Vamos de 3-5-2?

Amigos tricolores

O São Paulo, sem dúvida, é o time que melhor se adaptou ao esquema 3-5-2 no futebol brasileiro. Muricy Ramalho, nos deu um tri-campeonato brasileiro nesse esquema e Paulo Autuori um mundial. Claro que na época a qualidade dos zagueiros era melhor, tínhamos (de 2005 a 2008) Miranda, Lugano, André Dias, Rodrigo e Fabão. Até o limitado Edcarlos não fez feio em Toquio, por exemplo. As duplas Mineiro e Josué e depois Richarlysson e Hernanes, davam uma proteção a defesa que ajudava demais.

Porque imitar os Europeus?

Renato Gaúcho, pode ter diversos defeitos, mas ele não foge a perguntas e está sempre pronto para expor a sua opinião e uma delas é real: Se o Brasil é o país que mais tem títulos mundiais e revela os principais jogadores, porque o futebol Europeu tem que ser o modelo? O campeonato Brasileiro é o mais difícil do mundo, é o único que tem 12 times potenciais campeões logo de inicio, coisa que na Espanha tem 45% de chance do Barcelona e 45% de chance do Real Madrid ganharem o campeonato. O resto é dividido em outros times. O Brasil imita a Europa, mas qual o motivo?

Números que confundem

É um tal de 4-3-3. 4-4-2. 4-1-4-1.4-5-1.3-5-2.3-4-3. E por ai vai. Muricy Ramalho, brinca, que isso não é tática e sim linhas de ônibus! E ele tem razão. Cada dia, a imprensa inventa uma sigla para ficar bonito. Teve até o “1” do Zagalo que jogava no 4-3-1-2 na sua seleção de 1998, se não me engano. E tudo isso para que? Sócrates, com quem tive a hora de almoçar por quase 2 anos seguidos, pelo menos 2 vezes por semana, me dizia que craque joga em todas as posições, para ele, era mais fácil colocar o goleiro e mais 10 e falar para os caras “joguem bola”.

 

Telê Santana, no seu 4-4-2, sem centroavante, ou na seleção sem os pontas que a imprensa inteira pedia, ganhou quase tudo e foi eleito, por muitos, o maior técnico de todos os tempos. Precisamos mesmo de tantos esquemas, siglas e copiar a Europa?

Por que mudar o que está indo bem?

Coincidência ou não, o São Paulo começou a regredir quando, em 2009, após ser eliminado pela 3a vez seguida na Libertadores, Muricy Ramalho saiu do São Paulo para a chegada do Ricardo Gomes. Ele até fez um bom trabalho, o São Paulo não foi tetra campeão seguido, porque naquele ano, ficamos a 2 pontos do campeão Flamengo. Ricardo, quis colocar a sua filosofia de jogo, mudando o São Paulo para o 4-4-2, algo que foi repetido depois, no máximo uma variação para o 4-3-3. Pode ser apenas uma coincidência, como disse no começo, mas é algo a se pensar.

Depois de Gomes, vieram quase 15 técnicos, até mesmo Muricy Ramalho voltou, mas nunca mais jogamos no esquema 3-5-2 e de 2008 até hoje, tirando a Sulamericana de 2012, não disputamos mais nada e podemos até agradecer o vice-campeonato de 2014 com um time, que se mantido e entrosado, em 2015 daria muitas alegrias: Kaká. Pato, Luis Fabiano, Ganso, Rogério Ceni. E Muricy no banco!

Em time que está ganhando, se mexe.

Muitas coisas ocorrem no futebol nacional que precisam fazer com que os técnicos mudem o tempo todo. Renato Gaúcho fala, que na Europa é mais fácil treinar um time, o técnico pede 4 ou 5 caras “fora de série” e os times – que tem grana para trazer e manter – buscam. No Brasil, um jogador começa a se destacar e já é vendido. David Neres que o diga.

