Reforços, oscilação e dúvidas: veja análise do elenco do São Paulo neste início de 2018

A torcida do São Paulo está desconfiada e ressabiada com o time versão 2018. O começo de temporada é oscilante: cinco jogos, duas vitórias, um empate e duas derrotas. Dorival Júnior mudou a ideia inicial do planejamento de revezar dois times, em função da curta pré-temporada, e passou a escalar sempre o que tem de melhor à disposição.

Apesar do início com altos e baixos, natural para quem perdeu Pratto e Hernanes, pilates do time de 2017, a tendência é que o São Paulo evolua. Alguns fatores precisam entrar no contexto das análises:

  1. Cueva: o peruano é um dos principais, ou o jogador de maior peso, do São Paulo. Mas por diferentes razões (criadas pelo próprio meia), ele só fez um jogo na temporada. Há a expectativa para saber se ele voltará a ficar à disposição contra o Botafogo, neste sábado, no Morumbi.
  2. Reforços chegando: Nenê e Tréllez foram anunciados nesta semana e aos poucos entrarão no time. O meia, inclusive, poderá estrear no sábado.
  3. Time ideal: Dorival tem tentado dosar o uso de alguns jogadores no começo da temporada para não perder ninguém com lesão.
  4. Qualidade entre os reservas: por motivos variados, Jean, Hudson e Reinaldo abriram o ano como suplentes, mas têm qualidade para jogar. Os três são caras novas do elenco de 2018 (o goleiro foi contratado, enquanto o volante e o lateral retornaram de empréstimo) e aumentam a competitividade interna.
  5. Adaptação dos garotos: Dorival conta hoje com 16 atletas de Cotia, sem incluir Rodrigo Caio, atleta mais rodado. Alguns deles acabaram de estrear como profissionais. Ou seja, é necessário ter paciência (palavra complicada para o torcedor machucado pelo difícil ano de 2017 e sedento por títulos).

Dorival Júnior tem 34 jogadores à disposição para trabalhar. Há espaço para a contratação de mais um ponta. Valdívia, emprestado do Internacional ao Atlético-MG, é um alvo. O Tricolor recebeu uma sondagem de um clube chinês e uma proposta do Al-Hilal, da Arábia Saudita, por Cueva, mas fechou a porta para a saída. Maicosuel está acertado com o Grêmio, e Júnior Tavares foi barrado de três jogos, mas voltou a ser chamado para o duelo contra o Madureira.

Goleiros

Sidão – 5 jogos
Começou o ano como titular do time de Dorival Júnior. Teve momentos de hesitação, no clássico contra o Corinthians e diante do Madureira. Recebe críticas da torcida, mas é um dos líderes do grupo.

Jean – nenhum jogo
Foi contratado para aumentar a concorrência no setor e brigar por uma vaga de titular. Reforço para 2018, ele assinou um vínculo até 2022. Tem se destacado em alguns treinos. Aos 22 anos, é visto como um goleiro de futuro. Também bate faltas.

Lucas Perri – nenhum jogo
Era uma das apostas de Rogério Ceni, que lhe dedicava especial atenção nos treinos. Revelado na base, tem 1,97m de altura, passagens por seleções inferiores e é a principal promessa do clube para a posição. Antes quarto goleiro, agora ocupa o posto de terceiro, após as saídas de Denis e Renan Ribeiro. Tem 20 anos.

Lucas Paes – nenhum jogo
Também da base, hoje é o quarto goleiro do elenco profissional. Aos 20 anos, tem contrato até o fim de dezembro. Ele trabalhou com o time principal em 2015 e em alguns treinos no ano passado.

Laterais

Éder Militão – 4 jogos
Principal destaque do setor no começo de 2018, ele não é lateral de origem. O zagueiro/volante foi improvisado na posição desde o ano passado e não saiu mais. Deu duas assistências: uma para Brenner, no clássico contra o Corinthians, e outra para Diego Souza, diante do Mirassol. Revelado na base, é um dos garotos de Cotia que se firmou no profissional. Tem contrato até janeiro de 2019.

Bruno – 1 jogo
Reserva e em baixa em 2017, o jogador de 32 anos tem contrato até o fim da temporada. Tem característica mais ofensiva. Perdeu espaço na última temporada por conta de uma lombalgia e da ascensão de Militão.

