A gaveta foi aberta no São Paulo: salve-se quem puder!

Era o pós-jogo da vitória do Brasil sobre o México, pela Copa do Mundo deste ano. Estava assistindo, ainda em êxtase, toda a repercussão a respeito da partida. “É o hexa chegando”, pensava.
Parei na ESPN, e algo me chamou atenção. Em meio a toda a festa pela vitória, o jornalista Arnaldo Ribeiro apresentava comentários um tanto quanto ponderados. “Lá vem a mídia querer descredibilizar o time”, dizia em tom irônico.
Mas uma de suas declarações foi certeira. Na época, todos notavam a má fase de Gabriel Jesus, o atacante-zagueiro, sem nenhum gol ou assistência na competição. Embora havia pedidos da substituição do atacante por Firmino, tudo era relevado ante o avanço da seleção na Copa.
Arnaldo foi certeiro: “A gaveta do técnico Tite está fechada. No primeiro tropeço, ela será aberta. E de lá sairá a insistência em Gabriel Jesus”. Dito e feito. Todos sabem os capítulos seguintes da história.
Essa declaração me fez refletir neste momento de oscilação do São Paulo. Os 7 tropeços do returno não só abriram a nossa gaveta: escancararam. Covardia de Diego Aguirre, insistência em Rodrigo Caio, improvisações e proteção a Sidão foram algumas da cartas tiradas do baralho.
O engraçado é que nada disso era falado há 5 rodadas. Para não ser injusto, até eram, feitas por uma minoria desconfiada. A grande massa comprou a ideia, exaltou Aguirre na escalação de Reinaldo na ponta, louvou o trio de zagueiros, enalteceu a garra do time e valorizou o trabalho feito até então.
O que mudou de lá pra cá? Obviamente, os resultados. Mas como condenar um treinador que pode levantar um time morto? Como não credibilizá-lo por levar o time à liderança? Como não valorizar seu estilo de jogo, chamado por muitos de “covarde”, mas que venceu Flamengo e Cruzeiro fora de casa?
Todos sabem que o elenco é curto, que, apesar de repetitivo, estamos em reconstrução e que passamos por problemas financeiros. Vale a pena acabar com mais um trabalho e novamente dar um tiro no escuro? É tão difícil enxergar que o trabalho, mesmo que conturbado no momento, está no caminho certo?
Não quero fazer de juízo de valor, muito menos ser “fiscal de torcida”. Acredita quem quer, critica quem acha que deve. Eu prefiro ponderar.
A má fase chegou e a gaveta foi aberta: dá pra tirar mais coisa de lá?
João Roberto Nelli,
torcedor tricolor da cidade de Maringá-PR.

26 comentários

    • Alguem saberia explicar o que houve com o Toró? Ele está no time sub 20 ou de aspirantes ou subiu para o profissional? Parece que sumiu depois que foi comprado o seu passe. Alguem poderia informar?

  1. Só tem uma coisa que você escreveu que nunca existiu: “insistência em Rodrigo Caio”.

    Isso é perseguição.

    Ele só jogou dois jogos.

  2. Me incomoda muito o estilo de jogo do Aguirre, me incomodava nas vitórias, agora fico furioso. Falta jogo no meio campo meu Deus. Qdo um time é campeão sem meio campo que marque, ataque e crie jogadas. É só chutao pro DS. Só bola na área. E uma pobreza técnica absurda. Era e é nítido a falta de futebol da equipe. Eu acho que a vaca deitou, dificilmente esse time volta a disputar o título. Torcer pra ficar no g6.

  3. Comentário bastante lúcido, meu amigo. O imediatismo é um mal terrível no futebol brasileiro. O São Paulo é grande, claro, mas veio de um ano terrível e consegue brigar pelo título. Alguns jogos no limite e queda de rendimento no final do campeonato não podem desmerecer esse time que jogou tudo que pôde nos dois primeiros terços do campeonato. Precisamos de reforços pontuais e não ficar criando um clima ruim se não formos campeões. Tivemos sorte em alguns jogos e competência em outros, mas convenhamos…. trellez, edimar, sidão, Everton Felipe, shaylon (já saiu) não são jogadores pra substituir à altura nossos titulares. Estamos no lucro pra esse time. Espero reforços e mais variação de jogo no ano que vem. E ainda sonho com um título…quem sabe?!

  4. Eu não entendi…estamos falando do São Paulo ou da ponte preta….quer dizer então q como ano passado quase caímos esse ano está ótimo? …

    • Eu penso igual a vc… Então se o ano que vem a equipe acabar perto da zona de rebaixamento o ano de 2020 vai ser de reconstrução outra vez??? Quando vamos comemorar um tituto? Até quando vamos aceitar calados?? Na minha opinião isso é conversa pra boi dormir… Quem é tricolor não pode se contentar em apenas participar.

