Por que o São Paulo oscila tanto em 2018?

Uma característica comum ao São Paulo na atual temporada é que o time de Dorival Júnior tem conseguido atuar bem por 45 minutos e ao mesmo tempo sofrer durante os outros 45. Algumas vezes a dificuldade está no primeiro tempo em outros no segundo.

 No triunfo diante do CSA por 2 a 0, em Maceió, na última quinta-feira, foi possível observar isso mais uma vez.

Nos primeiros 45 minutos, o São Paulo acertou o gol apenas uma vez e sofreu quatro finalizações certas, tendo uma atuação bem sofrível para seus torcedores. Nos 45 finais, a equipe do Morumbi finalizou oito vezes, das quais três no alvo, fez dois gols e sofreu somente um chute do rival, uma atuação bem mais empolgante. Resultado: vaga assegurada na terceira fase da Copa do Brasil.

Diante de Botafogo-SP (triunfo por 2 a 0) e Corinthians (revés por 2 a 1), ambos confrontos pelo Campeonato Paulista, o roteiro foi bem parecido. O time teve atuação decepcionante no primeiro tempo e melhorou na etapa final.

Contra Bragantino (1×0) e Madureira (1×0) o cenário foi o contrário. A equipe se saiu melhor no primeiro tempo.

Os rivais citados correspondem aos últimos cinco compromissos do São Paulo, jogos em que o time tricolor contou com quase força máxima, embora o meia Cueva só tenha retornado aos titulares contra Botafogo-SP, Bragantino e CSA.

O técnico Dorival Júnior não nega que o time tem mesmo mostrado essa deficiência. Ele foi questionado sobre isso nos últimos cinco jogos. De forma até repetitiva, ele atribuiu essa oscilação ao pouco tempo disponível para treinar e ao pouco tempo de recuperação entre um jogo e outro – em média, o São Paulo tem feito uma partida a cada três dias.

“Não tem como contestar isso. Qualidade de jogo não vamos ter. Não estamos tendo qualidade em campeonato nenhum. Vemos as grandes equipes jogando os torneios regionais e em paralelo a Copa do Brasil ou a Libertadores, alguma coisa assim, e vemos as dificuldades que todos têm. Não é uma situação específica do São Paulo. Todos os clubes estão vivendo isso. Queremos quantidade ou qualidade? Optamos pela quantidade e estamos vendo aí um campeonato tecnicamente muito pobre”, disse o treinador.

A justificativa de Dorival é válida, mas é possível ir além e observar com ajuda do TruMedia, a ferramenta de estatísticas exclusiva da ESPN, as características que tornam o São Paulo um time bom por 45 minutos e outro sofrível nos outros 45.

Nos 45 minutos em que joga melhor, o São Paulo atua com a marcação avançada, desarma mais (inclusive com os jogadores de frente) e é mais objetivo. Ou seja, troca passes em direção ao gol, finalizando mais e melhor.

Diante do CSA, mais especificamente no segundo tempo, o mapa de calor revela um time mais compactado, com todos os jogadores mais próximos. Naquele recorte de jogo, foram 195 passes (com acerto de 85,9%) e oito finalizações. Ou seja, um chute a cada 32,5 toques na bola. O time fez dois gols (o que acabou por definir a partida). O número de desarmes foi o mesmo dos 45 iniciais: cinco. Mas o rival alagoano só conseguiu dar dois chutes, sendo que somente um foi no alvo (e a bola foi defendida).

Nos 45 minutos em que decepciona, a equipe do Morumbi dá menos combate, desarma menos. Os jogadores ficam mais espaçados. Os homens de frente ajudam menos. E há quase nada de objetividade – os passes são trocados na linha do meio de campo.

O jogo contra o CSA também é uma boa referência. Durante o primeiro tempo, o São Paulo trocou 223 passes (com acerto de 84,8%), mas finalizou apenas três vezes. Ou seja, um chute a cada 74,4 toques na bola. Apesar de dar os mesmos cinco desarmes do segundo tempo, o time tricolor sofreu dez finalizações contra, sendo quatro no gol. O mapa de calor revela que os jogadores do clube do Morumbi estavam muito distantes e a troca de passes se deu basicamente na linha do meio de campo.

Dorival Jr. tem demonstrado preocupação com essa oscilação (e com esses problemas). Nos treinos, procura corrigir, exige dos jogadores mais participação, mais ajuda na marcação e mais velocidade.