Edimar – 4 jogos
Antes emprestado pelo Cruzeiro e posteriorente comprado definitivamente, começou a temporada como titular. Recebeu críticas direcionadas da torcida na vitória contra o Madureira, em Londrina, onde os tricolores pediram a entrada de Reinaldo. Tem característica mais defensiva do que o concorrente da posição.

Reinaldo – 1 jogo
Voltou ao São Paulo com moral depois das passagens por Ponte Preta e Chapecoense, mas começou a temporada como reserva. Teve o nome gritado pela torcida em Londrina. Tem qualidade nos cruzamentos e nas cobranças de bolas paradas. É candidato a ganhar a posição de titular.

Júnior Tavares – 1 jogo
Lateral-esquerdo de origem, começou a ser aproveitado mais adiantado entre o fim de 2017 e o começo deste ano. Jogou na estreia como ponta, diante do São Bento, em um time repleto de reservas, e teve atuação apagada. Depois foi barrado de três jogos e voltou a ser relacionado diante do Madureira, mas ficou no banco.

Zagueiros

Rodrigo Caio – 4 jogos
Atleta do elenco com mais partidas pelo São Paulo (258), ele segue como titular absoluto na defesa do São Paulo neste início de temporada. Salvou um gol certo do Mirassol em lance de recuperação na corrida, na vitória po 2 a 0, no Morumbi.

Anderson Martins – 3 jogos
Reforço contratado após surgir como oportunidade de mercado, tem sido o titular ao lado de Rodrigo Caio durante a ausência de Arboleda, lesionado. Cometeu uma falha de posicionamento no segundo gol do clássico contra o Corinthians.

Bruno Alves – 1 jogo
Reserva, foi contratado no ano passado após rescindir com o Figueirense. Atuou contra o Novorizontino, no empate sem gols no Morumbi. Era o suplente imediato da defesa em 2017 e agora ganhou a concorrência de Anderson Martins no setor.

Rony – 1 jogo
Revelado na base, começou a treinar com o elenco profissional em 2017 e foi promovido definitivamente nesta temporada. Atuou na estreia com derrota para o São Bento, por 2 a 0, em Sorocaba, em uma equipe alternativa. Ele e Aderllan são as últimas opções na defesa.

Arboleda – nenhum jogo
Titular da defesa ao lado de Rodrigo Caio, abriu a temporada com um estiramento leve na coxa direita e aos poucos está retomando a condição física. Durante a sua ausência, tem sido substituído por pelo reforço Anderson Martins.

Aderllan – 1 jogo
Nesse momento é, ao lado de Rony, a última opção na defesa. Reserva e contratado após sair do Valencia, em 2017, atuou com o time alternativo que perdeu para o São Bento, por 2 a 0, em Sorocaba. Fez três partidas no ano passado.

Meio-campistas

Jucilei – 4 jogos
Foi contratado definitivamente da China. É um dos líderes técnicos do time de Dorival. Destaca-se no começo da temporada pela boa distribuição de jogo e precisão nos lançamentos. Tem feito boas combinações de jogadas com o ponta Marcos Guilherme. Virou capitão do time na ausência de Petros, contra o Madureira. Titular absoluto da equipe.

Petros – 3 jogos
Capitão de Dorival no início de 2018, tem atuado com mais liberadade para subir ao ataque nesta temporada. É uma das lideranças do grupo no dia a dia. Titular da equipe, Petros se identificou rapidamente com o São Paulo e hoje é um dos atletas mais queridos pela torcida.

Hudson – nenhum jogo
Retornou do empréstimo ao Cruzeiro e voltou a ser relacionado nos últimos dois jogos do time. Ainda sente dores, fruto da lesão muscular sofrida no fim do ano passado, com a equipe mineira. Pode ser um dos pilares do novo São Paulo.

Araruna – 2 jogos
O volante revelado na base é reserva no time de Dorival. Atuou na estreia, com o time alternativo que perdeu para o São Bento, e substituiu Petros, suspenso diante do Madureira. Teve atuações discretas nas duas ocasiões.

Pedro Augusto – 1 jogo
Revelado na base, o garoto jogou com o time alternativo diante do São Bento e teve atuação apagada. Levou um cartão amarelo e teve uma finalização bloqueada pela defesa.

Paulo Henrique – 2 jogos
Outro garoto de Cotia, o meia se destacou na derrota para o São Bento. Aproveitou sobra da defesa, driblou e quase fez um gol. Em outra oportunidade, criou jogada interessante em combinação com Marquinhos Cipriano e Bissoli.

