São Paulo vê tabu cair graças a estratégia confusa, apatia e erros defensivos

Tricolor já não tem mais contra-ataque eficiente como antes e sofre para criar

Para cada ano de tabu, um problema diferente. Depois de 16 anos, o São Paulo voltou a perder para o Palmeiras no Morumbi graças a uma sucessão de erros individuais e coletivos, que resultaram numa atuação apática e frustrante para os mais de 56 mil tricolores que foram ao Choque-Rei.

A classificação do Campeonato Brasileiro ainda mostra o São Paulo na briga pelo título, mas o desempenho em campo está longe de ser o de um campeão. Sem vencer há quatro rodadas, o Tricolor começa a ver até mesmo a classificação direta para a Libertadores de 2019 sob risco.

Se no primeiro turno as “invenções” de Diego Aguirre geravam soluções para o São Paulo e surpreendiam adversários, agora elas mais atrapalham do que ajudam.

A avaliação do treinador já era ruim após os 90 minutos, mas ficou ainda pior após a entrevista coletiva dele. Aguirre disse que a ideia era segurar o rival no primeiro tempo e, aos poucos, ir mudando o jogo com substituições.

Em casa? Precisando vencer para assumir a liderança? Como assim?

Não à toa, o técnico foi alvo de críticas ao final da partida.

Embora tenha tido mais posse de bola durante todo o clássico, o Tricolor teve enorme dificuldade para criar. Jucilei assumiu o papel de levar a bola da defesa para o ataque, mas não conseguiu resolver sozinho.

Mesmo quando o jogo estava 0 a 0, o São Paulo não conseguia usar aquela que até pouco tempo atrás era uma de suas melhores armas, o contra-ataque. O time abusou dos erros de passes e dos chuveirinhos na área (foram 16 no total).

Nenê esteve sumido nos primeiros 45 minutos, mas com um elenco carente de armadores o São Paulo não poderia se dar o luxo de abrir mão de seu camisa 10 no intervalo. Aguirre fez isso, colocando Everton e Carneiro, e puxando Bruno Peres de volta para a lateral direita, antes ocupada por Rodrigo Caio.

A defesa também penava. O primeiro gol poderia ter saído aos 9 minutos, em erro de Sidão, mas veio aos 37, em falha de Anderson Martins. O zagueiro saltou no vazio e deixou Gustavo Gómez livre para marcar.

O segundo do Palmeiras foi ainda pior. O lance é daqueles que o torcedor se pergunta: “o que esses caras treinam durante a semana?”

Mal posicionado, o time perdeu a bola após escanteio a seu favor e deu a oportunidade de o rival puxar um contra-ataque com três contra dois jogadores.

Dudu mandou na trave e ainda deu a chance de a defesa tricolor se recompor. Mesmo assim, Deyverson ficou livre, livre para marcar o segundo…

No próximo domingo o Tricolor tem nova decisão, desta vez fora de casa, contra o Internacional. A liderança e o tabu já foram. É preciso lutar (e melhorar muito!) para não perder também a esperança.

Formação do São Paulo no segundo tempo: Nenê e Rodrigo Caio saíram no intervalo; Diego Souza foi trocado por Tréllez no final.

GE

15 comentários

  1. Fora Aguirre.

    Vem cuca (para dar sequência ao trabalho do Jardine) ou Abel (para manter o perfil de Aguirre com mais ousadia e oportunidade a base).

  2. Classificar pra libertadores pra que? Esses caras não conseguem jogar uma vez por semana. Com viagens e jogos na altitude eles chegam a óbito.

  3. Cas do nene, igual os tempos de Ganso, ruim com ele pior sem ele. com o que temos hj seria o caso apenas de trocar Jucilei e recuar Hudson e tentaria Bruno Alves como Zagueiro/Lateral, ele e nosso melhor defensor no momento. Bruno Peres fraco demais tanto como ponta pior como lateral. devemos voltar a jogar como no inicio, solides defensiva, por uma bola. como time pequeno, por que é isso que o SPFC é hoje. Jagavamos como time pequeno e por isso venciamos.

