança em relação ao nosso tecnico uruguaio!

    Outra coisa, um monte de gente criticando o Carneiro por jogar bem????

    Essa torcida tem problemas. A única torcida que reclama por um jogador ser bom.

    Tenho que ler… “Só o fato do Carneiro jogar bem mostra que tem problemas” ??????????

    Hipócritas!

  8. Marco converse com atleticanos e colorados e veja se essa sua argumentação em achar que o trabalho do Aguirre não pode ser contestado é válida. Não estamos falando de um Mano Menezes, Renato Gaúcho…estamos falando de um técnico que por onde passou não deixou títulos tão pouco um modelo de jogo…

    • Luiz Felipe, com o Dorival JR. Onde vc acha que essa equipe estaria?

      A questão não é cobrar, a questão é ser justo. E aí você diz: “por conta da covardia do Aguirre, quantos pontos perdemos”?

      E aí eu te respondo: Por conta daquilo que você acha que é covardia, quantos pontos ganhamos?

      Se estamos onde estamos não é por culpa do Aguirre. O trabalho dele é 8.

      Veja as notícias antes do Aguirre. Procure lembrar, foi ainda este ano.

      A hora do Jardine vai chegar. Não é agora.

      Precisamos de uma identidade e o Aguirre já começou a formar uma. Vamos confiar, o campeonato ainda não acabou.

      • Me desculpe Marco, mas Aguirre não dá. O cara tem 17 anos de carreira como treinador e conseguiu ganhar apenas 2 campeonatos uruguaios. Se deixarem o planejamento de 2019 na mão desse cara vai ser mais um ano perdido.

  9. Aguirre, Sidão, Jucilei, Diego Souza, Anderson Martins, Edmar….6 nomes pra puxar a barca para o ano que vem, não farão falta alguma…Se mantiver essa base, podem esquecer….

Deixe uma resposta