Vencer fora de casa vira meta do São Paulo para consolidar evolução com Aguirre

Diego Aguirre tem 14 jogos como técnico do São Paulo. Nesse período, a equipe teve cinco vitórias, seis empates e só três derrotas.

Se por um lado o uruguaio foi o comandante nos únicos clássicos vencidos pelo Tricolor na temporada, contra Corinthians e Santos, com ele o time ainda não venceu como visitante. E o próximo jogo no Brasileiro é domingo, contra o América-MG, às 19h, em Belo Horizonte.

Vencer como visitante é o que falta como meta do time nessa retomada de confiança. Único invicto do Campeonato Brasileiro, com duas vitórias e quatro empates, o São Paulo estabeleceu o objetivo de estar entre os quatro primeiros até a parada para a Copa do Mundo.

E para chegar a isso será necessário vencer como visitante. Até agora, com Diego Aguirre, o time perdeu três e empatou quatro vezes fora de casa. No Brasileirão, por exemplo, o Tricolor deixou escapar a vitória sobre o Fluminense nos acréscimos do segundo tempo.

Na ocasião, os jogadores deixaram o campo com sensação de derrota. Por outro lado, o empate por 2 a 2 com o Bahia, na Fonte Nova, foi conquistado nos acréscimos da etapa final. Dessa vez, o elenco deixou o gramado com sensação de vitória.

Aguirre, no entanto, sabe que a invencibilidade no Brasileirão, recheada de empates, não é a ideal. Tanto que depois da convincente vitória em cima do Santos, ele falou sobre isso.

– É uma vitória (sobre o Santos) que pode ser um ponto de partida. Eu não me sentia bem quando falavam da invencibilidade do São Paulo. Não estava contente, sentia que não era nada. Eu trocaria isso por ter mais pontos – declarou o técnico. (Leia mais da entrevista do uruguaio aqui).

Nos bastidores do clube, a sensação é a mesma. Até mesmo o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, preferiria não estar invicto e trocar dois empates por uma derrota e uma vitória.

A missão de vencer fora de casa terá duros obstáculos até a Copa do Mundo. O América-MG, por exemplo, venceu todos os três jogos que fez no Independência no Brasileirão.

E o Tricolor ainda vai encarar o Palmeiras, na arena do rival, e o Atlético-PR, na Arena da Baixada. O São Paulo jamais venceu nesses dois estádios.

GE

23 comentários

  1. Apesar de não ter tantos pontos, estar invicto é importante, não acreditava no Aguirre, mas seu trabalho merece elogíos, temos um time, equilibrado e com garra, com mais alguns ajustes poderemos brigar pelo título!

  2. Eu tava vendo o jogo do Vaco com a la u e vi aquele Soteldo. O cara é um anão, bicho. muito baixo mesmo. tá louco. e queriam ele aqui? Aff.

  3. O que não pode é perder as três.

    É bom o elenco ir se preparando mentalmente, porque o futuro do nosso campeonato poderá ser determinado por essas 3 partidas.

    A maneira em que entrarmos na pausa da Copa refletirá em toda a intertemporada.

    Temos condições de vencer qualquer um dos três jogos. Vamo, São Paulo!

  4. Com certeza, precisamos vencer mais fora de casa, se temos alguma pretensão neste campeonato, o jogo deste domingo é uma boa oportunidade para isso!!!

  5. O detalhe maior que vejo nestas ultimas rodadas é que nosso Tricolor está jogando praticamente uma vez por semana mas, mesmo assim, com este estilo de marcação alta, estamos chegando em determinada parte do segundo tempo já meio que sem folego. Me preocupa para semanas com dois jogos. Além de que quando isso acontece, recuamos e tomamos gol como em determinados jogos.

  6. Esses dias alguém fez um post bem interessante com a pontuação do BR2017 rodada a rodada e um dos pontos mais preocupantes foi uma sequencia de derrotas e empates que tivemos a partir dessa rodada. Essa é a única coisa que nao pode acontecer agora, ainda mais pra um time que está construindo sua personalidade e fixando um estilo de jogo, então se vencer todas no morumbi e empatar fora estará longe de ser um mal resultado pro momento.

  7. Achei os comentários sobre o recuo do time nesse último jogo mto superficiais. Antes o São Paulo fazia gol e simplesmente recuava, e muito. Nesse último jogo o time não jogou recuado o tempo todo após o gol. Sempre q havia “perna” para os jogadores de frente, principalmente após a entrada do louco Trellez, o time continuou impressionantemente pressionando a saída de bola do Santos e até criou boas chances de contra-ataque. Liziero também trouxe mais inteligência à posse de bola. A perda de posse de bola no segundo tempo foi devida à queda do rendimento físico e ao natural avanço do Santos em busca do empate, tendo na esquerda sua grande válvula de escape com os rápidos Rodrygo e Dodô. Não podemos esquecer da ótima partida tática do Gabriel, que jogou recuado, quase armando o time.

  8. Sidão, Militão, Arboleda, Bruno Alves, Reinaldo, Jucilei, Lizieiro, Nenê, Marcos Guilherme, Diego Souza e Everton, é esse time para jogar em Minas.

  9. Por isso que tem que encarar o jogo em minas contra o atlético como decisão

    Por mais que o adversário seja um dos melhores mandantes do campeonato ( é dificil acreditar mas é isso mesmo 100 % de aproveitamento no horto) dá pra ganhar lá, facil não é, ninguem ganhou lá até agora. Mas é mais provavel vencer fora o América Mineiro do que a Crefisa ou os Atléticos em seus estados.

    Infelizmente, tenho minhas duvidas se a equipe vai encarar a partida como ela merece mas que deveria , deveria depois não vem reclamar de sequencia ruim de resultados quando chegar na barra funda ou na arena da baixada com necessidade de vitória pra espantar crise.

Deixe uma resposta