Shaylon entrou em campo aos 34 minutos do segundo tempo do empate por 2 a 2 entre Bahia e São Paulo, no domingo, na Fonte Nova.

O fato por si só já seria revelante para Shaylon, que até então não tinha sido usado pelo técnico Diego Aguirre. O meia decidiu o resultado ao fazer o segundo gol tricolor aos 47 minutos da etapa final em um chutaço de fora da área.

Em entrevista exclusiva, Shaylon explicou como foi o período sem atuar e revelou uma conversa com o comandante uruguaio.

– Ele já tinha conversado comigo que queria me aproveitar, que ele estava se sentindo mal por não conseguir me dar uma chance. E foi aí que as palavras dele me deram mais força. Sabia que ia chegar a minha hora – disse Shaylon.

Nos 12 jogos anteriores, Aguirre levou Shaylon para o banco oito vezes. Nas outras quatro oportunidades, o meia foi cortado da lista de relacionados – veja:

Não relacionado: Rosario Central (Sul-Americana), Fluminense, Atlético-MG e Rosario Central (Sul-Americana).

Reserva e não utilizado: São Caetano (duas vezes, Paulistão), Corinthians (duas vezes, Paulistão), Atlético-PR (duas vezes, pela Copa do Brasil), Paraná e Ceará.

– Sempre acreditei. Foi um período difícil, não nego. Ficar treinando aqui (no CT da Barra Funda) sem ir para o jogo. Nunca deixei de acreditar e acho que fui recompensado por isso – afirmou Shaylon.

No domingo, Aguirre revelou ter vetado a saída de Shaylon do São Paulo. O meia disse ter tido conhecimento de especulações, mas não recebeu contatos.

– Fico feliz de ter a confiança do Aguirre. Ter entrado no primeiro jogo com ele e feito gol. Agora é manter a mesma pegada para, quem sabe, ter uma sequência.

A sequência citada por Shaylon pode ser facilitada pela ausência de Cueva, embora ele não seja titular. O meia está fora do São Paulo para acompanhar o nascimento do filho no Peru e posteriormente para defender a seleção peruana na Copa do Mundo. Nenê tem atuado nesta posição.

– É um a menos, mas têm grandes jogadores aqui. É continuar trabalhando. Só assim vem a oportunidade. Venho trabalhando nos treinos a cada dia. Estou batalhando para ter uma sequência, virar titular, quem sabe no São Paulo, e ter um futuro aqui no clube – finalizou.

Shaylon tem 21 anos e, no fim de fevereiro, renovou contrato com o Tricolor até janeiro de 2022.

GE