São Paulo acerta planejamento em maratona e concentra forças no Brasileiro

O técnico Diego Aguirre causou surpresa momentos antes do duelo marcado pela 12ª vitória do São Paulo no Campeonato Brasileiro. Em meio a uma maratona de jogos, o treinador uruguaio poupou cinco titulares e viu a estratégia dar certo ao terminar o primeiro turno do Nacional na liderança três dias depois de brigar até o fim pela vaga na Copa Sul-Americana.

O São Paulo de Aguirre, que agora concentra todas as forças no Brasileirão, abriu o triunfo contra os catarinenses com Shaylon, substituto de Nenê, logo no começo do jogo. Na etapa final, o treinador lançou em campo o trio Hudson, Rojas e Nenê. Em uma jogada iniciada pelo meia Nenê, o atacante equatoriano fez o cruzamento e o volante foi às redes para sacramentar a vitória e a estratégia bem-sucedida.

Após o time tricolor alcançar os 41 pontos na tabela do campeonato, três à frente do Inter, o treinador uruguaio dividiu os méritos com os outros integrantes da comissão técnica ao dizer que a escolha se deu em conjunto.

“Planejamos isso com a comissão técnica e tentamos tomar uma decisão em conjunto. Acredito que foi melhor fazer trocas no meio do jogo, por causa de lesões. O rendimento pode cair um pouco também. E foi importante para dar chance a outros jogadores”, explicou Aguirre.

O treinador também reconheceu que correu riscos ao optar pelo time misto depois de ser eliminado pelo Colón nos pênaltis. No jogo da Argentina, o São Paulo buscou a vitória no tempo normal, mas acabou superado nos pênaltis – naquele jogo, o quinteto poupado neste domingo estava em campo (Diego Souza não viajou e a dupla Bruno Peres e Everton começaram no banco de reservas).

“Às vezes pode não dar certo, mas eu fiz. A vitória [contra a Chapecoense] dá razão a isso. Com uma derrota hoje eu seria criticado, mas futebol é assim”, frisou Aguirre.

O treinador também fez questão de elogiar o desempenho da dupla de zaga são-paulina diante da Chapecoense e ainda citou Rodrigo Caio, que voltou a ser relacionado depois de quase quatro meses – além dele, Anderson Martins estava à disposição no banco de reservas.

“Eu valorizo todos, porque troco os zagueiros e ninguém sente. Tenho um nível bom de jogadores. Posso trocar e estão sempre no nível máximo em cada jogo”, disse o treinador são-paulino.

Fora da Sul-Americana, o São Paulo terá algumas semanas de descanso mais à frente. A primeira será entre os dias 26 de agosto e 2 de setembro, quando o time enfrentará, respectivamente, o Ceará pela 21ª rodada e o Fluminense pela 22ª. Antes desses duelos, o líder começa a trajetória no returno contra o Paraná. O jogo será disputado na próxima quarta-feira, em Curitiba.

UOL

17 comentários

  1. Engraçado como a gente no Brasil é provinciano e analista de resultados. Quando o Osório propôs isso eu via torcedores falando que “rodízio é na churrascaria”.

    O tempo mostra que mesmo com menos investimento, tendo um trabalho sério e bem organizado os frutos vem. Mas se estivéssemos em quarto estariam falando que não estamos em primeiro por que o Aguirre vive trocando o time.

    • O que o Osório fazia era bem diferente do que o aguirre faz …o Osório trocava o time inteiro , simplesmente por trocar , sem fundamento nenhum …muitas vezes o time jogava no domingo , descansava a semana inteira e no outro domingo ele jogava com o time praticamente todo alterado ..era o rodízio pelo rodízio , so pra falar q ele era o diferentao.
      O Aguirre vinha repetindo varias vezes o mesmo time , a gente sabe quem são os titulares (talvez com exceção da zaga) e trocou ontem pq sentiu que alguns jogadores estavam mais desgastados e pq ele cobra muita intensidade do time ,então pra não perder essa intensidade , na visão dele foi melhor trocar algumas peças .

  2. Footstats Premium

    @Footstats
    15m15 minutes ago
    More
    Joao Rojas já tem 4 assists p/ gol em 7J pelo SPFC no BR18

    1 a cada 129 min em campo; menor marca não só da atual edição, mas de todos os registros que temos desde o BR10

    2ª menor marca é de Magno Alves; 1 a cada 162 min pelo Flu em 2016

    Arrascaeta tbm é destaque; 1 a cada 167

    Ainda bem que o Marcos Guilherme era do Atlético PR…

    • Cara…mais um acerto do Raí…

      Ser saopaulino e amar o SP não credencia ninguém a jogar no time…

      Rapaz extremamente improdutivo e burrinho demais nas decisões…veja a diferença pro Rojas…repare no gol do Hudson …quantas vezes ele olha pro jogador que pede a bola… em um espaço de 3 segundos antes de passar…olha…analisa…calcula…executa…

      Diferença pro Everton então…nem da pra começar…enfim…que se faca milionário bem longe do SP e volte pra torcer conosco depois…mas na arquibancada ..longe do campo…

  3. https://www.90min.com/pt-BR/posts/6148985-a-selecao-de-monstros-do-1-turno-do-brasileirao-2018?utm_source=RSS

    João Ricardo
    Militão
    Arboleda
    Kannemann
    Iago
    Cuellar
    Bruno Henrique
    Everton Ribeiro
    Everton nosso
    Ricardo Oliveira
    Pedro

    Tec Aguirre

    – Cuellar no lugar do Hudson
    – Everton Ribeiro no lugar do Nenê
    – Iago sei lá quem no lugar do Reinaldo

    Quem votou nessa seleção…Junior Capacete, Galvão Bueno, Zico e Mauro Cesar..?

  4. Tão de brincadeira comparar o rodizio do aguirre com o do osorio né?

    O osorio desmantelava o time a cada jogo.. num jogo o carlinhos era ponta direita, depois ponta esquerda, e ainda me pos o lucão de VOLANTE?

    Louco pro osório é apelido..

  5. Eu gostava do Osório. 2015 o time jogou um ótimo futebol com ele. Pena que por um periodo curto.Aí venderam o time inteiro e não dava pra manter né.

Deixe uma resposta