Dossiê São Paulo: Análise COMPLETA sobre o esquema de Dorival Jr.

Dorival Jr. esta próximo de completar 8 meses à frente do São Paulo.  Na gestão de Leco, somente Paton Bauza chegou a 8 meses.  Doriva ficou 2 meses, Ricardo Gomes 4 meses, Rogério Ceni, quase 7 meses.

É o primeiro técnico nessa gestão que terminou o campeoanto Brasileiro e começou o Paulista dirigindo o clube.

Perdeu Hernanes e Pratto, mas manteve outros 9 titulares:  Sidão, Militão, Arboleda, Rodrigo Caio, Edimar, Jucilei, Petros, Marcos Guilherme e Cueva.

Fora isso, já tinhamos desde o ano passado, Bruno, Bruno Alves, Aderlan, Shaylon, Lucas Fernandes.

Além dos retornos de Reinaldo e Hudson.

Nosso time já tinha dificuldades no ano passado para bola chegar em Pratto.  Esse ano, sem Hernanes, mas contra times inferiores, pioramos.

Em 8 rodadas no Brasileiro, temos 4 derrotas, 3 vitórias e 1 empate!

SALDO DE GOLS: 0

Um time que tem saldo zero, não tem equilíbrio!  De nada adianta tomar poucos gols, se fazemos poucos gols.

PROBLEMAS DO ESQUEMA DE DORIVAL JR.

1. Lado esquerdo – No 4-1-4-1, se pelo lado direito temos Marcos Guilherme que acompanha lateral, mas, no lado esquerdo temos Cueva flutuando pelo campo, e quando perdemos a bola, ele não recompõe seu lado.  Além de Cueva, Nene também não é um jogador que recompõe rápido.

2.  Linha de Defesa Recuada demais – Depois de 8 meses de trabalho, com defesa                      (titulares e reservas) praticamente a mesma, o time não consegue avançar a linha              de defesa, ou fazer linha de impedimento (que brasileiro chama de linha “Burra”,              que na verdade é uma linha inteligente para não dar espaço para time adversário              pensar, e fazer todos os adversários receberem a bola de costas para nosso gol. O                Gol do Santos, tentamos pressionar a saída de bola e a zaga não avançou.

3. Diego Souza isolado, volantes/meias que não entram na área – Diego Souza, vem sendo “encaixotado” por 2 zagueiros e um volante.  Diferentemente da seleção de Tite, onde volantes meias, se infiltram, tabelam pelo meio, e temos dribladores rápidos nas laterais e pontas, muitas vezes o volante e o zagueiro saem de suas posições para cobrir o lateral, volante que tomou um drible.  E aí, ele pode ficar no mano a mano, e com cruzamentos de pé trocado que vai em direção ao gol, que é a melhor bola para se cabecear.

Diego Souza não tem como receber bola rasteiras pelas pontas e pelo meio.  No Alto, a bola tem que subir por cima do primeiro zagueiro, e decair exatamente onde Diego Souza esta, para que ele possa fazer gol de cabeça.

COMO RESOLVER?

  1. MARCAÇÃO PRESSÃO – Porque Pato, fez sucesso jogando aberto pelo lado esquerdo?  O time de Osorio não esperava o adversário em seu campo, e desta forma, Pato não precisava voltar.  O time marcava pressão a saída de bola, uma vez que zagueiros e goleiro, dificilmente acertaram um lançamento ou um passe em profundidade.  É preciso fechar os laterais, para deixar os zagueiros sairem jogando.

Com exceção dos zagueiros e primeiro volante, nenhum outro jogador do adversário pode receber a bola de frente para nosso gol.  Com isso é impossível um lançamento nas costas de nossos laterais ou zagueiros, a não ser um chutão!  E no Chutão, temos Jucilei à frente da zaga para ganhar a bola pelo alto.  Mas, para isso é preciso de um pouco mais de empenho dos jogadores da frente, algo que a base já esta acostumada a fazer com Jardine

2. PONTAS RÁPIDOS E DE PÉ TROCADO – Isso já vem ocorrendo no mundo inteiro.  O ponta de pé trocado domina a bola de frente para o gol e não de frente para bandeirinha de escanteio.  Com isso, abre um espaço para o lateral cruzar.  Ou seja, temos duas opções diferentes de cruzamento.  Um cruzamento na linha de fundo do lateral, ou um cruzamento do bico da área em direção ao gol onde um pequena raspada, “mata” o goleiro.  Temos Caíque, Cipriano e Helinho para fazer essa função q Neres e Araujo faziam tão bem!

