Espelho de Sidão no São Paulo – O pior cenário para o goleiro: falta de confiança dos companheiros

Quem escolhe jogar no gol sabe que receberá algum tipo de crítica a cada gol tomado, mas a situação fica ruim mesmo quando o goleiro percebe que os companheiros – aqueles que convivem com o arqueiro no dia a dia do clube – não demostram qualquer segurança com quem está sob as traves.

Agora, Sidão (São Paulo) é um exemplo disso. Ele até perdeu a posição para Jean na partida contra o Internacional. Muralha, em um passado recente no Flamengo, passou pela mesma situação.

Lógico que ninguém dirá abertamente que não confia no goleiro do time, mas há vários sinais que demonstram isso. Por exemplo, os jogadores de linha se jogam em qualquer lance para cortar a finalização, alguns até se posicionam atrás do arqueiro para tentar defender a meta. Os zagueiros nunca esperam a atuação do goleiro e já vão dando um chutão para o lado e para cima e os companheiros fazem de tudo para a bola não chegar ao goleiro, mesmo nos lances sem nenhum perigo e o guardião gritando para o beque sair da bola.

Isso sem dizer nos comentários que sempre brotam que os outros arqueiros do time estão em grande fase e que já merecem uma chance. Também há uma cara de alívio dos companheiros em qualquer bola defendida e não há mais nenhum elogio em qualquer intervenção. Até os olhares mudam, sempre há um ar de desconfiança, parecendo dizer “vai complicar nosso time hoje?”. Não faltam declarações de “perdemos em uma falha individual”, quando há algum erro do goleiro e a equipe sai derrotada.

Por mais que o goleiro tenha experiência e saiba qual é a sua capacidade, a desconfiança dos companheiros atrapalha muito. Quando o arqueiro sente que a confiança dos colegas com ele está lá embaixo, ele, institivamente, começa a jogar apenas por ele. Por isso, o goleiro começa a sair em bolas, quando o correto seria proteger sua meta, se chocando com os zagueiros constantemente.

O goleiro pressionado começa, até para mostrar que todos estão errados, fazer coisas que não deveria e que só o atrapalham ou, que é bem pior, termina em um gol do adversário. Em uma bola recuada, tenta fazer uma “gracinha” ou mostrar que tem condições de sair jogando com categoria ou, em chutes ao gol, busca fazer uma defesa mais rebuscada ou dar um salto acrobático quando não é necessário.

Quando o goleiro está na situação que nem os companheiros confiam nele, primeiro ele precisa treinar ao máximo e procurar os líderes do time, questionando qual o motivo da desconfiança. Por fim, muitas vezes é melhor pedir para sair do time para o treinador, para ficar na forma ideal, se afastar de todas as críticas e recuperar a moral com os demais integrantes do time – o fato de aceitar o mau momento renderá pontos com os demais atletas.

É melhor ficar cinco ou seis jogos sem atuar e ter a chance dar a volta por cima, do que arriscar acabar com sua carreira.

Mais pitacos: @humbertoperon

GE

11 comentários

  1. O pior cenário para um goleiro: falta de QUALIDADE, excesso de ruindade, e isso, o Sidão tem de sobra.
    Sobre a provável escalação, Araruna na lateral é menos ruim do que ver o R. Caio, Luan no lugar do Jucilei também foi uma boa escolha, mas escalar o Carneiro na frente, recuando o D. Souza para armar, abrindo o Trellez na esquerda em minha opinião não foi uma boa escolha.
    Se for isso mesmo, a lentidão continuará, sinceramente, não espero mais nada de bom.

    • Concordo contigo, mas é o que temos e o que o time mais precisa neste momento é de atitude, recuperar aquele espirito guerreiro e de entrega em campo.

