Sem espaço, Brenner joga no sub-23 do São Paulo e tenta recuperar brilho

Sob olhares do diretor Raí e do auxiliar André Jardine, Brenner marcou um dos gols da vitória do São Paulo sobre o Atlético-PR, nesta segunda-feira à tarde, em Cotia, pelo Brasileiro de Aspirantes. Sem espaço com Diego Aguirre, o jovem de 18 anos foi emprestado à equipe sub-23 para ganhar ritmo de jogo e recuperar a confiança que o fez ser um fenômeno na base.

Há alguns meses, profissionais do clube acreditam que algumas etapas da formação de Brenner foram queimadas e tentam recolocar a carreira do garoto nos eixos. O atacante não é utilizado pelo treinador uruguaio desde o dia 2 de agosto, quando foi expulso dois minutos depois de entrar em campo contra o Colón (ARG), no Morumbi, pela Copa Sul-Americana. Domingo, contra o Santos, não ficou nem no banco.

Em maio, o São Paulo decidiu que Brenner reforçaria a equipe sub-20 quando não fosse relacionado por Aguirre, mas o jogador não gostou da ideia por acreditar que estava sendo “rebaixado”. A postura gerou certo mal-estar, mas o clube optou por não agir contra a vontade de sua revelação e o manteve apenas no grupo profissional. Paralelamente, ele foi convocado para treinos da Seleção Brasileira de Tite na Granja Comary e na Inglaterra antes da Copa do Mundo e ganhou moral, mas continuou como uma das últimas opções de Aguirre para o ataque quando voltou.

Promovido por Rogério Ceni em junho de 2017, o atacante foi direto do sub-17 para o profissional, sem passar pelo sub-20. Ele marcou 44 gols em 21 jogos na base são-paulina ao longo do ano passado, sendo artilheiro de três competições: Paulista Sub-17 (28 gols em 11 jogos), Copa Santiago (oito gols em cinco jogos) e Taça BH, que terminou com a equipe campeã (seis gols em três jogos). Em setembro, renovou contrato até 2022, com multa rescisória de 50 milhões de euros.

Brenner poderia ter disputado a Copa São Paulo Júnior deste ano, mas ficou fora da competição porque Dorival Júnior planejava utilizá-lo com frequência no Paulistão e na Copa do Brasil. Ele terminou o ano passado marcando gol no empate em 1 a 1 com o Bahia, no Morumbi, naquela que era a sua quarta partida como profissional.

Em 2018, foram 12 jogos disputados e dois gols marcados (contra Corinthians e Madureira) antes da saída de Dorival. Com Aguirre, a situação mudou: foi titular apenas uma vez, na vitória por 1 a 0 sobre o Paraná, pela primeira rodada do Brasileirão, e chorou no banco de reservas ao ser substituído. Depois, só jogou mais 33 minutos contra o Vitória, cinco minutos contra o Grêmio e dois contra o Colón (ARG).

Após jogar com o sub-23, Brenner voltará a treinar com os profissionais no CT da Barra Funda e estará à disposição de Diego Aguirre para os jogos do Brasileirão até o fim da temporada. O futuro depois disso é incerto.

L!

15 comentários

  1. Daqui a pouco os mesmos profetas do apocalipse do jogo passado começam a proclamar que “Goleada no América é obrigação”, “Tem que dominar o jogo inteiro, jogar bonito, etc”…

    Não, meus queridos, não temos obrigação de golear: 1×0 é goleada. Jogando bem ou mal, não importa, o que importa são os 3 pontos, mesmo que o gol seja na única bola chutada a gol.

    Cansamos de jogar bem e perder. Os 3 pontos são tudo que importa.

    Vale lembrar também que o América empatou com a Crefisa fora de casa e ganhou do Inter.

    • Exatamente, o Coelho não é um time qualquer, apesar de ter o Wesley como titular, para mim, ganhando de 1 x 0 está excelente para mim!!!!!
      E futebol bonito para mim, é o São Paulo ganhando e erguendo trofeus!!!!