  4. mesmo na fase dita boa … não me lembro do time ter ganho mais de 3 partidas fazendo 3 ou mais gols. Ou seja desde lá já tínhamos este problema de criação e finalização!!! O Aguirre ou não tem capacidade de usar a base ou a base é ruim !!! Aceitar q a base seja ruim é difícil… portanto …

  5. Muitos já desabafaram, jogaram pra fora as angustias, a raiva contida, mas vamos deixar essas ofensas ou adjetivos que depreciam treinador e jogadores de lado… aqui sempre primamos pelo respeito. Se as vzs deixamos o pessoal desabafar um pouco, é mais para deixar extravasar um pouco, mas ficar nessa insistência é por demais cansativo e não ajuda em absolutamente em nada…

    Crítica é uma coisa, ofensas e adjetivos pejorativos é bem diferente…

    Vamos manter o nível elevado que sempre nos caracterizou e diferenciou de outros espaços…

  6. Time sem armação.

    Tinha o Cueva, foi vendido.
    Tinha o Lucas Fernandes, foi emprestado.
    Tinha o Wellington Nem, foi mandado embora.
    Tem o Shaylon, não quer usar, pode ter o mesmo destino que o Lucas Fernandes..
    Poderia colocar o Brenner ou o Carneiro como centroavante e o Diego Souza para armar.
    Tem o Everton Felipe, será que é mais um que não dará certo como o Lucas Fernandes, Wellington Nem, Shaylon?

    Pra mim os problemas não são os jogadores não.
    O São Paulo é um amadorismo total.
    Ninguém da certo no clube.

  7. carambas ninguém está ofendendo ninguém!!! Tá de brincadeira. Qualquer criança vê que o Aguirre entrou com 3 zagueiros … 3 cabeças de área… um que nunca fez um gol (Jucilei) os 3 não são criativos … não chutam a gol nunca … não são velozes … e o que o Aguirre faz? Tira o armador e põe um Ponta!! Tira um zagueiro e recua um dos cabeças para a lateral/defesa e põe um jogador Alto, trombador na area por um bola aerea !!

    Parem de besteira estamos só criticando construtivamente.

    • Se para vc está bom e é besteira, para nós não… e ninguém está de brincadeira, nem falando sobre as críticas, ou críticas construtivas, que no final fiz questão de reforçar e diferencia-las das ofensas.
      Eu fui bem claro sobre as ofensas e adjetivos pejorativos…

      Entendeu agora?

  8. O ruim de mais um ano sem títulos é a solução do Gênio Leco:

    Reformulação!
    Outra, a vigésima
    Trocar tudo.
    Inclusive Diretor.
    Quem sabe não da certo e dessa vez seja montado o maior esquadrão da história do clube.

  9. Falo há mais de uma década que o SP tem que se transformar em uma empresa e ser gerido por profissionais como um Manchester City ou o Manchester United, pois aí o dirigente será responsabilizado civil e criminalmente.

    Muito gasto com categorias de base e pouco retorno desportivo ou financeiro. Quem se beneficia com esta má gestão ?

    Dezenas de jogadores ridículos contratados nos últimos anos e mantidos em folha salarial altíssima, mesmo emprestados.

    Afinal, quanto o SP gasta com Cotia e profissionais não aproveitados ?

    No nosso plantel atual há inúmeros jogadores de série B e até C com salários e custo de aquisição altos. Quem se beneficia com esta má gestão ?

    Não são somente o trio Rai, Lugano e RR ou o técnico Aguirre que darão jeito no SP.

    É necessário muito mais.

    Temos que virar clube empresa urgentemente. Mas sem seguir os planos do atual presidente.

    A marca SP tem de ser licenciada e cedida a profissionais estrangeiros que venham com muita grana e disposição a reerguer o SP. Infelizmente viramos um time médio.

    Que o presidente Leco e sua turma que vem desde o JJ fiquem longe do futebol e dirijam tão somente a parte social.

    Senão viraremos um Vasco da Gama, ou pior, uma Portuguesa.

Deixe uma resposta