Pequenos detalhes burocráticos separaram o São Paulo de anunciar a liberação de Júnior Tavares para o Rennes. Mas não se trata de uma compra ou empréstimo. O lateral-esquerdo ficará na França para um período de testes, sem prazo definido. Durante esse tempo, ele segue como funcionário tricolor, recebendo salários do São Paulo.

Caso seja aprovado, o Rennes poderá comprá-lo por € 2,4 milhões ou R$ 10,1 milhões – com pagamento em duas parcelas, de € 1,2 milhão (R$ 5 milhões). Detalhe importante: além de continuar bancando os salários, o Tricolor não lucra nada pela cessão de Júnior Tavares.

Procurado pelo Blog, o São Paulo alegou que problemas particulares envolvendo o lateral ajudam a explicar a saída temporária. O clube, inclusive, não fala em testes, mas em um período de adaptação. É bem verdade que o Rennes não poderá utilizá-lo no Campeonato Francês, nem em qualquer outra competição oficial.

Isso porque a janela de transferências na França está fechada desde o fim de janeiro. A ideia do Rennes é aproveitá-lo em jogos-treino, a fim de testar se ele pode ser útil.

Nicola

Anúncios