3. VOLANTES ENTRANDO NA ÁREA – Quem popularizou esse esquema de 4-1-4-1, o técnico Tite, sempre teve volantes que entram na área como Paulinho, Elias, Renato Augusto e Rodriguinho.  Vejam quando gols de cabeça e infiltração fizeram.

Petros jamais jogou com Tite, pois não tem essa características (Era queridinho do Mano).  Hudson, tem bom cabeceio, e apesar de ser também um dos queridinhos de Mano (no Cruzeiro), acredito que sabe entrar melhor na área, assim como Shaylon um meia alto.

Perceba que com ponta de pé trocado, temos mais uma jogada que os defensores tem que se preocupar, que é o chute com a parte de dentro do pé colocado no lado oposto do goleiro.  Além disso, abre-se um corredor, para cruzamento, algo que quando o ponta é destro, acaba não acontecendo.  Com Shaylon e Hudson “pisando na área”, mesmo que lateral erre cruzamento, se for fraco demais tem Hudson, e for forte demais tem Shaylon.  Para isso acontecer é fundamental, avançar a o time, fazer o adversário recuar.

Ernani Takahashi

84 comentários

    • Dorival vem insistindo no mesmo esquema desde julho do ano passado!

      Jogar Brasileiro, com risco de Z-4, concordo que corre menos risco!

      Mas, jogando contra times menores, com zagueiros ruins, que só batem…..não entendo porque não sufocamos e matamos o jogo, marcando pressão!

  1. Ponte que partiu, para não falar outra coisa, analise perfeita Ernani, parabéns mano.

    COm osório tinhamos isso, aquele senhor só não deu certo pela safadeza do Aidar na epoca de vender meio time, mas bola pra frente.

    Parabéns pela analise.

  2. Tá faltando você nos treinos, aqui Ernani Takahashi…Fica esperto se não o Leco te pega…pega daqui pega dalí…ah não, essa é a cuca né…falando em Cuca…será que ainda dá??? Cuidado Dorival…olha a “Cuca” se não ela te…

    • Se isso for pra defender a continuidade do Dorival, vou repetir algo q disse outro dia.

      Sempre que falamos de continuidade pensamos no tite do Corinthians, devido a passagem vitoriosa dele apos um começo dificil.
      Mas vamos analisar isso mais fundo.
      Tite chegou faltando 8 jogos pra acabar o camp. Brasileiro.
      Nao lembro os numeros certos agora, mas foi bem e conseguiu classificar o time pra pre libertadores.
      No outro ano, teve o primeiro jogo no dia 16 de janeiro. 10 dias depois, tendo 3 jogos nesse intervalo (1v 2E) encarou o Tolima. Empatou em casa e uma semana depois perdeu fora
      Sofreu muita pressão, foi questionado e todo o resto.
      Mas oq ngm pondera é q ele foi eliminado de uma competição q eles nao tinha tradição, sempre penaram e sofreram. Alem disso, ele mantinha um padrao de jogo que ia de encontro com oq ele tinha pra trabalhar. Nao forçava peças fora de posição, improvisando ou colocando jogadores em funções q nao tinham qualidade pra exercer.
      Tbm vinha de varios trabalhos bons.

      • Tite não foi demitido após o Tolimazzo porque tinha uma multa contratual alta. Andrés Sanchez o segurou na esperança de – se os maus resultados viessem a continuar – o próprio treinador pedir desligamento. Profissional que é, Tite seguiu trabalhando e os resultados positivos surgiram.

        Óbvio que a sorte lhe sorriu quando Ronaldo e Roberto Carlos, duas estrelas que só jogavam com o nome naquela altura, decidiram pela aposentadoria/saída após o vexame e o treinador não precisou mais passar pela pressão de escalar as estrelas que pouco colaboravam para seu estilo “operário” de jogo.

