Os Menudos

Amigos tricolores.

Aqueles que me acompanham aqui no blog sabem que eu, me torno um tricolor fanático, um pouco depois da era dos Menudos comandos por Cilinho. Um dos grandes reveladores de jogadores brasileiros. Por mais que na época eu tivesse 6 ou 7 anos, eu já, influenciado pelo meu avô e pai, torcia pelo tricolor.

Timaço!

Em 1982, Telê montou, o que até hoje, é considerada a melhor seleção de todos os tempos, onde haviam 11 craques. “Do goleiro ao ponta esquerda” era só gênio. Daquele timaço, 3 titulares era do São Paulo, o saudoso goleiro Waldir Peres, o excelente zagueiro Oscar e o “maluco” centroavante Serginho Chulapa. Ainda, na reserva, o meia Renato Pé Murcho, um excelente jogador, mas que não seria titular em um time que tinha Sócrates e Zico. Oscar foi, anos depois, um dos Menudos, um time, que pode ser comparado a Seleção de 1982, pois nos Menudos, também, haviam 11 excelentes jogadores para cada uma das posições, alguns geniais, outros excelentes, a diferença para seleção é que lá tinha 11 genios um por posição.

Defesa sólida

Gilmar, Zé Teodoro, Oscar, Dario Pereira e Nelsinho.

Como disse, tínhamos excelentes jogadores mesclados com gênios. Sem dúvida, a melhor dupla de defesas da história do São Paulo foi Oscar e Dario. Tivemos, na década de 50 uma defesa sólida, com Rui, Bauer e Noronha, mas, se pensar em dupla, Oscar e Dario são imbatíveis. Os mais jovens que acompanham o São Paulo a menos tempo e tem Lugano como ídolo, que viram Miranda e André Dias, por exemplo, jogando, pode até discordar, mesmo porque Lugano, Dias e Miranda foram excelentes, mas a dupla foi o que de melhor tivemos na defesa tricolor, se não do país.

Os laterais eram ótimos. Zé Teodoro, era o meu ídolo daquela época. Não sei porque, com o ataque que tínhamos, mas era um jogador muito bom. Nelsinho era no mesmo nível, eram excelentes jogadores, se comparar com o que temos hoje então, eram “gênios”, cumpriam bem as suas obrigações e ajudavam o time.

Meio de qualidade

O esquema do Cilinho era o famoso 4-3-3 muito usado na época. O meio de campo, do São Paulo, era ofensivo. Amante do futebol para frente, Cilinho, armava com Bernardo, um volante muito bom, mas com certas limitações. Falcão, o Rei de Roma, em fim de carreira estava no São Paulo nessa época, mas contusões não deixaram o genial volante jogar no Morumbi como todos esperavam. Seria mais um gênio em campo.

Na armação, era “sem graça”. Silas e Pita. Silas na meia direita, o tradicional camisa 8. Pita, o meia esquerda, camisa 10. Toques rápidos, dribles, lançamentos, dois jogadores muito acima da média, que poderiam tranquilamente ser os meias da Copa de 1990, Silas foi, Pita não. Eram meias que sabiam armar o jogo, segurar quando necessário, bater de fora da área. Jogadores muito acima da média.

Ataque, que saudades de um ataque assim

Assim como Oscar e Dario Pereira foi a melhor dupla de defesa da época e para mim da história do São Paulo e Brasil, tivemos algo semelhante no ataque com Muller e Careca. Sidnei, um habilidoso ponta esquerda completava o time. Careca não foi o maior artilheiro do São Paulo, pois ficou menos tempo que Serginho Chulapa, o maior, aliás, Careca veio do Guarani ainda jovem para substituir o grande Serginho. Muller é da base, o que hoje chamamos “Made in Cotia” e sempre chamou a atenção pela inteligência e rapidez. Começou como um veloz ponta direita, encerrou a carreira como um dos mais inteligentes atacantes, o garçom, que com 2 ou 3 toques colocava qualquer um na cara do gol.

Nos resta a nostalgia

Não é culpa só do São Paulo não termos mais um Careca, Muller ou Pita. Esse time foi montado com reforços como Gilmar do Internacional, Zé Teodoro do Goiás, Oscar que veio da Ponte, Bernardo do Marília, Careca, do Guarani e Pita do Santos. Houve uma mudança na carreira de Dario, chegou no São Paulo como meia esquerda, o camisa 10, em um treino, para “completar o time” foi para a defesa, nunca mais saiu. Tivemos base como Nelsinho, Silas, Muller e Sidney. Uma mescla interessante, que poderia ter sido feito com Luiz Araújo, David Neres e Pratto, mas enfim, águas passadas.

*Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Coordenador do MBA de Marketing Digital e do MBA de Gestão Estratégica de E-commerce da Faculdade Impacta de Tecnologia. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br – facebook.com/plannerfelipe e @plannerfelipe

 

 

28 comentários

  1. Quem viu os menudos viu Pita e sabe que ele é infinitamente superior a Paulo Ganso .
    E olha que o Pita não chegava nem perto do Pedro Rocha .
    Comparável a Pedro Rocha na meia eu só vi Raí .
    Não sei qual dos dois foi melhor .

    • O Rocha era melhor que o Rai. Assim como o Pita era melhor que o Ganso. Saudades dos menudos. Eu ia a todos os jogos e era um show a cada jogo. E olha que no começo, a nossa torcida pegava no pé do Muller. O que mais se escutava no estádio era: “tira o Muller”. Ainda bem que o Cilinho não ouviu e insisitiu com ele. Aliás, que saudade do Cilinho. Um baita treinador de jovens.

      • Tive o prazer de conhecer o Pedro Rocha pessoalmente. Primeiro na concentração do Morumbi, quando ela ficava no primeiro andar logo na frente do estádio. E depois na lojinha de esportes que ele teve por algum tempo na rua Joaquim Floriano.

        • Tive o mesmo prazer… por 2 anos o encontrava semanalmente em um projeto que meu pai desenvolvia junto ao Barcelona, um projeto que ele tinha lá em Interlagos. Cara humilde, genial e que tinha muito para agregar ao futebol… genial!

    • Em 2016, em um evento no SPFC encontrei o Careca.
      No fim do evento, ele estava em pé, esperando o pessoal ir embora, cheguei ao seu lado e disse:
      – Você foi o único cara que me fez chorar
      – Sério? Por que?
      – O que foi aquele gol de 1986…
      – Aquele dia foi !
      Me deu um abraço e foi embora.
      Virei mais fã ainda!!!!

  2. Algum palpite sobre a escalação pra sábado ?

    Acho que poderia entrar com Sidão, Militão, Arboleda, Bruno Alves, Reinaldo, Jucilei, Hudson, Nenê, Marcos Guilherme, Diego Souza e Everton.

    Rai poderia tenta empurrar o Maicosuel para At. Paranaense em troca do Marcos Guilherme.

    Tenho certeza que vai fazer falta

    • Sua escalação é a mais correta, pois tem reposição e velocidade para contra-atacar. O palmeiras vai vir desesperado pra cima.

      Sobre Mguilherme :
      Compraria, já que deu conjunto e hoje temos um modelo de jogo onde ele é parte indispensável. Vai entrar dinheiro 💵 de vendas
      R. Caio
      Cueva
      David neres
      *Militao
      Nossa direita pode ficar fraca perdendo de cara dois jogadores entrosados

  3. Os resultados estão vindo, o elenco está unido, as peças estão funcionando, estamos na ponta de cima da tabela e a confiança está em alta.

    Por que então perder uma peça que é utilizada com frequência (Marcos Guilherme)?!?!?!? Aí, traz outro, o cara não funciona ou não está nem aí (só quer receber o dinheiro), o time cai de rendimento e culpam isso ou aquilo.

    O melhor agora é manter o que vem dando mais ou menos certo e vender o que não dá certo: Rodrigo Caio, Cueva, Bruno, por exemplo.

    • Acho que deveria ser investido na compra de um meia (função do nenê)
      Valdivia e morato irao voltar a jogar com frequência, tem os garotos TB pra repor (Toro, boia e até Brenner)
      Agora pra funcao do nenê não tem nem reserva … Hernanes seria a reposição perfeita pra saída do mg, sendo de posições diferentes

  4. Eu penso o seguinte sobre o MG, daqui a 4 rodadas teremos a parada da copa do mundo (1 mês), tempo suficiente para realizarmos testes com os garotos que estão se destacando na base que são Toró e Helinho. Fora os que já estão lá na barra funda, que é o Caique e Boia e além disso tem Valdívia e Morato (que acredito que possa suprir a saída do MG). Se for para gastar 3 milhões de euros no Marcos, é melhor acrescentar um pouco mais e contratar um zagueiro e lateral direito.

    • Sim Paulo.
      Mas pelo o que eu ouço falar, Dias era gênio, mas Jurandir, era comum, muito bom, mas comum.
      Oscar e Dario eram 2 gênios.

  5. Eu não sei pq, mas tem alguma coisa me dizendo que o substituto do MG já está no SP e se chama Morato. Acho que esse vai dar a volta por cima e ser mto importante fazendo pela direita algo parecido ao que o Éverton faz na esquerda.

  6. Foi exatamente quando me tornei São Paulino, filho de pai santista e padrasto palmeirense, esse time era dos sonhos pra mim, até hj tem saudades rsrs

Deixe uma resposta