André Jardine explica qual é seu papel na comissão de Aguirre e se diz realizado no São Paulo

André Jardine se destacou como técnico das categorias de base do São Paulo, ganhou promoção para compor a comissão técnica permanente do elenco profissional e tem feito uma parceria de sucesso com Diego Aguirre. Ele foi responsável por passar ao treinador uruguaio as informações do elenco em sua chegada e não esconde o orgulho de ver a equipe na liderança do Campeonato Brasileiro 2018

Tem sido um privilégio estar podendo participar de um trabalho muito bem feito, de uma comissão técnica muito competente, aprender muito e poder estar vivendo essa excelente campanha que o São Paulo está fazendo. É uma experiência única. Na base, é um ambiente um pouco mais tranquilo. Se trabalha muito, às vezes, sem a mídia e muitos jogos sem torcida“, contou à SPFCtv, e explicou como foi o primeiro contato com Aguirre.

No início, logo que o Aguirre chegou, as conversas que a gente tinha diariamente era o mais importante, porque ele precisava tomar decisões para os jogos que estavam por vir. Me sentia fundamental naquele momento porque ele tinha que confiar nas coisas que eu estava dizendo e eu tinha que ser muito preciso para passar informações corretas, de onde os jogadores podiam render e o que eles podiam fazer“, acrescentou.

Trabalhando pouco mais de seis meses com o técnico uruguaio e os auxiliares Juan Verzeri e Raul Enrique Carreras, Jardine tem participação importante nas discussões sobre as escolhas do time titular e auxilia em treinos específicos.

Hoje em dia, com o Aguirre conhecendo melhor o grupo, ainda trocamos figurinhas todos os dias para discutir equipe, estratégia de jogo, discutir o adversário e a gente vai se entrosando. É confiado a mim algum tipo de trabalho, especialmente, os trabalhos de complementos, feito com os atacantes e, em alguns momentos, com os zagueiros. Então, esse entrosamento tem aumentado e tem sido cada vez mais prazeroso poder contribuir“, explicou.

Um dos diferenciais de Jardine na comissão de Aguirre é trazer leituras de jogo e ideias diferentes a que o treinador são-paulino recebe de seus auxiliares.

No futebol, existem muitas verdades e muitas maneiras de ver e sentir o jogo. Mas, em especial, eu e o Aguirre sentimos o jogo de maneiras sempre muito diferentes pelo passado que cada um teve… Acho que quem ganha com isso somos nós dois e, acima de tudo, o clube porque estar sempre estimulando o debate, o crescimento, a discussão sempre com altíssimo nível e respeito. Sem dúvida, eu tô aprendendo muito porque tô podendo ver de perto e dentro uma escola de futebol que tem muita história, tradição e resultado”, finalizou.

No Tricolor desde 2015, Jardine coleciona títulos de destaque como treinador das categorias de base: Campeão da Libertadores, bicampeão da Copa do Brasil de forma invicta, bicampeão da Copa RS, Copa Ouro e Paulista.

11 comentários

  1. Palmeiras está passando facil pelo fraco Colo Colo, alias o Grêmio tb pegou uma baba esse Tucumán…e os 2 devem duelar na semi…e Boca e River tb..espero que o Boca seja campeão da libertadores e na copa do Brasil o Cruzeiro tb…..e o no brasileirão o Sp erguendo o caneco.

  2. Amanhã precisamos matar o coelho e com uma cajadada ja esta bom, SPFC campeao brasileiro, Cruzeiro campeao da Copa do Brasil e River ou Boca da libertadores, ta bom assim.

      • Que exagero! SFC pagou pelo amadorismo ao escalar um jogador suspenso, o Dedé quase matou o goleiro do Boca e a mídia e torcedores tupiniquins fazendo o maior carnaval quando o juiz acertou em cheio ao expulsar o imprevidente zagueiro do Cruzeiro. Brasileiro é cheio de mimimi, viramos os chorões da América, viramos motivo de gozação, Neymala é apena suma amostra do que é o típico brasileiroi

    • A depender da característica do jogo, o Tricolor deve tentar ganhar de mais de um gol, já que o critério de saldo de gols tem sido importante….

      Quem ta merecendo mostrar sua qualidade é o Everton Felipe, tem tudo para deslanchar amanha…

  3. “eu e o Aguirre sentimos o jogo de maneiras sempre muito diferentes pelo passado que cada um teve”

    Gostei, pois quando duas cabeças pensam iguais, uma delas não é mais necessária.

    • Mourinho foi auxiliar de Cruyff, e os dois não poderiam ser mais antagônicos.

      Também ajuda que Aguirre talvez seja o técnico menos pragmático entre os de estilo defensivo que temos aqui, porque está bem mais para um estilo Guardiola, Fernando Diniz.

Deixe uma resposta