        Dorival, que forçou a barra pra trazer antigos comandados seus (Victor Ferraz, Robinho e Gabriel Barbosa) não indicou quaisquer outras possíveis peças de reposição e agora posa de marido traído, que não não foi avisado de outras contratações quando o próprio não se envolveu na busca por reforços.

        Agora ele escala os veteranos todos juntos por obrigação/imposição ou “raivinha”? Forçando o inevitável fracasso do jogo coletivo.

  3. Li agora do globo esporte que a diretoria deu uma segunda chanse para o Dorival, espera ai…….. E os jogadores quantas chases eles tem mais e a diretoria mais quantas chances eles tem, vejam que essa noticia deixa todos muito folgados, e pensam os jogadores, a culpa não é nossa dos jogadores e do técnico, isso não passa uma mensagem para os jogadores que eles não precisam mudar sua postura ai entra técnico e sai técnico e les continuam a produzir esse futebol vergonhoso.

  4. Um dos pontos interessante levantado, que serve para diversas analises, é a parte sobre o Pato.
    Ajudava na marcação exatamente por nao precisar recuar.
    Como venho dizendo, MG recua muito pra acompanhar, o time recua, os jogadores ficam fora de posição e perdemos nosso contra ataque e, consequentemente, uma transição mais rapida. Acontecia muito com Pratto ano passado.

  5. Vi as palavras dossiê e esquema no mesmo título e achei que era outro escandalo dos sanguessugas do clube. Ainda bem que é uma coluna do Ernani. Bem vindo de volta!

  6. A solução apontada por você, Ernani, é dificultada pela falta de treinos nesse sentido, mas também pela característica dos jogadores que o Dorival insiste em utilizar. O avanço das linhas demanda jogadores de velocidade para cercar os adversários e retomar a bola ainda no campo de ataque.

      • Eu também acho que era só treinar, mas da forma como aconteceu no jogo, me pareceu uma decisão isolada (e desesperada) do Bruno Alves de tentar colocar o atleta em impedimento.

        A lentidão do time para atacar também dificulta a implementação dessa linha de defesa alta, da qual eu sou admiradora, aliás.

  7. Bem, Dorival vem pedindo pontas desde o ano passado, e deram pra ele Nenê, Trelez e Diego Souza.

    Também acho que o trabalho dele está aquém, mas para esse estilo de jogo que vc propõe, e que eu imagino que era o que o Dorival gostaria de fazer, seria preciso botar esses veteranos no banco e apostar na garotada. No entanto, esse é um projeto de médio prazo, e não há essa paciência por parte de ninguém.

    A ideia de jogo deveria ser a mesma praticada na base, desse modo a adaptação dos garotos é mais rápida, e do jeito q está quem tem q se adaptar são os profissionais. E infelizmente me vem a mente aquela frase ” não se ensina truque novo pra cachorro velho”. Acho q há resistência por parte dos veteranos, e nisso a culpa é da diretoria que os contratou.

    Enfim, a primeira coisa q deve mudar é a postura da direção, depois talvez poderemos implantar qualquer modelo de jogo, se for esse, melhor ainda.

  8. Show a análise, parabéns Ernani.

    Até quando vai a teimosia com o Sidão, não sabe sair do gol, já ta na hora de uma oportunidade para o Jean.

        • Então foi mal executada e não foi por culpa de linha alta!

          Quando se faz linha de impedimento, zagueiro tem que atacar a bola, pra deixar o atacante em impedimento…..

          Mas, ele saiu com bola indo pelo meio……difícil entender

          • Mal executada.

            No primeiro gol, zagueiro estava a frente do atacante na marcação.
            No momento em que tentou colocar atacante em impedimento a bola foi lançada.
            Atacante ficou sozinho a frente do Sidao.

            No segundo gol, bola alçada na área e Reinado tira da grande área de cabeça.
            RC, Militão, Reinaldo saem da pequena area que tinha tres atacantes.
            Bruno fica deixando os tres em situação legal.
            Quando bola é alçada novamente Cueva tentou ajudar mas não conseguiu. Gol.

            Vi titulo ser decidido por erro na aplicação do impedimento.

