Especialista em Brasileirão, Muricy Ramalho dá dicas a São Paulo e Palmeiras e analisa o Choque-Rei

Muricy Ramalho é tetracampeão brasileiro. Conquistou a competição três vezes pelo São Paulo (em 2006, 2007 e 2008) e uma pelo Fluminense (em 2010). E ainda bateu na trave em 2009, quando viu o Palmeiras deixar escapar o título nas últimas rodadas.

Na véspera do encontro decisivo entre São Paulo e Palmeiras, neste sábado, às 18h, no Morumbi, pela 28ª rodada, o agora comentarista fala sobre as dificuldades da disputa por pontos corridos, dá algumas dicas o são-paulino Aguirre e ao palmeirense Felipão e dá seu palpite sobre o Choque-Rei.

Palmeiras e São Paulo disputam ponto a ponto a liderança do Brasileirão. O Verdão tem 53 pontos, um a mais do que o Tricolor, atualmenta na terceira colocação. Veja aqui a classificação.

Veja abaixo os principais tópicos do bate-papo com Muricy:

O segredo dos pontos corridos

– O plantel é fundamental no campeonato de pontos corridos. Se você não tem, não ganha. É uma competição longa demais, tem que olhar a janela e saber se vai perder jogador. Tem que sair na frente também na busca por jogadores. São vários detalhes que podem fazer um campeão.

Momento do São Paulo

– O São Paulo vem de uma recuperação, vem de anos com trabalhos que oscilam demais. E este ano, não. Se você perguntasse no começo do ano para os torcedores, para os dirigentes e até para os jogadores, o que seria bom no Brasileirão, uma classificação para a Libertadores seria ótimo. Lá atrás… Acontece que atingiu mais.

– Está numa colocação muito boa pelo que vem dos últimos anos. Só que, claro, o torcedor é exigente. Já que você chegou na primeira colocação, aumentou o sarrafo e aumentou a responsabilidade. Agora o torcedor não quer só a classificação na Libertadores, ele quer o título. E o São Paulo oscilou um pouco, porque teve uns jogadores machucados.

A arrancada do Palmeiras

– O Palmeiras teve muito mérito. Primeiro porque trouxe um grande treinador, que ganhou muitos títulos, um treinador importante para o Palmeiras. O torcedor gosta muito do Felipão. Ele ajustou bem o time. Um comando mais de paizão, de parceria, claro, além da parte tática. Ele fez, em um elenco enorme, todo mundo se sentir importante.

O que o São Paulo precisa fazer

– O Aguirre precisa lembrar os jogadores que é possível. Mostrar para eles o que aconteceu pouco tempo atrás, como o time cresceu. Tem que mostrar a memória do que o São Paulo fez há pouco tempo. É possível uma retomada. Faltam 11 jogos, dá para fazer essa retomada. E, claro, recuperar os seus principais jogadores, porque a diferença de plantel é grande em relação ao Palmeiras.

O que o Palmeiras precisa fazer

– Tem que fazer o que fez até agora, está rodando bem o time. Jogar quarta e domingo na mesma intensidade, não aguenta. Nao dá. Não pode mudar agora na reta final: é um time para o Brasileiro, e outro time para a Libertadores. Claro que não é um time completamente reserva, é mesclado, mas que tenha condição física.

Aguirre x Felipão

– Felipão é um cara mais do emocional, apesar da parte tática dele. Um cara que recupera jogador, que não vai se importar com a crítica, ele faz o melhor para o time dele. E ele está mais calmo agora. A experiência que ele tem. É um treinador que está acostumado a decisões. O jogador, quando olha para o banco, fala: aquele cara foi campeão de tudo.

– E o Aguirre está procurando a afirmação no Brasil. Trabalhou no Inter, no Atlético-MG e agora está tendo essa chance no São Paulo. Está fazendo um grande trabalho. É um treinador de diálogo, que se aproxima dos jogadores, que aceita a opinião do jogador. E taticamente é muito bom.

O Palmeiras de 2009 foi a maior frustração?

