Morato: Com retorno para Fevereiro, atacante treina duro para retornar voando em 2018

Dia 12 de abril de 2017. A diretoria do São Paulo apresentava o atacante Morato, que vinha do Ituano para um período de empréstimo de um ano. Uma semana depois, o jogador foi a surpresa na escalação de Rogério Ceni no jogo contra o Cruzeiro, no Mineirão, pela Copa do Brasil.

O time venceu por 2 a 1, mas não se classificou. Mesmo assim, Morato deixou ótima impressão. Com velocidade, dribles curtos e hablidade, deu trabalho aos defensores adversários e fez a jogada do primeiro gol tricolor, marcado por Lucas Pratto.

Só que 17 dias depois a empolgação transformou-se em desespero: em jogo-treino no CT de Cotia, o jogador torceu o joelho direito e precisou ser operado. Prazo de recuperação: oito meses.

Iniciou-se um longo processo de paciência. Os companheiros o ajudavam com mensagens positivas. Também teve espaço para conversas informais com a psicóloga do clube, Analy Couto. O processo está no fim. Para animá-lo, um presente de Natal: o jogador teve o empréstimo renovado por mais um ano.

Morato está com sete meses e uma semana de recuperação. No dia 18 de janeiro, completará oito meses e deverá estar liberado para iniciar as atividades físicas no gramado. Ele acredita que no final de fevereiro estará à disposição do técnico Dorival Júnior.

Na conversa que teve com o GloboEsporte.com, Morato conta sobre tudo que viveu neste ano, a surpresa com a renovação de contrato e a expectativa de ter um 2018 com títulos no Tricolor.

GloboEsporte.com – Como está a sua recuperação?
Morato 
– Estou na fase final, já intercalo o trabalho do Reffis com os equipamentos da academia e o campo. Faço pequenas atividades com bola. Tenho evoluído bastante. Mesmo assim, o médico prefere ser cauteloso, quer esperar dar os oito meses de recuperação. Ainda tenho uma ressonância para fazer, para saber em que estágio está meu joelho. No dia 18 de janeiro, chego aos oito meses. Estamos indo para os “finalmente”.

Você está zerado? Não sente mais dores?
– Faço tudo que me pedem, sem receio. Mas ainda não é a mesma coisa em termos de giro, por exemplo. Ainda não é hora de ir para o campo direto e treinar. É sempre preciso fazer fortalecimento. Ter paciência nesse período de fase final será fundamental.

Como conseguiu ter tanta paciência nesses meses? Desanimou em algum momento?
– Foi muito difícil, mas não tinha jeito. Teria que passar por isso. Se não tivesse, não estaria no estágio que estou hoje. Foi viver cada momento. Desde as dobradas no joelho, até os exercícios com peso nas caneleiras, o que me matava (risos).

Os primeiros três meses foram muito complicados. A lesão era recente, mexeram muita coisa no meu joelho e era muita dor. Mas eu tinha que fazer os exercícios para ganhar flexão e extensão. Tratei a minha rotina no Reffis com metas. Em cada uma, foi preciso muita concentração. Queria até fazer algo a mais, mas o corpo não aceitava.

 Você esperava ter o contrato renovado?

– Complicado falar isso. Fiz apenas um jogo. Tudo bem que foi um bom jogo, mas foi apenas um jogo. Era difícil pensar que um jogador nessas condições poderia renovar o empréstimo. Acho que meu primeiro mês foi bom, não só dentro de campo. Nos treinos, no extracampo. Mas claro que bateu o medo.

No início, antes de operar, pensei que tivesse colocado tudo a perder. Ia chegar em dezembro recuperado e com o contrato vencido. Pensei que tivesse sido mais uma oportunidade rasgada. Agora tenho mais um ano para mostrar serviço.