            O mundial de clubes de 2005 terminou São Paulo 1 x 3 Liverpool.
            O único em que bola entrou e foi legal foi o do mineiro.
            Um dos lances em que bandeira anulou foi questão de centimentros.
            Boa visão do bandeira mexicano e linha de impedimento perfeita do tricolor.

            Contra o Ituano, ouvia-se pela TV goleiro deles gritando: Saiiiii
            Goleiro tem que comandar ações na grande área.
            Tem que liderar as ações la atrás.

  9. Deve ser mais ou menos por aí. Sou absolutamente xucro em termos de tática e nem entro no mérito. Sou das antigas e confesso que não evolui nesse sentido. Ainda sou do tempo 4x2x4…hehehe
    Mas se o Ernani falou está falado.

  10. Salve Ernani, ótima análise!

    Discordo um pouco da opção do Hudson apenas, pois – mesmo voluntarioso e com bom jogo aéreo – considero-o um jogador burocrático, de toques curtos e lentos, além de quase nenhuma visão de jogo.

    Mediante as opções escassas na lateral direita, eu tentaria o Hudson ali (maior velocidade e empenho no ataque sem tanta perda defensiva em relação ao Militão).

    Felipe Araruna, com mais confiança, poderia ser uma opção para o volante/meia central.

    Apesar disso, quem eu gostaria de ver ali por dentro é o Lucas Fernandes, que não é tão rápido pra ser ponta e nem tão forte fisicamente para jogar espetado lá na frente, de costas para os volantes e zagueiros. Por sinal, ele já havia sinalizado ao Rogério em 2017 a sua intenção de ser o “8” e não mais um camisa 10 ou 11.

    Lucas tem técnica e visão de jogo pra ser um bom armador central, que vem de trás com a bola e dita o ritmo de jogo, além de rematar bem da média distância.

    Jovens, tanto LF quanto Shaylon tem a disposição para, correr e recompor na fase defensiva que veteranos e boleiros como Nenê e Cueva não tem. Mesmo o pesado Petros, apesar de volante de origem, por vezes abandona umas coberturas, principalmente na beirada do campo.

    De resto, a análise é certeira, ao meu ver!

    • Fala amigo! Concordo com você! Eu tbm gostaria de ver Lucas Fernandes! Pois se marcarmos pressão não é necessário saber defender…apenas não deixar volante virar o corpo e ficar de frente pro nosso gol…

      Mas, Hudson de Paton e Hudson com um volante atrás, é diferente….mas, é questão de opinião…e respeito demais a sua!

      • Hudson sofreu muito no time de Patón porque – por vezes – era o único cara que corria pra marcar, por todos os lados. É justo que se diga isso. E, óbvio, ele não tem a passada e o porte físico do Jucilei, por exemplo, pra fazer esse combate de “matar ou morrer” um jogo inteiro.

        Mas, voltando à meia cancha… rsrs Até por esse esquema dispensar essa necessidade do meia central ser um grande marcador, Lucas e Shaylon me parecem opções mais atraentes ao Hudson, tecnicamente falando.

        Assim como o Hudson, tecnicamente e fisicamente (velocidade) falando, seria uma opção muito interessante em vez do Militão.

        Nosso zagueiro/volante revelação foi muito útil diante das urgências e necessidades do ano passado, mas é inadmissível que o Dorival siga improvisando ele.

        Além de matar o desenvolvimento de um jogador de grande potencial na sua própria posição, ele mata o sistema de jogo do SPFC. Ninguém precisa se preocupar com os ataques pelo nosso lado direito. Ao lateral adversário, basta ficar de olho no Marcos Guilherme. Militão é tão lento pra função que qualquer volante ou ponta mais esperto consegue alcançá-lo se ele avançar por ali, encaixotando qualquer chance de tabela.

        Mas numa coisa concordamos 100%: Petros é muito lento pra exercer a função de 2º volante de um time que se propõe a pressionar o adversário. Se jogássemos num 4-2-3-1 mais convencional, com os dois volantes plantados, ele seria um ótimo companheiro pro Jucilei. Já que essa não é a ideia nem do Dorival, o Pai de Família vai precisar comer um banco pra esse meio se acertar.

        Abração meu caro!