  2. E goleiro ruim, campeão de Copa do Mundo.
    Saí que é sua Ta…
    O homem é considerado um Deus.
    Foi eleito um dos 10 melhores da história.
    Coitado do Zetti, se teve um goleiro que foi injustiçado e muito foi o Zetti.
    Esse foi um monstro
    Armelindo Donizette.
    Fala Zettão, o Ronaldo Luiz quebrava um galho seu.
    Rsrsrsrs.
    Eu tinha um uniforme do Zetti.
    Ganhei no Natal de 93.
    Só eu?
    Um monte de amigo meu tem esse uniforme.
    Quando o Zetti não jogava, jogava o Rogério.
    Eu com o meu pai, falava que o Rogério era a mesma coisa do Zetti.
    Depois o Rogério criou a sua própria personalidade.
    Já o Rogério eu não acho que foi injustiçado na Copa do Mundo.
    Rogério, Dida e Marcos pra mim são mesma coisa.
    O Marcos que fazia uma posse, igual aquele Ronaldo.
    Porém, esse Ronaldo é ruim pra caramba, só a Galinhada achava aquele cara bom.
    O Marcos já era bom.
    Bom no gol.
    E bom de tomar gols do Rogério.
    Rogério que fez do São Paulo campeão do Mundo.
    O Marcos que fez o Palmeiras perder Mundial.
    O Dida era chato hein.
    Depois que o homem tomou 5 do Dodô, o cara virava o Demônio contra o São Paulo.
    Tem penalti bem batido que o goleiro pega. Aqueles do Raí, foram bem batidos. Minha opinião.
    Esse Dida era tão insuportável, que em 2012 na Portuguesa, ele ameaçou de fechar o gol contra o São Paulo. Só não conseguiu porque a Portuguesa era ruim e o São Paulo tinha Lucas, Jadson, Luiz Fabiano, Osvaldo.
    Mas enfim, desde que eu acompanho futebol, o São Paulo teve 2 monstros no gol.
    Será difícil achar outro.
    Quem iria imaginar que o Rogério iria construir essa carreira.
    Eu por exemplo, sou exigente pra goleiro.
    Não é qualquer um que me agrada.
    Como eu escrevi aí em cima, o saí que é sua pra mim era frangueiro.
    O gosta de uma posse Ronaldo, pra mim era ruim.
    Darlei pra mim era ruim.
    Helton não via nada de mais.
    Gomez não via nada de mais.
    O assassino não via nada de mais.
    Felipe era pulador só isso.
    Goleiros bom pra mim é Zetti, Rogério, Gilmar Rinaldi, Marcos, Dida.
    Monstros.
    Uma hora o São Paulo consegue ter um a altura.

    • Em 2006 na Copa do mundo, o Rogério foi injustiçado, estava no melhor momento de sua carreira, conquistou libertadores e Mundial 6 meses antes.
      Foi preterido pelo Dida que estava voltando de lesão em má fase. A vaga de titular deveria ser do Ceni, sem clubismo.

        • Não foi espetacular não.
          Que eu vi, o único espetacular foi o Romario em 94.
          De goleiros foi o Oliver Kahn em 2002.
          Da seleção brasileira de 2002 era o conjunto, com um pouco de destaque ao Ronaldo Fenômeno, mas nada igual ao Romario em 94.
          O Marcos fez a parte dele, foi seguro, não comprometeu.
          Mas o espetacular foi o Oliver Kahn.
          A melhor atuação de um goleiro que eu vi em Copa. Minha opinião.

  3. Sidao tem deficiências de formação como goleiro. Por exemplo, tem muita dificuldade de completar os movimentos em bolas rasteiras. Por isto solta mtas bolas. Também tem pouco reflexo. Este último ponto pode ser trabalhado com um ótimo preparador de goleiros, o primeiro aos 35 anos fica difícil corrigir. Saída de gol em bolas areas tb e falha, mas este é um quesito que poucos goleiros dominam. Sidao parece ser uma boa pessoa, então aproveite este contrato que é o mais vantajoso da sua carreira e garanta o futuro dos familiares, ja o spfc precisa de arqueiro melhor.

  4. “O goleiro pressionado começa, até para mostrar que todos estão errados, fazer coisas que não deveria e que só o atrapalham ou, que é bem pior, termina em um gol do adversário. Em uma bola recuada, tenta fazer uma “gracinha” ou mostrar que tem condições de sair jogando com categoria ou, em chutes ao gol, busca fazer uma defesa mais rebuscada ou dar um salto acrobático quando não é necessário.”

    Isso é muito verdade!!!

    Mas no caso do Sidão, além disso falta-lhe qualidade mesmo…

  5. Acho o Sidão um péssimo goleiro, horroroso, bisonho. Mas essa história de que “Também há uma cara de alívio dos companheiros em qualquer bola defendida e não há mais nenhum elogio em qualquer intervenção”, isso daí é conversa fiada, não se vê isso nos jogos.

Deixe uma resposta