Análise: São Paulo vence na raça, mas baixo aproveitamento do ataque preocupa

O São Paulo precisou lutar muito para vencer o Bahia por 1 a 0, no último sábado, no Morumbi, e dormir na liderança do Campeonato Brasileiro. E esse sufoco todo tem sido frequente nas últimas partidas.

Apesar de seguir forte na briga pelo título, o São Paulo vai precisar de um aproveitamento melhor de seu ataque na reta final para superar os principais concorrentes Internacional, Flamengo e Palmeiras.

Depois de vencer a Chapecoense por 2 a 0, o Tricolor não fez mais do que um gol por jogo. São apenas quatro marcados em cinco partidas. Veja os números abaixo:

  • Paraná: 1 a 1
  • Ceará: 1 a 0
  • Fluminense: 1 a 1
  • Atlético-MG: 0 a 1
  • Bahia: 1 a 0

Mas o que acontece?

O problema do setor está dividido entre construir e concluir as jogadas. Contra o Atlético-MG, fora de casa, o time finalizou 14 vezes contra o gol de Victor, sendo seis chances reais de gol, de acordo com números do scout da TV Globo. Diante do Ceará, 20 chutes e cinco oportunidades claras.

Já frente ao Bahia, a dificuldade foi a criação (11 finalizações e duas chances). O São Paulo não conseguiu furar a forte marcação montada por Enderson Moreira, com duas linhas de jogadores bem próximas, e precisou recorrer aos cruzamentos. Foram nada menos do que 26.

O time ficou “manjado”? E o banco?

Enderson, aliás, entendeu bem como o São Paulo joga, travando Rojas e Everton Felipe pelos lados, diminuindo a participação de Nenê e Diego Souza. E isso passa a ser uma tendência. É natural que um candidato ao título seja estudado detalhadamente. Cabe a Aguirre encontrar alternativas em um elenco sem grandes opções.

O técnico acertou na etapa final ao colocar Tréllez no lugar de Everton Felipe. Com o colombiano aberto pela esquerda e tendo liberdade para se aproximar de Diego Souza na área, o time cresceu e chegou ao gol da suada vitória em casa.

O crescimento de Tréllez (fez o gol de empate contra o Fluminense) dá ao treinador um respiro. O colombiano se firma como a primeira opção em um banco de reservas sem muita concorrência – Shaylon, Brenner e Caíque eram as outras opções contra o Bahia.

Curiosamente, o São Paulo ainda é segundo time que mais fez gols no Brasileirão. São 36 após 24 partidas, dois abaixo do Atlético-MG. O momento, porém, preocupa Aguirre.

– Gostaria de ter um jogo mais tranquilo e fazer mais gols. Mas, lamentavelmente, não estamos podendo fazer mais gols e ter essa tranquilidade. Trabalhamos muito nisso, falamos que temos de aproveitar mais as situações. No último jogo contra o Atlético-MG tivemos muitas finalizações e não fizemos os gols. Temos de continuar trabalhando e melhorar – afirmou o técnico.

Everton deve voltar

A solução pode ser o retorno de Everton ao time. Decisivo, o meia-atacante sofreu uma lesão muscular na coxa esquerda contra o Ceará e perdeu os últimos três jogos. E fez muita falta. A tendência é de que ele retorne contra o Santos, domingo que vem, na Vila Belmiro.

GE

13 comentários

  1. As jogadas porém ter ficado manjadas, mas nenhum time joga no Morumbi escancarado, atacando todo tempo.
    Com as voltas de Everton e B Peres a melhora será nítida. Importante é não perder, se conseguirem conquistar o Brasileirao vencendo por 1×0 estou satisfeito. Mas com Sidão no gol é certeza de fortes emoções.

  2. Tem q investir na realidade e n em apostas…Hernanes p ontem….nenhum volante sabe chutar de fora da área…soh quem chuta eh neném, Everton, DS e Reinaldo….nem o Rojas sabe chutar no gol….Bruno Alves tbm qnd chuta eh tiro de meta….tá osso…

  3. Infelizmente não temos um atacante matador. Nosso meio, apesar de ter um ótimo Nenê, por vezes não funciona e nossos pontas estão sendo muito bem marcados. Nessas horas é que os volantes devem ser as figuras surpresas, mas Jucilei e Hudson não tem essa característica / capacidade. Assim as bolas paradas se tornam a única arma do SP… e como desperdiçamos essas bolas. Cruzamentos mal feitos, muitas vezes as bolas são simplesmente jogadas na área adversária. Nossos zagueiros tb precisam melhorar o cabeceio e precisamos de jogadas ensaiadas.