Na Europa, o time começa com 11 jogadores e – salvo contusões – acaba com os 11. No Brasil o time do Campeonato Paulista é um, do Brasileiro é outro! Na Europa, o técnico fica anos no time, no Brasil, ficam jogos. Não tem sequencia de trabalho, e por mais que já esteja provado a importância de sequencia, perdeu 2 jogos, está na corda bamba. E isso ocorre em todas as divisões, um amigo, que treinava um time da série C, foi demitido com 2 derrotas em 2 jogos. Inicio de campeonato. Vai entender…

Torcedor-técnico

O que o Brasil mais tem são torcedores-técnicos. Aqui nesse blog eu me divirto vendo algumas brigas nos comentários dos posts de diversos leitores elegendo o melhor time do São Paulo. E está certo, o Brasil é o país, que tem 200 milhões de técnicos, que em época de Copa do Mundo, isso fica ainda pior, por isso, não posso perder a oportunidade de escolher, dentro do elenco de hoje, qual seria o meu time ideal para esse esquema de 3-5-2

Sidão

Arboleda, Rodrigo Caio e Bruno Alves

Régis, Jucilei, Reinado, Valdivia (Cueva), Nenê

Everton e Diego Souza (Brenner)

Forma de atuar

Sidão: Para mim, ele não é o goleiro ideal, mas ele não tem tanta culpa assim dos gols sofridos pelo São Paulo. Ele tem culpa em alguns, mas não em todos. O São Paulo perde e a culpa é sempre dele!

Rodrigo Caio: Muito criticado pela torcida, mas não vejo, também, ele o grande culpado de tudo. Está em uma fase ruim, mas acredito que seu estilo de jogo ele seria um bom líbero, pois tem uma boa saída de jogo e toque de bola.

Jucilei: Seria o “cão de guarda” da defesa, deixando Valdivia/Cueva e Nenê mais a frente, chegando mais perto dos atacantes

Valdivia, Diego Souza ou Cueva: Diego não é 9, mas quer jogar assim, pelo menos enquanto houver esperanças dele ir para a Copa do Mundo. Depois, ele pode cair na real e ver que seu papel é como meia, podendo, ao lado de Nenê exercer essa função mais pela direita. Por hora, o coloco onde ele quer jogar. Validiva e Cueva, no momento eu colocaria o Valdivia, Pokolindo, muito mais pela sua vontade frente a não vontade de Cueva, que sem dúvida, tem mais talento.

Enfim, eu acredito que o São Paulo possa voltar ao 3-5-2, que Aguirre tem até apostado, mas melhor do que jogar no 3-5-2, 4-3-3 ou 4-1-4-1 é voltar a termos títulos!

*Felipe Morais. Publicitário, apaixonado pelo São Paulo Futebol Clube. Sócio da FM Planejamento, Palestrante sobre marketing digital, comportamento de consumo e inovação. Coordenador do MBA de Marketing Digital e do MBA de Gestão Estratégica de E-commerce da Faculdade Impacta de Tecnologia. Autor dos livros Planejamento Estratégico Digital (Ed. Saraiva) e Ao Mestre com carinho, o São Paulo FC da era Telê (Ed Inova) – www.livrotele.com.br – facebook.com/plannerfelipe e @plannerfelipe

 

23 comentários

  1. É muito fácil implantar o mesmo estilo de jogo que os melhores da Europa jogam. A unica coisa que muita gente que pede “modernidade” se esquece é que lá a maioria dos times que “inovam” podem ter os melhores dos melhores em cada posição e aí fica muito fácil jogar em qualquer esquema pq os jogadores tem qualidade pra isso, entendem e respeitam (ou aprendem rápido) esquema tático.

    O que treinador brasileiro tem que aprender é montar esquemas de acordo com o que tem em mãos e inovar baseado nisso, senão acontece o que nos aconteceu em um passado recente com treinador querendo jogar igual europeu só que sem peça pra isso.

  2. Bom dia 😁

    O 352 pode acontecer, porém não com Cueva. Ele não contribui com o time e vive de lampejos. Deixa buracos no meio de campo. Valdivia parece bom jogador, falta é físico ( mas como meia centralizado pode dar velocidade ao time). Nesse 352 que encaixaria como uma luva seria o Wilhian ( ex lateral do Inter), pois é ótimo ofensivamente; neste esquema se tornaria uma hábil atacante.

