Com royalties, sem comissão: o que sabemos sobre o acordo entre São Paulo e Adidas

O São Paulo anunciou um acordo com a Adidas para fornecimento de material esportivo. O clube espera o aval do Conselho de Administração e do Conselho Deliberativo para sacramentar a nova parceria com a empresa alemã.

O GloboEsporte.com apurou alguns detalhes da nova parceria do São Paulo, mantido sob sigilo pela empresa e pelo clube. Veja abaixo o que sabemos até agora sobre o assunto.

Valores

Os valores do contrato são mantidos em sigilo, mas a reportagem apurou que a Adidas bateu as outras empresas com um contrato que prevê umpercentual maior em royalties ao São Paulo por peça vendida.

São 26% de royalties por produto logo de cara, mas, se as vendas chegarem a um determinado valor no ano, ativa-se um gatilho que eleva essa porcentagem para até 30%. Ou seja: quanto mais produtos vendidos, mais o São Paulo ganha.

E é aí que a diretoria tricolor aposta alto, com uma mobilização entre os torcedores em torno dos produtos da empresa. Nesta terça, data do anúncio do acordo, o nome “Adidas” foi o mais comentado (“trending topic”) no Twitter durante a tarde.

Na prática, clube e empresa querem que essa relação seja de parceria, não de patrocínio. Quanto mais trabalharem em sintonia, mais faturam. Já há um esboço de algumas ações conjuntas para a promoção de lançamento do novo uniforme.

Além disso, há bônus por conquistas (títulos).

Comissão

Não haverá comissão para terceiros no acordo entre São Paulo e Adidas, pois não houve qualquer intermediação. A conversa foi direta entre clube e empresa, resultado da profissionalização do departamento de marketing do clube, hoje comandado pelo diretor executivo Luiz Fiorese.

No acerto com a Under Armour, atual parceira e responsável por fornecer material esportivo até junho, uma comissão de R$ 18,3 milhões causou polêmica no clube. O valor seria destinado para a empresa Far East Global, intermediária com sede em Hong Kong, do norte-americano Jack Banafsheha.

Na época, o então presidente do Conselho Deliberativo e hoje presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, barrou a comissão. O clube era presidido por Carlos Miguel Aidar. Em outubro de 2015, ele renunciou sob denúncias de corrupção.

Concorrência

Adidas entrou de última no páreo e bateu as concorrentes Topper e Under Armour. De saída do rival Palmeiras, a empresa, agora no São Paulo, vai se manter ativa no mercado paulista, o maior do Brasil.

O São Paulo decidiu fechar com a Adidas pelo valor total do contrato, pelo poder e alcance da marca como parceira e por uma premiação acertada por performance do time nas competições em que disputar.

Por obrigação em contrato, a Under Armour tem de continuar fornecendo o material de jogo até junho. Mas se a Adidas se mostrar disposta a assumir toda a operação antes disso, a Under Armour sai de cena.

GE

23 comentários

  1. Boa!! Realmente eu não tinha expectativa de comprar uma camisa do SP esse ano, sempre que peguei as da UA na mão, não me agradaram (acho a UA uma boa marca para camisas, tenis, shorts, mas pro SP especificamente não me agradou), mas a mudança pra Adidas tá me fazendo rever isso aí (e acredito que muita gente também). Vamos ver, se ficar boa já dá pra eu aposentar minha camisa da Rebook de 2006 kkkkkkk

  2. A proposta vai ser levada pro conselho ainda, né?
    Com essa questão de não haver comissão e conhecendo a diretoria que temos, não há risco de barrarem a proposta ou mudar algo para que a gloriosa comissão ocorra?

  3. Do outro post…

    Rapaz… A cada dia mais sem esperança e difícil torcer pro São Paulo.

    Alguém conhece algum diretor do São Paulo aí? Alguém tem contato direto?

