São Paulo recusou proposta por Jr Tavares antes de liberar para o Rennes

A decisão do São Paulo de liberar Júnior Tavares para um período de testes no Rennes, da França, gerou contestação dentro do Morumbi. A crítica, de alguns diretores e conselheiros, se deu pelo fato de o Tricolor ter cedido de graça um jogador com 50 partidas oficiais pelo clube para uma espécie de peneira no exterior. Com um detalhe importante: o presidente Leco recusou dias antes uma oferta oficial do Braga, de Portugal.

Quarto colocado no Campeonato Português, o Braga estava disposto a pagar € 800 mil (R$ 3,4 milhões) pelo empréstimo do lateral-esquerdo por duas temporadas. Caso agradasse, Júnior Tavares seria comprado por mais € 1,3 milhão (R$ 5,5 milhões) – tal valor garantiria ao Braga 80% dos direitos econômicos.

Já a transferência do garoto de 20 anos ao Rennes tem os seguintes moldes: Tavares viajará nos próximos dias para a França, para participar de treinos e amistosos com o elenco principal do Rennes – ele não poderá disputar partidas oficiais porque as janelas de transferência no Brasil e na França estão fechadas.

O São Paulo continuará pagando os salários do lateral durante o período de testes. Se o Rennes quiser ficar com Tavares em definitivo, terá de pagar € 2,4 milhões (R$ 10,1 milhões) por 100% dos direitos econômicos – o São Paulo ficaria com metade do valor, já que detém apenas 50% do valor de uma futura venda, assim como o Grêmio.

“Mas e se o Júnior Tavares for reprovado nessa peneira? Ele vai voltar ao São Paulo com qual moral?”, questiona Denis Ormrod, conselheiro de oposição do Tricolor. “O São Paulo preferiu mandar o jogador para testes em vez de ficar com R$ 3,4 milhões garantidos. Sem contar que havia uma chance muito maior de adaptação em Portugal”, acrescenta.

Para Denis, a boa relação de Raí, diretor-executivo de futebol do Tricolor, com um dos dirigentes do Rennes pesou para que a oferta francesa fosse a escolhida. “Infelizmente, o relacionamento pessoal de diretores está sendo privilegiado em detrimento do melhor negócio”, conclui o conselheiro.

Nicola

9 comentários

  1. Esta muito nebulosa essa historia/transferência…………😤😤😤😤

    Salve o tricolor paulistaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

  2. Padrão Raí de transferência a todo vapor.
    O Pinotti era criticado por não ter experiência no futebol.
    O Raí tá demonstrando que experiência no futebol não resolve nada. É uma c*g*d@ atrás da outra.

  3. De fato isso é estranho.
    Aliás, como é estranha a história do Junior.
    Primeiro, o grêmio (que não tem nada de bobo) abriu mão dele quase de graça. Aqui (tal qual lá) começou bem e depois perdeu espaço por questões extra-campo (não venham me falar que foi questão técnica, pois é tecnicamente nosso melhor lateral esquerdo).

    • Alagoano, vc acha que diretoria deveria ir a publico e falar que o Cicinho era alcoolatra?
      Expor publicamente problemas do Pirulito, do Adriano entre outros?

      Saber todos la dentro sabem mas estão poupando.

      JT é diferenciado e não está jogando.
      Militao é mediano e Liziero é diferenciado e estão jogando.
      Diferença está fora de campo e deve ser alfi sério.

  4. Vocês não acham que está na hora da torcida tricolor dar um basta nos desmandos que que vem sofrendo o nosso SPFC, em que pese gastos exorbitantes com compra de jogador, porém nada prospera. E o pior é que essa situação tende a continuar, se não houver uma reviravolta,pois ae depender daqueles que detém o poder de voto no SPFC a situação vai se eternizar.
    Alguém vai dizer que a torcida não pode fazer nada para modificar tal situação. E eu indago cadê o poder de mobilização dos torcedores, mormente nas redes sociais?
    Não se pode olvidar que por meio das redes (parte) derrubaram recentemente uma presidente da república.

    • É só ler com atenção. No segundo caso o SPFC ainda pagará os salários e cederá 100% do passe, no primeiro caso seria 80%.

Deixe uma resposta