Quando faltar futebol, que seja na raça!

Quando faltar futebol, que seja na raça!

São Paulo joga pro gasto, vence Corinthians e sai na frente nas semifinais do paulistão.

Há quem defenda que o nosso arquirrival é o Palmeiras. Mas, pra mim, esse papel sempre foi ocupado pelo Corinthians. Quando criança, sempre ficava alegre quando via o tricolor amassando os adversários. No entanto, a sensação de ver o São Paulo ganhar o majestoso era única e, até certo ponto, compatível a conquista de um título.

Mas os tempos mudaram e algumas coisas improváveis aconteceram. Os caras conseguiram um estádio, conseguiram um mundial legítimo e o São Paulo, de uma forma inexplicável, desaprendeu a jogar clássicos e se desencontrou do caminho dos títulos.

Em 2018 ainda não tínhamos vencido nenhum clássico. E isso já tinha passado da hora de acontecer. Mas, no caso do majestoso, tinha um agravante, afinal, nossa última vitória contra o time de Itaquera, em mata-mata, tinha sido em 2002. O Corinthians estava entalado, literalmente.

Para a partida, Aguirre tinha vários desfalques importantes, como os zagueiros Rodrigo Caio e Anderson Martins, o volante Hudson e os meias Cueva e Valdívia. Por isso, optou por jogar numa espécie de 4-1-4-1, com um trio de meias formado por Jucilei (centralizado), Liziero (esquerda) e Petros (direita), com Nenê mais a frente e Marcos Guilherme próximo de Trellez.

O jogo, como esperado, começou disputado. O São Paulo, querendo mostrar serviço, adiantou a marcação e logo nos primeiros minutos já mostrou uma postura diferente. A apatia, tão presente nos últimos clássicos, foi deixada no vestiário. A vontade dos jogadores era nítida. Dividiam cada bola e entravam em cada jogada como se fosse uma final de torneio intercontinental, tipo uma tal de Libertadores.

O problema é que sobrava vontade, faltava futebol. Mesmo com os retranqueiros de Itaquera mais desmontados que carro roubado, o São Paulo não conseguia criar chances claras. O time não conseguia penetrar na defesa dos visitantes e abusava de passes horizontais. Nenê não conseguia criar, Trellez estava isolado e os laterais, por mais que subissem ao ataque, não conseguiam nada produtivo.

A partida ficou muito disputada no meio. As faltas, entradas ríspidas e troca de elogios começaram a aparecer com frequência. O tricolor até criava algumas chances, mas nada claro, que pudesse de fato tirar o incômodo empate do placar. Até que no último lance da primeira etapa, Trellez roubou a bola (de novo ele) no campo de ataque e finalizou, Cássio espalmou e, no rebote, Nenê empurrou para o fundo das redes, levando os pouco mais de 42 mil espectadores ao delírio.

Com a vantagem, Aguirre recuou o time na segunda etapa e passou a apostar nos contra-ataques. O problema é que os visitantes não atacaram e a partida ficou monótona. Os times começaram a abusar de passes errados e dos chutões e o embate esfriou. Aguirre até tentou mudar o panorama com a entrada de Lucas Fernandes mas, como dizem, um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Chances surgiram para os dois lados, mas nada suficiente pra evitar a quebra do tabu que já durava 16 anos.

A vantagem está longe de ser ideal pra decidir a vaga na decisão como visitante. Mas a primeira vitória em clássicos no ano, dá moral aos jogadores e deixa o clima mais leve para o confronto de quarta-feira.

Se faltar futebol, que seja na raça! Isso é, e sempre foi, São Paulo.

Por: Matheus Dantas

 

32 comentários

  1. Raça é bom??? oooo se é. Mas, futebol bem jogado é muito melhor.
    Com ou seu futebol, quero de novo a raça…quero ver meu SPFC na final…quero ver gols, quero ganhar nem que seja nos pênaltis.

  2. Nenhum time do Brasil está jogando bonito, nem mesmo o Palmeiras com o melhor elenco do país. O que vale hoje aqui é raça e um esquema tático descente. Como jogar bonito com o elenco que temos?

  3. É hora de inteligência: nada de colocar o Rodrigo Caio como titular, foi só ele ficar fora dos últimos 2 jogos e o SPFC voltou a ganhar sem sofrer gols.