Teve ajuda da piscóloga neste período?
– Não foi algo marcado, que eu precisasse de ajuda. As conversas eram muito naturais, não chamo de consulta. Não procurei ela porque não estava suportando. Ela é uma pessoa receptiva, tem um carisma, um modo de chegar nas pessoas que deixa todo mundo tranquilo. Sofri bastante na recuperação, mas a cabeça estava boa.

A companhia do Nem ajudou no Reffis?
– Infelizmente, ele também se lesionou. Um se apegou ao outro. Quando cheguei aqui, o via como muito carismático. Com tanta convivência, ou você vira amigo ou se afasta de vez. Vou levá-lo para o resto da vida. É um parceiraço.

Você impressionou na partida que fez contra o Cruzeiro. Como conseguiu ser tão gelado naquela estreia?
– Eu me preparei para estar aqui. Não me assustei com nada, até porque o jogo que fiz não foi sorte. Quando cheguei ao São Paulo, pensei: “Vou fazer tudo que fiz até agora ao contrário.” Não era disciplinado. Nunca fui da noite, mas exagerava em algumas coisas. Era um chopp a mais, um doce a mais. Me descuidava. Meu empresário pensou que não conseguiria. Mas venci.

O que você pode projetar para a temporada 2018?
– Espero que seja um ano totalmente diferente para mim e para o São Paulo. Pessoalmente, posso garantir ao torcedor que quem viu meu primeiro jogo, viu uma amostra. É dali para mais. Dedicação e empenho o tempo todo. E que possamos ter vitórias, classificações e títulos em 2018.

GE

Anúncios

31 comentários

    • Também tenho a impressão de que vai ser um jogador útil. Não estou dizendo a ponto de ir tão bem a ponto de ser vendido para a Europa ocidental, mas o pressentimento é de que poderemos contar com ele em um time a longo prazo ao lado de Sidão/Jean, Arboleda, Jucilei, Petros e Maicossuel (talvez)… Não citei Hudson, Pratto, Cueva e Rodrigo Caio, pois são os nomes que o São Paulo almeja/prevê vender este ano.

      Curtir

    • Quantos jogos fizemos na pré temporada? Lembro de um jogo mais ou menos dele lá nos EUA. Nem dava para projetar nada.
      O fato é que as contusões musculares dele já eram conhecidas em seu histórico. E se repetiram. Para um jogador que o forte é a velocidade, é fatal que vai render pouco.

      Curtido por 1 pessoa

      • E o forte dele nunca pareceu ser gols, apenas assistencias… e tem esses histórico de lesões dele, a liberação do time do leste europeu sem dificuldades, os demais brasileiros estão lá até hoje até o Lionel Marlos tá bem lá kkkk Ganha um salario perto do teto do clube…

        Curtir

  1. Com a “iminente” venda do Pratto …, Brenner sendo convocado em cada “seçãozinha” e Morato voltando ao final de Fevereiro ( Deus permita que volte muito bem ) …, nosso sistema ofensivo é muito mais que carente …, está praticamente inexistente.

    Curtir

  2. Off-topic: Estava vendo os comentários da torcida do Santos em relação a uma possível troca de Hudson por Victor Ferraz e os caras estão levantando a mão pro céu viu?! Será que ele não vai acabar pegando reserva pro Bruno, assim como aconteceu com o Buffarini? Estrou preferindo manter o polivalente Hudson que pode jogar tanto de 1º volante como na LD, assim o Militão não tem sua formação de zagueiro atrapalhada por jogar em diversas posições logo de início (acredito que isso incomoda um pouco o jogador, como incomodou o Rodrigo Caio no início de sua transição).

