Apesar da má temporada em 2017, o São Paulo tem mostrado confiança na equipe e não desmanchou o time base montado por Dorival Junior. Em relação aos que saíram, a política de contratação tem sido ‘pontual’ e os reforços chegaram na medida em que outros atletas importantes saíram. A consequência, até o momento, foi ter lucrado mais do que ter gastado.

Com a exceção de Anderson Martins, que acertou apenas luvas e salários com o São Paulo, os outros três reforços, Diego Souza, Jean e Jucilei, que foi contratado em definitivo, tiveram um esforço financeiro por parte da diretoria.

Até o momento, as saídas mais importantes foram de Pratto e Hernanes. O segundo teve que retornar ao seu time na China, e o argentino, sim, foi vendido para o River Plate por um valor milionário.

Outro argentino vendido, mas esse sem mais apreço por parte da torcida são-paulina, foi Buffarini que partiu para o Boca Juniors, Nessa negociação o Tricolor vendeu 80% do lateral e ainda permaneceu com outros 20%, de acordo com o GloboEsporte.com e o Lancenet!. 

VENDIDOS

Buffarini – (Boca Juniors) –  R$ 4,9 milhões

Lucas Pratto – (River Plate) – 11,5 milhões de euros (R$ 44,4 milhões) – ficou com R$ 32,9 milhões**

Artur – (Columbus Crew-EUA) – R$ 4,6 milhões

TOTAL: R$ 42,4 milhões nos cofres 

CONTRATADOS PELO SÃO PAULO

Anderson Martins – apenas salários e luvas

Jucilei – (Shandong Luneng) – R$ 4 milhões

Jean (Bahia) – R$ 10 milhões

Diego Souza (Sport) – R$ 10 milhões

TOTAL: R$ 24 milhões gastos 

VALOR ARRECADADO SE APROXIMA DA METADE DO PREVISTO EM VENDAS

Na reunião do Conselho Administrativo do São Paulo, na última semana de dezembro, foi previsto que o clube arrecade pelo menos R$ 88 milhões com venda de jogadores em 2018, de acordo com o UOL Esporte. Este número está acima da estimativa da temporada passada.

Em 2017, foi previsto que com vendas de atletas o São Paulo conseguisse R$ 60 milhões, valor esse que foi superado com as saídas de Maicon, Luiz Araújo, David Neres, Lyanco, Thiago Mendes e Centurión.

Torcedores.com