  3. Para mim não passa de um sopa de números.
    Eu acho que tem coisas muito mais importantes do que essa confusão de números, e aos poucos parece que estamos resgatando isso. Nosso elenco possibilita várias formações.
    Isso tudo soa mais como ferramenta para comentarista e treinador destilar “conhecimento” tático.
    Na hora o que vale é enxergar o jogo o time se encaixar.

  4. Não! Vamos de 4-2-3-1!

    Um goleiro, dois laterais, dois zagueiros, dois volantes, um meia de armação, dois atacantes abertos de velocidade e um centroavante. Simples!

  5. Parei de ler quando li que fomos vice brasileiro em 2015 kkkkkkkkk 2015 pegamos uma pré libertadores. fomos vice em 2014, ano da volta do kaká. E no texto o cara se diz apaixonado hahahahahaha

    • Escrevi um livro do SPFC
      Vou a jogos
      Acompanho o SPFC desde 1987 fielmente
      Compro só produtos oficiais
      Batizei minha filha e 2 primos no SPFC
      Contribui com o Sócio Torcedor por 3 anos, mas com a crise, tive que cortar
      Fui um dos primeiros a ter a Placa do Torcedor
      Tenho uma placa no camarote dos sócios

      E desculpe o erro, me confundi com as datas

      E você?
      Critica artigo de blog…

  6. Independente do esquema tático, os times hoje em dia, tem transições ofensivas e defensivas rápidas, os jogos são muito disputados em faixas curtas de campo, e o que determina as vitórias são o poder de finalização das equipes. Acho que não temos um time com finalizações cirúrgicas, nem tão pouco grandes definidores de oportunidades no elenco, treinos específicos poderiam minimizar essas deficiências.

  7. Sistemas de jogo , todos sao bons, desde que o elenco permita isso, em 2005 tinhamos dois dinamos no meio de campo, alem disso o entrosamento dos dois volantes era uma coisa fora de serie,, eram volantes que atacavam os jogadores adversarios que conduziam a bola, Mineiro era um fenomeno de resistencia fisica, lembro de um lance em que ele foi ate a area adversaria e perdeu a bola,, o time adversario armou um contra ataque perigosissimo, e quando o cara entrou na nossa area pra finalizar, foi desarmado pelo Mineiro,, o cara levou ate um susto.
    O aguirre esta fazendo no são paulo um trabalho consistente, por que ele esta usando o material disponivel pra montar a equipe,, nao esta impondo um sistema goela abaixo do time, e tentando fazer com que os jogadores se adaptem a ele. Nos esquecemos que ele nao tem nem 20 partidas no comando,, ainda esta fazendo alguns testes, pra entender a real capacidade de alguns jogadores do elenco. E um trabalho meticuloso, nao e so jogar 11 camisas pro alto e falar, vao la e joguem bola, como esta escrito na coluna, se fosse assim tao facil, qualquer um poderia ser treinador . alias, os entendidos de futebol, façam uma experiencia simples,, vao ate um campo de varzea e se oferecam pra serem treinadores do time de varzea do seu bairro,, facam isso e vejam como e na pratica , O ignorante e sempre cheio de certezas,,, o sabio nunca sabe tudo de nada

  8. Desculpe me pela critica, mas esse blog só esta repostando matérias, esta fazendo falta as reportagens feitas pelo Blog e ate mesmo colunas.

  9. O sistema 3 5 2, no Brasil, vira 5 3 2, assim fica refém do adversário, pois ele adianta todos os jogadores e vc não sai, não consegue sair do seu campo.
    Este sistema funciona, conforme o Tostão, quando vc tem dois alas muito bons e um zagueiro, o líbero, que joga na sobra, e quando recupera a bola, sai para o ataque, puxando contra ataque, tabelando e até pro gol ou tabelando, entrando na área e fazendo gol.
    A mais um detalhe que ele escreveu, para não ficar refém, 5 3 2, a marcação tem que ser alta!!!
    Fora disso…???

Deixe uma resposta