      • Vou explicar, se vocês lembram do tricolor tricampeão do mundo, da libertadores, brasileiro e paulista de 2005-2008 vão se lembrar que a base do time de 2005 foi formada em 2004 quando a gente não ganhou nada, e em 2003 quando a gente não ganhou nada, a reconstrução começou com a gente indo a Libertadores depois de 10 anos!

        Então caros confrades, atentem-se para chegarmos a 2005, tivemos que passar por 2003! Este ano é 2003, em 2019 a gente reforça o time e vai mais longe, quem sabe em 2020 a gente volte ao caminho dos títulos…

        Agora se todo ano a gente fizer como tem sido feito, que ou somos campeões ou então nada presta e vende todo mundo… ai a gente nunca vai sair de 2002!

    • É exatamente isso. O planejamento desse ano era brigar por libertadores. Falaram isso várias vezes no começo do ano. É o que gostaríamos? É o que o São Paulo é digno de ter? Não. Só que não temos condições de competir com a crefisa, por exemplo, que tem 2 times e meio. Competitivos. Esse delírio de grandeza faz com que a torcida espere que esse time mediano do são Paulo goleie todo jogo. Não dá. Concordo com você que devemos esperar mais, mas ninguém disse que iríamos brigar por título.

  5. Todos sempre soubemos que o time joga no limite. Aguirre sem dúvida é retranqueiro, mas com as peças que tem, não ha como não ser. A insistencia com Rodrigo Caio realmente não existiu, assim como não jogamos com três zagueiros. Jogamos com zagueiros fazendo papel de lateral e , de fato, fora Militão, Rodrigo Caio e Arboleda não desempenham nada bem a função nem sequer na marcação. Quando exaltamos tres zagueiros, nos referimos aos dois qui jogam e a um que fica no banco e quando entra joga ou estava jogando bem. Bruno Alves, Anderson Martins e Arboleda estavam muito bem. Mas cairam de produção, sobretudo Anderson Martins com muitas falhas nos ultimos jogos. É compreensivel a proteção ao Sidão porque o time estava ganhando e o Sidão faz parte da equipe, sem falar que nenhum dos goleiros reservas demonstrou futebol superior. Pra mim, simplesmente, nosso jeito de jogar esta manjado pelos outros times, além de que a falta de elenco vem nos prejudicando demais e os outros times de elenco mais forte começaram a se dedicar mais ao campeonato e a estabelecer maneiras de jogar diferenciadas. Pode até haver no elenco do Tricolor alguma jogador que o grande público não conhece capaz de mudar uma partida, mas nos não conhecemos porque dificilmente neste time há espaço para testes. É reta final de campeonato. Acreditamos no titulo com este time porque vimos o Corintians ganhar o Brasileiro com um time ruim de doer. A diferença foi que eles tinham muitos pontos à frente dos outros naquele campeonado. Ou seja, com este time, somente teriamos real chance de titulo se tivessemos disparado na liderança antes de Gremio, Plameiras e Flamengo voltarem seus olhos pro Brasileirão. Creio que conseguimos ir pra Libertadores e temos que pensar no futuro. Foi bom o trabalho de Rai, RR e Lugano dentro das alternativas que tinham. Precisam, pensar num substituto ao Sidão pro ano que vem, bem como trazer um ponta direita, um esquerda, um lateral direito, um meia, um centro avante e mais um volante. Mais urgente seria um meia atacante pelos lados, tanto esquerdo quanto direito, um lateral direito e um Centro avante. .

    • Discordo no ponto de o Curintia ter ganho um campeonato com um time ruim de doer, pois eles tem um ótimo goleiro, e um goleiro que passe confiança vale por meio time, e isso é o que nós não temos, e tem feito a diferença todos os jogos, 3 chutes dos adversários é 2 gols, e muitas vezes 2 chutes e 2 gols, resumindo; a bola passou dos zagueiros é gol, e os nossos defensores jogam sempre sobre pressão!!!

  6. Diferença que o Tite tinha o Firmino no Banco.

    O Reinaldo foi pra ponta esquerda por que a gente não tem reserva pro Everton, ele depois voltou pra lateral por que o Edimar é ridículo. Ai o João Rojas que jogava bem na direita foi pra esquerda e rendeu menos, e o Bruno Peres que ainda não fez nem 10 jogos foi pra ponta direita que não era a dele e o Rodrigo Caio foi jogar de lateral, por que a gente não tem reserva pro João Rojas, pro Bruno Peres e nem pro Everton…

    E isso por que o Diego Souza e o Nenê que são veteranos nem se machucaram!

    Problema do São Paulo é que faltam peças, não é tão difícil enxergar isso…

  7. Não acredito nessa de reconstrução! Certo que temos que manter uma base do time pra podermos ser competitivos… mas vemos exemplo por aí de times que caíram ou quase caíram e no ano seguinte venceram um título! Vamos ficar nos contentando em só participar até quando ?