Cueva – 1 jogo
O peruano foi muito mais assunto por atos fora de campo do que dentro. Se atrasou seis dias para a reapresentação, recebeu multa, pediu para não ser relacionado contra o Mirassol, pois recebeu uma proposta para sair, e foi barrado dos últimos jogos do Tricolor. Agora vive a expectativa de voltar contra o Botafogo, neste sábado, no Morumbi.

Shaylon – 4 jogos
Na ausência de Cueva, tem sido o titular do time. Revelado na base, o meia oscilou entre momentos bons e ruins neste começo de ano. Perdeu algumas chances claras de gols. Há esperança de que ele possa render mais. Está no segundo ano como profissional.

Lucas Fernandes – 3 jogos
Foi titular em uma partida e saiu do banco em outras duas oportunidades. Deu assistência para um gol de Marcos Guilherme, contra o Mirassol. Está no terceiro ano como profissional.

Gabriel Sara – nenhum jogo
Promovido da base, não teve oportunidades nesta temporada. Participou da reta final da Copa São Paulo, nos jogos contra Internacional (semifinal) e Flamengo (final).

Morato – nenhum jogo
Soma um jogo com a camisa do São Paulo, em 2017, e aprimora forma física após se recuperar de uma cirurgia no joelho direito. Teve o contrato renovado até o fim da temporada.

Bissoli – 2 jogos
Revelado na base, atuou contra o São Bento, na derrota por 2 a 0, e entrou durante a vitória por 1 a 0 diante do Madureira, na última quarta-feira, quando acertou a trave e quase fez um gol. É reserva no elenco.

Marquinhos Cipriano – 1 jogo
Outro garoto de Cotia, o atacante estreou como profissional diante do São Bento. É considerado um dos atletas promissores da nova geração e negocia renovação contratual do vínculo válido até setembro.

Caique – 3 jogos
Tem sido uma das surpresas positivas do time no começo da temporada. Sempre pela ponta esquerda, entrou bem contra Novorizontino (sofreu pênalti não marcado) e Mirassol (criou jogadas perigosas). O garoto canhoto tem contrato até o fim da temporada.

Nenê – nenhum jogo

Vive a expectativa de estrear contra o Botafogo, neste sábado, no Morumbi. Apresentado nesta semana, o reforço é um dos nomes importantes do elenco para 2018.

Atacantes

Diego Souza – 4 jogos
Principal reforço da temporada, o centroavante recebeu a camisa 9, antes usada por Pratto, e fez um gol. Assim como todo o time, teve oscilação nesse início de temporada e ainda vai evoluir. O atleta sonha em disputar a Copa do Mundo, com a Seleção.

Marcos Guilherme – 5 jogos
Ao lado de Brenner, é o principal destaque do Tricolor nesse começo de temporada. Fez um gol, deu uma assistência para o próprio Brenner e tem sido protagonista das principais jogadas de perigo da equipe. Aberto na ponta direita, é uma das armas do time de Dorival.

Brenner – 5 jogos
O garoto de Cotia é o principal destaque do Tricolor entre os novos meninos. Ele fez dois gols (contra Corinthians e Madureira) e tem mostrado rápida adaptação ao elenco profissional. Artilheiro na base, foi promovido em 2017 sob grande expectativa.

Tréllez – nenhum jogo
É o quinto reforço para a temporada. Apresentado com Nenê, ainda não teve a situação regularizada no BID da CBF. Atua como centroavante e também pelos lados do campo. O colombiano se destacou no Vitória em 2017, quando 11 gols em 26 jogos.

GE

53 comentários

  1. Acho difícil que esse time melhore se continuar nesse esquema tático imposto pelo Dorival.

    Jogar com dois laterais com características defensivas e com dois volantes deixa a equipe presa, com pouca mobilidade na transição, dependendo mais do individual que do coletivo. Poderia abrir mão de um volante e jogar com 2 pontas abertos e dois meias, difícil nesse caso e ter culhão de tirar um Petros do time.

    • Não é um Guarani da capital, mas também não é um vasco, um Fluminense, um Internacional. Digamos que, com esse elenco dá para brigar para ficar no G7 do brasileirão

  2. Rapaz, pensando aqui…

    Ser técnico de futebol não tem como ser tão difícil assim. Acho que o mais difícil deve ser conter os egos, a administração de pessoas.