    Curtir

    • Estão mesmo torcendo para ocorrer a troca. esse ano do Victor Ferraz foi um horror
      Ele foi recuperado no santos pelo DJ pois ele e o Zeca seriam negociados
      Eu não faria a troca, pode ser que o VF só seja o tipo de jogador que joga bem apenas com um treinador e se ele cair com alguns resultados ruins a bomba fica com agente, se juntando a Bruno e Buffa (se nao for negociado)

      Curtir

  3. É um jogador que deixou boa impressão. Provavelmente se nao tivesse se machucado seria titular e, talvez, não tivesse passado tanto nervoso com o Marcos Guilherme. rs

    Sobre contratações e reforços, estamos numa época muito dificil. Não vejo no mercado aquele jogador unanimidade que existiam antigamente. Ou iremos atras de alguma aposta ou algum jogador que por um lado é bom, mas por outro lado não é tanto.
    Entramos numa época onde os grandes jogadores de outrora já se aposentaram e os bons jogadores atuais são todos muito novos para voltarem pro Brasil. O Brasil teve péssimos anos em termos de revelações, onde poucos se destacaram e é em menor numero ainda aqueles que são unanimidades.
    Por isso, nao vejo nesta janela de transferencia algum jogador que chegará e toda a torcida irá concordar ou tao pouco algum jogador nosso que pode ser vendido e todos irão achar ruim a venda. Com o plantel que temos, considerando as vendas dos jogadores especulados para sair(Cueva, Rodrigo, PRatto e Militão) vejo apenas nosso atual lateral direito(improvisado) como uma perda consideravel e de dificil reposição. Todos os outro podem ser repostos, com uma maior dificuldade pro Cueva(considerando sistema de jogo, atuação do time com ele e sem ele em campo e poder de decisão).

    Curtir

  4. Foram diversos erros em 2017 que contribuiram para o fracasso do time dentro de campo, (e fora também) mas sempre acreditei que se nāo fosse a lesāo desse cara, mesmo com todos os contratempos, o São Paulo não teria passado por tanto sofrimento. Ouso dizer que uma das vagas para Libertadores seria nossa. Tomara que nos supreenda positivamente em 2018. Torcendo muito.

    Curtir

  5. Depois da queda brusca de rendimento do Lucas Fernandes após a lesão, prefiro ter cautela com jogadores voltando de lesão.

    Prefiro não esperar nada e ser surpreendido do que criar expectativas, o fato é, diante da ineficiência ofensiva do time esse ano, hoje se fala mais de uma possível venda do Pratto do que da contratação de meias e atacantes.

    Curtir

  6. A diretoria já esta falando que precisa vender 90 MI pra ficar positiva. Quer vender? POde vender! Mas fça como foi feito no caso do Lucas onde o atleta só pode sair no final do campeonato, de nada adianta ter um ou dois milhões a mais para liberar agora e ter que fazer como no meio deste ano.

    Curtir

  7. O torcedor do São Paulo é um comediante mesmo! (A maioria)

    Hoje tive que ler gente torcendo pela saída do Pratto e pedindo a volta do Gilberto.

    Rapaz, vou te falar viu, merece a temporada que teve.

    (risos)

    Curtir

  8. sera que o sao paulo vai contratar outro goleiro porque renan ribeiro vai para o estoril e perri sera emprestado ficaremos só com sidao e jean o que acham tricolores

    Curtir

  9. Opinião:

    Hudson fica, bom jogador, pode brigar pela titularidade seja no meio ou lateral, fora q times como Palmeiras, Flamengo e Galo tem bons nomes tbm no banco, pq nós temos q ter apenas 2 volantes bons?

    Wellington Nem, eu tentaria um acordo para sua permanência, o contrato dele acho q está no fim no time dele. Claro, q um acordo por produtividade seria bom pro clube.

    Pratto fica, o elenco para esse ano deverá ser melhor, grande centroavante de qualidade rara no país(pra mim) ao lado de Guerrero e Jô.

    Buffarini e Bruno, eu daria mais uma temporada como chance, o meio esta arrumado e o Bruno já foi líder em ass, não acho que foi na cagada isso.

    Já são nossos, pra que contratar mais meia bocas e pagar comissoes?

    Curtir

Comente aqui, Tricolor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s