A projeção das cotas da Série A de 2018 a partir modelo da Globo previsto para 2019

O formato de distribuição de cotas do Campeonato Brasileiro, a partir das vendas dos direitos de transmissão na televisão, mudará em 2019. A edição de 2018 será a última com todos contratos possíveis através da Rede Globo – tv aberta, tv fechada, pay-per-view, sinal internacional e internet. A partir de 2019, com a entrada do Esporte Interativo na tevê por assinatura, haverá uma divisão, de clubes e receitas. Forçada pela concorrência, a Globo resolveu adotar um sistema semelhante ao da Premier League. A divisão será 40% em parcelas iguais, 30% em rendimento e 30% em audiência, em vez de 50%, 25% e 25% da liga inglesa. Conforme informado pela empresa em 24 de março de 2017, o modelo valerá por seis edições, englobando a transmissão aberta – o PPV segue à parte. Hoje, 21* clubes estão acordados com a emissora para o período, incluindo NáuticoSanta Cruz e Sport.

Embora clubes como Santos e Inter tenham firmado com o Esporte Interativo, a tendência é que todos sigam com a Globo no sinal aberto. Logo, a regra deve ser geral. Como curiosidade, o blog simulou as cotas da Série A de 2018 com o futuro modelo. O montante de “cotas fixas” é de R$ 1,346 bilhão, já com a ampliação do ‘piso’, de R$ 23 mi para R$ 28 milhões, a partir do acordo feito pelo Ceará, informado pelo repórter Mário Kempes, de Fortaleza – o blog considerou este valor para os demais ‘não cotistas’ oriundos da segundona. Nesta projeção, a única ressalva é a receita do SporTV, incorporada ao montante, mas que seria repassada apenas aos contratados da Globo, claro. Portanto, em vez do atual sistema de (oito) castas, com um hiato de R$ 142 milhões entre a maior cota (Flamengo e Corinthians) e a menor (América, Ceará e Paraná), a diferença máxima seria de R$ 79 milhões, numa redução de 44%. E seria justamente o máximo possível, entre o atual campeão/maior cotista (Corinthians) e 4º lugar da Série B/menor cota (Paraná).

* América-MG, Atlético-GO, Atlético-MG, Avaí, Brasil-RS, Chapecoense, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Inter, Londrina, Náutico, Ponte Preta, São Paulo, Sport, Santa, Vasco, Vila Nova e Vitória.

No quadro, o blog projetou a cota conferindo os seguintes valores na divisão por classificação em 2017: 20x para o campeão (ou seja, 20 x R$ 1.922.857, o valor base), 19x para o vice, 18x para o 3º lugar e assim sucessivamente, até o 4º da Série B, com 1x. Já na coluna de audiência, o valor considerado foi 30% da verba que cada clube receberá de fato, pois trata-se da única fonte de informação para definir a atual visibilidade de cada um neste momento.

Lembrando que essa demonstração é referente apenas às cotas fixas. É importante reforçar isso pois há o rateio de meio bilhão de reais no PPV, através do Premiere, até então calculado pelo número de assinantes apurado em pesquisa do Datafolha. Esta receita é repartida apenas entre os 16 ‘cotistas da TV’, com os demais somando o valor do PPV já no acordo pontual para a temporada, caso do Vozão. Em 2015, o Sport, com 1,4% dos assinantes, teve um ‘bônus’ de R$ 6,75 milhões. O Fla, com 19,2%, recebeu R$ 68 mi. E aí deve estar o grande segredo sobre a mudança no formato, pois o impacto econômico do PPV segue ascendente no bolo – mantendo Fla e Timão bem à frente. Em 2019, a previsão é de que apenas este contrato represente 33,2% do total, ou 650 milhões de reais. Imagine em 2024…

por: Cássio Zirpoli – Diário de Pernambuco

33 comentários

  1. Ou o São Paulo se profissionaliza, equaciona suas dívidas e monta um time competitivo ou teremos dificuldades de conquistas nos próximos anos !

    • O Departamento de Futebol do São Paulo, tem que ser restruturado. Ser comandado por profissionais do futebol, e não por Empresários e Conselheiros.

      Time competitivo é fácil.
      É parar de ficar trocando de Técnicos
      é parar de ficar trocando de times.

  2. Essa divisão ainda não ficará justa, pois quando Corinthians e Flamengo assinaram suas renovações de contrato houve luvas maiores aos dois. Assim, eles não perderão a liderança nos rendimentos.

    • Mas luva é só no momento da assinatura do contrato, ele não se repete anualmente. O bom que não deverá ter antecipação de cotas, como fez JJ e Aidar. O clube terá que planejarsuas finanças , e esse é meu medo do São Paulo!

      • Braga, o Leco antecipou cotas e se não me engano, luvas também.
        Não dá para confiar na administração desses senhores feudais, verdadeiros dinossauros, incompetentes e arrogantes. Podem acabar de uma vez com o SPFC, precisam sair logo, o clube precisa de profissionais competentes e bem intencionados.