    Não é possível. Se eu fosse um treinador, ia tentar focar em jogadas ensaiadas, trazer algo novo. Num escanteio, numa cobrança de falta, o fator surpresa. Isso é que decide um jogo.

    Uma jogada bem ensaiada e bem efetuada resulta em gol. Um gol faz muita diferença.

    Cobranças de escanteio e de falta deveriam ser treinadas exaustivamente. Pega-se os melhores batedores e bota pra treinar, treinar, treinar, até ficarem bons (muito bons, na verdade) de fato.

    Se o esquema treinado não tá resolvendo, essas são as coisas que fazem a diferença até que o time se encaixe. O negócio é focar na repetição daquilo que não tá dando certo até acertar…

    Mas não é possível ver tantos cruzamentos, faltas, escanteios desperdiçados, pois, aparentemente, quem cruza a bola simplesmente chuta pra área torcendo pra ver se alguém aparece e faz o gol. Simplesmente joga ela pra lá e quem tiver na área que “se vire” pra chegar.

    • Não acho tão fácil assim. Imagina ter que treinar a exaustão com 11 pessoas diferentes e alguns deles não fazem o que foi planejado. Além que aqui no Brasil não existe treino de aprimoramento e jogadas coletivas. Joga domingo, recupera segunda, prepara terça, joga quarta. É impossível, além que nem tivemos pré temporada decente.

    • tenho certeza de que Dorival não faz esse tipo de treinamento. Não consigo ver quase nenhum cruzamento bem feito, uma boa cobrança de falta ( só hernanes), uma jogada ensaiada, que possa surpreender o adversário, é sempre aquela lenga lenga de posse de bola e toque para lateral e para trás

  3. Meu time ideal, com o que temos:

    Jean Militão……………….Arboleda………………..R. caio…………….Jr. tavares
    Petros………………………Jucilei
    M. guilherme……………Cueva…………………Diego Souza
    Brenner

    • Tirando o Cueva e o Arboleda que parece que não estão prontos eu iria como vc falou quando os 2 estiverem 200%.

      Só mantenho o Sidao mesmo por coerência. Mas podemos testar o Jean mesmo o Sidao estando bem.

      JT é uma esperança. Temos que dar uma sequência de 5 jogos na minha opinião.

  4. com os reforços estando a disposição, Cueva voltando comprometido, e até a possivel chegada do valdivia, tende a dar uma qualificada no elenco, ainda que nao tanto.

    é ter paciencia e confiança no trabalho do tecnico.

      • essa frase deveria entrar na cabeça dos torcedores

        a ansiedade da torcida ( compreensivel ao meu ver ) é extremamente prejudicial. Queimamos tecnicos e jogadores na velocidade da luz, tamanha as frustrações por derrotas que no fundo , nao significam nada

        eu sinto que isso afeta muito os jogadores tbm. um cara que chegou no clube ontem e joga amanha, entra carregando todo o peso de 10 anos de frustrações. e isso é pedir pra queimar o cara

      • Perfeito.

        Rai chegou agora, não dar 1 ano talvez para o maior jogador da história do Clube como motivo de confiança é uma vergonha. Eu acho 1 pouco, Raj comigo tem mais.

        Pq mesmo que no começo não tenha feito o que eu quero, ele merece jamais a crítica, no máximo uma contestação em um trabalho tão recente para quem nos deu tanto.

    • vejo o Brenner como nosso melhor jogador no inicio da temporada, ainda que demonstre uma afobaçao gigante, vem evoluindo.

      estou gostando tbm do Diego Souza e obviamente, do Messi Guilherme (rs)

    • MG ano passado já foi o melhor no ataque, problema que alguns são um pouco impaciente e qualquer erro vão cornetar, está no jeito do brasileiro.

      MG não é o craque dos sonhos como um Neres ou Lucas mas é um bom jogador. Tem que renovar…

      Rodrigo Caio espero que seja vendido pq acho 12-15 mi de Euros muito mas é outro cara que muita gente fala muita besteira.

      Sidao está numa média boa e também é criticado. Denis era ruim mas o Renan era um goleiro razoável tb…

      Criticamos muito e rápido, acho que o elenco do SP não é o sonho de ninguém mas o mínimo que podemos fazer é apoiar a maioria lá, ver o Edimar (que odeio também) ser vaiado em campo quando faz uma partidaça é brincadeira….

      • Sei que pra alguns isso nao vale, mas pra mim, Rodrigo Caio é o que temos mais perto de um idolo no elenco.

