Análise Itaú BBA: São Paulo bate recorde de arrecadação, mas gasta mal

O São Paulo é um dos maiores responsáveis pelo aumento de receitas do futebol brasileiro em 2017, de acordo com o estudo anual do Itaú BBA sobre as finanças dos clubes. O faturamento foi de R$ 469 milhões, um aumento de 24% na comparação com 2016 (a média nacional foi de 17%). O clube do Morumbi exibiu mais uma vez sua grande capacidade de vender jogadores para o mercado europeu.

No ano passado, o São Paulo foi de novo o líder nesse quesito e arrecadou nada menos do que R$ 165 milhões com venda de atletas. Quase o dobro dos R$ 86 milhões do ano anterior.

O problema desse modus operandi é que o clube precisa repor as peças que saíram – invariavelmente gasta quase tudo o que arrecada com jogadores mais velhos, também com altos salários e menos potencial de revenda. O custo do futebol são-paulino em 2017 foi de R$ 210 milhões, contra R$ 189 milhões em 2016.

Embora tenha atravessado mais um ano sem títulos e brigando contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o São Paulo aumentou sua arrecadação com publicidade e patrocínio (de R$ 49 milhões para R$ 69 milhões) e conseguiu reduzir sua dívida – de R$ 339 milhões para R$ 314 milhões. Apesar de alguns bons números, o São Paulo continua muito dependente da venda de jogadores para fechar suas contas.

“A gestão baseada em compra-e-venda de atletas apenas coloca o clube num risco absolutamente desnecessário”, diz a conclusão do Itaú BBA sobre as contas do São Paulo.

“Num ano em que não conseguir vender atletas as contas simplesmente não fecharão, pois o custo da base é elevado, o custo direto é alto, ainda há dívidas vencendo e seus custos financeiros, e logo mais o Profut começa a vencer. “

O estudo da situação financeira dos clubes nacionais divulgado ano a ano pelos analistas do Itaú BBA abre sua avaliação relativa a 2017 alertando que se repete um ciclo de “mais dinheiro, mais gastos, nenhuma preocupação com o futuro”. O relatório deste ano, divulgado com exclusividade pelo Globoesporte.com, diz que “seguimos esta jornada nos repetindo e andando em círculos”.

De modo geral, a análise chama atenção para o fato de “despesas e custos continuarem crescendo e ocupando o salto de receitas”, ao passo que “investimentos gerais não mudaram muito, nem as dívidas”. E lembra: “O Profut começará a vencer, as regras de distribuição de direitos de TV mudarão, e isso vai pressionar o fluxo de caixa dos clubes em 2019”.

GE

36 comentários

    • Sim, os 25 milhões foram usados para diminuir a divida bancária que é a que mais aumenta por conta dos juros, não precisa ser economista para se chegar a essa conclusão. O grande problema foi a grande enfase que deram que a divida estava sendo paga e tal, muito discurso e pouca eficiência, 25 milhões e a metade da venda do David Neres por exemplo.

  1. “Num ano em que não conseguir vender atletas as contas simplesmente não fecharão, pois o custo da base é elevado, o custo direto é alto, ainda há dívidas vencendo e seus custos financeiros, e logo mais o Profut começa a vencer. “

    “O Profut começará a vencer, as regras de distribuição de direitos de TV mudarão, e isso vai pressionar o fluxo de caixa dos clubes em 2019”.

    Leco, vê se toma jeito e arruma logo a casa.

  2. Sem comentários …, confesso que li em algum lugar, que #OutLeco estava organizando o equacionamento das dívidas do SPFC.

    O objetivo único deste grupo é a separação e a “tal empresa”, nada mais.

  3. A análise trafega por questões de senso comum: aumento de receita em função da negociação de jogadores, aumento da base salarial, aumento publicidade e patrocínio, etc. Isso é concreto, é matemático. No entanto, quando entramos no intangível, é que o futebol quebra os analistas financeiros ao meio: os dois maiores investimentos em direitos federativos – enquadrados como “velhos” e “menor potencial de venda” – foram revendidos com lucro, casos do Lucas Pratto e Petros,

  4. Quando eu vejo entrevistas do diretor financeiro do SPFC e do Leco e comparo com esses dados que saem sobre as dívida dos clubes eu fico pensando quem que tá mentindo pra quem.

