Arboleda traça objetivo em Itaquera: ‘Temos de passar por cima dos caras’

Carrinho desde o primeiro minuto. Essa é a receita que Arboleda passa para os colegas antes de seu jogo mais importante pelo São Paulo. Nesta quarta-feira, às 21h45, o equatoriano jogará pela primeira vez na Arena Corinthians, e avisa que nem o time de Fábio Carille nem a torcida única do adversário no estádio podem diminuir o ímpeto tricolor de chegar à final do Campeonato Paulista.

– O São Paulo precisa começar a ganhar tudo e não deixar que os caras venham passar por cima de nós. É ao contrário: nós temos de passar por cima de todos os caras. Temos de sair forte desde o primeiro minuto. Com um minuto, já pode dar carrinho. Se levar cartão, não tem importância. O importante é que o adversário sinta que o São Paulo quer ganhar e vai com tudo – disse o zagueiro ao LANCE!

Durante toda a conversa com o L!, o jogador de 26 anos ressaltou quanto a atitude que a equipe mostrou na vitória por 1 a 0, no domingo, servirá de modelo para o resto da temporada. E Arboleda ainda falou do peso de usar a camisa 5 que era de Lugano até 2017 e das brincadeiras dos torcedores a respeito da arbitragem em Itaquera, destacando, porém, que o foco é sair do estádio classifico – basta um empate para o Tricolor avançar.

Confira a íntegra da entrevista com Arboleda:

Ganhar um clássico, enfim, no ano tirou um peso muito grande?
Não dá para tirar peso. Todo jogo é importante, seja clássico ou jogo contra outro time, seja pequeno ou grande. Todos são iguais porque o São Paulo precisa começar a ganhar tudo e não deixar que os caras venham passar por cima de nós. É ao contrário: nós temos de passar por cima de todos os caras. O São Paulo vai por um caminho bom, está ganhando jogos, ganhamos agora um clássico de muita importância. O São Paulo tem muito a melhorar e vai conseguir grandes títulos.

Há frequentes brincadeiras entre os torcedores a respeito da atuação dos árbitros em jogos do Corinthians em Itaquera. Você as conhece?
Sim, conheço (risos). Mas, para a arbitragem, é difícil. É um clássico entre Corinthians e São Paulo, é muito difícil, temos de compreender. Mas o árbitro também precisa entender que não é por isso que pode marcar qualquer coisa. Quando precisar apitar, que apite. Mais nada.

Você nunca jogou em Itaquera. O que espera encontrar?
Será um jogo difícil, com pressão da torcida deles. Mas é jogo difícil para os dois times, porque eles também querem ganhar, como nós, com pressão igual.

Em campo, jogando com estádio tendo só a torcida adversária, como o São Paulo pode marcar presença?
Igual fizemos no Morumbi. O São Paulo tem de sair forte desde o primeiro minuto de jogo, como foi no domingo e contra o São Caetano. É da mesma maneira, com o mesmo ritmo. Com um minuto, já pode dar carrinho. Se levar cartão, não tem importância. O importante é que o adversário sinta que o São Paulo quer ganhar e vai com tudo para buscar a classificação para a final.

É um recado também para a torcida corintiana que estiver no estádio?
Sim. A torcida vai estar xingando todos nós, eles são os donos da casa. Mas estaremos focados e concentrados só no jogo. Deixa que a torcida fale o que quiser. Nós, jogadores, só estaremos focados no jogo.

O que aconteceu para o São Paulo entrar no domingo com uma intensidade que não tinha jogado antes?
No São Paulo, estão mudando muitas coisas. É claro que sempre queremos ganhar tudo, mas, agora, mudou a entrega. Estamos focados no que queremos, com muita concentração, que é importante, e raça. O treinador quer isso, nos motiva. Ele quer que a gente brigue pela bola, vá forte em todas. Queremos chegar a uma final, ganhar essa final e dar um título para o São Paulo. Para isso, precisamos fazer o que estamos fazendo agora. Que o São Paulo tenha essa vontade e essa intensidade.

Mas a preleção foi diferente?
Não, foi a mesma de sempre: que a gente, dentro de campo, tem de ser feliz e jogar com seriedade. Isso é importante. Mas, agora, nos vemos diferentes, o time está focado no que quer. Só isso mudou, mais nada. Isso vem de dentro, do coração, é o que queremos. E querer é poder.

Será seu jogo mais importante pelo São Paulo…
Sim. Muito importante. E difícil. O São Paulo precisará ter muita concentração, brigar por todas as bolas, como no primeiro jogo. Isso que vai nos levar à final.

Os torcedores te abordam na rua a respeito desses clássicos contra o Corinthians?
Os torcedores estão por toda parte. Quando você vai jantar, na rua, em todos os lados. Mas sempre trato dar atenção da melhor maneira, sempre com respeito, e eles sempre falam coisas boas. Por isso, me adaptei rápido e estou feliz no São Paulo. Na quarta-feira, vamos dar tudo e, se Deus quiser, passar à final, dando alegria ao torcedor, que sofre tanto quanto nós.

