São Paulo espera renovação rápida com Jardine visando o futuro

Como a De Primeira mostrou em janeiro, o São Paulo trabalha com a ideia de formar seu próximo treinador do time profissional e André Jardine é considerado o nome ideal. Até por isso, o clube e o técnico do sub-20 já externaram a vontade de renovar o contrato, que tem validade somente até 31 de dezembro deste ano.

Alguns elementos estão amarrados e os dois lados têm interesse. Jardine já até trouxe parentes próximos, que viviam no Rio Grande do Sul, para morar em São Paulo, tamanha a certeza em seguir no clube.

Bruno Grossi

34 comentários

  1. Excelente profissional, bom temperamento e caráter. Só que na equipe principal a torcida e a diretoria não teriam paciência por um trabalho a longo prazo!. Nossa seca por um título esta nos deixando cegos.

        • Com Exceção do Arsenal, e do Manchester United ( Fergunson ) em menor escala e a mesma coisa, perdeu ta fora, o Unai Emery perdeu uma do Bayer na Alemanha ficou ameaçado no PSG, o Conte foi campeão no Chelsea ano passado, ta em terceiro esse ano, e depois de um 4×1 contra ta com os dias contados, se for desclassificado pelo Barça na Champions, sera despedido.

    • Quem acompanha a base, sabe do valor do profissional, não se apega somente a resultados imediatos, daria o maior apoio ao Jardine, mas quem é imediatista, acha que a unica coisa que vale é vitoria imediata sem saber o que virá no futuro, ia criticar de monte, caso ele não conseguisse uma serie de vitorias nos 5 primeiros jogos.

    • Exatamente por precisar de longo prazo e paciência que sou contra ele subir agora. Dá pra esperar o Raí estabilizar as coisas no profissional primeiro.

  2. Sobre o outro post… enquanto a gente fica reclamando (e clamando) por futebol bonito, tem time aí que vai ganhando títulos e mais títulos com “futebol 1×0”.

    A torcida do São Paulo tá achando que o clube tá nos tempos vitoriosos ainda.
    Primeiro vitórias, títulos. Depois futebol bonito.

    Futebol bonito, por si só, não traz títulos nem verba pro clube.

    Tem gente que ainda não entendeu.

    Por mim o São Paulo pode ganhar todos os jogos de 1×0, todos os mata-matas nos pênaltis.

    O que importa de verdade é a taça de campeão.

    • O problema é repetir o enredo da última década: se iludir com vitórias no meio do campeonato e na hora do jogo grande, decisivo, eliminátório, a realidade vem e bate na nossa cara.
      Vamos esperar a semifinal do Paulista pra conferir.

      • Amigio vc disse tudo, esses jogos pouco importam para a torcida do sp….o sp no mim tinha que apresentar um futebol mais consistente, eu quero ver nas fases eliminatórias de todas as competições, fora os clássicos. (zaga esta invicta e bla bla) Vamos ver os próximos confrontos incluindo o principal contra o Santos.

    • O problema é ganhar de 1×0 de equipes pequenas e quando chegar nos clássicos apresentar esse mesmo futebol e perder.

      Ninguém reclama das vitórias, só precisamos ter os pés no chão.

    • Adielson

      concordo, primeiro o clube precisa conquistar muitas vitórias para o time ir ganhando auto confiança e assim ganhar títulos

      depois ae sim pode pensar em jogar bonito, se é que dá pra fazer isso aqui no Brasil com os jogadores que jogam aqui.

    • Eu não vejo ninguém clamando por futebol bonito.
      Eu mesmo clamo por futebol bem jogado, o que é completamente diferente de futebol bonito.

      O que trás verba para o clube é boa administração, o que não temos.
      O que trás título é o futebol bem jogado e a boa administração, e isso não temos desde 2006.

      2007-2008 foi apenas o rescaldo do que construímos, e logo a fonte secou. Imaginar que ganhar de 1×0 é o suficiente foi o mesmíssimo pensamento que causou esse poço de mediocridade esportiva que vivemos e que curiosamente começou a ser formado sob o comando de um tal de Muricy Ramalho (não apenas ele, óbvio) nos anos de crista da onda. Olha a consequência, em 2018!

      Um Clube como São Paulo tem uma responsabilidade muito maior com o esporte do que simplesmente vencer títulos. Isso sim é o que as pessoas não entenderam e não querem entender.

      Torcer é bonito, xingar é fácil; difícil é todo mundo compreender que o São Paulo, outrora grandioso, não é mais assim e não será enquanto permanecermos na mesma régua dos demais.

  3. “Formar” o Jardine é sem dúvidas uma iniciativa sensacional.
    Por isso penso que o ideal é colocá-lo para estudar e estagiar um pouco. Não para copiar métodos alheios de maneira porca, como vemos muito por aqui, mas para se inspirar e criar o seu próprio, o método São Paulo.
    Quem sabe assim finalmente teremos um treinador decente.

  4. Segundo o professor Ari Riboldi, autor do livro Cabeça-de-bagre- termos, expressões e gírias do futebol , o termo “torcedor” é oriundo do latim, do verbo “torquere”, que tem o significado original de torcer, desvirtuar, distorcer, adulterar, tornar, virar, torturar e atormentar.

    No futebol, a ação está relacionada a apoiar a equipe com a qual se é identificado. Conforme o professor Riboldi, o verbo “torcer” designa a ação de “estimular os jogadores do time com gritos, palmas, gestos de mãos e braços, coreografias e cantos, em pleno estádio, como forma de somar, de contribuir, de participar do esforço dos atletas em campo na superação aos adversários e na busca da vitória”.

