Os 6 erros que o São Paulo não pode cometer em 2018

Tendo evitado o primeiro rebaixamento de sua história, o São Paulo entra em 2018 com a missão de corrigir seus erros de 2017 e, novamente, dar alegrias para o seu torcedor. Fora da Libertadores, o tricolor paulista terá pela frente as disputas do Campeonato Paulista, Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e Campeonato Brasileiro.

A chegada de Raí á dirigência do clube traz boas expectativas para o torcedor. Pensando nisso, o Torcedoresdestaca seis erros que o São Paulo não pode repetir no ano de 2018.

Pouco aproveitamento das categorias de base

As categorias de base do São Paulo estão entre as melhores do país. Revelações recentes como Lucas Moura, Luiz Araújo, David Neres, entre outros, hoje têm seu lugar no futebol europeu e renderam boas cifras ao clube. Mas será que saíram na hora certa?

Na época em que foram vendidos, Luiz Araújo e David Neres estavam em boa fase pelo tricolor. A queda de rendimento e entrosamento do time foi visível, principalmente com a saída de Luiz Araújo. Com a chegada de Brenner e outras revelações de Cotia, o São Paulo deve administrar bem suas revelações e aproveitá-las melhor no elenco profissional.

Muitas vendas, pouco investimento

Em 2017, estipula-se que o São Paulo tenha tido um lucro de cerca de R$180 milhões somente com vendas de jogadores, como Luiz Araújo, Thiago Mendes, Maicon, entre outros. Jogadores como Hernanes, Petros, Jucilei, Pratto, Marcos Guilherme e Arboleda chegaram ao clube nessa temporada e foram importantes.

Mas com todo esse dinheiro, o clube pode e deve investir mais para 2018. Setores como as laterais e ataque pelos lados precisam ser reforçados. Com esse investimento e a mescla com jogadores da base e do time titular atual, o elenco são paulino viria bem fortalecido para 2018.

Desmanche no elenco

Esse talvez tenha sido o maior erro do São Paulo em 2017. Como já citado com jogadores da base, outros jogadores do elenco também deixaram o clube ao longo da temporada. Resultado? Time desentrosado e com elenco fragilizado.

O próprio Hernanes, que ainda não tem permanência garantida para toda a temporada, afirmou que a equipe tricolor “Não pode mudar tanto em 2018.” Para isso, a diretoria do tricolor deve ter um bom planejamento financeiro e evitar que ocorram muitas vendas em sequência.

Inconsistência defensiva

O setor defensivo, que já foi forte responsável por muitos títulos na história do clube, não vive boa fase. Em 2017, falhas defensivas individuais, principalmente nas laterais, foram responsáveis por muitos dos gols sofridos pelo tricolor. A cobertura dos volantes, em caso de subida dos laterais para o ataque, também deve ser intensificada.

Dorival Júnior teve no Santos, em 2016, uma das melhores defesas do campeonato brasileiro, corrigindo os erros supracitados. É de se esperar o mesmo para o São Paulo em 2018.

Instabilidade administrativa

2017 também não foi um ano estável para a diretoria tricolor, tendo reflexo direto dentro de campo. Dirigentes, como o presidente Leco e o diretor executivo Vinícius Pinotti, receberam fortes críticas ao longo dos anos.

Com a chegada de Raí e Ricardo Rocha à dirigência do clube, é de se esperar um São Paulo com menos problemas administrativos e com melhor planejamento para o ano de 2018.

Forte dependência de alguns jogadores

Com problemas coletivos e de entrosamento, o São Paulo ficou bastante dependente do individualismo de alguns jogadores para obter resultados. Tornava-se visível a queda de rendimento da equipe quando Hernanes e Cueva, por exemplo, não estavam em campo.

Como já citado, o elenco são paulino precisa entrar fortalecido em 2018. Com a não confirmada permanência de Hernanes e também de Cueva, a equipe deve trabalhar bem o entrosamento para não ser derrotada na ausência desses jogadores.

Torcedores.com – Daniel Gois

13 comentários

  1. Ou seja, esses erros seriam facilmente eliminados se tivéssemos um presidente com, pelo menos, 1% de competência e visão.

