O contrato entre São Paulo e Adidas foi acertado de julho de 2018 a dezembro de 2023. Ou seja, tem cinco anos e meio de duração. A parceria com a nova fornecedora de material esportivo passará a valer assim que encerrar o atual vínculo com a Under Armour, no fim de junho.

O acordo com a Adidas será um dos temas a ser discutido na reunião do Conselho Deliberativo do próximo dia 26 de março, no Morumbi.

O acerto com a empresa alemã foi aprovado pela diretoria executiva e pelo Conselho de Administração. Agora, tem de ser referendado pelo Conselho Deliberativo.

Os valores são mantidos em sigilo, mas o Tricolor terá direito a 26% de royalties por produto logo de cara. Se as vendas chegarem a um determinado valor no ano, ativa-se um gatilho que eleva essa porcentagem para até 30%. Não houve comissão para terceiros no acerto.

Além do vínculo com a Adidas, os conselheiros vão discutir sobre o balanço patrimonial do ano passado. A previsão é de que seja apresentado um superávit (lucro) no balanço de aproximadamente R$ 15 milhões, embora o orçamento inicial fosse de R$ 7,5 milhões de déficit.

Esses números serão apresentados antes ao Conselho de Administração (possivelmente no dia 19). Depois, os conselheiros terão acesso.

GE