São Paulo chega à reta final da fase de olho em vantagem contra rivais

Durante todo o período de classificação do Campeonato Paulista, o São Paulo esteve atrás de seus principais adversários (Corinthians, Palmeiras e Santos) na tabela. Restando apenas duas rodadas para o término desta fase e o início do mata-mata, o Tricolor tem a oportunidade de encostar nos rivais para tentar decidir as partidas no Morumbi, caso avance para as fases semifinal e final.

Atualmente, o São Paulo é o líder do Grupo B, com 14 pontos ganhos, em 30 disputados. Se a primeira fase do campeonato acabasse agora, o Tricolor enfrentaria o São Caetano nas quartas de final e faria o segundo jogo no Morumbi, com o primeiro sendo disputado no Anacleto Campanella.

O problema, porém, é que apesar de ter vantagem dentro da própria chave, a equipe do técnico Dorival Júnior é apenas a 6ª colocada geral do estadual. Além dos três grandes clubes paulistas, o Tricolor tem menos pontos do que Botafogo, de Ribeirão Preto, e Bragantino. A diferença para o líder-geral do campeonato, o Palmeiras, é de seis pontos. Vice-líder, o Santos soma 18, enquanto o Corinthians tem um a menos que a equipe do litoral.

No meio do campeonato, na sétima rodada, logo após a derrota para o Ituano, por 2 a 1, alguns membros de uma das torcidas organizadas do clube foram ao CT da Barra Funda protestar contra os maus resultados. Na ocasião, um dos temores do grupo era justamente chegar na fase final do Paulistão e decidir fora de casa nos jogos mata-mata.

Ciente da importância de conseguir as vitórias e não deixar os rivais se distanciarem, o elenco trata o duelo contra o Palmeiras, na próxima quinta, com ares de decisão. Se vencer, o São Paulo encostará nos líderes e pode até pensar em terminar a primeira fase a frente de algum de seus rivais.

– Nossa equipe vai mais confiante, o jogo é fora de casa, mas temos um bom time, um time de qualidade, e podemos surpreender o Palmeiras lá dentro, avaliou o meia-atacante Valdívia logo após a vitória contra o Linense, já projetando o Choque-Rei no meio desta semana.

O último jogo do São Paulo na fase de classificação será contra o Mirassol, no Morumbi. Caso avance de fase, o Tricolor medirá forças com São Caetano, Ponte Preta ou Santo André nas quartas de final. Se terminar a fase de grupos na ponta, o Tricolor decidirá os jogos no Morumbi. Os pontos somados no mata-mata contabilizam para as fases seguintes.

L!

FOTO: RUBENS CHIRI

28 comentários

  1. Será que o Pintado não poderia ajudar o Dorival Jr. montar um time organizado, competitivo, compacto e eficiente, para ganhar no chiqueiro ?

    Em tese, nosso elenco é melhor que o São Caetano.

  2. De outro Post:

    Pintor
    Despedida do Forlan foi contra o Flamengo de Zico no Morumbi. Jogou o primeiro tempo, participou do lance do gol e depois foi ovacionado pela torcida. Linda festa. Disse certa vez, depois de sair, que jamais jogaria contra o SPFC. Outros tempos.
    ————————————————————————–
    Meu pai levou eu e meu 2o irmão nesse jogo.
    1o gol do saudoso Pedro Rocha, de cabeça, e no 2o tempo um petardo do Muricy da intermediária… Rsss
    E, claro, a bonita despedida para Forlán no intervalo (Nelsinho jogou a 2a etapa na LD).
    Bons tempos mesmo…

  3. Arboleda, Rodrigo Caio, Edimar; Hudson, Petros, Cueva; Marcos Guilherme, Brenner e Valdívia. O Militão não treinou pq está gripado.

    Bom, vamos de Edimar como era de se esperar.

    • Se o Jr.Tavares aparecer pelo menos no banco, está bom. haha Esse cara perdeu a posição foi fora de campo. Edimar não marca nada e nem apoia. Sério, ele fecha os olhos e bate pro meio da área de qualquer jeito.

      • Eu ainda não esqueci daquela estranha e descabida negociação, em que ficamos conhecendo a excelência da senhora Simone Tavares.

        Júnior Tavares é craque e deveria ir para o jogo, pois seria ótima alternativa, só formar cobertura com um volante em suas descidas ao ataque.

    • Edimar veio do Cruzeiro testado e reprovado, aqui já foi testado, retestado, reretestado e está definitivamente provado que ele não serve, que não é minimamente confiável, Dorival sabe disso, mas é incapaz de fugir do óbvio, o pensamento é simplista demais, perde um lateral bota outro no lugar, por mais fraco que este seja.

  4. Em uma semi não teremos Cueva. DS tem que jogar nesta posição contra o Red Bull e as 2 partidas da Semi. Temos que projetar um segundo semestre com DS, provavelmente, no lugar de Cueva.

  5. Vendo o nível de profissionalismo da UCL fiquei aqui pensando no SPFC: Até quando a diretoria vai vender a ideia de que não somos capazes, de que não podemos, de que estamos em dificuldades e que devemos nos contentar com as migalhas que eles oferecem? Quando será que vamos mudar de patamar e voltar a pensar grande e nos sentirmos grandes ao invés de assumir esse papel de coadjuvante?

    A gente acaba aceitando tanto e inventando mil e uma justificativa pra apoiar coisas inexplicáveis que o nível de cobrança hoje é por ganhar um mísero clássico. Quase nem falamos mais em títulos.

Deixe uma resposta