O Raí, diretor executivo de futebol do São Paulo, disse que as reclamações do Carille por não ter sido cumprimentado pelo Aguirre antes do jogo de domingo cria um clima tenso para a partida em Itaquera.
Para os jogadores, não. Isso é bobeira, algo entre eles. Estamos focados e concentrados no que queremos: ganhar o jogo e classificar para a final. O que falam fora de campo fica fora. É concentração aqui, no jogo, e em mais nada.

Você está enfrentando clássicos com estádios cheios de torcida e, na Universidad de Quito, os jogos não tinham muita torcida…
No meu ex-time, não tinha muita torcida mesmo. Mas o São Paulo tem muita. Muita pressão, torcida toda hora apoiando o jogador. Isso é bom para o jogador, motiva a querer ganhar, ir à frente e conseguir um bom resultado.

Contra o São Caetano, você fez uma de suas melhores partidas pelo São Paulo, e também foi bem enfrentando o Corinthians e Emerson Sheik no domingo. Você cresce em decisões?
Gosto de jogos assim. Mas gosto de todos os jogos. Para mim, todo jogo é importante e tenho de estar ligado, concentrado. Há dias ruins e bons para o jogador, mas o jogador sempre trata de dar o melhor dentro de campo.

Você usa a camisa 5, do Lugano, que costumava ir bem em clássicos. Ele fala disso com você?
Não. Mas sei que a camisa do Lugano é muito pesada. Ele se transformou em ídolo aqui e tenho muito respeito por ele e pela camisa. Não é qualquer jogador que usa a camisa 5, precisa ter muita força para utilizar essa camisa, pelo seu peso e pelo que ela representa. Só jogadores bons já utilizaram esse número. Estou feliz pela oportunidade que a diretoria me deu de utilizar essa camisa. Estou contente no São Paulo.

Em clássico, a camisa 5 do São Paulo fica mais pesada?
Não, porque não é o número que faz o jogador, é o jogador que faz o número. Você tem de dar o seu melhor para representar bem o clube.

Qual é a diferença dos clássicos no Equador e no Brasil?
No Equador, só entre os times grandes, como LDU, Barcelona, Emelec e Nacional, tem pressão. Mas, aqui, é muito maior. Time brasileiro tem de ganhar todos os jogos, senão está tudo acabado.

L!

64 comentários

  1. Boa noite

    Gosto do Rodrigo Caio, mas não gostaria de vê-lo começar o jogo amanhã. Achei que Bruno Alves foi bem domingo.

    Pensaria em Lucas Fernandez no lugar do Marcos Guilherme e Diego Souza, nem que seja no segundo tempo

    Será que o Gonzálo Carneiro fechou?

  2. Está correto, o pensamento tem.que ser transformado em realidade, joguem firme, sem arregar, amarelar ou se acovardar.
    Mas tenham inteligência, pois se derem carrinho e capaz do juiz expulsar com 1 minuto de jogo, vocês estarão jogando contra as galinhas, torcida, ARBITRAGEM, Globo e FPF.

  3. Ótimo jogador….Joga com vontade e sem brincadeira, como deve ser zagueiro, se todos os outros estiverem com o espírito dele sairemos classificados com certeza.
    Não podemos entrar na pilha dos carniças, com calma e raça sairemos classificados.
    Eu tenho Fé.
    São Paulo o clube da Fé.

  4. Mostrar novos Tweets
    Sua Timeline da Página Inicial
    SPFC MAIS!
    SPFC MAIS!
    @spfc_mais
    ·
    45 s
    Vou justificar o porque de Bruno Alves ser titular. Das 8 partidas que ele disputou esse ano pelo São Paulo, em 6 o time não sofreu gols. Dissemos desde quando foi contratado; é bom zagueiro, joga simples, não inventa e marca com qualidade. Eu o manteria ao lado de Arboleda.

    • Rodrigo Caio não pode ficar marcado pelas más atuações dos antigos elencos. Se ele tem “a cara da derrota” como disse um colega, não foi por causa de suas atuações individuais, mas pela má gestão que o São Paulo sofreu nos últimos anos. Claro que só histórico não entra em campo também e estou levando em consideração o momento atual do RC que fez uma partidassa no seu último jogo antes de ir para a seleção. Ele é mais jogador que o Bruno Alves e não acho que devemos ficar dependentes de sorte, tabu, etc.

  5. essa noticia de que hernanes vira ao brasil sera que e verdade e que teremos surpresa depois da copa do mundo apesar de ter leco como presidente acredito muito no RAI e Ricardo rocha bora pra cima deles teremos um ano melhor se deus quiser amo muito esse São Paulo e espero que teremos nosso tricolor de volta AMEM….