O treinador sabe que contra adversarios em tese menores, o time conseguiu superar esses problemas e vencer por ter mais qualidades individuais. Mas contra o Corinthians, rival com jogadores mais qualificados e com boas opções no banco de reservas, a melhora no segundo tempo (após um primeiro tempo bem ruim) não modificou o resultado final (derrota por 2 a 1).

O clássico contra o Santos, no domingo, será mais um termômetro para o São Paulo neste início de temporada ver o quanto evoluiu e o quanto precisa trabalhar. O duelo será no Morumbi e nova apresentação irregular pode ter na escolha dos titulares.

CONFIRA UM RAIO-X DOS ÚLTIMOS 5 JOGOS DO SÃO PAULO

15/02/2018 – CSA 0x2 São Paulo
1º tempo
223 passes (84,8% de acerto)
3 chutes (1 no alvo)
10 chutes contra (4 no alvo)
5 desarmes
0 gol

2º tempo
195 passes (85,9% de acerto)
8 chutes (3 no alvo)
2 chutes contra (1 no alvo)
5 desarmes
2 gols

07/02/2018 – São Paulo 1×0 Bragantino
1º tempo
282 passes (86,8% de acerto)
5 chutes (3 no alvo)
3 chutes contra (1 no alvo)
4 desarmes
1 gol

2º tempo
204 passes (80,3% de acerto)
3 chutes (1 no alvo)
7 chutes contra (3 no alvo)
7 desarmes
0 gol

03/02/2018 – São Paulo 2×0 Botafogo-SP
1º tempo
200 passes (83,3% de acerto)
5 chutes (0 no alvo)
4 chutes contra (1 no alvo)
5 desarmes
0 gol

2º tempo
186 passes (80,9% de acerto)
6 chutes (2 no alvo)
7 chutes contra (4 no alvo)
7 desarmes
2 gols

31/01/2018 – Madureira 0x1 São Paulo
1º tempo
269 passes (84,1% de acerto)
3 chutes (1 no alvo)
4 chutes contra (3 no alvo)
6 desarmes
1 gol

2º tempo
251 passes (87,2% de acerto)
14 chutes (1 no alvo)
7 chutes (0 no alvo)
4 desarmes
0 gol

27/01/2018 – Corinthians 2×1 São Paulo
1º tempo
163 passes (84% de acerto)
6 chutes (1 no alvo)
5 chutes contra (5 no alvo)
6 desarmes
1 gol

2º tempo
248 passes (83,8% de acerto)
4 chutes (1 no alvo)
2 chutes contra (0 no alvo)
8 desarmes
0 gol

ESPN

15 comentários

  1. Como assim oscilação? A única oscilação de 2018 foi a partida contra o Mirassol, em que o time se esforçou para jogar bola e criar situações de gol de maneira estruturada. Todo o resto foi uma equipe sem ideias e com execução pífia contando com a sorte e boas atuações de um ou outro defensor.

  2. Voltando ao assunto Morumbi fora da copa:

    O empresário José Hawilla, dono da empresa de marketing esportivo Traffic, delatou Andrés Sanches, deputado federal do PT e presidente do Corinthians, à Justiça dos Estados Unidos.

    Segundo Wanderley Nogueira, da rádio Jovem Pan, Hawilla disse o seguinte:

    “Durante a Copa do Mundo de 2010, o Sr. Ricardo Teixeira começa uma relação de divisão com o chefe da seleção Sr. Andrés Sanches e este, muito ambicioso, se dispôs a ajudar a mim e ao Sr. Ricardo Teixeira, desde o pagamento de clubes, entidades e até mesmo empresários de jogadores (…).

    A relação do senhor Andrés Sanches com o Sr. Ricardo Teixeira se tornou um elo muito forte, onde o mesmo estava encarregado de fazer propinas chegarem até os clubes e federações e também com as TVs.”

    Hawilla contou que, depois de muita colaboração com Teixeira, foi oferecido de “presente” a Sanches o “cargo de presidente de seleções de futebol da CBF, em janeiro de 2012”.

    “A aproximação ficou ainda maior”, mas, no que dizia “respeito ao pagamento de propinas”, a relação começou “a ficar insustentável pois o Sr. Sanchez cada vez mais pedia e exigia”.

    “Os valores nas negociatas eram cada vez mais abusivos, deixando irritados os dirigentes de outros continentes, patrocinadores do Brasil, presidentes de federações internacionais e outros.”

    Hawilla disse que “Sanches evitava aparecer, mas os mais próximos de Teixeira sabiam que ele estava por trás, inclusive que a parte dele e dos clubes do Brasil” vinham pelas “empresas de material esportivo”.