  4. Um Hernanes na volancia agora seria show … Volante q sabe carregar a bola chutar certeiro, além de enviadas e assistência…Hudson e Hernanes p ano q vem seria massa….vende o lizieiro e deixa o jucilei no banco…tem q arrumar um ponta top q jogue bem nos dois lados p suprir o Everton e o roja….soh isso galera…Hernanes e um ponta top o resto pode manter…

  5. Estamos jogando além do limite.
    O time ta dando 150% de entrega, e mesmo assim o futebol é pouco.
    Se formos campeões, é pra fazer história mesmo. O time ta se entregando muito

  6. E nítido que a entrada do Liziero melhora a qualidade da chegada do time na área adversária. Jucilei e Hudson não agregam na armação e nem na definição. Próximo ano um centroavante é um goleiro de primeira linha, colocaria o time em outro patamar !

  7. Acho meio ridicula essa matéria. SP tem o segundo melhor ataque do campeonato, Palmeiras e Flamengo são os mais pertos, ambos com 35. Se o inter nao fizer 6 gols hoje, ou que nao exista nenhum outro placar totalmente surreal em outros jogos, só o Palmeiras pode igualar, ou passar, nosso desempenho ofensivo.
    O time precisa, sim, melhorar. Mas estamos falando de uma sequência de jogos que sofremos com desfalques, jogamos contra times com 11 jogadores atras da linha da bola, sofremos com erros de arbitragem e, mesmo assim, só nao fizemos gol em apenas um jogo. E foi justamente no jogo que melhor jogamos nesse sequência.
    Torcida e time precisam ir com calma, manter a tranquilidade, pq não existe o menor motivo de desespero

  8. “Curiosamente, o São Paulo ainda é segundo time que mais fez gols no Brasileirão. São 36 após 24 partidas, dois abaixo do Atlético-MG.”

    Curiosamente…

  9. Estava conversando com corintianos e palmeirenses e notei que eles se temem. Depois da era Juvenal Juvêncio, pós-tri-Br, eles perderam o respeito pelo SP, vão sempre confiantes de um bom resultado. Se sobrou ódio ao SP, é reflexo dos outros anos. Fizeram estátua do Juvenal, destruam-na!

    • O Juvenal destruiu o Departamento de Futebol do São Paulo.
      Vamos lá.
      Em 2010 acabou o ciclo do time Tri Brasileiro.
      Em 2011 foi montado um time ridículo, com Piris, Juan, Xandão, Marlos. Na época se falava em uma reformulação.
      Fez uma reformulação e montou um time bom em 2012.
      Só que depois fez outras 10 reformulações.
      Só amadorismo.
      Citar como exemplo 2013:

      Em 2013 em pouco tempo o São Paulo participou da Recopa, Audi Cup, Eusébio Cup e Suruga.
      Venceu a Eusébio Cup. Foi horroroso na Recopa em mais um mata mata que perdeu para o Corinthians o segundo perdido para o rival em 2013, ficou em ultimo na Audi Cup e perdeu a Suruga. Pior que foi assim, de uma hora para outra vai do céu ao inferno. Terminou bem o ano de 2012, contrata o Lucio, mantém a base do time que terminou 2012, contrata o Aloisio, o time vai mau na Libertadores, contrata o Silvinho, Roni, Caramelo para o Brasileiro mas muito pouco são aproveitados, o Cañete também é pouco aproveitado, o time fica na zona de rebaixamento do Brasileiro, tem Jadson e Ganso mas o time não consegue fazer gols, o Corinthians vence a Recopa com muita facilidade, faz uma excursão tudo no improviso e praticamente perde tudo, só vence a Eusébio Cup, o Juvenal Juvêncio fala em outra reformulação, o Maicon, o Cortês, o Fabricio, o Lucio vão perdendo espaço, coloca da base o Lucas Farias, o Alan, o Diego, que jogam em 1 jogo e nada mais.

      Beleza.

      Esse ano melhorou um pouco o Departamento de Futebol.
      Mas tem muito ainda que se melhorar.
      Aconteceu algumas falhas.
      Não sabia se continuava com o Diego Souza, Trellez, Shaylon.
      O Técnico tem dor de cabeça para escalar o time.

Deixe uma resposta