Aguirre manterá seu estilo de efetuar rodízio no plantel?

Aguirre tem uma característica pouco comum para a cultura futebol brasileiro: o rodízio de jogadores durante a temporada. O levantamento feito pelo LANCE!mostra que o treinador uruguaio utilizou quase 40 jogadores diferentes quando dirigiu o Internacional, em 2015, e o Atlético-MG, no primeiro semestre do ano seguinte. Na prática, significa que o comandante deve dar chance para todos no Tricolor.

Campeão gaúcho e semifinalista da Copa Libertadores pelo Colorado, Aguirre comandou a equipe de Porto Alegre em 47 partidas oficiais. Ao todo, colocou em campo 39 atletas durante o período e conseguiu 24 vitórias, 15 empates e oito derrotas, somando 61,7% de aproveitamento dos pontos disputados.

Quando foi contratado para assumir o Galo, o uruguaio demonstrou postura muito semelhante e, em 29 jogos – desconsiderados os amistosos de pré-temporada – escalou 36 nomes diferentes com a camisa do clube mineiro. Por lá, Aguirre fez 29 partidas, com um histórico de 14 vitórias, sete empates e oito derrotas, o que lhe rendeu 56,3% de retrospecto.

Atualmente, o elenco do São Paulo tem pouco mais de 30 jogadores, considerando os garotos promovidos do CT de Cotia e os nomes que estão no departamento médico. A tendência é de que Aguirre faça um rodízio entre os atletas e nomes pouco utilizados no clube, como Paulo Henrique, Pedro Augusto, Lucas Fernandes, Bissoli e Paulo Boia devem ganhar oportunidades no Tricolor com a nova comissão técnica.

O treinador não tem problema em falar sobre o assunto. Na opinião do uruguaio, o calendário apertado do futebol brasileiro e os grandes deslocamentos pelo país nas competições nacionais obrigam a revezar os atletas para manter uma equipe competitiva durante toda a temporada.

– É uma coisa que você pode trabalhar bem, ter um grande elenco e ficar perto de um título. Com o Inter chegamos na semifinal da Libertadores e, no futebol, ganhar ou perder a diferença é mínima. Acredito no trabalho. Quero ganhar e quero ser campeão. Tenho a convicção do meu trabalho e sei que é possível ganhar alguma coisa importante – disse o uruguaio quando questionado sobre o tema em sua apresentação no Tricolor do Morumbi.

Apesar de o panorama ser positivo para os jogadores que não tiveram tanta chance com Dorival Júnior, o rodízio deve demorar mais do que o habitual para ser aplicado. Afinal, o São Paulo está nas quartas de final do Campeonato Paulista, na terceira fase da Copa do Brasil e, em um mês, estreia na Copa Sul-Americana contra o Rosário Central, na Argentina.

L!

13 comentários

  1. Jogador de futebol é extremamente corporativista, indolente, preguiçoso, e especialmente vaidoso.

    A ideia de rodízio é ótima, desde que compensada com alternativas de qualidade.

    Com rodízio ou não, Aguirre e Jardine terão um time competitivo em campo.

    #ReageSPFC

  2. REDAÇÃO DO LANCE!
    (Duas semanas atrás…)

    – Ih, chefe…! Parece que os caras vão mesmo demitir o Dorival. O que a gente faz?

    – Calma, meu caro. Já encomendei textos de meia página com todos os nossos colunistas. Todos eles vão cair de pau nessa cultura nacional dos clubes trocarem de técnico. Também já liguei para o Kfouri. Eles vão fazer uma mesa redonda de 2 horas só falando sobre continuidade de trabalho, que tem que dar tempo ao técnico e tal…

    – Mas, chefe… Quando o Cristóvão Borges estava no Corinthians nós fizemos um monte de editoriais metendo o pau no trabalho do cara, que tinha que trocar logo porque não estava dando certo…

    – Cala a boca, mané! Você não sabe nada de jornalismo! Quer ir pro olho da rua…?

    —————————————————————————————–

    REDAÇÃO DO LANCE!
    (No dia da queda do Dorival)

    – Ih, chefe…! Ferrou! Os caras mandaram o Dorival embora… O que a gente faz?

    – Calma, calma! Já tá tudo acertado. Amanhã mesmo sai uma matéria especial sobre os principais títulos da carreira do “Pofexô”. Também já liguei para todos os meus amigos dos canais de esportes. Já tem participação agendada do “Pofexô” no ‘Bem Amigos’, no ‘Bola da Vez’, no ‘Aqui com Benja’, no ‘No Ar com André Henning’ e no ‘Donos da Bola’. Pode deixar, que agora eles não escapam…

    ——————————————————————————————-

    REDAÇÃO DO LANCE!
    (Após anúncio da escolha de Diego Aguirre)

    – Ih, chefe…! Pegaram a gente de surpresa… O que a gente faz agora…?

    – É… Temos que tocar o terror antes que os caras comecem a se ajeitar… Deixa ver aqui… Tem aquele assunto da sucessão de treinador na seleção do Uruguai… Tem também aquele negócio do rodízio. Vamos bater bastante nisso. Aliás, já vai procurando mais assunto aí…

    – Mas, chefe… A gente não ia falar dos dois jogos do Corinthians na capital pelo Paulistão?

    – Cala a boca, energúmeno! Você não aprendeu que quem manda aqui sou eu?

    • REDAÇÃO DO LANCE!
      (Hoje, 13/3)

      – Chefe, vamos fazer uma matéria sobre o descaso do presidente dos caras, que não foi na reunião da FPF?

      – SSShhhhhh…!!! Silêncio seu mané. Não atrapalha nossa vida. Vai que eles resolvem mudar de presidente e colocar um cara sério lá…!

  3. Qualquer pingo de organização e sinal de reação do SPFC faz a imprensa ficar desesperada kkk e ainda perderam o parça deles DJ que vazava informações pra esses lixos.

Deixe uma resposta