Lugano estreia em reunião do conselho do São Paulo e acalma ‘cornetas’

Superintendente de relações institucionais do São Paulo, Diego Lugano foi convidado para participar da reunião do conselho deliberativo do clube tricolor, no Morumbi, na noite da última quinta-feira, e compareceu.

Foi a primeira vez que o uruguaio esteve presente, estreando na reunião entre os conselheiros. Durante sua participação, ele apresentou o trabalho que o departamento de futebol vem fazendo em 2018, acalmando algumas vozes críticas, as chamadas “cornetas”.

Lugano abriu a sessão e discursou por cerca de 40 minutos. Destacou a filosofia de trabalho que ele, Raí (diretor de futebol) e Ricardo Rocha (coordenador de futebol) adotaram, que tem como base a busca para resgatar e dar novamente uma identidade ao São Paulo, que recoloque o clube no caminho dos títulos, e especialmente a necessidade de ter paciência.

Segundo alguns dos presentes, o uruguaio não chegou a falar sobre o investimento feito pelo futebol –superior a R$ 50 milhões, o mais alto no Brasil–, se haverá novas contratações ou até mesmo do caso Brenner.

O propósito da ida dele era falar sobre os aspectos relacionados ao trabalho que vem sendo feito. Após a apresentação, Lugano se despediu e deixou o salão nobre do Morumbi aplaudido.

Na avaliação de muitos, o objetivo foi cumprido. Como o São Paulo não ganha um título desde a Copa Sul-Americana de 2012 e vem de fracassos recentes no Campeonato Paulista (eliminado na semifinal) e na Copa do Brasil (caiu na quarta fase), o discurso de Lugano acalmou muitos críticos, especialmente porque ele mencionou que é um início de trabalho e é preciso paciência.

Tem sido comum a presidência do conselho deliberativo convidar um dos executivos do futebol para falar com os conselheiros. Raí já havia participado de alguns encontros e, inclusive, chegou a defender Dorival Júnior (antecessor de Diego Aguirre) das críticas.

ESPN

7 comentários

  1. Para alguns, o trabalho dos 3, Rai, Ricardo Rocha e Lugano é ridículo e até mereciam ser demitidos. Bom mesmo são os dirigentes que nos colocaram nessa situação ou gente que nem o Adalberto Batista ou Pinotti que caíram de paraquedas no clube.

    Salvem o Tricolor Paulista…

  2. O bom velho “corneta” rs…

    Muitos nem sabem, mas a expressão “Corneta” tem uma longa história e isso começou no outro lado do muro da Barra Funda.

    Na era da velha academia do Palmeiras segundo amigos palestrinos havia uma fábrica na rua Turiassu a qual funcionários dela em hora e momentos de folga iam até os treinos do Palmeiras e lá os funcionários chegavam e começavam a criticar e opnar sobre os jogadores, treinadores, dirigentes, etc…

    Como essa fábrica fabricava cornetas, esses que criticavam o time foram conhecidos pela torcida e pelas pessoas da época como Corneteiros expressão hj aplicados não somente de forma exclusiva pelos lados do Turiassu mas também na torcida nas alamedas do Morumbi.

    Futebol e uma longa história que envolve a cultura de gerações da paixão futebolistica.

    Há outras expressões, mas vamos falar disso em outros episódios da série “Curiosidades do Futebol Folclore”.

Deixe uma resposta