  11. Aí sabe!!!

    Bom retorno e que apareça mais vezes!

    Olha aí Leco, contrata o Airnani, só toma cuidado com a multa rescisória que deve ser uma pizza e uma coca…

  12. Sabe o que me dóis e ver todos falarem que o Dorival e já ouvi falarem isso de todos os treinadores que passaram pelo SÃO PAULO. que eles são teimoso que são pardais, e quando vejo torcedor escalando o time aqui escalam os mesmo jogadores que essses técnicos. escalem o time aqui para enfrentar a ferroviaria e vamos ver se seu time é muito diferente do time que o Dorival vai por em campo. e depois vamos analisar a sua escalação.

  13. Eu não vi uma profissão mais facíl que ser comentarista de futebol, falar depois que o jogo acabou é muito facil, criticar esta ou aquela ação do treinador, já vimos comentarista com treinador e a maioria já sabe o resultado.

    • É verdade! Concordo com você! Por isso não sou comentarista e trabalho duro de segunda a segunda, e por isso não escrevo tanto!

      Convido a você, ler textos meus aqui no Blog sobre todos os técnicos….

      Mas, não é necessário concordar, e se quiser debochar, ironizar, fica a vontade!

      Aqui só tem voluntário meu amigo….

  14. Que maravilha, no Brasil temos duzentos milhões de treinadores, precisamos canalizar pra política, assim tiraremos o país do buraco. A gestão de pessoas que é o problema, o dia dia vai desgastando os relacionamentos não é tão simples como muita gente pensa.

  15. não sou advogado do Airnani mas ele só está expondo sua análise tática, ninguém é obrigado a concordar com ele, se tem alguém que se sentiu “ofendido” por causa disso é só ignorar, não precisa tentar ridiculariza-lo, até pq se o futebol não é prioridade na vida do comentarista, então não faz sentido a pessoa ficar “zangado” rsrs..

    pessoal ultimamente tá muito estressado por nada.

    • Pois é, dizem que futebol não é prioridade, mas vem aqui ironizar quem discute sobre o assunto…

      Se tem 50 assuntos na frente, porque vem aqui?

      Deve ter blog sobre orçamento doméstico por aí, é só procurar…

      • Siga pra mais irmão tricolor, afinal o blog trata de assuntos relativos ao SPFC, ou seja, futebol é pauta também, logo tática também, portanto…

  16. Legal o post . bem detalhado .
    Hernâni . olhando seu post pude entender que não esta errado a forma que eu venho pensando que o nosso time não sabe marcar dentro do esquema de jogo proposto . porque eu não sei colocar em palavra tudo isso que você apontou . mais a imprensa durante o jogos e que o time e cheio de buraco sem a bola. Do ataque ate a defesa . o time não preenche o campo de jogo . Não falo de ocupar o campo todo . mais do time esta no jogo . que quer dizer esta bem no jogo produzindo .parece um time desesperado . chegando atrasado nos lances . tanto de ataque como de defesa . justamente por esses desajustes que você apontou .

  17. Excelente Post!!!!
    Eu sou partidário do retorno do 3-5-2. Jogaríamos com os mesmos titulares de hoje, porém em um esquema diferente. Reinaldo e Marcos Guilherme atuando como alas. Zaga com o Militão, R.Caio e Arboleda. Volantes: Jucilei e Petros, Cueva de armador, e Nene e D. Souza no Ataque… Minha opção por esse esquema é o nosso problema com as laterais…

    Abs

  18. Ernani, muito boa análise.

    Mas ainda acho q não temos jogadores qualificados pra jogar em esquema europeu.

    Os craques estão todos na Europa .

    Aqui é preciso esquema militar, na força e objetividade e eficiência.

    Jogar por uma bola se for preciso.

    Quando treinador inventa de imitar esquema europeu, fatalmente pega um time armado em esquema de guerra e perde.

    Todo time, principalmente os pequenos, vêm no esquema de guerra contra a gente.

    Pq sabem que esquema de pontas, sem jogador de alto nível como na Europa, perde no esquema de guerrilha.