        Mais jogos, veio da base, sao paulino desde a infancia, nunca deixou de honrar o manto.

        Falha sim, como falharam todos os jogadores da historia do futebol. Nao digo que ele seja o melhor zagueiro do brasil, mas com certeza esta entre os melhores ( e, em algumas fases, foi de fato o melhor)

        é um baita simbolo que deveria ser mais respeitado pelo proprio torcedor.

        e né, um torcedor que nao respeita um jogador com 8 anos no clube, vai respeitar o lateral mediano que se esforça?

        é dificil.

        • Rodrigo Caio, vulgo condomínio, é nosso titular há mais tempo.

          Por acaso o tempo de titularidade dele coincide com nossa seca de títulos, e de perda de jogos para nosso rivais.

          Tento não correlacionar a presença dele com as duas situações, mas não consigo.

          Claro q ele não é O culpado, mas……..

          • Rodrigo Caio foi titular tanto em campanhas de luta de rebaixamento como em campanhas de semi final de libertadores e vice brasileiro.

            esta longe de ser o motivo de derrotas ( como tbm esta longe de ser o motivo das vitorias)

            é um jogador extremamente regular. nao é um cracaço. mas sabe jogar, é voluntarioso, de grupo, e um lider sao paulino.

            e correlação entre seca de titulos e pessoas

            posso afimar tbm, pelo mesmo principio, que a decadencia do sao paulo eh concomitante com a ausencia do muricy ramalho como tecnico.

            ou ainda, posso afirmar, que é concomitante a presença de certos velhacos na diretoria

            ou ainda, concomitante a arrogancia que se criou no clube após o periodo de “soberania”

            a analise nunca é tao rasa quantos nos gostariamos que fosse

            como disse o Lugano
            ” para voltar a vencer, precisamos mudar as coisas que sao invisiveis a voces”

        • Perfeito!!!!

          Eu também, aliás meu capitao.

          Ele não é um Miranda, um Dario Pereiro um Lugano? Não é, infelizmente.

          Mas é a base, a sãopaulinidade é um cara que respeito e torço.

  5. Jorge Nicola

    Verified account

    @jorgenicola
    4m4 minutes ago
    More
    São Paulo espera por Valdivia amanhã, no CT da Barra Funda, para exames médicos e assinatura do empréstimo até dezembro. Tricolor aceitou arcar com 100% dos salários do meia-atacante, na casa dos R$ 250 mil mensais. Inter e Atlético-MG já deram ok para o acordo.
    #BBdebate

    • Eu não acho o Valdívia ruim, o do internacional… Mas a minha pergunta é se ele vai mudar o time, aí eu falo que honestamente não sei, pode ser que sim ou não.

      • Mudar o time dificilmente ele vai. Nao só ele, como dificilmente 99% das opçoes que o mercado apresentam mudariam o clube de patamar.

        um ou outro jogador tem essa capacidade, de resto, é esperar que agregue e renda.

        Mas nao espero, em nenhum momento, que ele mude o sao paulo de patamar

        como disse, é uma aposta razoavel dentro do mercado que nos foi imposto

  6. Gosto da ideia de Nene, Diego Souza e Brenner movimentando e revendo nas posições.

    Seria interessante ver Diego Souza como ponta ou meia… Ou Brenner como ponta ou centroavante. E Nene de meia pra ponta ou ate centro-avante.

    Mas é algo difícil dos jogadores fazerem sem treinamento e cabeça pra fazer isso.

  7. Marcio Tricolor – Meus comentários estão sendo encaminhados para “moderação”, e, apesar (no bom sentido) de nada conterem de ofensivo, ou coisa que o valha, não estão sendo publicados “oficialmente”… Poderia verificar / esclarecer, por gentileza?!… Abraço! / Bom final de semana!… SMILE.

  8. Sei não tem coisa no futebol que não da pra espricar . eu observaria . o Telles nos treinamento. Parece ser um jogador volutariozo. Assim como o boi bandido . ele pode funcionar jogando pelos lados mais que o Valdivia. Pois tem força e joga em direção ao gol.acho que precisamos de jogador de lado . mais atacante que joga de lado que faça gol . Valdivia é mais um meia que um atacante. o Toro tem mais qualidade como atacante de lado que ele . Toro e goleador . se for comparar os 2 eu prefiro o Toro.

Deixe uma resposta