  4. Eu acho que foi uma bom jogo do são paulo. O placar só não foi maior por que faltou a chegada de jogadores pra concluir . a bola rondou a área do coríntia o primeiro tempo . um jogo clássico normal bem disputado . dificilmente um time vai ter um grande volume em cima do advadversário .no meio de campo e defesa fomos bem . Só faltou mais presença de área pra concluir . isso no primeiro tempo . Já no segundo tempo faltou alguem acompanhar a jogada . porque parece que a gente descia pro contra ataque só pra segurar a bola . Faltou alguém acompanhar pra dar opção e concluir . e nesses tipo de jogo o jogador tem que estar 100 % . e se dedicar ao máximo . o jogo estava controlado . e a entrada do Morato foi importante pro jogador . mais para o time deu uma quebrada no ritmo. Ele esta sem ritmo de jogo . o lateral esquerdo deles fez uma jogada porque abriu espaço porque o Morato deixou ser levado pela falta de ritmo. o lateral veio por dentro e abril espasso e tabelo. E oque eu falo . Não da combate la na frente estoura na defesa . depois disso o aguirre inverteu o morata pra esquerda e trouxe o Lucas pra marcar o lateral esquerdo deles . era a única saída de bola deles . em duas semanas o time melhorou muito . no próximo jogo se a pegada na marcação continuar e a gente for mais efetivo no ataque e possível uma vitória la .

  5. Eles estão com medo!

    Querendo tirar o foco do nosso time criando polêmica que nem deveria existir, Carille foi vaidoso e infantil.

    A vaga será nossa!

  6. Arbolenda Jogando muito como no ano passado. Fala pouco e joga muito o equatoriano. Belo achado
    Bruno Alves vem jogando direitinho.
    Kingnaldo tá sofrendo com dribladores, precisa da ajuda do Liziero pra dar uma cobertura
    Liziero é como eu disse antes do jogo contra o Sanca não dá pra ficar no banco, erra passe pq é vertical, pq tenta quebrar linha adversária. Não tem como deixar no banco. Vai oscilar em algum momento pq é garoto, normal da idade.
    Nenê vem surpreendendo pelo profissionalismo, na época da contratação vi no instagram dele varios vascainos agradecendo pelo profissionalismo e isso é muito bom quando o cara sai pela porta da frente do antigo clube.
    Trellez, o injustiçado, falavam que era o Kieza o Retorno kkkk infelizmente não é goleador mas para o futebol atual é acima da média pra posição no Brasil que é deprimente, poucos goleadores além dos idosos Fred e RO.

  7. Eu concordo que dava pra tentar um segundo gol. 2×0 daria muito mais segurança.
    Mas não dá pra condenar o segundo tempo do time, resguardando-se e segurando a vitória magra.
    É nessa hora que pesa o recente histórico do SP em clássicos e mata-matas domésticos. Precisávamos ganhar. Conseguimos. Ponto.
    Não dá pra criticar.

  8. Parabéns Aguirre e jogadores por ter dado sangue pelo tricolor, com o chororo do adversário melhor ainda, que quarta-feira entrem em campo com a faca nos dentes e consigam classificar para a final, se vier uma vitória quebrando outro tabu, melhor ainda… Jogar bonito no momento é um luxo que não temos como cobrar, no Brasileirão quem sabe?

  9. Se passar pelas Gaivotas o SP será o campeão! Não tenho dúvidas! A moral ficará lá em cima! O Palmeiras não é tudo isso não. O Santos com um time mequetrefe só não ganhou no sábado por uns 2 gols de diferença por causa do goleiro.

  10. Temos que ficar espertos com as chuteiras…
    As galinhas molham o campo pro jogo correr mais rápido… Se entra desprevenido, cai toda hora e não acompanha o ritmo do jogo…

  11. Só de não ver aquele esquema do Dorival, time sem saber o que fazer com a bola, passes de lado etc,já fico mais tranquilo. Todo mundo jogava assim contra nós, e os times que ganharam das Travecas no galinheiro jogaram assim tbm. Que quarta seja Isso, 30% de posse , mas sendo efetivo nos contra ataques. Temos que ser perfeitos na defesa.

  12. Bela análise, parabéns Matheus! Mesmo com o chorille tentando criar caso pro jogo de volta eu acredito na vaga na final.É a nossa hora, vamos criar uma corrente de otimismo e pensamento positivo!

  13. Que bom ver uma vitória do São Paulo em um clássico.

    Que bom ver o time ter formas diferentes de jogar. Não há nenhum mal em se defender e jogar em contra-ataques. Isso mostra que o time está evoluindo e principalmente que os jogadores estão se aplicando.

