Vice do São Paulo articula reunião extraordinária na véspera do Majestoso e agita bastidores

O vice-presidente do São Paulo, Roberto Natel, colheu assinaturas ao longo deste sábado no clube social anexo ao Morumbi para pedir uma reunião extraordinária no Conselho Deliberativo.

Motivo: ele quer acabar com a remuneração de diretores executivos que são ao mesmo tempo conselheiros licenciados, algo permitido pelo estatuto. Hoje há dirigentes nessa condição em diferentes áreas.

A articulação do vice-presidente com conselheiros na véspera do primeiro duelo da semifinal do Paulistão, entre São Paulo e Corinthians, no Morumbi, agitou os bastidores do clube.

Isso porque três grupos (Legião, Participação e Vanguarda) da base aliada do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, levantaram a discussão sobre esse ponto e outras alterações estatutárias pontuais há alguns meses.

Na reunião de fevereiro, o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Abranches Pupo Barboza, concordou em abrir um debate sobre ajustes pontuais no estatuto, entre os quais estava a questão de executivos remunerados que são ao mesmo tempo conselheiros.

Natel, no entanto, argumenta que tal processo demandaria muito tempo, sendo que na sua visão é possível colocar a mudança em prática de forma mais rápida com a reunião extraordinária.

– É o que falo: não é situação nem oposição. É uma correção do estatuto. Queremos o bem do São Paulo. Tem de olhar nesse sentido. Por isso estou perguntando e conversando com conselheiros no clube e explicando o que é o papel nesse sentido. É para o bem do São Paulo. Mudar um erro que foi feito. Não tem conotação política, mas sim para acertar o estatuto – disse Natel.

– Vejo uma diferença (no processo que está em andamento no Conselho), porque tem de ser uma mudança agora. Quando você cria uma comissão leva tempo. Existem outras mudanças, mas tem uma mudança que 99% dos sócios e conselheiros querem, que é essa mudança. Então por que esperar se já pode dar entrada agora? Como são-paulino, não podemos esperar. Por mais que seja ruim para um ou outro, mas tem de colocar e mostrar que acima de tudo está o Sao Paulo – completou.

 Natel disse concordar com a mudança na regra mesmo para os casos de Elias Barquete Albarello (diretor financeiro) e Paulo Mutti (foi aprovado recentemente para chefiar a superintendência de gestão de contratos), conselheiros que são do seu grupo político, o “Legenda”.

– Antes era uma exceção e virou uma regra. Nada contra um profissional do mercado, mas virou uma regra de política remunerada. Elias e Paulo são grandes amigos meus, mas tenho responsabilidade com a instituição. Então, nesse sentido, conversei com eles e coloquei o meu posicionamento. Nada contra. Se abrir mão do Conselho continuam como executivo. Não pode criar cargo político e remunerado. Até para o presidente Leco é uma ajuda. Fica mal para o São Paulo. Não é contrário à situação, não, é a favor a instituição, dos 18 milhões de são-paulinos – afirmou Natel.

O vice-presidente disse ter colhido 30 assinaturas ao longo deste sábado (são necessárias 50). A próxima reunião do Conselho ocorrerá na segunda-feira, quando serão debatidos o balanço patrimonial e o acordo com a Adidas, nova fornecedora a partir de julho por cinco anos e meio.

A reportagem procurou os coordenadores dos grupos Participação, Legião Tricolor e Vanguarda que iniciaram a discussão sobre ajustes no estatuto do São Paulo para comentar o assunto. Harry Massis Junior, da Vanguarda, não foi localizado.

Carlos Belmonte – um dos coordenadores do grupo “Legião Tricolor” e diretor social

– Apresentamos uma proposta de revisão estatutária visando discutir com todos os conselheiros e associados possíveis pontos do estatuto que precisem passar por uma readequação. A intenção é fazer algo amplo e democrático, entendendo os anseios da comunidade tricolor. Colher assinaturas visando uma sessão extraordinária às vésperas de uma semifinal do Campeonato Paulista me parece um desserviço à instituição. O momento é de união em torno do time, que precisa de tranquilidade para conseguir nosso objetivo que é a conquista do Campeonato Paulista”.

Júlio Casares – coordenador do grupo Participação e membro do Conselho de Administração

– A profissionalização do estatuto foi uma conquista do sócio, aprovado em todas esferas jurídicas e em assembleia geral. Claro que alguns ajustes pontuais devem ser feitos. Mas queremos fazer no fórum adequado. Meu grupo e outros fizeram isso. Conversamos no fórum (Conselho Deliberativo), onde existe uma discussão iniciada. Na véspera de um jogo importante do São Paulo não é bom. É um assunto com procedimento adequado definido. Vejo com um pouco de preocupação, embora as pessoas sejam livres para ir e vir. Isso pode conturbar o ambiente. Já há um encaminhamento. Vejo como algo fora do eixo e que pode atrapalhar. A questão política não pode atrapalhar o futebol. Apresentamos um requerimento de discussões pontuais, o Pupo atendeu e abriu a discussão. Toda reunião terá discussão. Quaalquer coisa diferente disso pode conturbar. Vejo com muita preocupação, apesar de que não estava lá (no clube social). É uma matéria resolvida porque está em curso. Conversamos em dezembro, em janeiro foi encaminhado e em fevereiro protocolado.

GE

23 comentários

  1. Desnecessário fazer isto hoje, mas tbm temos que levar em conta que isso não chega até o futebol.

    São coisas políticas, feitas na parte social do clube (Morumbi) e nada tem a ver com a parte dos jogadores, treinos, concentração etc que fica na Barra Funda…

    Assuntos distintos, locais distintos mexendo com pessoas distintas…

    Amanhã bastante provável uma vitória…

  2. Esses estão ligando para o SPFC hein… estão preocupados se o time vai para a semifinal Na vez de pegarem as matérias e os vídeos de comentaristas (FOX e ESPN) que estão humilhando o time e o elenco, já contando com a derrota na semifinal e entregarem para o Aguirre.. ficam com picuinhas….

    Infelizmente o time é comandado por muitos cardeais que na vez de ajudar, conseguem complicar ainda mais….

    O comentárista da Fox, falar que o SPFC já não é um clássico com o Corinthians, é pra acabar….

  3. Ja tá provado em nossa democracia frágil que grupos políticos, só tem interesses particulares e escusos! Pra quê existir esse mesmo processo dentro de uma instituição que mexe com paixões que é o futebol. Temos que lutar pela oxigenação e uma redemocratizacao dentro do SPFC.

  4. Esses conselheiros só pensam no poder.
    Quem não está remunerado quer ser e ficam nessa.

    Haja teta nessa porca.

    Conselho, podre.

  5. O Santos cheio de meninos da base melhor no segundo tempo, as porcas não são tudo isso que a imprensa fala.
    Amanhã espero que o SP não amarele como sempre e vença, nem que seja por 1×0.

  6. O Santos cheio de meninos da base melhor no segundo tempo, as porcas não são tudo isso que a imprensa fala.
    Amanhã espero que o SP não amarele como sempre e vença, nem que seja por 1×0.

    • Falta um meia para armar e um atacante que não seja fominha e decida jogos, se tivesse esses dois jogadores, as sardinhas estariam ganhando. Não vejo o elenco do SP inferior ao dos 3 rivais, apenas amarelam, sentem medo.

  7. Jailson jogando com efeito suspensivo, se for pra final com o Curica, não vai jogar. Se for pra final com o SPFC, não dá pra prever.

Deixe uma resposta