Carille acha que São Paulo está mais forte com Aguirre

Pouco tempo depois do Corinthians eliminar o Bragantino, o técnico Fábio Carille já começou a pensar no confronto com o São Paulo, pela semifinal do Paulistão, neste domingo, no Morumbi, e demostrou estar ciente do que vai enfrentar. O comandante corintiano ressaltou a mudança de postura da equipe tricolor após a mudança de treinador – saída de Dorival Júnior e chegada de Diego Aguirre – e acredita que a partida será mais complicada do que seria em outra situação.

“Assisti ao jogo na terça e já vi o São Paulo com uma postura diferente, com os jogadores mais agressivos. Eu tenho certeza de que vai ser um grande jogo essa semifinal, repetindo o que aconteceu ano passado. Serão dois grandes jogos”, destacou o treinador corintiano.

Sempre que fala sobre um rival, Carille demostra muito respeito e reforça o equilíbrio entre as equipes. Para o jogo deste domingo, não foi diferente. “Como já disse outras vezes, clássico é diferente, é 50% para cada lado. Tem o emocional e a concentração o tempo todo. Temos que estar muito atentos”, destacou.

Desde que Carille assumiu o Corinthians, o retrospecto diante do rival é bastante favorável. Foram sete jogos (contando a Florida Cup) sendo quatro empates e três vitórias corintianas. Na primeira fase do Paulistão, vitória por 2 a 1, no Pacaembu, gols de Balbuena e Jadson. O zagueiro será desfalque, pois defenderá a seleção paraguaia em amistoso e o meia é dúvida, pois se recupera de contratura na coxa direita.

Estadão

41 comentários

  1. Federação sorteia os árbitros dos quatros jogos das semifinais do Paulistão

    São Paulo x Corinthians: Raphael Claus
    Corinthians x São Paulo: Vinícius Gonçalves Dias Araújo

  2. o time da marginal tem duas estrategias uma contra Spfc e outra contra o Palmeiras :

    1- contra o sp eles partem pra cima pra fazer logo o gol porque sabem da nossa fraqueza emocional em jogos contra eles seja por erros nossos ou erros da arbitragem eles vão com tudo e quando conseguem o gol ficam na tática do morcego ( pendurados na trave pra evitar o gol e sair no contragolpe).

    2- contra os porcos eles primeiro esperam fechadinho lá atrás na tática do morcego e saem no contragolpe no erro dos porcos e quando fazem um gol já erra é mais fácil eles aumentarem do que tomar virada.

    Temos que fazer o primeiro gol pra aí alterarmos a postura deles deles que tem uma defesa frágil aí será a chave da vitoria. ( a receita tá dada não estou cobrando nada façam isso e venceremos)

  3. Esse cara aprendeu tudo com o tite mesmo ne? puxa saco, encantador de serpentes igual… como que o time já está mais forte em 1 semana e meia de trabalho?

    Vai conta outra carrile, quer tirar o favoritismo. tira esse lixo da foto!

  4. São Paulo tem que ser um time encardido! Finge que é Libertadores e que do outro lado é um time argentino/uruguaio/etc. Só tem que ter cuidado para os zagueiros e volantes não tomarem amarelo cedo demais.

  5. Imposição física.
    Domínio territorial.
    Organização tática.
    Pressão psicológica sobre adversários.
    Efetividade na consecução de objetivos.
    Arbitragem tendenciosa.
    E tudo o mais, inclusive extra-campo.

    Essas são as estratégias da escória …, todos sabemos.

    Apesar disso, sou mais SPFC sempre.
    Tricolor classificará às finais …, com vitória no Morumbi e empate no “impressorão / Eliminates Stadium”.

  6. Mas ficar mais fraco que o time do Dorival é difícil… Qualquer zé que não ache o Edimar melhor que o JT pode fazer coisa melhor…

  7. Tá tão na cara, mas tão na cara que vamos perder, que provavelmente vamos mesmo.

    Fosse contra qualquer outro time do Brasil apostava minhas fichas na mudança de postura by Aguirre, mas contra a escória tou 100% desanimado. Tomara que me surpreendam.

  8. Ouvi alguém dizer hoje que “os clubes brasileiros estão à beira da morte”.

    De fato, nenhum clube brasileiro é hoje competitivo – o aguerrido jogador de futebol que sobrou nos nossos times é insuficiente. Todos os técnicos brasileiros sabem que os clubes brasileiros estão fracos e muito distantes dos europeus – a culpa não é deles. Temos uma grande seleção, mas não grandes times de futebol. Por que isso?

    A rede Globo deu no jornal: “Bordeaux passa por mudanças e poderá ser vendido para investidores americanos”. O clube francês em dificuldade está querendo levar jogadores recém-saídos da base do São Paulo como solução para os seus problemas de futebol de agora e, depois, para fazer com eles um bom caixa. https://globoesporte.globo.com/futebol/times/sao-paulo/noticia/bordeaux-observa-liziero-elogiado-por-diego-aguirre-no-sao-paulo.ghtml

    Trata-se do chamado “futebol empresa”, maneira que os clubes europeus encontraram para competir entre eles, em todos os mercados mundiais, buscando formar times de futebol competitivos. A necessidade de dinheiro para fazer uma boa equipe, quer para erguer a taça quer para mantê-la na divisão especial de sua liga, obrigou as agremiações a fazerem aberturas antes impensáveis. Hoje, até os pequenos clubes europeus em países com economia inferior à do Brasil estão num nível de competição superior e levam embora os nossos melhores jovens. E nós não podemos fazer nada, porque deixamos de ser competitivos como instituição de futebol.