  2. Ele tem técnica, e muita, mas falta maturidade mesmo. Se o cara é imaturo ele não aproveita os treinamentos, ele não absorve o que é importante, ele se perde em campo em momentos difíceis. Mas é importante lembrar que ele tem 18 anos…Tem gente com mais de 30 que ainda é imaturo rs

  3. Na verdade o único atacante com espaço do time do Aguirre, fora os titulares, é o Trellez.
    Os demais devem treinar muiiiito mal, só pode…

  4. Teve um amigo nosso que comentou o porque não escalar o Caíque.
    Boa observação.
    Como diz aquele personagem: Vai que cola!
    Eu não gosto muito de reserva enfeite.
    Tenta pra ver o que vai rolar.
    Se vingar, é mais uma opção no Elenco.
    Construindo o Elenco pouco a pouco.

  5. Tem que estar de malas prontas para a Florida Cup o Brenner, o Toró, o Rodrigo Freitas, o Pedro Bortoluzzo, o Gonzalo Carneiro e o Helinho.
    São jogadores que precisam de mais volume de jogo.
    Alguns desses que citei, além da Florida Cup, que sejam inscritos no Campeonato Paulista.
    É melhor fazer isso do que ficar trazendo pacotão de reforços. Os atletas já estão no clube.
    Em 2019 terá Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores.
    Da volume de jogo a esses jogadores que já estão no clube.
    Vai construindo um Elenco pouco a pouco.

    O São Paulo tem bons jogadores técnico: Nenê, Jucilei, Hudson, Everton, Bruno Peres, Rojas, Diego Souza.
    Se manter a base de 2018, não tiver desmanche..
    Levar na Florida Cup e inscrever no Paulista de 2019 o Igor Gomes, o Brenner, o Toró, o Rodrigo Freitas, o Pedro Bortoluzzo e o Helinho, pode sair algo interessante para 2019.

  6. Poderia ser útil se tivesse um pouco mais de calma, dos jogos que vi, se afoba muito, tenta decidir quando não dá e quando dá não decide. Usaria a velocidade pela ponta, estilo Pato (guardada as imensas proporções) cotando para o meio.
    Contra o America não terá Everton e Rojas, a tendencia é que escale os 4 laterais, sendo Régis e Reinaldo avançados, mas seria muito bom ver o Everton Felipe pela esquerda. Faltam opções no elenco.

  7. Brenner precisa mostrar muito futebol para ser um reserva do sp, time principal não é sub-23…Aguirre pensa 2x antes de colocar a a mulecada, profissional é uma coisa e time é outra. sp está brigando para ser campeão

  8. Brenner precisa parar de chorar e amarelar antes de ter uma nova oportunidade. Militão entrou e jogou, Liziero entrou e jogou, contra o Guarani da capital Brenner se borrou todo

  9. Cara uma coisa é meio óbvia. Aguirre gosta de poste e Brenner é um atacante móvel. Ou ele muda pro 4-4-2, saca o Nenê e coloca o menino, ou então ele não vai dar chances para o menino como 9.

    Como a gente já sabe que ele não rendeu bem como ponta com o Dorival é mais do que lógico preservar o menino para o próximo ano quando por exemplo num Paulistinha um novo esquema com Brenner e Carneiro se alternando possa acontecer.

  10. Berner eh centroavante da base, mas no profissional tem q pegar corpo e jogar c mais garra,…foi expulso com 2 minutos de jogo aí queimou o filme…por mim poderia vender o brener, Perri e o lizieil p fazer caixa….prefiro ver agora o Toro e o Helinho, centroavante o cara tem q ser forte pra jogar no meio de zagueiros do profissional…jogar no meio de zagueiros da base o nível eh mais fraco, por isso q fez trezentos gols na base…

Deixe uma resposta