Promovido ao profissional, Antony renova contrato com o São Paulo

O meia-atacante Antony, de 18 anos, renovou seu contrato com o São Paulo nesta quarta-feira, justamente o dia em que foi promovido de forma definitiva ao elenco profissional. O vínculo terminaria em setembro de 2020 e agora vai até setembro de 2023, com salário reajustado.

Monitorado desde 2012, Antony conquistou nove títulos pelas categorias de base do São Paulo. No último, há poucos dias, foi eleito também o melhor jogador da J League, competição sub-17 disputada no Japão. Como já tem 18 anos, ele só participou deste campeonato porque o regulamento permitia dois atletas mais velhos entre os inscritos. O novo camisa 39 do Tricolor já vinha integrando a equipe sub-20 neste ano.Helinho, outro meia-atacante de 18 anos promovido nesta semana, já havia renovado seu contrato, em maio, até abril de 2023. O São Paulo tem tomado o cuidado de ampliar os vínculos dos garotos de Cotia ao promovê-los.

Os últimos a renovarem foram o meia Igor Gomes, até março de 2023, e o zagueiro Rodrigo, até dezembro de 2021. O primeiro já está fixado no grupo de Diego Aguirre, enquanto o segundo foi relacionado para duas partidas do Brasileirão, mas tem jogado com a equipe sub-23.

Recentemente, o clube se viu obrigado a vender Éder Militão ao Porto (POR) para não perdê-lo de graça em janeiro de 2019, quando seu contrato se encerraria. Apesar de negociar durante vários meses, a diretoria não conseguiu renovar com ele.

L!

13 comentários

  1. Como disseram antes, acho que foi o Márcio :
    – ” lição de casa sendo feita “.

    Eu acrescentaria:

    – Tomara que não seja apenas jogada de empresários sedentos e ávidos por negócios rápidos.

    Cotia atende ao mercado global de jogadores e não ao futebol do SPFC.

  2. Bom dia
    Grande Paulo Scala: está de questão de Cotia absgacer o mercado me preocupa, vide a queda do time com a saída de Militao ( embora reconheça que ele forçou saída).

    Sobre Antony e Helinho: na base arrebentavam. Prefiro arriscar nos garotos Brenner, Helinho e Antony do que insistir nas improvisações de Reinaldo, Liziero e Trellez na ponta esquerda.

    Estes garotos podem ser o diferencial do nosso time na reta final do campeonato

    • Bom dia, Marciovirgilio.

      Em relação ao Militão, algumas considerações :

      Nos ultimos anos, a diretoria tricolor
      (Adalberto, Ataíde, Gustavo, Pinotti) é marcada pela ciranda de elencos e rodízios de técnicos, além de ingerências indevidas dos “superiores”, ou seja, “trairagens” e promessas nunca cumpridas.

      Atualmente, o círculo de empresários
      (amigos, parceiros ou aliados) resume-se a poucos (quase na condição de investidores).

      Impossível separar Militão e seu “staff” em uma decisão isolada e isenta desta “bagunça”, pois jamais poderemos recuperar esta cronologia.

      Saudações, irmão.

  3. As vendas superam com sobras os gastos,o que está um pouco aquém é o retorno esportivo,o sub20 multicampeão por exemplo,de 2017 pra cá,se não me engano,efetivou apenas Neres,Araújo,Militão e Lizieiro. Pode até parecer bom 4 jogadores,mas considero pouco,levando em consideração o potencial e expectativa que esse time nos proporcionou.

  4. Tem que ter peito e coragem para escalá-los. Se eles estivessem no Santos já seriam titulares há muito tempo. O São Paulo tem medo de ganhar. Quem tem medo de ganhar não ganha.

    • Concordo. Já mencionei isso em um post anterior,porquê nas Sereias jogadores sobem e dão certo e aqui tem essa frescura de que não pode colocar o jogador em determinadas situações pra não queimá-los?Jogador têm que ter personalidade,se não tiver,vai pra base de time do interior,aqui a camisa é pesada,tem que botar pra jogar,fazer uma peneira e ver os que sobram.
      Pra jogar em time gigante,não pode tremer.

  5. De modo geral, alguém precisa cobrar empenho e responsabilidade desses jogadores sub 20. Vejo um paternalismo do clube e até da torcida que ao invés de colaborarem com o crescimento do jogador, acabam criando atletas mimados e até fracassados.

    Ontem, Pedrinho (20 anos), saiu do banco da escória e decidiu uma semi final da Copa do Brasil. Cheio de vontade, aceso do jogo e querendo mostra serviço, definitivamente não vejo isso nos jogadores da nossa base.

Deixe uma resposta