    Aguirre está mostrando que monta sua equipe observando o time adversário e usando o elenco para montar uma estratégia para o jogo.

    E, que bom ver os jogadores da base sendo importantes para construir solidez ao esquema tático.

    Liziero é a prova que a base pode ser utilizada desde que se respeitem as características do jogador. E principalmente perceber que o jogador da base não precisa ser visto como craque, mas que com seu talento possa azeitar coletivamente uma equipe.

    Há mais jogadores que ao subirem vão encaixar nesta equipe. LE Weverson do sub-17, Wallace Zag, Cassio Vol, Luan Vol, Igor Gomes Meia, Rodrigo Nestor Meia Anthony Ata, Helinho Ata

  14. Se olharmos a qualidade do jogo em si, não foi uma grande partida. Nem do Tricolor, nem dos seus rivais.

    Mas quando a gente coloca sob perspectiva de que foi apenas o 3º jogo do Aguirre no comando do time, num trabalho que não tem nem 15 dias de duração, é possível dizer que foi um jogo muito bom do SP.

    Venceu um clássico, impondo o jogo e com domínio territorial (enquanto teve pernas) e dando poucas chances ao adversário.

    Junte a isso o fato de ser um elenco totalmente desacreditado, mal fisicamente e contra o atual campeão do torneio.

    De sábado retrasado (estreia do Aguirre) para terça passada (classificação) foi possível ver a diferença do time (principalmente atitude) contra o São Caetano. Mais diferença ainda de terça para ontem.

    Isso sim é evolução, não um discurso vazio repetido à exaustão enquanto os resultados e o futebol em campo desmentem as palavras.

    • Tava pensando nisso… Enquanto a mídia fala do Corinthians ter desfalques, pouco se fala em um São Paulo que trocou de técnico, que o time está formação, tem desfalques e pouco tempo de treinamento.

      Pra mim as equipes estão em igualdade e a decisão em aberto.

  15. Eu já sabia! Podia ter sido mais, mas entendo a postura conservadora pra garantir o resultado e principalmente a confiança para o próximo jogo.

    Aguirre sabe o que faz. É um cara que venho defendendo desde o início pq entendo que tem o que o São Paulo precisa. É capaz de deslanchar na carreira agora que veio para o time certo. Raça uruguaia na veia e vamos evoluindo como time também.

    Deixa a gambazada chorar. Temos que nos superar e jogar contra 14, 11 + arbitragem, torcida e imprensa mas os caras sentiram o golpe. Acreditam que vão reverter mas vão quebrar a cara.

  16. O mais importante foi o resultado e a forma como o time atuou, aproveitando o fator caseiro e o apoio da torcida para conseguir a vantagem…
    Conseguimos equilibrar uma semifinal que tinha o favoritismo das travecas, mas agora é continuar com esse espírito para segurarmos a vantagem lá na Arena 9 Dedos, pois elas virão com tudo contra nós!!!!
    O Valdívia não jogará, seria fundamental que o Liziero esteja pronto para o jogo e dependendo de como estiver o jogo, não abriria mão do Diego Souza….

  17. Tem muita variável pra se considerar quando alguém, como eu, pedia maior agressividade no segundo tempo pra aumentar o placar. O Aguirre poderia ter começado o segundo tempo com um time mais leve e rápido, o Corinthians poderia ter empatado ou virado o jogo e hoje eu estaria aqui quietinho e o Aguirre estaria sendo metralhado.

    Pra segunda partida são tantas variáveis que fica até dificil imaginar como será o jogo. Lá sempre tem uma expulsão injusta, um penalti sem vergonha contra. Mas creio que o time será o mesmo, com uma ou outra mudança.

  18. Para quarta acho que seria melhor tirar o M. Guilherme e testar o Morato, Lucas Fernandes ou Caíque no lugar… De resto podemos manter essa mesma equipe.

  19. Acho que o SPFC sofre mais com a ausencia de jogadores que o outro time porque ainda está em formação e depende mais da individualidade. O time deles tem o melhor técnico do Brasil, um esquema tático perfeito executado há anos. Todos os jogadores sabem de memória o que tem que fazer e quando sai um jogador já tem outro preparado para ocupar a vaga. Então, por quê o chrororô?

  20. E o Nene, hein.. 36 anos nas costas e correndo igual a um menino.
    Cueva já era, não tem mais condições de ser titular desse time, já tá pensando na Copa..

Deixe uma resposta