– Não, porque foi uma coisa assim técnica. Nesse caso foi muito claro que o Campeonato Brasileiro não perdoa em relação a plantel. O Palmeiras tinha um muito bom time, mas não tinha plantel. E aquilo definiiu. Quando perdemos três ou quatro jogadores, nós perdemos o campeonato, porque a nossa reposição não era boa. Arrancou muito bem, ficou muitos pontos, mas não aguentou.

O Choque-Rei de sábado

– Eu acho que vai ser um jogo muito tático, não vai ser tão aberto. Vai ser um jogo de contra-ataque. Os dois times sem a bola vão marcar atrás da bola. Dificilmente vão marcar pressão. O São Paulo talvez um pouco porque tem a obrigação, joga em casa, está atrás, precisa ganhar o jogo.Na minha opinião vai ser um pouco amarrado, porque os dois times se respeitam muito.

– Não é uma partida decisiva em números, porque tem muitos jogos depois, mas moralmente é muito importante. Porque campeonato de pontos corridos, quando você é campeão, você vai buscar um jogo que deu a virada. E esse jogo pode ser agora.

Veja as informações de São Paulo x Palmeiras:

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo
Data e horário: sábado, 18h (de Brasília)
São Paulo provável: Sidão; Bruno Peres, Bruno Alves, Anderson Martins (Arboleda) e Reinaldo; Jucilei, Hudson e Nenê; Rojas, Everton e Diego Souza
Desfalque: Araruna (contratura na coxa)
Pendurados: Tréllez, Bruno Peres, Hudson e Anderson Martins
Palmeiras provável: Weverton (Fernando Prass); Mayke, Luan, Gomez e Victor Luis; Felipe Melo, Bruno Henrique (Thiago Santos) e Lucas Lima (Moisés); Willian, Dudu e Borja
Desfalques: Gustavo Scarpa (transição física), Artur (fratura no braço)
Pendurados: Marcos Rocha, Willian, Thiago Santos, Victor Luis, Mayke, Bruno Henrique, Lucas Lima, Felipe Melo, Moisés e Gustavo Gómez
Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO) apita a partida, auxiliado por Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (Fifa-RJ)
Transmissão: Premiere e PFCI (com Milton Leite e Mauricio Noriega)
Tempo Real: GloboEsporte.com, a partir de 16h

GE

12 comentários

  1. Muito além do placar, espero um bom jogo e ótimo futebol.

    Precisamos de consistência, confiança e ousadia, um time que demonstre querer o título e efetivamente fazer por merecer a conquista.

    #ReageSPFC

  2. Eu achava o Muricy o cara mais retranqueiro.
    Ate conhecer o Aguirre, que é igualmente retranqueiros mas tem um adicional: a covardia.
    Muricy era retranqueiro mas tinha coragem.
    Agora o Aguirre….se pudesse se esconder debaixo da cama, se esconderia.

    • Ramalho, Carlinhos, Tadeu, Edgar, Lenilson, Jadilson, Joilson, Eder Luis, Jancarlos…era muita gente ruim.
      Muricy fez do Richarlysson um otimo jogador.
      Naquela epoca tinhamos um goleiro e um ataque. Mas, msmso assim, não era um elenco recheado não.
      E ainda disputavam libertadores e sul americana.
      Acho o elenco que o Aguirre tem mais enxuto, mas mais coeso com o time titular. E só disputa UM campeonato. Essa desculpa de elenco não cola.
      Só que o cabra é ruim e vai se escorar nessa desculpinha de elenco….sendo que os nossos adversários estão jogando o campeonato com o time reserva .

    • Não há desculpas pela covardia de Aguirre. Podemos não ter um grande elenco, mas Bruno Perez, arboleda, Anderson Martins, Reinaldo, Jucilei, Hudson, nene, Everton, Lizieiro, nene, Rojas, Diego Souza, rodrigo Caio, Bruno Alves, Everton Felipe, Trelez, Carneiro…. não me parece um elenco tão fraco assim.

Deixe uma resposta