    Só o Leco, desde que assumiu a presidência, já falou N números diferentes de dívida com redução da dívida pela metade. Ou essa “divida total” não inclui dívida com os bancos ou fica difícil entender esses números.

  5. minha opiniao sobre ontem é que foi a melhora da morte.

    questao de tempo para a crefisa nos ultrapassar. coisa que eu acho q ira acontecer com quebra de tabu no morumbi. e disparar pro titulo.

    torcer para deixarem o brasileirao para nos, pois estarao envolvidos nas finais da libertadores, ja que a probabilidade de ganharem tambem a libertadores é de 97%.

    me cobrem depois

    • ninguem aqui liga pra porcada meu amigo. ngm vai te cobrar se vc quer dar uma de mae dinah.

      tem tanta certeza do que vai acontecer? vai la no bet365 e aposta seu dinheiro. o Site nao vai demorar nem 1 segundo pra te cobrar ou te remunerar

    • Comentario duvidoso heim…Porcada começou bem com o Felipao, mas arrefeceu…Tanto que perdeu no jogo de volta da Liberta, perdeu pro Cruzeiro, empatou com o Bahia….

      Assim como o Sao Paulo tem muita dificuldade no Allianz, no Morumbi a Porcada sofre e é freguesa…Jogando com as principais peças do time titular, o Tricolor é favorito e vai vencer.

      Tem muito torcedor pessimista, mas olhando a tabela, dos lideres, apenas contra o Inter jogamos fora de casa, em compensação o Tricolor enfrenta Palmeiras, Flamengo, Grêmio e Cruzeiro em seus domínios.

      Sem contar que dos times que vem em ascensão, como o Atl. Paranaense, jogamos no Morumba..

      Sem mais.

  6. Esse ano a receita será menor, pois tem menos vendas. Apesar de que a do Pratto foi esse ano, né. E gastamos bem também na aquisição de reforços, que em geral estão bem em campo, mas que fora dele não nos darão tanto lucro em futura venda.

    E detalhe: a médio e longo prazo não temos muitas vendas previstas. Eu menciono apenas a do RC, do Arboleda e do Liziero.

    • Só o fato da divida parar de subir e na verdade diminuir, ja mostra uma melhora signicativa na gestao financeira. A ver se os resultados se matem esse ano, com o futebol mais estavel.

      Nao vamos nos esquecer que, no desespero, o Sao Paulo gastou muito dinheiro pra nao ser rebaixado ano passado ( contrataçoes de peso, bixos e tudo mais). acredito que se a situaçao do time tivesse sido um pouco mais tranquila ano passado, o resultado teria sido mais expressivo

      no mais, as dividas bancarias terem diminuidos ( as mais penosas pelo visto), tambem é um bom sinal.

      Minha opiniao é de uma melhora razoavel. sem muitos motivos pra animaçao. sem motivos pra desespero. se o apontamento de uma nova trajetoria se seguir, colheremos frutos

  7. “Num ano em que não conseguir vender atletas as contas simplesmente não fecharão, pois o custo da base é elevado, o custo direto é alto, ainda há dívidas vencendo e seus custos financeiros, e logo mais o Profut começa a vencer. “

    Bela analise de oitava serie ein BBA?
    Valido pra 103% de todos os clubes brasileiros. e eu pergunto, em que maldito ano que algum clube brasileiro nao conseguiu vender jogadores?

    todo ano vem esse apocalipse anunciado baseado em premissas nada plausiveis no futebol

  8. Me corrijam se eu estiver errado, mas os valores constam no balanço como entrada, mas ao mesmo tempo não entraram no cofre do clube pois boa parte foi feita em parcelas e deve entrar para o próximo balanço, não?

Deixe uma resposta