  19. Como formação ideal e peças disponíveis sao coisas que dependem uma da outra, e levando em consideração oq Dorival tem escalado, acharia muito interessante um time no 4231
    A linha de 4 ja está bem definida. Nesse esquema tbm vejo sendo possível a utilização de Petros e Jucilei jogando juntos, com Jucilei tendo mais liberdade pra atacar.
    Nene, Ds e Cueva poderiam ser utilizados no meio. Brenner no meio.
    Assim, o nosso menino da base e DS podem alterar posicionamento e jogadas.
    Alem disso, com uma unica substituição da pra mudar totalmente o modo de jogo e a disposição tatica em jogos mais difíceis.

  20. Tem gente fazendo confusão ao ler o texto.

    O texto fala sobre pontas invertidos, marcação pressão, ou seja, coisas do futebol… E nego vem falar sobre politica, afazeres domésticos, coisas que não tá escrito no texto.

    Argumentar em cima de absurdo é osso. Santa paciência…

  21. Pra que Dorival, Jardine ou Luxa? Olha que brilhante análise…
    Todo mundo que acompanha um pouco de futebol e gosta do esporte sabe de tudo isso. Assim como o Dorival tb sabe, o mais difícil é conseguir fazer sem ter as peças e tendo um adversário do outro lado, aí que entra a qualidade, a velocidade a entrega e outras coisas mais, que parece que não temos.

  22. Cara, matou a pau na análise mesmo. Não só argumentou como deu exemplos tornando o texto ainda melhor. Tudo o que você falou pra melhorar é o que a gente vê em times como o Napoli, Monaco, Juventus, Chelsea e Man City (pra mim os melhores taticamente nas 2 últimas temporadas). E também é o que vemos no sub-20. Não é a toa que sai jogador, entra jogador, sobe todo mundo, muda todo e estamos sempre nas fases finais das competições. Jardine tem que subir já!

  23. Mais uma ótima análise, Takahashi! Inclusive me abriu os olhos p parar de querer defender q a contagem do tempo do Dorival começou em 2018, não contando a luta contra o rebaixamento.

    Uma bronca q eu tenho com o Dorival é essa escalação óbvia dos pontas. Marcos Guilherme na direita, Nenê na esquerda. Caíque qdo entra, é na esquerda. Boinha entra na direita. Os moleques vêm da base já adaptados a jogar de pé trocado e o animal queima essa carta.

    Nem falei do Cueva, pq a forma como ele escala o Cueva é sempre forçando o jogo dele pra dentro. Reinaldo fica sem dupla. É claro isso pq qdo Nenê troca c Cueva, sai a jogada de linha de fundo c Reinaldo. Foi assim q saiu gol.

  24. A análise do comentarista está aí, como deve ser na democracia.. Mas o treinador assumiu em meio à temporada passada um time caindo, literalmente, pelas tabelas, sem um elenco com as características do estilo de jogo que prefere, dependendo de dois ou três jogadores, essencialmente do Hernanes. Aí, o time não cai, mas lideranças técnicas e de personalidade saem. O cara vê o Raí, o Lugano e o Ricardo Rocha chegarem, em tese, pra arejar a gestão. Segue jogando com Lucas Fernandes, Brenner, Shaylon e etc. Aí, chegam, pelas mãos da direção, Nenê, Trellez e Diego Souza. Uns, “oportunidades de mercado”, sem levar em consideração o perfil do treinador, que gosta de transição rápida, laterais de pé trocado, pressão no homem da bola adversário, pontas que vão e voltam e mobilidade. E outra: marcar por pressão e manter linhas adiantadas exigem jogadores rápidos em todos os setores do campo. Onde o Tricolor tem volantes e meias rápidos? Mesmo os zagueiros. Temos o Arboleda. Mas e o resto? O Rodrigo Caio, nem comento, tamanha é a enganação. Direção contrata técnico e monta elenco de forma incoerente e incompetente. Mas a culpa é do técnico (que se aperfeiçou e melhorou muito nos últimos anos) e do filho dele. Parte da torcida são-paulina merece, mesmo, a duradoura má fase do clube, que, hoje, é uma instituição sem a identidade de outros tempos, sem uma cultura futebolística. Tristeza acreditarem que entrar e sair técnico vai resolver um.problema tão mais profundo.

Deixe uma resposta