“Aguirre mescla estilos que adaptam a qualquer situação de jogo”, diz ex volante sãopaulino que faz estágio no Tricolor

Campeão paulista e do Rio-São Paulo vestindo a camisa do Tricolor, o ex-jogador Sidney esteve no CT da Barra Funda durante essa semana para acompanhar os treinamentos comandados pelo técnico Diego Aguirre. Aposentado desde 2011, ele vem se preparando para deslanchar na carreira de treinador de futebol.

“Foi uma semana muito positiva, pude aprender mais, analisar o São Paulo, primeiro colocado do Brasileiro, o trabalho do Aguirre, que é de uma escola diferente da minha, uruguaia. Foi muito produtivo, acrescenta muito na minha carreira de técnico ver outras experiências, metodologias, tanto em campo, como na área médica, fisiológica. Estou muito grato pelas portas abertas”, afirmou Sidney.

O ex-volante chegou ao São Paulo com 12 anos. Por lá, fez todo o processo de formação e atuou nas campanhas que resultaram no título paulista de 1998 e do Rio-São Paulo em 2001. Na conquista do Paulistão de 2000, Sidney também fazia parte do elenco tricolor. De volta à casa, agora na beira do gramado, ele conferiu de perto como é o trabalho do técnico Diego Aguirre e sua comissão.

“O trabalho dele é muito intenso. Discutem muito sobre o uso de campo grande ou reduzido, e dos diversos cursos e estágios que fiz, inclusive na Europa, no Barcelona, eles utilizam bastante o campo curto. Ontem [quinta-feira], o Aguirre utilizou o campo menor, depois metade e no fim abriu o campo todo. Ele mescla isso, é um diferencial que eu também acredito que seja importante para adaptar em todos os campos e situações de jogo”, prosseguiu.

Por fim, o agora aspirante a treinador deu seu palpite em relação ao futuro do São Paulo no Campeonato Brasileiro. Por enquanto, a equipe ainda é líder da competição, porém, Internacional e Palmeiras estão colados no Tricolor. Justamente por isso, uma vitória no próximo domingo, contra o Botafogo, fora de casa, é mais que bem-vinda.

“O São Paulo está sempre preparado, independentemente de ser o líder. É um clube grande que está sempre preparado. Não teve um bom resultado no último jogo, mas oscilar faz parte. São Paulo e Botafogo não será um jogo fácil, mas tem que vencer e chegar forte nos outros dois próximos jogos, que, para mim, são os decisivos pela busca do título, diante de Palmeiras e Internacional”, finalizou Sidney.

GE

3 comentários

  1. De outro Post:

    rafaTricolor
    Lendo outros posts, vi o pessoal falando da resenha….. EU trabalho com T.I , somos em 8 ao total aqui na firma, se nós ficarmos falando de programação, suporte, formatação e etc o tempo todo, não dou 2 meses e abandonamos o barco kkkkk, a coisa fica insuportável, hoje mesmo quando dá 18 hrs o tico e o teco já estão em falha critica desejando o FDS kkkkkkk. Um bom ambiente vem da boa conversa, da zoeira com o parceiro, porém com conversa séria do trabalho, se tiver uma boa relação o ambiente fica maravilhoso, os trabalhos vão fluindo de uma maneira muito bacana…. Lembro de uma entrevista do Petros onde o mesmo cita que quando ele chegou nenhum jogador brincava um com outro, não tinham papo, imagina isso? um grupo com mais de 25 jogadores e não tem um tipo de brincadeira ou vinculo? podemos tirar dai um dos fatores do time ser tão agua com salsicha durante esses anos.
    Esse grupo é bom, unido e tem cara de campeão.
    ——————————————————————————-
    Justo!
    O ambiente influencia e muito na performance da
    moçada.
    E agradeço ao nosso eterno Rei Raí pelo trabalho
    de reconstrução iniciado este ano. Ainda há de vir
    muita coisa bacana.

    Vamos São Paulo !!!

Deixe uma resposta