  6. Boa entrevista, grande jogador…

    Amanhã é o fim do tabu, jogar com inteligência que ganhamos lá. Sem sair muito e se expor, mas não deixando eles criarem nada e com calma a vitória vem…

  7. Agora vi que Rodrigo Caio foi relacionado… pelo amor de Deus, em hipótese alguma pode entrar no time amanhã. Bruno Alves jogou muito bem domingo, não mexa na defesa Aguirre. Precisamos de malandragem, carrinho, sangue escorrendo. Deixa o fair-play pra outra hora…

  8. Corinthians ganha para o jogo Fagner, Balbuena e o Romero…

    Nós o Rodrigo Caio?

    Que catzzo o Cueva não foi relacionado, alguém sabe? Seria bom ter o Cueva…

    • Balbuena parece que não jogará, já o Romero e o Fagner é bem provável.
      Fortalece o lado direito deles, dificultando as ações. O grande problema é que o paraguaio é catimbeiro, ator, faz a arbitragem errar, e o outro é desleal e sempre entra para quebrar.
      Prevejo um jogo extremamente difícil, um empate seria ótimo.

        • Hehehe. Certeza q depois vai comemorar. Indifere comemoração de derrota ou vitoria. Rs

          Seria interessante ele participar do jogo pelas características q tem. Porem, acho q o DS entra amanha, se nao começar como titular, e tera certo destaque. Nem vamos lembrar do Peruano Itaipava.

  9. Mas fiquei feliz pelo Rodrigo Caio pelo menos…

    Ele tem outra qualidade, Bruno e o Arboleda são bons zagueiros mas ainda mais com 3 volantes a saída de bola lá atrás acho importante. Jucilei no primeiro jogo precisou recuar para fazer o que o Rodrigo faz com maestria.

    Com o Rodrigo quando tivermos a bola vejo o Jucilei mais adiantado, não sei. Muito boa notícia.

    A parte ruim que o time delas vai melhorar se jogar esses 3 tb, queria a beijoqueira no jogo, ele não faz mais nada…

    • Cara meio nostálgico, mas por mais que os pontos corridos seja o melhor financeiramente para os times, o mais justo etc nada é igual os pontos corridos.

      Lembro de detalhes de times você campeões como o Santos de 1995 ou a Lusa de 1996…

      Cara era bom d+, a emoção do mata-mata na Copa do Brasil não é igual. Na libertadores até é, mas era bom ter o Brasileiro em mata-mata para a torcida, mas sei que é burrice para os clubes então não vai acontecer.

      O paulista neste mata-mata virou um pouco isso, apesar que sempre gostei do paulistinha, lembro em 1998 de quase chorar no final do jogo, o título de 1992 tb em cima das porcas, foi épico, em cima do Santos em 2000 etc 2005 já não foi igual….

      Vai ser épico ganhar torneios mata-mata brasileiros novamente ainda mais contra as Peppas e gambás, isso não acontece desde 2002 no Paulistão que a mídia tenta nos roubar.

        • Eu concordo massa, seria burrice voltar para todos os times.

          Mas eu lembro de quase todos os matas-matas da década de 90, nesta última década se vc me perguntar quase nenhum torneio vou lembrar em detalhes, so um pouco melhor em 2014….

          Sei lá, não é igual. Não marca….

          Mas sou a favor dos pontos corridos só por motivos racionais.

  10. E o timaço do Palmeiras tendo mta dificuldade pra ganhar do time mediano do Santos. Rsrs
    Mostra que times arrumadinhos podem complicar pros outros sim. E que é hora de lançar a mlkada mesmo!
    E só uma opinião particular, o Sasha, que foi especulado aqui, é bom jogador.

  11. Amanhã o favoritismo é dos caras, não vou me iludir. Vou torcer muito pro SP conseguir segurar, quem sabe até marcar gol, mas não podemos esquecer o que esse time já nos fez passar nos últimos anos.

  12. O SPFC tem condições de no mínimo arrastar o jogo pros pênaltis. Óbvio que tem que entrar pra ganhar, Mas em caso de levar um gol, não pode desesperar. São Bento ganhou de 1×0 lá… Mirassol fez um jogo certinho e perdeu só de 1×0 com um gol no finalzinho… concentração total… esquece torcida adversária e coração na ponta da chuteira.

  13. É primordial e totalmente necessário., total atenção nos 10 primeiros minutos de jogo… O SPFC fora de casa nesses últimos clássicos, quase sempre tomou gol dos rivais até os 10 minutos de jogo…. Ninguém pode entrar desligado… Nem que dêem uma chegada mais forte e levar um cartão no inicio da partida, para marcar território e se impor….Essas derrotas consecutivas em clássicos, quase sempre tomamos gol no inicio da partida… Temos que passar o nervosismo para o lado deles, junto com a pressão da torcida, que ficará impaciente….

Deixe uma resposta