    Liga pra esse diretor e fala que eu só preciso que me ofereçam os médicos, fisiologistas, preparadores e instalações do clube. Faz um tempo que parei de jogar futebol. Mas se em 6 meses, no máximo 1 ano (recuperar condicionamento físico ideal), eu não tiver condições de ser titular desse meio campo do São Paulo, não jogo futebol nunca mais na vida. Manda 2 salários mínimos pra minha família, enquanto eu estiver aí (esposa e filha pequena). Só isso.

    Que posição eu jogo? Meio campo. Estilo “camisa 10”.

    Sou São Paulino, não desaprendi a jogar futebol. E com essa estrutura toda não tem emocional que me derrube. E vontade não vai faltar.

    Uma pena que nasci numa cidade do interior da Bahia e que não tinha muita visibilidade pro futebol na minha época. Parei de jogar aos 16, 18. As 33 medalhas que ganhei estão aqui, guardadas.

    Infelizmente, um texto de desabafo. Mas como eu gostaria que isso fosse possível.

    Hoje, com 29 anos, só posso acreditar que Deus tem planos diferentes pra cada um de nós. Humanamente, não é possível explicar porque não virei jogador profissional com tanto cara ruim (horríveis, até) jogando por aí.

    E não é falta de humildade não. Tenho certeza que essa é história de milhare de outros caras bons de bola e que não tiveram as mesmas chances e oportunidades. E quem teve… bem é só olhar nosso São Paulo de hj.

    Boa noite, nação!

    Ah! E eu falei sério sobre o diretor e a proposta… se alguém quiser “tirar a prova”, eu garanto o resultado. Sem medo de errar.

  4. Gabriel Fuhrmann

    Verified account

    @gabrielfuh_
    3m3 minutes ago
    More
    Fim da votação pela nova comissão disciplinar do São Paulo, com mandato de 1º de abril de 2018 até 31 de março de 2021. Oposição elegeu três dos cinco membros da comissão:

    Mauricio Sá
    David Fuchs
    Luís Braga

    • E o que esse resultado pode significar politicamente e para a melhora da gestão?
      Sobre a volta da Adidas parece em condições interessantes para todas as partes, vamos ver se essa parceria dará bons frutos!!!!!

  5. E tinha muito torcedor que duvidava da Adidas assinando com o Maior do Mundo…

    Acho que independente do preço vai vender muito bem no começo, não só pela “grife” mas também por questões de logística. Loja da Adidas tem em tudo quanto é lugar e a distribuição online tende a ser muito melhor que a Under…

    Só faltou o Lucas pra fechar o pacote 😀

  6. se TODAS as partes colaborarem e criar uma camisa com a faixa e o escudo do time no peito, descer o patrocinador abaixo, e fizer um acabamento decente, e lembrar dos gordinhos

    meus amigos eu aposto com quiser, o SPFC e a adidas vão bater o recorde de vendas já no primeiro ano de parceria

    eu mesmo encomendaria os dois uniformes do time.

  7. a última camisa do SPFC que eu comprei foi da Reebok e não dei muita sorte, o número atrás da camisa já descolou, e só lavei umas 3 vezes, pois eu não uso ela pra jogar bola ou atividades que costumo suar.

      • pelo contrario, é muito facil. As camisas sao 250,00, sao horriveis sim, amo meu clube, mas as camisas da under armor foram HORRIVEIS. #QuemBebeNaoUsaUnderArmor

  8. Impossível a Adidas entrar antes disso, quem fez a matéria não tem ideia de tempo de produção, desenho, etc. Só se a Adidas usar uma camisa de performance qualquer e colocar o simbolo do SPFC o que sería um desastre. Julho já é apertado se pensar em design, amostras, produção, logística internacional e distribuição…

  9. mano, pq tem gente que em todo post fica reclamando das mesmas coisas??? vira e mexe tem um tópico pra falar do dorival, outro pra falar da situação do time, outro pra falar do time de forma geral.. esse é sobre o novo fornecedor de material esportivo… é enfim uma ótima notícia (visto que eu torcia pela Adidas)… então deixo aqui minha manifestação de agrado com a notícia e sucesso nessa nova parceria! menos negatividade gente…

Deixe uma resposta