    Tudo o que foi escrito é tão obvio que chega a ser irritante como o Leco não enxerga isso.

  2. Gostei do post e me permito falar um pouco.

    1) Pouco aproveitamento das categorias de base: com o investimento que fazemos na base é necessário ter muitas peças no elenco, não necessariamente como titular em razão do processo de amadurecimento de cada atleta.

    Acho que houve aproveitamento da base sim, pensando na formação do elenco. O que faltou foi dar mais oportunidades para alguns. Araruna, Shaylon e Brenner jogaram algumas partidas. Junior, Lucas Fernandes e Luiz Araújo foram titulares em alguns momentos. Militão virou titular. Sem contar R. Caio e Hernanes, que embora oriundos da base já estão na categoria carreira consolidada) e no aproveitamento financeiro com negociações.

    E me parece que esse caminho (maior aproveitamento desportivo da base).

    2) Muitas vendas, pouco investimento.
    A questão financeira precisa ser equacionada, mas acredito que se investiu muito: W. Nem, Sidão (e agora Jean), Hernanes, Petros, Jucilei, Pratto (alto valor), Marcos Guilherme, a contratação definitiva der Junior e shaylon, Arboleda, Aderlan, Maicossuel, Thomaz, Gomez.

    3) Desmanche no elenco
    Aqui há de entrar o aspecto financeiro. Por isso prefiro que vendam quem tiver que vender agora, logo. Assim vamos trabalhar com um elenco definido desde o início com eventuais acréscimos no decorrer da temporada, ao invés de ficar mudando a espinha dorsal durante os campeonatos.

    4) Inconsistência defensiva
    Houve grande melhora no segundo turno. Mas a manutenção do

    5) Instabilidade administrativa
    Algo impossível se dependemos da boa vontade de alguns.

    6) Forte dependência de alguns jogadores
    Ruim é não ter de quem reelegeu depender. Cueva e Hernanes são muito importantes. Mas tira o Messi do Barcelona, o Ronaldo do Real Madrid etc..
    Mas precisamos definir substitutos.

    • 4) Inconsistência defensiva
      Houve grande melhora no segundo turno. Mas a manutenção do treinador e de todas as peças defensivas ajuda na estabilização.

  3. Na minha opinião precisamos de 3 peças um lateral direito, uma meio campo e um segundo atacante sendo esse de velocidade…

    Manter Hernandes e o pratto ( apesar de acha-lo cabeludo!!!!)

    Vender Rodrigo Caio e cueva…

    Caio temos Militão para reposição e talvez maidana , cueva temos shaylon …eu emprestaria o Lucas Fernandes para jogar o paulistão….

  4. Eu não confio neste jogadores.
    14 rodadas na zona do rebaixamento.
    Todo jogo levou gols
    Não chegou ninguém
    Muitos esquecem que fizemos 31 pontos no segundo turno…isso é 50% dos pontos disputados…nós não fomos bem os outros é que foram péssimos.
    O melhor do segundo turno foi a chapecoense, Vasco, e outros mais….
    Em resumo um fisco para um time que tem folha de 10 milhões.
    Uma coisa é ser pessimista outra é ser realista.
    Dorival foi quase demitido se perdesse o jogo pro Flamengo….e muita cascata e pouco futebol.
    Mas vamos lá vamos confiar que sabe por acaso de certo….. expectativa pra mim e zero o que vier será surpresa.

  5. Iniciando novo ano, e… O SP ainda na mesma… Ou seja: NADA… Se apresenta hoje, ainda recheado de “perebas”, iludindo aos incautos que, basta “manter a base” (cheia de perebas, repito…), que o SP “voltará a ser SP”… Podem me chamar de ‘modinha’, ou coisa que o valha, mas… Será que só eu vejo isso???…

  6. na vdd começou errado. leco continua, lateral direito não veio e se vier agora já não vai fazer pré temporada com os outros, e cueva já não se reapresentou co os outros, vai começar a pré temporada que é muito importante atrasado

Deixe uma resposta