    A palavra “torcedor” é específica da linguagem brasileira, e o torcedor, fiel ao sentido original do termo, distorce os fatos e falseia a verdade. “É movido apenas pela paixão, pelo coração, pelo fanatismo, o que o impede de ter uma visão racional dos fatos, uma visão isenta e imparcial. O torcedor, na verdade, vê apenas o que lhe é favorável. Por seu amor incondicional ao clube do qual é simpatizante e seguidor, é capaz de desvirtuar as notícias a seu favor”, completa o professor Ari Riboldi

    Esses são os saopaulinos das antigas mas hoje temos os chamados modinhas que quando o time não vai bem só fazem críticas nada presta nada serve. Fico com pena do SATOTRI ter que cuidar do espaço com tanto modinha e justo ele um saopaulino de quatro costados.

    • Que legal! Sabe o que tem de interessantíssimo no conceito do prof Riboldi?

      “estimular os jogadores do time com gritos, palmas, gestos de mãos e braços, coreografias e cantos, em pleno estádio, como forma de somar, de contribuir, de participar do esforço dos atletas em campo na superação aos adversários e na busca da vitória”.

      Então, seguindo essa linha, torcedor que aqui reclama é mais torcedor do que vai ao estádio vaiar. Interessante, né?

      São-paulino das antigas não tinha que se preocupar com a implosão interna do Clube, nem com vaidade de jogador (porque antes havia amor à camisa), dentre outros.

      O São-paulino das antigas também nunca foi de pautar o que um companheiro torcedor deveria dizer ou não. E certamente o são-paulino das antigas nunca foi de se achar mais torcedor do que o outro.

      O maior trabalho do Sato aqui é justamente ter que moderar gente que se mete em confusão achando que é mais do que o outro, ou o que fica provocando outrem só pq não concorda com a opinião alheia ao invés de debater ideias.

      Sds Tricolores.

  5. colocar o Jardine hoje como treinador no time profissional, é pedir pra queimar um grande talento para treinador do SPFC

    a torcida está tão sem paciência que na primeira sequência de 5 jogos sem vencer, ele vira “lixo” da noite para o dia e será escorraçado do clube

    • Até porque colocar o Jardine como técnico sem mais nem menos para liderar um projeto rumo às vitórias já é um erro por si só.

      Haveria uma possibilidade de sucesso, sim, mas o risco seria enorme, e a probabilidade de falha seria muito maior.

      Penso que o ideal é prepará-lo para tal, estudando, estagiando, auxiliando, e assumindo um time profissional para disputar por um curto período e ganhar ritmo. Porquẽ não o Sub-23 entrando no Paulista ou Sula? E fazendo excursões contra times fortes. Vindo devidamente preparado, apenas corneteiros iriam chiar.

      Gostaria de ver isso realizado, mas cadê a fé?

      • vdd, o SPFC precisaria de um time “genérico” para aproveitar jogadores que são mal aproveitados no clube, ou para dar experiência aos mais novos, mas desde que esse time tivesse um estilo de jogo parecido com o do profissional, assim seria uma espécie de laboratório para formar e preparar jogadores e treinadores para o time principal do SPFC

        mas parece que a velharada tá mais preocupada com as vagas nas piscinas, churasqueiras e estacionamento do clube,

  6. Mais uma
    Penso que o verdadeiro torcedor tem um pouco de advogado em suas veias. Sim, pois, para defender sua paixão ele usa de todos os argumentos e artifícios, sem se preocupar com o absurdo de algumas das suas declarações… desde que elas surtam efeito e convençam de que o que diz é certo.
    Um bom torcedor sabe separar instituição, time e elenco… Dando a cada categoria suas devidas proporções e nivel de importância. Sabendo que a por ordem de importância, instituição é praticamente divina, intocável e, principalmente, o torcedor não pode admitir que ela seja ofendida! Quando ao time, considerando-se que é a formação que representa a instituição e que o décimo segundo jogador está na arquibancada, merece respeito… Quando a elenco, deve-se lembrar que amanhã o jogador estará beijando o escudo do adversário se este pagar mais, mas enquanto ele estiver no seu time você não pode criticá-lo: deve pelo menos respeitá-lo, não por ele, mas pela camisa que veste no momento… afinal, não se trata de qualquer camisa, mas a camisa que representa o que você ama!
    Torcedor de verdade tem que ser forte! Não ceder às tentações e, muito menos se diminuir para adversários… lembrando sempre que o que mais importa é o amor… E isso, é o principal do real torcedor.
    Amor não espera nada em troca, não cobra e não se enfurece… Simplesmente ama.

  7. O André Jardine tem um emprego, como qualquer bom profissional, e valoriza publicamente seu bom trabalho, porque tem aspirações maiores. Não se trata de alguém com o coração são-paulino de longa data, que numa diretoria opositora fica mais longe do clube, mas continua são-paulino e volta ao cenário com a eleição de outra diretoria. Observem Raí, Ricardo Rocha e Lugano, que após certa distância voltaram ao grupo. Estou certo de que com outra diretoria, se Rogério Ceni continuar seu trabalho em outros clubes e for bem sucedido, ele volta ao São Paulo como técnico e será muito bem recebido pela torcida da arquibancada. É esperar para ver!

  8. O Próximo Técnico do São Paulo, Nao to falando em demitir o DJ, acho que devemos ter paciência, o Time ta em formação, com meninos promissores , mas que precisam de lapidação, fora jogadores que vieram que precisam de ajustes para se encaixe no time, mas acredito que o jardine tem que subir de imediato como Aux Tec, permanente por conhecer os garotos da base, ele seria o elo da passagem desses meninos para o profissional, sendo que no máximo em 2019, já poderia assumir o comando técnico do time.

Deixe uma resposta