    No Brasil temos alguns clubes ensaiando algo parecido aos europeus em termos de “futebol empresa”, com parcerias financeiras e associações com grandes investidores. A solução são-paulina para essa dificuldade em conseguir dinheiro e manter-se competitivo ainda parece distante do Morumbi – nada há prático, só conversa de que se estuda isso e se planeja aquilo, mas nada em termos de resolução.

    Buscar equiparar-se em poder econômico aos grandes europeus é condição básica para se sair dessa condição de time pequeno que todos os clubes brasileiros ficaram relegados. A condição atual do país vem exigir dos dirigentes esportivos mais talento e mais criatividade do que no passado. Esperamos que a cúpula são-paulina esteja concentrando todos os esforços para achar solução viável e resolver esse seríssimo problema de maneira satisfatória; afinal, ainda somos a terceira maior torcida do Brasil.

    A situação deixou de ser grave – está agonizante. Mais times grandes tendem a seguir o caminho da saudosa Portuguesa de Desportos.

  9. Assistindo o Ultimo Samurai, o capitão americano é prisioneiro dos samurais e tem convivência com a família do samurai que ele venceu.
    Conversando com um garoto, filho deste samurai, que sabia que ele havia participado de varias campanhas contra os indios e vencido, o garoto pergunta: Você não tinha medo?
    Ele responde: Sim.
    Garoto: Mas vc participou de várias batalhas?
    Ele: Tive medo em todas elas.
    E complementa: Não existe coragem sem medo.

    Não existe coragem sem medo.

    Aos 80 anos, perguntaram ao Paulo Autran se ele ainda tinha aquele frio na barriga ao atuar: Sim, respondeu ele. Tenho todas as vezes que entro no palco.

    Não existe coragem sem medo.

    A única coisa que peço a este grupo é: Coloquem coração e alma em campo e joguem com coragem os 180 minutos.

    Não interessa o que vai acontecer depois.
    Interessa o que vai acontecer nos 180 minutos.
    E o que vai prevalecer, a coragem ou o medo?
    O nosso adversário enfrenta os mesmos dilemas, os mesmos fantasmas.

  10. “Assisti ao jogo na terça e já vi o São Paulo com uma postura diferente, com os jogadores mais agressivos. Eu tenho certeza de que vai ser um grande jogo essa semifinal, repetindo o que aconteceu ano passado. Serão dois grandes jogos”, destacou o treinador corintiano.

    Viram que adotando essa medida os outros times passam a nos respeitar mais? É o que está nos faltando para encarar frente a frente qualquer equipe, até aquelas que contam com jogadores com mais qualidade…

    Jogando com essa postura mais agressiva temos chances…

  11. Sou da seguinte opiniao:

    Muricy era discipulo de Tele e virou uma especie de Tite.

    Carille eh discipulo de Tite e vai virar uma especie de Celso Roth.

    Podem escrever e me cobrar depois.

      • Salvo diferencas aqui e ali, cada um era “retranqueiro” a sua maneira, ambos montavam suas taticas de jogo a partir da defesa.

        Foi isso que quis dizer. Realmente uma heresia, desculpe.

    • Falando friamente, este é o momento de maior fragilidade desse time.
      Sem Jadson, Balbuena e Fagner e claro sem JO do ano passado que era rabudo.
      Mas tem que entrar com faca nos dentes, coração na ponta da chuteira.
      Porque?
      Porque é decisão. É jogo de gente grande.

  12. Sabias palavras do Massa, sem luta não se conquista vitórias, e ao meu ver se os jogadores entrarem com brio, determinação tática tem tudo para ganhar e bem, pra mim foi a melhor coisa que aconteceu, por se passarmos pelo Smallville pegaremos os pig com moral e acredito que ninguém segura…
    Temos que ganhar e ganhar para nossa auto estima se elevar nas nuvens e nossos adversários sentirem que o jogo virou…

  13. O bragantino mostrou como se ganha o Corinthians , é só fazer o espelho do time deles , esperar eles irem pra cima e pegar eles no contra ataque e muitas jogadas de bolas aérea , nesse caso colocar um time mais alto em campo , como eles não jogam com um centroavante fixo seria bom jogar no 4-4-2 sem a bola e com a bola um 4-2-4 temos que povoar mais o meio campo e colocar marcação fixa em Rodriguinho que é a cabeça pensante e pelos lados dobrar a marcação em Cleyson e Mateus vital , não podemos deixar eles rodarem a bola de um lado pra outro como fizeram nos gols contra o bragantino , poderíamos jogar com três zagueiros e aí eles não teriam jogadas pelas pontas e os laterais deles ficariam mais na defensiva , esse jogo é pro Diego Souza arrebentar com eles juntamente com o Tréllez que fez gols contra eles na Bahia e no travecao , bola na área eles ficam em pânico e goleiro deles é péssimo na saída de bola eu entraria com esse time diante deles Cidão Bruno Alves Militão e Arboleda , Reinaldo Liziero Jucilei Marcos Guilherme , Lucas Fernandes , Diego Souza e Tréllez

Deixe uma resposta