O que o São Paulo ganha com Diego Souza e Brenner em campo

Diego Souza, Brenner ou os dois: qual será a opção do técnico Dorival Júnior para escalar o São Paulo ideal? Seja para o jogo contra o Linense, neste domingo, às 19h30 (de Brasília), pelo Campeonato Paulista, ou mais adiante na temporada, o comandante tem diferentes opções. Cada uma com sua peculiaridade.

Veja abaixo o que o Tricolor ganha com cada um deles em campo:

Diego Souza

O atacante foi titular em nove dos 11 jogos nos quais entrou em campo. Dorival mudou a equipe na vitória por 2 a 0 sobre o CRB, pela Copa do Brasil, e Diego ficou no banco.

O reforço contratado do Sport teve pouco tempo para treinar desde que se transferiu ao Morumbi. Para se ter uma ideia, entre os dias 24 de janeiro e 25 de fevereiro, Diego Souza atuou nove vezes.

Diante da maratona de jogos e falta de treinamentos, Dorival optou pela entrada de Brenner contra o CRB.

Com Diego, o Tricolor ganha uma referência na área, mas perde em velocidade. Dorival tentou escalar o trio Nenê, Cueva e Diego Souza. Eles têm características de cadenciar o jogo, opção diferente da pensada pelo treinador. Dorival gosta de ter homens velozes na ponta.

Brenner

Titular na vitória por 2 a 0 sobre o CRB, quarta-feira, pela Copa do Brasil, Brenner deu assistência para o gol de Valdívia. Ele teve atuação interessante.

Com Marcos Guilherme (direita), Valdívia (esquerda) e Brenner (centro), o São Paulo ganhou velocidade e envolveu a marcação adversária no Morumbi.

Questionado sobre se sentia pressionado por atuar com Diego Souza no banco de reservas, Brenner disse o seguinte:

– Pressão não. Pressão é jogar no São Paulo, pelo peso da camisa. Mas acho que temos que jogar à vontade e procurar sempre vencer.

Antes do duelo com o CRB, Brenner havia sido titular pela última vez contra o Botafogo-SP, no dia 3 de fevereiro. Dali em diante, foi acionado duas vezes saindo do banco de reservas e sequer entrou em três oportunidades.

GE

23 comentários

  1. Se jogarem os dois, Dorival vai ter que se virar para criar um esquema que funcione. O que não poderia ter sido feito, é ter tirado o garoto que entrou e fez gol, para colocar o medalhão que chegou por dez milhões. Eu falei isso no começo da temporada, mas o Dorival não teve a coragem suficiente para bancar o garoto.

  2. Ou um ou outro!? Ridículo! Qual a dificuldade de por os dois pra jogar? Ah não dá pra treinar… O cara nem ao menos tentou algo diferente… Nem em substituição! Muito bla-bla-bla e desculpinha pra pouco futebol. Que tristeza a mediocridade que o São Paulo se tornou.

  3. Concordo com o post.

    Brenner completa DS, pois é rápido, técnico e bom finalizador. E, com um atacante de ofício abre-se espaço para chegada do DS, que assim se tornou artilheiro.

    Brenner de centroavante e DS de meia atacante resolve o problema da chegada objetiva ao ataque. Basta armar o time para jogar assim, sacando o valdivia ou um volante quando necessário.

  4. Independentemente de time leve e rápido ou pesado e lento, precisamos jogar futebol.

    Precisamos de um time organizado e coeso, compacto e eficiente …, que jogue futebol.

    Precisamos de um time de futebol.

    Precisamos de mais gols.

    Precisamos vencer o Linense.

    Te cuida Dorival Jr.

  5. Por que não?

    Jean

    Hudson
    Arboleda
    R. Caio
    Reinaldo

    Petros
    Araruna
    D. Souza

    M. Guilherme
    Valdívia
    Brenner

    Poupando Militão e Cueva contra o Linense.

  6. Dizem que o garoto rende mais jogando centralizado, portanto Diego Souza teria que disputar posição com o Cueva na meia, ou o treinador optaria pelo esquema 4-4-2 mantendo o meio campo com Hudson, Petros, Diego e Cueva e na frente Marcos Guilherme ou Valdívia e Brenner

  7. 4-4-2

    Arboleda e Militão na zaga
    Hudson e Reinaldo nas laterais
    Jucilei e Petros na volância
    Nenê e Cueva na criação
    Brenner e Diego Souza (tipo Paulo Nunes e Jardel no Grêmio de Felipão)

    • Dá para jogar assim, faz um meio Campo sem losango. Mas precisamos que os laterais tenham qualidade e constância nas subidas.

  8. Curioso como nossa mídia mais caseira ainda não enxerga jogadores como Brenner como 9 e os técnicos ainda não sabem utiliza los direito ( os tecnicos de base até sabem). Talvez isso fosse solução para vários times em vez de ficar procurando loucamente um 9 mais clássico, apesar de ainda acha esse tipo de jogador importante.

  9. Globo.com… É o fim do mundo… Cirurgia do Neymar sendo transmita ao vivo.. Como se fosse jogo

    O brasileiro nao cansa de se envergonhar…

  10. Dorival é irredutível em colocar o Diego Souza mais recuado.
    Ou o Diego Souza é irredutível em recuar para cavar sua vaga de substituto na Copa.

    Enquanto continuar assim: é um ou outro e, se for assim, eu sou mais Brenner.

    Fui contra a vinda do Diego Souza desde o inicio dos burburinhos da contratação dele. Só vem confirmando minha expectativa com a vinda dele: um time mais lento e sem finalização [em direção do gol].

    • Pelo desempenho até aqui, o DS hoje é o 2° ou 3° reserva do Cueva.
      Se melhorar muito, pode brigar pela posição com Cueva ou, se houver mudança do esquema, pode brigar pela vaga de 2° volante ou, deslocando o Cueva para ponta, pela vaga do MG (que muiiito raramente faz gol ou acerta uma assistência).
      Para mim, Cueva, DS, Nenê, Jucilei e Petros só pedem jogar todos juntos em algumas situações de fim de jogo em que seja preciso manter a posse de bola e ficar trocando passes laterais.

Deixe uma resposta