        • Leco antecipou R$ 8 milhões, cotas do campeonato paulista, as luvas do campeonato brasileiro 2019 anda não foram pagas, Globo ofereceu R$ 20 milhões e o Conselho acertadamente vetou. Minha preocupação é que mesmo com problemas no fluxo de caixa, aumentamos mais de 50% em folha salarial, isso significa uma venda de um David Neres, só em salários.

  3. Realemente precisamos nos profissionalizar porque ao contrário teremos grandes dificuldades em nos manter até mesmo na série A. Esta é nossa atual realidade. E profissionalização significa não ficar trocando de técnico a cada dificuldade que aparece. Precisamos de um projeto sério e a longo prazo, manter o técnico, gerar confiança e participação intensa da torcida com opiniões maduras e construtivas. A torcida terá sempre um papel importante em todo esse processo, tanto para o bem como para o mal. Pressão é normal o que não pode haver é desespero com resultados ruins em príncipio de um trabalho. Daí muda-se o técnico e começa tudo de novo, é um poço sem fundo. Portanto, penso eu, é hora de total apoio em épocas assim difíceis. Lógico que falo da parte técnica sem entrar no mérito político.

    • A profissionalização passa pela reestruturação da diretoria e conselho. Não adianta, enquanto aqueles velhos comandarem o SPFC será sempre assim, a arrogância e soberba impera, cambada de dinossauros que não largam o fóssil. É deprimente ver no que transformaram o maior clube das Américas. Leco e companhia precisam vazar, sumir, novos diretores e conselheiros com visão administrativa apurada e competência precisam assumir. Não dá para ver o SP parado no tempo por incompetência e arrogância.

  4. No dinheiro somos o oitavo quando deveríamos ser o terceiro. E no futebol estamos mais distante ainda. Falta diretoria, falta técnico, falta jogador, falta dinheiro e falta competência aos homens da cúpula diretiva do São Paulo F.C. Só mesmo adotando o modelo europeu e virar S.A. E agora tem essa questão do tácnico:
    1º. Vicente Feola: jogos 532, vitórias 299, empates 106, derrotas 127.
    2º. Muricy Ramalho: J 473, V 255, E 123, D 95.
    3º. José Poy: J 422, V 213, E 129, D 80.
    4º.Telê Santana: J 412, V 198, E 122, D 92.
    5º. Cilinho: J 249, V 111, E 87, D 51.
    –. Rogério Ceni: J 37, V 14, E 13, D 10.
    –. Dorival Júnior: J 36, V 15, E 10, D 11. (até 21 de fev. 2018). Em 5 de julho de 2017, foi anunciado por Leco como novo treinador do São Paulo, assinando até o fim de 2018 para substituir Rogério Ceni. Será que fica? Difícil…, como tudo no São Paulo.

  5. É galera pintou o campeão paulista… E não é o São Paulo. Aliás nosso time profissional não tem bola pra ganhar nem a Copinha. Esse ano é mais do mesmo. Lamentável.

    • Vai saber né.
      No ano 2000 o São Paulo quase foi eliminado pela Portuguesa. Os Paulistas costumam dizer que gostam da Portuguesa. Eu odeio a Portuguesa. A Portuguesa é mãezona da galinhada e da porcada. Contra o São Paulo eles viram carniça.
      Mas como eu estava falando, quase a Portuguesa elimina o São Paulo. Eu revoltado no meu quarto assistindo o jogo. O França nos salvou.
      E ficamos campeão Paulista.

      • Detalhe isso foi a 18 anos. …o sp não tem time para ser campeão paulista ….aliás vai ser humilhado no estádio do palmeiras como tem acontecido nos últimos confrontos lá.

  6. Se tivéssemos um sistema de scout decente, não precisaríamos nos preocupar com aumento ou diminuição de cotas.

    O problema é que estão errando demais desde que a atual equipe de scout foi contratada. No máximo, uma contratação dá certo.

    Precisam reformular o setor de pesquisa de jogadores. Do jeito que está, não dá para ficar.

    • Gambas ganharam das porcas no 4-2-4, mesmo esquema que jogamos o horrível primeiro tempo contra o Ituano, acho que nosso maior problema é que temos do meio pra frente muitos jogadores técnicos, mais lentos. Assistindo os nossos jogos parece amistoso beneficente de final de ano, só tem 2 válvulas de escape:Reinaldo e Marcos Guilherme, assim fica difícil.

      • Mas o Abel mostrando que esse esquema não esta tão antiquado assim… E creio que temos peças para utilizar o 352 ao inves dos esquemas mais modernosos que o Dorival tentou implementar.

    • Cara, Abelão é muito bom. Essa pausa que ele fez antes de voltar pro Flu foi muito benéfica pra ele. O elenco do Fluminense pra ser horrível tem que melhorar muito e ele consegue fazer o time jogar. Ele se vira com o que tem ao contrário de alguns…

    • não foi apenas o esquema tático que ganhou o jogo, os jogadores, o treinador, os dirigentes tem postura pra ganhar

      enquanto o são paulino não entender isso, pode mudar treinador, jogadores, esquema tático, o porteiro oq for se o SPFC não mudar a postura interna, nada vai adiantar

Deixe uma resposta