    • Tambem não acredito. Este discurso de reconstrução nunca existiu no SPFC. Pelo menos não desde o fim dos anos 60, periodo que eu torço e acompanho este time. Sempre entramos para ganhar ou ficar entre os melhores. Não acredito no Aguirre, não gosto dele e quando foi contratado, eu critiquei. O tipo de jogo que ele gosta, não é o tipo de jogo que o SP está acostumado. Esse papinho de reconstrução não cola. Chega o ano que vem, o Leco vende mais alguns, contrata outros meia boca e ai entramos na tal reconstrução novamente. Para quem ja viu este time com Tele, Muricy, Pepe, Cilinho, Minelli, e muitos outros, ver com o Aguirre não é fácil.

  8. Pelo andar da carruagem o Crefisa vai reinar sozinho por um tempo já que o restante está com o pires na mão. Será o time a ser batido, dentro e fora do campo. Enquanto Aguirre descabela os poucos cabelos que restam, lá no salão nobre do Morumbi passou a hora de montar uma estratégia prá tirar o pé desse atoleiro que nos prende a mais de década. Durante esses anos é nítida a perda qualitativa e crescente dos que se sucederam na cadeira maior do clube culminando com essa excrecência que hora a ocupa, portanto voltar a ser protagonista é tarefa para profissionais gabaritados e vencedores o que não é fácil encontrar.
    Disputar a próxima Libertadores já salva a temporada. Obriga a contratações de fato, não composição de elenco. Logo de cara será preciso repensar Nenê no alto dos seus 37 anos, Éverton físicamente e o atleta mico da temporada Sidão, que passou da hora de ser catapultado. O trio que dirige o futebol é capaz de uma reformulação eficaz. É só deixá-los em paz e concentrados. Um plano de mudança de patamar é ambicioso, provável que vingue depois de 2 temporadas mas sem confiança e paciente espera, não tem como sair disso e claro, não há garantias de sucesso. Eu prefiro arriscar, pelo menos é uma tentativa.

  9. O futebol brasileiro está nivelado.
    O tricolor está no caminho certo da reconstrução, ano passado quase caímos, ninguém imaginaria que esse ano brigariamos pelo título.
    Aguirre apesar de ser limitado na parte tática, conseguiu dar alma para o time, extraindo o melhor de cada jogador.
    Nosso melhor jogador se machucou, o segundo melhor tem 37 anos.
    Sidão não tem nível para jogar no Spfc, apesar dele ter estrela (a bola sempre vai em.cima dele) é reboteiro, não faz defesas difíceis, não consegue segurar o resultado, perdemos pontos por falhas do Sidão. Por isso que qq falha da zaga é gol, não passa segurança.
    Mas dava para estar melhor na tabela sim. Olha o time do Lula, jogando feio com um elenco fraco, envelhecido estão na final da CB, pq la eles tem goleiro que qdo precisa fecha o gol.
    Tricolor esta em fase de reformulação precisa de reforços e lapidação da base, processo que pode ser demorado para colhermos os frutos.
    Vamos São Paulo.

  10. Temos que csisr na real. O cardinalato acabou como São Paulo Futebol Clube. Hoje, somos um time intermediário. Um pouco acima do Vasco, Botafogo, Bahia , Vitória e alguns outros. Não p odemos mais sonhar. Viramos armazém de pancadas. Por isso eu sempre falo. O clube tem que ser libertado. Eleições livres e diretas com votos dos sócios torcedores. É mudar para não morrer.

  11. Infelizmente a tal da competitividade está acabando muito por conta da idade e biotipo de alguns jogadores do elenco (Nenê, Diego Souza, Jucilei, etc).
    Em algumas posições não temos reserva à altura (laterais direita e esquerda, meia de criação, atacantes de lado), portanto estamos pagando “novamente” pela montagem equivocada do elenco (talvez seja reflexo da situação financeira).
    Algumas convicções do treinador talvez estão contribuindo para a queda do desempenho da equipe (Sidão no gol, Rodrigo Caio de lateral direito, Anderson Martins na zaga, Edmar na lateral, e Bruno Peres e Reinaldo de atacantes de lado de campo, porém é inegável que o time melhorou mesmo com tantas limitações no elenco.
    Ao que tudo indica Nenê e Aguirre não estão se entendo, entretanto esse jogador já teve histórico semelhante no Vasco, portanto é algo a se pensar.

  12. Rodrigo Caio tem sido perseguido insistentemente pela torcida, e essa é a única parte do texto que eu discordo. Ele jogou SÓ dois jogos e não teve culpa em nenhum dos dois. Além disso, é um jogador que sempre jogou com garra e foi muito importante em vários momentos, como no ano passado quando escapamos do rebaixamento.

    No mais, concordo com a sua opinião. E venho falando há algum tempo aqui no blog e com amigos que o Aguirre precisa tentar coisas novas, não insistir no que já não dá certo.

Deixe uma resposta