    “Ele pedia para ser entregue em um apartamento na Rua Apinages, bairro Sumaré, São Paulo, Brazil.”

    Em razão de vários desentendimentos, em reunião de novembro de 2017, “com desaprovação do Sr. Sanches eles decidem terminar o ciclo”.

    “O Sr. Sanches jamais aceitou esta intervenção do Sr. [Marco Polo] Del Nero, que considerava um perigo e uma bomba para o esquema.”

    Hawilla informou “que, no estado da Flórida, foi o sr. Sanches presenteado com uma casa, no sentido de ficar calado”, porém não soube dar maiores detalhes sobre o imóvel.

    • Cara é Brasil… Isso vai dar em nada eu acho.

      Se não fosse os EUA quando que o escândalo da FIFA seria revelado e o Marin preso.

      Sanches é ladrao assumido mas não muito diferente de boa parte do meio. Dos times da série A só o presidente do Flamengo e o atual do Bahia tenho boa impressão.

      • Por isso mesmo SCV! Nao dá em nada no Brasil, mas a denuncia é nos EUA. Logo, mesmo sendo impune no Brasil, ele nao poderá sair do país, pois pode ser preso em qualquer outro país e ser extraditado para os EUA. O Del Nero e o Ricardo Teixeira nao saem mais do país, pois sabem que podem ser presos. Será o mesmo caso do cara de areia mijada.

  3. Realmente, sobre o Morumbi, se chegar o metrô lá, vai melhorar muito o acesso.
    Mas depender dessa boa vontade das autoridades públicas para agilizar qualquer coisa, é complicado.
    O SPFC podia priorizar a construção de um estacionamento no estádio, o público certamente dobraria e a arrecadação quadruplicaria.

    • A linha amarela está deEbento em popa.
      Acabaram de inaugurar a estação Mackenzie. Logo devem inaugurar a estacao Oscar Freire.
      O próximo vai ser a Morumbi, provavelmente ano que vem.
      Porque demorou? Com a lava jato, muitas grandes ficaram sem condições de desenvolver as obras que ficaram paradas por uns tempos. Trocaram as construtoras.
      Agora licitadas e em andamento é questao de tempo.

      • Qdo chega as eleições de 2022 eles inauguram essa estação do Morumbi…PSDB só inaugura estação de metrô em ano eleitoral isso é histórico e ninguém fica nem vermelho ….

          • Morumbi era prioridade enquanto era estádio da copa. Era mandatário levar mobilidade para la.

            Duas linhas de metrô e a avenida perimetral saindo da marginal pinheiros com 6 pistas

            Quando deixou de ser, perdeu prioridade.

            Com a crise das grandes construtoras obra parou. Novas licitações, novas empresas, novas regras.
            Está voltando agora.
            Não cumpriram rigorosamente as datas mas defasagem foi pequena.

            Pego a linha amarela quase todos os dias.
            Muitos domingos com parte do trajeto interrompido para obras das novas estações.
            Está dentro de uma agenda normal e andando.

            Perdeu-se muito em termos de mobilidade com Morumbi fora da copa. E somando se a isso a crise económica.
            Não acredito que termine no prazo, acredito que termine.

      • Culpa da lava jato?! Piada

        O Alckmin estes tempos culpou a iniciativa privada pelos atrasos… Outra piada

        No Brasil, obra nunca tem prazo, depende…. Dos interesses dos políticos….

  4. Boa noite,

    O time oscila pois ainda não chegou no ponto certo de preparação e entrosamento. Querendo ou não, houve grandes mudanças no time titular. Só perdemos o melhor jogador do ano passado (Hernanes) e perdemos o Pratto. Alguns jogadores não estão nem 1 ano no clube, outros chegaram agora. Time sempre mudando a cada 6 meses não tem como não oscilar.

    Infelizmente me dá um desânimo grande de comentar aqui no blog pois parece mais um muro de lamentações. Sei que a falta de títulos e futebol aquém do time geram impaciência na torcida mas ficar aqui só criticando e pedindo cabeça de técnico não vai resolver os problemas à curto prazo. O Dorival Jr, pode não ser um técnico dos sonhos mas acredito ainda que possa dar um novo rumo ao time.

    Como torcedores temos que acreditar e torcer por dias melhores e acredito que esse ano possamos voltar a conquistar títulos.

  5. 21 de outubro de 2015. Alguém poderia perguntar: o que é que tem essa data? Eu responderia o seguinte: Essa é a data do último SanSão realizado no Morumbi. É muito tempo, né. Amanhã teríamos que vencer bem pra tirar o atraso, o que vo 6 acham?

Deixe uma resposta